1. Spirit Fanfics >
  2. Em Chamas. >
  3. Beacon Hills.

História Em Chamas. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Boa Leitura meus anjos 📚😇

Capítulo 2 - Beacon Hills.


Fanfic / Fanfiction Em Chamas. - Capítulo 2 - Beacon Hills.

É engraçado como nos agarramos a pedaços do passado enquanto aguardamos o nosso futuro.

- Destino, Ally Condle. 

  

        Pov's Lilian McCall

Eu acordo vendo que o avião já está quase pousando, me indireto no assento e dou uma olhada na Marie que dorme tranquilamente na sua caminha. O avião pousa, pego a minha mochila, a caixinha de transporte e saio do avião, pego a minha mala e espero pelo meu pai já que ele tinha insistido em vim me buscar.


Rafael- Lilian! - me viro vendo ele correr em minha direção, ele me abraça e eu o olho surpresa. Não é que ele não fosse carinhoso comigo, mas ele nunca esteve presente o suficiente para ser.

Lilian- Oi pai. - eu sorriu sem mostrar os dentes.

Rafael- Que bom que você veio. - ele fala com uma expressão alegre. - Vamos? - eu concordo com a cabeça, ele pega a minha mala e começamos a andar em direção ao seu carro. Eu entro no carro com a Marie enquanto ele põe a minha mala no porta malas do carro. Ele entra no carro e começa a dirigir. - A sua mãe e o seu irmão estão muito felizes de você ter vindo. - ele fala sorrindo tentando ser gentil, eu olho pela janela enquanto vejo as ruas daquela cidade que quase não me lembro mais.

Lilian- Onde vamos ficar? - eu pergunto me referindo a mim e a Marie.

Rafael- Na casa da sua mãe. - eu suspiro frustrada. Não é que eu odeie a minha mãe e o meu pai, mas eles tiveram dezoito anos para serem bons pais, mas estavam ocupados demais para serem, a minha mãe estava cuidando do meu irmão e o meu pai estava ocupado demais com o trabalho para ter algum tempo comigo e agora que a única pessoa que eu tive por esses dezoito anos morreu eles insistem em ser bons pais? Não é uma coisa que eu goste. Nem um pouco. - Olha Lili eu sei que não está sendo fácil pra você e que eu não tenho sido um pai presente, mas eu quero mesmo que a gente possa ser uma família. - eu suspiro mais uma vez, com certeza esse não é um bom momento para ter essa conversa.

Lilian- Você nunca foi presente pai, nem pra mim e nem para o Scott. - ele me olha parecendo surpreso por eu responder.

Rafael- Eu estou tentando ser agora filha. - ele fala como se isso fosse mudar alguma coisa e eu sorriu sarcástica.

Lilian- Não é como se isso fosse mudar alguma coisa, as coisas não desaparecem do nada pai, muito menos as minhas lembranças, nas quais você nunca esteve presente. - eu falo me virando para ele e olhando bem no fundo dos seus olhos. Ele suspira e quebra o contato visual voltando a olhar para estrada.

Rafael- Eu sei e eu sinto muito por isso. Espero que um dia você possa me perdoar. - ele para o carro na frente da casa que eu conheço muito bem.

Lilian- Isso não é algo que eu possa te prometer, o perdão não é dado de mão, é conquistado. - eu abro a porta e saio do carro segurando firme a caixinha de transporte e a minha mochila. Eu paro em frente a porta e olho para o quintal me lembrando de quando eu e o Scott brincávamos na chuva. O meu pai vem com a minha mala e abre a porta deixando a mesma aberta para eu entrar, eu entro e olho tudo ao meu redor, nada mudou. Eu sorriu vendo o pequeno Scott e a pequena Lilian correndo pela sala. Sou tirado dos meus pensamentos quando vejo o meu pai descendo as escadas e fechando a porta.

Rafael- O seu irmão está no colégio e a sua mãe está trabalhando, eles voltam a noite pro jantar. - eu concordo com a cabeça. - Seu quarto é lá em cima, eu arrumei, espero que você goste. - ele sorri. - Agora tenho que ir pra delegacia, seu primeiro dia na escola é amanhã, seu irmão vai te dar carona até lá. - ele vem até mim e beija minha testa. - A sua chave está no seu quarto. Nos vemos mais tarde filha.

Lilian- Bom trabalho pai. - ele sorri de novo. - E tenha cuidado. - eu falo o deixando surpreso, não é porque ele não foi presente na minha vida que eu quero que ele morra. Seu sorriso fica maior.

