1. Spirit Fanfics >
  2. Em busca de uma flor desconhecida >
  3. As lembranças voltam e junto delas o rancor de dois irmãos

História Em busca de uma flor desconhecida - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Neste capítulo daremos uma pequena pausa na jornada de Taiyo,e mostrar sobre como Herupa conseguiu o ingrediente do lírio,e mais algumas coizinhas.
*A imagem foi feita por um usuário do Pinterest,chamado:Nani Saladana*

Capítulo 4 - As lembranças voltam e junto delas o rancor de dois irmãos


Fanfic / Fanfiction Em busca de uma flor desconhecida - Capítulo 4 - As lembranças voltam e junto delas o rancor de dois irmãos

.....

Passos,passos.

-... finalmente cheguei no lugar onde meu avô me disse para vir,e pensar que seria tão longe assim.

....

Ele adentra a casa um tanto quanto acabada.

- Este lugar...

- Ahn,pensei que era um ratinho,mas na verdade é apenas meu irmãozinho ingênuo- falou um garoto alto,segurando um livro aberto em ambas as mãos.

- O único ingênuo aqui é você,Yuki- falou Herupa já dentro da casa, falando com o garoto com alguns centímetros na sua frente,sem nenhum pingo de gentileza em seu modo de falar.

- Uf, francamente, você ainda continua me odiando,mesmo ambos sendo irmã-

- NÃO ME CHAME DE IRMÃO SEU TRAIDORZINHO!!!- exclamou Herupa totalmente vermelho de raiva pelo outro.

- Ei,não grite assim comigo,nosso avô não lhe ensinou a ter educação na casa dos outros?- Yuki disse,pondo um dedo em frente de seus lábios como forma de silêncio.

- Não ouse falar o nome do meu avô,ele não é o errado da história,e sim você!!- exclamou mais raivoso e desta vez apontando o dedo para o maior em sua frente.

- Você sabe que eu sempre me preocupei com você, então por que você continua a falar mal de mim depois de todo este tempo?-ele fala começando a ficar enconformado com a atitude do menor.

- Por que?!por que?! não se finja de sonço comigo!! você decidiu ir com o papai para ajudá-lo a fazer aquela maldita pesquisa de que nosso tataravô  e bisavô tanto trabalhava!sobre o lírio aranha azul!em vez de ir ter uma vida normal e feliz comigo! juntamente do nosso avô!que agora está prestes a morrer! então pare de sonçeras comigo idiota!!- grita com mais raiva- nós vivíamos uma vida boa com nossa família!isso foi até...- o mesmo serra os punhos e abaixa a cabeça -nosso tataravô querer ajudar a achar a cura da doença de Muzan Kibutsuji.

Nosso tataravô tentou de tudo e todas as formas para ajudar aquele cara doente,tanto que ele teve que viajar pelo Japão para achar a cura,ele estava tão determinado a achar que começou a nem dormir ou se alimentar direito,essa busca foi tanta que fez seu filho,nosso bisavô a ajudá-lo a procurar está cura,por conta disso que ele virou um viajante,o mesmo nunca se preocupou em viajar por ai;ele só queria viver uma vida passifica conosco,sua família. Contudo vendo seu pai,nosso tataravô trabalhar sem parar,ele decidiu de que a única forma de ter paz novamente, séria ajudá-lo nas pesquisas,por isso ele viajou o Japão todo em busca do remédio, é verdade de conforme ele viajava,o mesmo se deslumbrava com o lugar,tanto que até começou a escrever livros e vende-los para as demais pessoas.

