História Em Busca do Paraíso - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias The Good Place
Tags Aquário, Capricórnio, Gêmeos, leão, Libra, Paraiso, Zoroscopo
Visualizações 12
Palavras 1.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Gravações


Antes de bater na porta da casa, uma garota já havia aberto. Ao vê-los, respirou fundo:

— Olha só. Vocês de novo.

— De novo? — perguntou Capri

— A gente já... — começou Gêmeos

— "esteve aqui antes?" — Completou a garota — Sim. Várias, várias, várias, várias...

— Hã....

—... várias, várias vezes. Galera, eu amo vocês, mas essa coisa de vocês sempre me esquecerem magoa, sabia? 

— Perdão, mas... — começou Capri

— "Como sabe quem nós somos?", Ou talvez "Quantas vezes viemos aqui?", Ou melhor,  "Se viemos tanto aqui, pode nos ajudar e explicar o que está havendo?". Qual das típicas frases você ía dizer?

— Qual é! — disse Leão — Você...

— "Não tem como adivinhar tudo que vamos fazer ou dizer". — disse ao mesmo tempo — "Pare de me imitar". "Você é irritante, garota! Pare de falar ao mesmo tempo que eu!" "Ah, é assim? Pindamonhangaba! Otorrinolaringologista! Paralelepípedo! Três pratos de trigo para três tigres tristes"

— Chega! — gritou Gêmeos

— Ah, dessa vez foi você. — ela disse pegando uma folha de papel e uma caneta

— O que é isso? — perguntou o bicolor

— Meu bingo. Cada fileira tem uma frase e um rosto. Geralmente nessa hora quem grita "chega" é o Capri.

— Mas o que significa isso? — perguntou Aquário

Ela respirou fundo mais uma vez:

— Tenho que desenhar? Vocês já vieram aqui um zilhão de vezes! E sim, Capri, sei que não é um número. Eu parei de contar há muito tempo. Vocês não tem ideia de quantos jogos aleatórios já fiz baseados na visita de vocês. Me diverti bastante tempo, admito, mas fazer isso toda a eternidade ia cansar em algum momento.

— Ok, — disse Capri — Nós sacamos que você nos conhece.

— E muito bem. — ela o olhou de cima a baixo — Qual o status entre você e o Aqua?

— Status? — perguntou ele — do que está falando?

— Saquei. Cedo demais, não é? Eu vou cozinhar meus mariscos. Vocês nunca comem, mas é só o que eu tenho, então vou continuar oferecendo.

— Espera! — Aqua segurou o braço dela — Você sabe porque viemos, mas nós não.

— Tá. — ela suspirou — Essa casa é livre do Libra. Ele é um demônio e esse é o inferno. Na minha casa vocês discutem, armam planos, se pegam, entre outras coisas.

— Nós o quê? — Aqua arregalou os olhos

— Esquece. O importante é que vocês sempre entendem que esse é o inferno e que estão na tortura eterna, frustrando os planos do Libra, o demônio chefe. As vezes descobrem rápido, as vezes demoram meses, varia de acordo com as situações que ele coloca vocês. A única coisa que se mantém é que vocês quatro fazem isso juntos.

— Então eu vou passar a gostar do Aqua? — perguntou Leão

— São best friends. Todos amigos. E vocês... — Olhou para Aqua e para Capri — vocês dois são a melhor parte.

— Olha, garota, — disse Aqua — ele é só um professor de filosofia tentando me ajudar a merecer o paraíso. Não é entediante pra você?

— Eu já saquei, nessa realidade, vocês ainda não... Bem... Pois é.

— Não o quê?

— Vocês não querem que eu fale na frente dos outros. Quer dizer, acho que não. Algumas vezes me pediram segredo, algumas já veio mais escancarado, outras nem sequer deu tempo de acontecer antes da memória ser apagada.

— Fia, você cheirou meia? — perguntou Capri — Dá pra traduzir?

— Seguinte, vocês três vão pra cozinha. Vou falar só com o Aquário.

— Mas...

— Ouviram a moça! — disse Aqua — circulando!

Capri arrastou os dois pra cozinha, os Aquas se sentaram.

— Então... — começou ele — Esse é o inferno mesmo?

— Sim, criatura. Já falamos disso mil vezes.

— Ok... Acho que é muita coisa pra assimilar, mas... Qual o lance entre o Capri e eu?

— Uhuu — ela deu pulinhos na cadeira — já está interessado? Não está tão atrasado assim.

— O quê? Não, eu não tô "interessado". Claro que ele é alto, bonito, inteligente, fala bem... Mas você tá achando que eu sou gay ou o quê?

— Isso foi uma pergunta séria? Eu tenho provas de tudo, meu filho. Do que adianta mentir nessa altura do campeonato?

— Que tipo de provas?

— Nossa, faz tanto tempo... — ela sorria ao se lembrar — Foi na segunda vez que vocês vieram, eu botei câmeras pra filmar o que vocês faziam e assistir, assim podia fingir que vocês não tinham ido embora. Na vez 847 eu vi algo incrível.

— O quê?

— Acho melhor te mostrar! — ela pulava empolgada — É minha fita favorita!

Ela foi até uma estante, voltou com uma fita de video cassete, pôs na TV. Aquário assistia com atenção o que pareceu uma fita porno caseira.

— Esses caras mandam bem. — riu ele — Isso é pra provar que sou gay? Era pra ficar excitado?

— Lá vem a melhor parte! — disse a garota

Os dois homens da fita estavam deitados, lado a lado. Foi aí que ficou nítido do que se tratava: Eram Capri e Aqua.