Rafael- Vou tomar filha. - ele sai me deixando sozinha, eu subo as escadas e vou em direção ao meu novo quarto, entro no mesmo vendo que foi decorado recentemente e que com certeza o meu pai teve a ajuda de alguém para escolher a decoração *foto*. Fecho a porta do meu quarto vendo a chave do mesmo no trinco da porta, jogo a minha mochila na cama de casal e ponho a caixinha de transporte no chão. Me abaixo e abro a portinha da mesma para Marie que mia para mim e se espreguiça. Eu sorriu para ela, pego sua vasilha de comida e água na minha mochila e ponho no chão, ponho um pouco de ração para mesma que sai apressada da caixinha para comer, pego a vasilha de água e vou até o meu banheiro que é dentro do quarto e espero ela se acostumar com o ambiente. Encho a vasilha de água e volto para o quarto, ponho a vasilha no chão e acaricio a Marie. Começo a arrumar minhas coisas no quarto, quando termino pego uma toalha e uma roupa confortável, vou para o banheiro, faço as minhas higienes e tomo banho. Me visto e enrolo a toalha no meu cabelo para secar o mesmo, desço as escadas e pego um copo de água, depois subo de volta para o meu quarto, ligo a televisão e exploro os canais até achar um que eu goste, penteio o meu cabelo e seco ele com o secador, me deito na cama com a Marie ao meu lado e faço carinho nela até eu pegar no sono.


                  Pov's Scott McCall

Stiles- Tá, eram duas da manhã eu acordei e ela tava lá deitada do meu lado. Ela simplesmente entra assim e isso umas cinco vezes por semana. - ele fala da Malia.

Scott- E acontece o que? - eu pergunto sem entender qual é o problema nisso.

Stiles- Isso. - ele levanta a blusa mostrando os arranhões nas costas.

Scott- Ah nossa.

Stiles- Pois é né, Depois disso nos passamos a noite toda de conchinha.

Scott- Ah, até aí tranquilo.

Stiles- É, mas eu sou sempre a concha  menor, sempre. - ele me olha.

Scott- Quer dizer então que tão namorando? - eu pergunto confuso.

Stiles- É, mas o jeito que ela me olha parece que sabe que eu tô escondendo alguma coisa.

Scott- O Peter?

Stiles- Temos que contar Scott.

Scott- Eu sei, eu só..... - eu faço uma pausa. - não sei como. - nós entramos na aula de História.

Ken- Talvez vocês fiquem surpresos, mas alguns dos grandes líderes da história passaram por grandes fracassos. Um deles presente na leitura de ontem fracassou nos negócios, teve uma crise nervosa, foi derrotado pela maioria esmagadora no congresso e perdeu como vice- presidente antes de finalmente ser eleito um dos maiores presidentes que esse país já teve. Quem é ele? - o Stiles levanta a mão e pisca pra mim. - Malia? - eu e o Stiles nos viramos pra ela vendo ela marcando alguma coisa no livro com um marcador vermelho enquanto está com outro marcador amarelo na boca. O meu celular toca e eu viro rapidamente pra atender. - Scott, celular desligado. - eu faço que sim com a cabeça e desligo o celular. - Malia? Um dos maiores presidentes. Discurso de Gettysburg? - outro celular toca. - Celular desligado, todo mundo! - todos desligam os celulares. - Malia? - ela tenta achar a resposta no livro. - Mais alguém sabe? - todos levantam a mão, menos eu, o Stiles e a Malia. Um telefone toca de novo. - Eu disse sem celular.

Kira- Pai! - ela chama a atenção dele. - Foi o seu.

Ken- Ah, é. - ele se vira pra pegar o celular. - Scott? Ligar pra Lydia?  - eu e o Stiles nos olhamos, assim que a aula acaba vemos a mensagem da Lydia e vamos direto para a Clínica.

Deaton- Acho que ele não tá mais novo só fisicamente, acho que mentalmente também. - ele fala enquanto a Lydia termina de fazer o curativo no seu braço e eu olho pra ele confuso.

Lydia- Ele não reconheceu a gente. E parecia que tava morrendo de medo.

Stiles- Se você é um lobisomem adolescente e tá morrendo de medo pra onde vai? - ele se vira pra mim.

Scott- Bom, um lobo volta pra toca, mas o Derek mora no loft.

Stiles- Não quando era adolescente.

Lydia- A casa dos Hale.

Deaton- Ele não lembraria do incêndio, não teria acontecido ainda. - quando a gente está quase saindo da clínica a Lydia nos para.

Lydia- Parai, se você conseguir falar com ele vai falar o que? Que a família toda dele morreu?

Scott- Acho que eu vou ter que contar.

Lydia- Ah, boa sorte tá?