Suas viajens foram tantas,que finalmente ele conseguiu achar a cura,uma higanabana azul,ou como era mais conhecida "lírio aranha azul",claro,quando ele encontrou a flor,o mesmo não sabia de seus efeitos ou coisas do tipo,mas ela parecia uma coisa tão rara para os mesmo que decidiu mostrá-las ao nosso tataravô,o médico que não parava de trabalhar pela cura e que ganhava sempre os maltrados de Muzan,por não consegui-la a tempo,que aos poucos afetava o mesmo cada vez mais. Quando nosso bisavô mostrou ao seu pai,o mesmo começou a fazer suas descontrolaveis pesquisas,e quando ele pensou que seria tudo em vão,ele havia conseguido, consegui achar o tratamento para que Muzan conseguisse viver sem que a doença incomodasse,e mais,o deixar vivo para sempre. Quando nosso tataravô conseguiu unir os ingredientes certos para o remédio,o mesmo os escreveu em várias folhas e a guardou em segurança. Assim que ele entregou o remédio para que Muzan podesse tomar o mesmo ficou furioso,pois após tomar o medicamento,persebeu que o mesmo não lhe fazia efeito algum, enfurecido pelo erro de nosso tataravô,que derramava sangue e suor em suas pesquisas,Muzan o matou,assim como o restante de nossa família que temiam pelo mesmo. Era uma cena horrível sangue de nossos familiares jorrados pelo chão,como se fosse nada,os corpos todos amotuados e ensanguentados;alguns até com tripas para fora de onde deveriam estar,era uma cena tramatizante e nojenta de se olhar,por sorte nosso avô e pai que estavam vivos na época,conseguiram fujir juntamente de mim e meu irmão mais velho,por sorte Muzan não conseguiu nos ver, então conseguimos fugir tranquilamente. Depois de alguns minutos ou talvez horas,o remédio contra a doença de Muzan havia o curado,mas não só isso também o transformou em um monstro que poderia viver por muitos e muitos anos,e tudo que precisaria para ajuda-lo a viver por tanto tempo seria o consumo de carne humana. Na hora o mesmo ficou fascinado pela transformação e pelo remédio do médico ter funcionado,contudo,havia uma exceção de sua vida longa e essa era o sol,algo assim e sem muitas propriedades era capaz de mata-lo completamente,o transformando em pó,neste momento ele se arrependeu por ter matado o homem que havia descobrido a cura contra a doença,Muzan sabia como fazer o ingrediente do remédio graças a algumas papéis que o médico havia escrevido, porém, não tinha o ingrediente principal o "lírio aranha azul",sem saber sua localização,o mesmo começou a criar outros monstros como ele denominados de "onis"ou como era chamado por muitos que temiam de sua precensa "demônios".

Conforme eles cresciam,os exterminadores de onis também,que os caçavam com o objetivo de mata-los,decapitando suas cabeças com as espadas do sol,mais conhecidas por eles como "nichirin swords", conforme se passasou,Muzan foi morto juntamente de seus aliados,os "onis comedores de gente" trazendo assim a paz para o mundo. Porém, antes de Muzan recrutar seus aliados e os exterminadores existirem,nós que haviamos fugido de nossa própria casa,fomos morar em um vilarejo pequeno,bem distante de nossa antiga casa, lá nos alojamos e vivemos por algum tempo,na época eu e meu irmão ainda eramos criancinhas,nosso pai queria ter tido uma vida passifica conosco assim como nosso avô, porém,enquanto Muzan existisse isso nunca aconteceria,bem,isso era o que ele dizia...,com isso em mente,ele pegou uma cópia do ingrediente que estava guardado, enquanto o verdadeiro foi pego por Muzan,meu pai começou a dedicar pela busca da flor,para assim quem sabe acabar com o reinado de Muzan,meu irmão que já era criança,ficou fascinado e quiz ir ajudar nosso pai nas pesquisas,eu e meu avô tentamos para-los mas era tudo em vão,ambos meu pai e irmão foram viajar palo Japão em busca da flor com a ajuda apenas de algumas informações do livro que nosso bisavô havia escrito sobre o lírio aranha azul. Conforme o tempo passava o vilarejo e eu crescia, enquanto meu avô que era minha única família morria de sua doença,tudo isso sem saber sobre informações de meu pai e irmão que nunca apareceram para nós visitar durante todos estes anos.