— O QUE SIGNIFICA ISSO? — Aqua deu um pulo na cadeira 

— O que mais pode significar? Vocês treparam no meu quarto e a câmera pegou. Foi lindo.

— ISSO É INVASÃO DE PRIVACIDADE!

— A casa é minha, o quarto é meu. E ainda nem passou a melhor parte!

— Não me diga que vamos começar a usar brinquedos ou...

— Cala a boca e assiste.

Aqua encarava a tela, achava que não tinha como ficar mais estranho, se viu deitado com a cabeça apoiada no peito do maior, abraçados e sorrindo.

— Eu te amo. — disse Capri

— Eu também te amo. — respondeu Aqua, dando um beijo em seu rosto.

A fita acabou, a garota estava muito feliz:

— Vocês dois são lindo juntos! — ela batia palmas

Aquário ainda estava em silêncio, sem reação. Se virou pra ela:

— O...que...foi...isso?

— Não seja tímido, — ela de um soquinho no ombro dele — Você já tá gostando dele, não tá? Logo logo chegam nesse nível.

— Garota, com que cara eu olho pra ele agora? 

— Vocês já namoraram algumas vezes, não tem que ficar nervoso.

— O problema não é esse!

— Então qual é?

— Eu... Eu falei que amava... Isso não sou eu, eu não me apego assim. Eu fico por ficar, pra me divertir! Já considerei dar uns pegas nele, mas dizer que amo?

— Acho que é o inevitável. — ela deu de ombros — Vocês são duas almas condenadas no inferno que acabam se salvando quando se encontram, independente de quantas vezes o demônio apague a memória de vocês, sempre vão se encontrar e se amar de novo. Isso dava um belo roteiro de filme, não acha? — riu ela

— Mas eu não amo ele.

— Não ainda. Vocês só precisam de tempo.

— Quer saber? Vou levar essa fita comigo. Quem disse que pode brincar com nossos sentimentos?

— Pode levar, eu com certeza não tenho bilhões de cópias pela casa. A propósito, eu pisquei, mas por causa do polvo você não viu.

— Cala a boca, sua maluca pervertida.

— Eu não ligo pra ofensas. Sei que está zangado consigo mesmo porque outra versão de você mesmo fez o que você já quer fazer.

— Não vai confundir minha cabeça!

Ela deu de ombros.

— Não vou contar nada para ele. Você faz o que achar melhor. Vou pra cozinha ver o que estão fazendo.

Aqua estava sentado, segurando a fita.

— Troço antigo. Não era mais fácil ter um DVD?

Respirou fundo. Não é como se nunca tivesse pensado no Capri dessa forma, mas era algo tão absurdo... E a palavra "amor" era forte demais para se usar. Não podia deixar ele saber, guardaria a fita pra si. 

Todos vieram da cozinha,  a aquariana trazia seus mariscos. Assim que Capri entrou, Aqua disse:

— Oi, gostoso.

— O quê?

— Quer dizer, esse marisco deve estar gostoso, não acha?

— Não sei. Vamos comer?

— Vocês vão provar dessa vez? — ela deu pulos de alegria — Essa é a melhor linha do tempo! 

— Acho que te devemos isso. — disse Capri — precisamos de um plano.

— Tudo é inútil. — disse Leão — Se já viemos zibilhões de vezes, devemos ter tentado vários planos diferentes.

— Esse é o problema. — disse Capri — nós não sabemos o que já tentamos. Não podemos aprender com os erros porque sempre temos a mente apagada.

— Mas a garota sabe. — disse Gêmeos — Não é?

Todos olharam pra ela, que tinha enfiado vários mariscos na boca. Engoliu:

— Olha, gente, com certeza bater de frente com Libra não funciona. Assim que ele souber que vocês sabem, vai apagar a memória de vocês.

— E o que fazemos?

— Ele não pode saber que já vieram aqui. Várias vezes ele pegou vocês saindo da estação.

Capri pegou seu bloco de notas pra registrar as dicas da Aqua, dentre elas, tomar cuidado com esse bloco, pois o loiro fica de olho em bilhetes. Ela mostrou pra eles outras fitas com outros planos que já tiveram, então debatiam sobre o que já foi descartado.

— Em resumo, é isso. — ela disse — Eu realmente gosto muito de como vocês são agora, por favor, não esqueçam de mim, tá?

— O que acontece com você depois que a gente sai daqui? — perguntou Gêmeos

— Comigo? Nada. Eu fico aqui, sozinha, cuidando da Lisa. Vocês são meus únicos amigos nessa eternidade infernal.

— Lamento esquecer disso... — disse o bicolor

— Sem problemas. — ela sorriu — Se falharem, sabem onde me encontrar. Na verdade, não vão saber. Enfim, se tudo der certo, nunca mais vamos nos ver.

— Por que diz isso? — perguntou Leão

— Vocês quatro merecem o paraíso, o verdadeiro paraíso. Realizem meu sonho e fujam desse inferno.

— Não pode vir com a gente? — perguntou Capri

— Aqui é o único lugar seguro que eu tenho. Se eu sair, ele vai apagar minha memória, tudo que eu sou vai deixar de existir. Prefiro ficar aqui, mesmo sozinha eu sou livre.

Os quatro a abraçaram:

— Obrigado por tudo. — disse Aquário

— Não vamos te esquecer dessa vez. — disse Capri — eu prometo.

— É uma grande amiga. — disse Gêmeos

Leão ficou em silêncio, se falasse algo começaria a chorar e se recusava a parecer fraco na frente dos outros.

Decidiram pegar o trem um de cada vez pra não chamarem a atenção em bando. Estavam determinados a fazer daquela sua última tentativa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...