História Em busca de um culpado - Interativa BTS - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias ASTRO, Bangtan Boys (BTS), Dreamcatcher, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), MJ, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, SuA
Visualizações 62
Palavras 853
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Para quem não me conhece eu sou a Sara. *Não é meu nome real ,mas ok*

Vim só deixar o prólogo aqui, porque estou com muita vergonha rs.

Realmente não sei se ficou muito bom, estou bem preocupada com este capítulo, mas tenho que postar né rsrsrs.

Tomara que gostem do capítulo.

Capítulo 2 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Em busca de um culpado - Interativa BTS - Capítulo 2 - Prólogo

||• POV'S AUTORA •||

//•28 de novembro de 2006•\\

- A taxa de crimes sul coreana cresce cada vez mais conforme o tempo passa - A jornalista de cabelos pretos presos em um coque fala - e toda esta onda de crimes começou com as chacinas misteriosas, não é mesmo Lee? - A jornalista se vira para o homem ao seu lado, sentado em frente a mesa gigantesca de vidro do telejornal.

- Pois é , o assassino é extremamente meticuloso quanto a seus assassinatos em massa, não deixando nem sequer um rastro para trás - o jornalista suspira brevemente - mas por algum motivo desconhecido, o assassino sempre deixa uma vítima viva, e uma carta junto a ela. - ele olha para a tela atrás de si que mostra fotos das cartas deixadas pelo assassino.

- Devo dizer que fico impressionada pela inteligência desta pessoa, sete assassinatos e nenhuma pista deixada para trás - a jornalista falava enquanto observava as cartas contendo apenas um número escrito passarem na tela.

A polícia deduziu que os números escritos nas cartas eram um tipo de contagem para o assassino, a primeira chacina foi marcada com o número 1 , a segunda com o número 2 e por assim foi a contagem, até chegar no número 7, o número foi feito com uma coloração vermelha que não foi feita nas anteriores, as outras cartas exibiam uma cor negra, quase simples.

- Segundo a polícia, esta foi a última chacina feita até agora, e na delegacia uma ligação muito estranha foi feita - O apresentador da uma leve pausa e volta a olhar para a tela que começa a produzir sons.

- " Sete garotas, apenas sete são o suficiente" - uma voz robótica fala e a tela é desligada subitamente.

- Investigações foram feitas e estima-se que não iremos ter mais chacinas feitas por ele em nosso país.

Foi exatamente o que eles citaram, mais nenhuma chacina aconteceu depois daquilo, claro que pessoas morriam quase todos os dias por conta da criminalidade aumentada, mas nunca mais a palavra chacina foi ouvida no noticiário.

O sofrimento das vítimas foi deixado de lado pelo jornal, o que deixou muitas delas irritadas, achavam que deveriam dar mais atenção ao caso, o assassino deveria ser pego, seja pela polícia ou não.

||• POV'S CHUNGCHA•||

//•11 de fevereiro de 2018•\\

E aqui estou eu como sempre, a procura da pessoa que destroçou minha vida com suas próprias mãos.

Paredes brancas e computadores de aço são o que me rodeiam no dia a dia, apenas uma janela habita o cômodo em que passo todos os meus dias.

Telas de led e aplicativos de localização são o que me divertem, o "cubículo" em que vivo, segundo as empregadas da casa, é minúsculo e quase sem espaço para 2 pessoas, mas é silencioso e bom para um trabalho bem feito.

- Senhorita? - Clarisse, a empregada da casa que trato como minha própria mãe, entra em meu local de trabalho me tirando rapidamente de meus pensamentos.

- Sim? - A olho ainda com o coração batendo rapidamente por conta do susto que levei.

- Sua amiga está na porta, devo mandá-la entrar? - Levanto de minha cadeira e vou até a pequena janela que me dá a vista da entrada da grande mansão, na porta estava uma pessoa com vestes completamente negras e um capuz igualmente negro cobrindo sua cabeça.

Olho para Clarisse e aceno positivamente com minha cabeça, a mesma sai do cômodo fechando a porta, e eu volto a me sentar na cadeira confortável de meu quarto/local de trabalho.

- Fala aí Chung! - A menina saltitante entra no cômodo batendo a porta atrás de sí.

- Já falei para parar de me chamar assim Areun - A repreendo brevemente, mas logo deixo no lugar de minha expressão séria, um sorriso passar a habitar meu rosto.

- Então não quer que eu te conte as novidades? - Areun começa a retirar seu capuz negro da cabeça, revelando sua pele extremamente pálida e seus cabelos tingidos de um rosa claro.

- Como assim novidades? - A olho séria - Não brinque com este tipo de coisa! - Começo a ficar irritada.

- Não estou brincando! A uma semana atrás você me deu os nomes e endereços daquelas garotas não é? - A olho confirmando - Consegui acha-las.

No instante que Areun pronúncia aquelas palavras, eu salto de minha cadeira e me aproximo dela, que fica assustada.

- Obrigada ! - A dou um abraço e começo a dar beijinhos por toda a extensão de suas bochechas gordinhas.

- Acho que vou chamar Clarisse, me fala que você não entrou para o mundo das drogas - A olho entediada e volto minha atenção para meus computadores, logo me sentando em frente a eles e começando a trabalhar novamente.

- Me dê tudo que sabe sobre elas e me conte como foi sua conversa com as vítimas, quero que seja extremamente detalhada sobre este assunto, não esqueça de nenhum detalhe, nem mesmo os mínimos - Falo mantendo minha atenção nos computadores, pronta para escrever tudo que Areun falar. - Desta vez eu vou pegar o culpado, nem que custe a minha vida....


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Espero por suas fichinhas. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...