Stiles- É, ela tem razão, não devia contar. Pelo menos até descobrir como trazer ele de volta ao normal.

Scott- Não posso mentir pra ele.

Stiles- Tá, eu minto.

Scott- Acho que nenhum de nós pode, lembram? Ele ouve o coração bater mais forte. A gente conta a verdade quando achar ele.

Deaton- Se ele chegar até a casa primeiro, não vão precisar. - nós vamos até  as ruínas da casa Hale, mas não achamos ele.

Stiles- Pra onde será que ele foi? - eu sinto um cheiro diferente, Parrish.

Scott- Já sei pra onde levaram ele. - nós entramos no carro e dirigimos até a delegacia.

Noah- Eu cuido disso. - o xerife leva a gente pra sala dele. - Sejam sinceros comigo, absolutamente e totalmente sinceros. - ele nos olha confuso. - Vocês viajaram no tempo?

Stiles- Espera aí ,o que?

Noah- Porque se túnel do tempo existe, olha pra mim já deu, eu paro, podem me internar num hospício se quiserem.

Scott- Nós achamos ele desse jeito. - ele levanta da mesa.

Noah- Onde? Nadando na fonte da juventude?

Stiles- Não. Ele tava enterrado em um tumba de acônito em um templo asteca no México. Em baixo de uma igreja, no meio de uma cidade destruída por um terremoto. - droga Stiles. Eu fecho os olhos.

Noah- Você me disse que ia acampar.

Stiles- É, pois é. - ele faz uma pausa. - só que no México. - eu abro os olhos.

Scott- O Derek voltou no tempo, ele não lembra de nada.

Stiles- Precisamos falar com ele. - o xerife se senta de novo.

Noah- É, até agora ele não falou com ninguém. - ele olha pro Derek, eu faço o mesmo.

Scott- Vai falar comigo. - ele trás o Derek pra sala e sai.

Derek- E porque eu iria com vocês?

Scott- Teve um acidente, perdeu a memória, mas a gente vai te ajudar a recuperar.

Derek- Quanta memória?

Scott- Muita, mas pode confiar na gente. - eu me abaixo na frente dele e mostro os meus olhos de Alfa.

Derek- Você é um alfa. Quem é você? E quem é ele? Quem são vocês?

Stiles- Os caras que estão tentando te tirar daqui. - o Derek balança a cabeça.

Scott- Nos deixe ajudar.

Derek- Não.

Stiles- Olha só amiguinho, você quase rasgou dois policiais agora pouco, você tem que ouvir a gente e pra começar nada de presas, garras, nem de homem lobo entendeu?

Derek- Eu tô bem desde que não seja lua cheia.

Scott- Ainda tem dificuldade na lua cheia?

Derek- Eu disse que tô bem.

Stiles- Tá você vem com a gente ou não?

Derek- Quer que eu confie em você? Cadê minha família?

Scott- Teve um incêndio eles..... - as palavras morrem assim que vejo os olhos dele. - não estão mais aqui, mas estão bem. Foram embora de Beacon Hills. Vamos te levar até eles assim que soubermos como recuperar a sua memória. - ele faz que sim com a cabeça.

Derek- Tá.

Scott- Eu não devia ter feito isso, exagerei na mentira.

Stiles- Aí, vai dar tudo certo. Você poupou ele de uma dor desnecessária, resolvemos tudo em um ou dois dias e ele volta a ser o velho Derek e todo mundo fica feliz menos o Derek  que nunca tá feliz.

Scott- Ele é mais um pra quem mentimos. É que é sempre melhor Quando falamos a verdade. Com a Lydia, com a minha mãe, com o seu pai.

Stiles- E a sua irmã?

Scott- A Lili já passou por muita coisa e acabou de perder a nossa avó que era como uma mãe pra ela, só não quero que ela se machuque.

Stiles- Você não pode proteger ela pra sempre Scott, uma hora ela vai descobrir.

Scott- E quando ela descobri eu vou contar cada mínimo detalhe a ela, mas por agora é melhor ela não saber. - ele faz que sim com a cabeça.

Stiles- Mas é o Derek Hale ali dentro, ele pode ser um menino agora, mas não deixa de ser o Derek Hale Scott.

Scott- Tá bom, leva ele pra minha casa e não tira o olho dele.

Stiles- E a sua irmã?

Scott- Ela ainda não deve ter chegado. - eu espero que não.

Stiles- Tá bom e você vai pra onde?

Scott- Falar com o cara que eu já devia ter procurado antes.

Stiles- Ah, Eu detesto esse cara. - eu saio da delegacia e vou atrás do Peter.


Notas Finais


Obrigada por ler e me desculpe por qualquer erro de ortográfia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...