História Em Meio À Dor - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Castiel, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais
Tags Casnath, Yaoi
Visualizações 153
Palavras 694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello from the gutter!!







É.... eu sei..... EU MEREÇO A MORTE MAIS MALDITA E O DESTINO MAIS CRUEL!
Mas, vejam bem, tudo tem a sua explicação! Portanto, se quiserem culpar alguém, culpem o processador do meu notebook! Ele é o vilão da nossa história!!

Agora vou tentar usar o notebook recém-consertado da minha irmã pra postar, mas não sei se vou poder fazer isso tão frequentemente. (Mas um mês eu garanto que não demoro!!)

Acho que esse capítulo ficou menor do que de costume, mas ok kkkkkkkkk

HORA DO SHOW PORRA

Capítulo 26 - Declaração de Debrah


 

 

Nathaniel colocou a bolsa em seu ombro, olhando com um certo desgosto para Castiel, que estava deitado tranquilamente na cama. 

- Sabe que isso não me agrada nem um pouco, né? - o loiro disse. - Não deveria faltar aulas, Castiel.

- Relaxa. Não tem prova nenhuma hoje. 

- Mas sim, daqui a alguns dias. Faça o favor de estudar. - Nathaniel chegou mais perto, selando seus lábios nos do namorado. - Eu vou indo, o.k?

- Hm... Vou ficar com saudades. Ainda mais pelo tempo que você vai passar com o Mark. 

- Fico feliz com isso. - Olhou para a tela do seu celular, constatando que estava quase atrasado. - Tenho que ir. 

- O.k. Te amo. 

- Também te amo. - Nathaniel sorriu, saindo do quarto e deixando Castiel sozinho.

O ruivo não perdeu tempo e logo pegou seu celular, digitando uma mensagem.

"Debrah, você vai estar ocupada às 2 da tarde?"

A resposta não tardou em surgir. 

"Não. Podemos nos encontrar nesse horário."

Castiel estranhou completamente a forma com que Debrah escrevera. Ela parecia séria demais, nem parecia a garota que conhecera tempos atrás. Ainda se perguntava o porquê daquele desejo de conversar pessoalmente. Na mente do ruivo, talvez fosse algum problema pequeno, exagerado por Debrah.

E se, por acaso, ela estivesse querendo voltar a namorar Castiel?

O ruivo, pensando nisso, riu fracamente. Nunca daria essa chance a ela. Nunca faria isso com a pessoa que mais o enganou e o magoou na vida, e que ainda por cima havia deteriorado tanto a antiga amizade com Nathaniel.

Castiel sentia nojo de Debrah, e apenas isso. 

 

 

 

***

 

 

 

Nathaniel chegou à escola sem se atrasar, e sorriu por isso. Achava ter se demorado demais com Castiel. Ao atravessar os portões, avistou sua irmã indo até ele, e as amigas de Ambre a olhando com desgosto por serem deixadas de lado.

- Oi, Nath...

- Ambre? O que foi? - Nathaniel indagou. Sua irmã parecia um pouco abatida.

- Eu queria falar com você. Será que posso? 

- Claro.

Eles andaram lado a lado até a entrada, adentraram o prédio e foram logo ao Grêmio. Nathaniel fechou a porta atrás de si e pediu para que Ambre sentasse.

- Então? - Nathaniel estava curioso.

- Francis anda... diferente ultimamente. 

- Diferente? Diferente, como? 

Ambre pôs uma mecha de cabelo atrás da orelha e olhou para baixo.

- Você sabe sobre... aquele cara encontrado morto nesses últimos dias? - A loira perguntou baixo, quase sussurrando.

Nathaniel apoiou o rosto com uma das mãos, suspirando.

- Sim, eu sei.

- Eu escutei uma conversa dele no telefone. Eu achei estranho o que ele falava. - Antes de prosseguir, colocou mais uma vez a mecha atrás da orelha, que teimava em sair. - Ele perguntava pra alguém se "já tinham derrubado o cara" e se "tudo tinha corrido como o planjado". 

- É... eu já havia desconfiado. - Respondeu o representante, cabisbaixo.

- Mas tem outra coisa. - Nathaniel ergueu uma sobrancelha. Ambre prosseguiu. - Ele falou sobre... vingança. Talvez ele queira se vingar de você, Nath...

- Mas... Você não acha que ele me mataria, não é? - O loiro perguntou, um tanto assustado.

- Eu não faço a mínima ideia... Eu só sei que isso me assusta, e muito! Eu não quero perder você.

Nathaniel suspirou. Temia Francis, isso era inegável. Mesmo depois de tantos dias, ainda sentia o trauma de quase ser uma vítima de estupro.

- Vamos, o sinal vai bater. - Nathaniel se levantou, junto com a irmã.

 

 

 

 

***

 

 

 

 

Eram 13:48. Castiel avistou Debrah, sentada em um banco, e se aproximou.

- Sobre o que queria falar? - Ele foi direto ao ponto. Não queria se demorar.

- Ah... Você veio. 

Ao olhar com mais atenção para a garota, assustou-se com a aparência dela. Parecia muito mais magra e pálida, com olheiras debaixo dos olhos sem brilho. Tentando ignorar aquilo, sentou-se ao seu lado.

- Fala de uma vez, Debrah. Não tenho o dia todo.

Ela ficou em silêncio por um tempo. Castiel estava começando a ficar impaciente.

- Castiel... - Ela olhou para o ruivo, inexpressiva. - Eu tenho AIDS.

 

 

 


Notas Finais


É isso né, meu povo?
Demorei pra um caralho mas voltei :D


(Acho que esse é um ótimo momento pros leitores fantasma aparecerem, só acho)


Metal kisses!

Ps: Eu juro que ainda vou atualizar Amargura, podem ficar tranquilos todos que leem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...