História Em busca do tempo perdido - Capítulo 14


Escrita por: e zack-sama

Visualizações 13
Palavras 864
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A chance de ocorrer um desentendimento entre duas pessoas é diretamente proporcional à proximidade delas.

Capítulo 14 - PARTE III - Desentendimentos


Quarta-feira, 19 de abril de 1995.

Hoje é dia da aula de educação física. A turma de William teria aula prática de futebol. Os times foram divididos conforme as orientações que o professor Arnold decidiu. William escolheu ser o goleiro do seu time, já que os meninos do seu time não queriam essa posição. Enquanto isso, as meninas iriam torcer por eles.

— Henry, se for fazer um gol no William, dedique ele para mim — Melissa falou.

— Vê se me dá um tempo — respondeu Henry.

Henry Peterson era considerado o melhor jogador da turma de William. Este se lembrou de ter jogado contra ele da última vez. Mas qual foi o resultado mesmo daquele jogo?

— Claire, não vai torcer pelo William, eu percebi que vocês ficaram muito próximos? — Disse-lhe Melissa, ironicamente.

— Talvez — disse, olhando para ele. — Seria bom se ele não perdesse feio nesse jogo.

— Pode deixar comigo — ele respondeu.

A disputa estava acirrada, o time adversário não dava tempo para um contra-ataque. Já estava próximo dos últimos minutos para terminar o segundo tempo. Estavam empatados de 1 a 1. William não podia deixar de se sentir contente por ter alguém torcendo por ele. Mas tudo isso era estranho.

Só mais um pouco e tudo terminaria, bem que o time de William poderia atacar mais para puderem ganhar.

Enquanto isso, Henry abriu uma brecha entre a defesa do time de William e estava vindo em sua direção. Ele tinha que estar concentrado nessa hora e manter a trave protegida até acabar o jogo. Mas por um instante, parou para pensar, qual foi mesmo o resultado da última vez? Será que se eu ganhar esse jogo terá alguma consequência para mim? Nesse momento, ele se distraiu e não pôde correr a tempo e impedir o gol de acontecer. Henry fez o gol, perderam de 2 a 1.

Depois ele se lembrou que da última vez também cometeu o mesmo erro e acabou se distraindo de novo.

*      *      *

No fim da aula, ele foi se encontrar com Claire e pedir desculpas.

— Não se preocupe, não é como se eu esperasse que você vencesse mesmo — ela respondeu, sem demonstrar nenhuma expressão.

— Pode deixar que na próxima vez, eu não perderei.

— Não faça promessas que não sabe se vai poder cumprir.

Ele sentiu que ela esperava outro resultado, mas não queria demostrar.

— Ah. Poderia me dizer a data do seu aniversário? — Ele tentou puxar outro assunto.

— Não é necessário.

— Mas...

— Eu tenho que ir agora. Adeus.

Ricky se aproximou e perguntou o que houve.

— Nada. Eu encontro você depois — William falou.

Ele não queria ter que fazer isso, mas só precisava ser rápido. Foi até a diretoria. Queria ver os registros dos alunos. Só tinha que encontrar o de Claire. Olhou para dentro e não viu ninguém por perto.

— Onde será que está? Notas? Arquivos? Aqui. Registros dos alunos. Vejamos.

— O que o senhor deseja? — Disse uma voz ao tocar no seu ombro.

— Professor Arnold? Que coisa, não? O senhor está aí há muita tempo?

— Há alguns minutos. Mas não respondeu a minha pergunta. Você sabe que não pode brincar com os papéis aqui na diretoria.

— Bom. É que... Quer dizer... Ah...

— Pode dizer, estou escutando.

— Eu só queria ver a data de aniversário da Claire. É só isso. Juro.

— Já perguntou para ela?

— Já, mas ela não quis me dizer.

— Bom, se for só isso mesmo, pode olhar. Mas sem gracinhas.

— Sim, professor!

— Vejamos. Claire. Claire. Aqui. Mas... não acredito nisso. É no mesmo dia que eu. Que coincidência. Obrigado, professor.

— Acho muito bom que você se aproxime dela, ela quase nunca fala na aula, mas é uma boa aluna — ele lhe disse depois de receber os registros. — Então posso contar com você para ajudá-la?

— Pode deixar, professor!

William se despediu dele e saiu.

Agora ele já sabia e decidiu conversar melhor com ela amanhã para poder fazer as pazes.

*      *      *

O professor Arnold ficou mais alguns momentos na diretoria. Pensando em como William estava se aproximando de Claire. Talvez isso fosse ajudá-la agora, já que o pai dela não estava por perto. Talvez isso a incentivasse a não ser tão fechada com os outros. Ele mesmo já tinha tentado se aproximar, mas ela sempre se esquivava, talvez alguém com a mesma idade que ela ajudasse naquilo que ele como adulto não podia entender. Afinal, todas as crianças tem um potencial escondido, basta o incentivo certo para despertá-las.

*      *      *

Claire caminhou em silêncio de volta para casa, pois queria evitar os comentários que começaram a incomodá-la de novo depois que o jogo terminou, por isso, não queria estar perto de William para que ele não sentisse pena dela. Ela nunca tinha torcido para alguém antes e, logo na primeira vez, ele perde. Ela sabia que ele havia se esforçado, dava para ver no rosto dele, mas ela ainda tinha dúvidas se ele era alguém confiável. Ainda pensava sobre o que ele perguntou a respeito do aniversário dela e achou que era melhor não ter dito mesmo, apesar de ser no mesmo dia que o dele. Mas ainda não tinha certeza se seria uma boa ideia passar o aniversário dela junto com ele.


Notas Finais


No próximo capítulo: "Intimidação".


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...