- Ei,Yuki...-ele chama pelo irmão mais velho.

- Sim.

- Por que você e o papai não foram nos visitar depois de todos estes anos?- ele pergunta ainda cabisbaixo.

- Maninho,eu-

- Não me chame de irmão!apenas responda a maldita pergunta!!!

- Tsc,eu e o papai não fomos visitá-los porque não tínhamos tempo.

- O QUE!!  COMO ASSIM NÃO TINHAM TEMPO?! NÃO ME FAÇA RIR!!

- Estou dizendo a verdade idiota!!!.. nós estávamos muito ocupados procurando pela flor,para assim Muzan não a achasse e assim seu plano ir ralo a baixo,por isso em nossa última viajem,fomos para Tokyo para ver se conseguiríamos alguma pista ou informação sobre o lírio,mas antes que começássemos as buscas,nós nos hospedamos em um hotel de lá,contudo,Muzan descobriu que nós,da família do médico que ele havia matado estava viva,por sorte o mesmo só sabia sobre eu e nosso pai porque uma lua superior descobriu e contou a ele,quando Muzan soube disto,o mesmo foi até onde estávamos hospedados e matou nosso pai,e como eu sei disso?bem,eu apenas observei da porta de entrada do nosso quarto,nosso pai ser morto e torturado pelo Muzan. Depois que descobri que era Muzan e que o mesmo havia matado nosso pai eu fugi,peguei um pouco de dinheiro que havia nos restado após nossa última viajem e voltei para o campo de trem,Muzan procurou por toda parte pela receita mas não achou,tudo porque eu a tinha pegado antes e assim conseguido fugir. Após chegar aqui eu achei uma casa abandonada,as pessoas da li de perto me disseram que a família que morava lá foi morta por um oni desfarçado de uma criança doente,depois de ouvir a história,conclui que seriam Muzan, afinal,eu não conhecia nenhum oni que era capaz de se disfarça de outra pessoa,sem contar que o mesmo havia se desfarçado também para poder nos matar lá no hotel. Como tinha perdido meu pai e sem saber onde ir,decidi morar aqui,a casa estava caindo aos pedaços,mas já era o bastante para sobreviver,sem contar que as pessoas daqui perto me ajudavam quando precisava de algo pra me alimentar e coisas do gênero- ele olha sério para o irmão em sua frente- Herupa,eu iria ver você e o vovô antes,mas-

- Mas o que?!esperaria nosso avô morrer para nós visitar?!ou nós dois?!eu não ligo se o papai morreu ou o que diabos você quer agora em diante,mas não irá me atrapalhar a pegar o que eu quero.

- "o que você quer",do que está falando?!

- Uma coisa que você e o papai guardavam com sigo a muito tempo,o ingrediente para fazer o remédio do lírio aranha azul.

- O que?! você está maluco?!pra que precisaria dele?! você mesmo disse que nunca se emportou neste lírio! então por que você quer ele agora?!

- Se eu não conseguir ele o vovô morrerá,minha única família não existirá mais,e eu não quero isso de jeito nenhum!!

- Então,é por isso que veio aqui?para pegar a receita de um remédio que pode lhe transformar em um oni que come pessoas inocentes?!isso não é brincadeira idiota!se conseguir isso sofrerá grandes consequências no futuro!! você não intende?!!

- EU NÃO LIGO!!EU SÓ QUERO CONTINUAR COM A MINHA FAMÍLIA FELIZ!- ele pega uma faca que estava escondida em seu bolso- E EU A PEGAREI! MESMO QUE TENHA QUE TE MATAR!

- VOCÊ NÃO FARIA ISSO COM SEU PRÓPRIO IRMÃO!

- VOCÊ NÃO É MEU IRMÃO!! É SO ALGUÉM QUE NUNCA SE PREOCUPOU COMIGO OU SUA FAMÍLIA!!

- SEU IDIOTA!! VOCÊ É SÓ UMA CRiANÇA!!POR ACASO INTENDE A SITUAÇÃO?!

- EU NÃO LIGO!!ME DE A RECEITA!!

- NUNCA!!! PODE ESQUECER ESTÁ IDÉIA IDIOTA!!!

Herupa não aguentava mais a situação em que estava,o mesmo estava furioso por seu irmão nunca ter estado ao seu lado quando precisava,afinal,como seu avô era doente o mesmo raramente ia brincar com outras crianças de sua idade e sempre que ia ficava triste por não ter o seu irmão ao seu lado,que antes de querer viajar com seu pai sempre dizia para o menor " eu sempre cuidarei de você maninho, nós sempre estaremos juntos, é uma promessa",promessa essa que nunca se culpriu e a raiva ainda se acumulava por nunca ter a companhia do pai que passava o dia inteiro em suas pesquisas para encontrar a maldita flor,e que dava apenas mais atenção ao seu irmão mais velho,como se ele fosse o favorito dele,e o pior,deles nunca terem os visitado ou mandado sequer alguma carta dizendo como estão,ou que sentem desculpa por nunca estarem no aniversário do menor; acompanhar seu crescimento;etc,ele estava cansado de viver em um mundo sem o amor das pessoas que ele amava e queria ao seu lado,ainda mais agora que está prestes a perder o homem que ele considerou sua família depois de todos estes anos,seu avô,era raiva que se transformava em ódio,o garoto não aguentava segurar isto dentro de si,a ponto de fazer qualquer coisa para conseguir o que queria naquele exato momento,sem se emportar com as consequências.

- Se você não irá me ajudar, ENTÃO MORRA DE UMA VEZ!!

Naquele mesmo estante,Yuki foi esfaqueando no coração, várias e várias vezes pelo seu irmão que fazia,cheio de ódio em seus olhos,quando Herupa achou que já havia descontado o suficiente sua raiva que já era considerada ódio,no irmão,o mesmo para as facadas e pega o livro que Yuki segurava desde que o mesmo havia chegado na casa. Conforme ele folheava o livro,o mesmo acha um papel com a receita para fazer o remédio da flor,que estava escrito nele,e a guarda no bolso.

- P-pare*toci*p-por f-favor....*toci" i-ir-m-mão- o irmão mais velho tentava falar enquanto segurava pela roupa do menor que estava prestes a sair de casa- não f-faça is-isto *toci* irma-lzinho,..está co-cometendo u-um e-erro *toci*.

- E quem disse que eu ligo para sua opinião?depois de todo este tempo que você me deixou sozinho?- o garoto fala de uma forma fria para o maior que esta todo ensanguentado no chão.

- *toci* você nunca con-s-seguirá f-azer a receita de q-qualquer forma,a-afinal *toci* *toci* v-você -p-pecisa do lírio p-pra is-to- diz o maior com um pouco de esperança.

- E quem disse que eu não tenho ela?-o menor o encara já fora da casa.

- O que?*toci* *toci* *toci*- o mesmo não acredita no que ouviu.

- Eu não te contei?eu e o vovô mandamos alguém no nosso lugar,e sabe qual é o mais interessante? é que ele é o filho do usuário da dança do Deus do fogo hahahahah isso é legal não acha?hahaha.

-.......

- Bem você irá morrer logo então,ade-

- me desculpe*toci*... irmãozinho...me desculpe..por n-não ter cum-p-prido m-minha promessa c-com você- ele chora como forma de arrependimento.

.....

- Isso não importa mais agora,adeus....Yuki.

O menor foi se embora, enquanto Yuki que se sentia arrependido de suas ações no passado em meio as lágrimas.....morre.



Notas Finais


Chegamos a mais um fim de um capítulo,e desta vez com sangue,até o próximo (・∀・)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...