1. Spirit Fanfics >
  2. Em meio a guerra... - ( Jensoo ) ( Chaelisa ) (Blackpink) >
  3. A raiva de um coração partido.

História Em meio a guerra... - ( Jensoo ) ( Chaelisa ) (Blackpink) - Capítulo 51


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura e espero que gostem.

Capítulo 51 - A raiva de um coração partido.


Fanfic / Fanfiction Em meio a guerra... - ( Jensoo ) ( Chaelisa ) (Blackpink) - Capítulo 51 - A raiva de um coração partido.


Lágrima alguma foi derramada naquela noite, Jennie foi dormir completamente feliz com o seu feito, tem conhecimento que não conseguiu enganar Jisoo com tudo aquilo, mas pelo menos conseguiu se aproveitar um pouco da situação. Como Nayeon está evitando suas ligações, mensagens e lhe receber em casa, achou melhor deixá-la se acalmar um pouco mais. Anos de amizade lhe trouxeram experiência com o assunto raiva, assim como Kim, ela é muito impulsiva e tem o costume de não escutar absolutamente ninguém. Já Jisoo estava com raiva, raiva da sua covardia, raiva das divindades por essa escolha de futuro e raiva de tudo que fez e com muita raiva de si mesma.

 O ginásio Moore era o último lugar no mundo que Kim gostaria de aparecer, a raiva ainda abalava seu ser, temia perder o controle e acertar alguém.  Lisa não ousou falar com ela durante o percurso, assim como ela não ousou. Assim que chegaram na escola, Jisoo virou o centro das atenções e cochichos. Algumas riam e outras saiam do caminho, aquilo apenas aumentava tudo que estava sentindo. Chegaram nos armários. quando conseguiu o que queria o fechou com um pouco de força, fazendo Lalisa pular de susto.

— Eu não iria dizer isso, mas to com medo de você. - Disse Lisa. - Deveria ter ficado em casa.

— Eu to normal. Ficar em casa vai aumentar a minha detenção e os boatos, iriam dizer que estou correndo da briga.

— Você tá longe de estar normal, mas tem razão com as outras coisas.

— Acho que dormi mal, deve ser isso, eu acho.

— Depois do beijo de boa noite? Pensei que fosse difícil dormir mal. - Jisoo paralisou, ficando totalmente séria e sem reação alguma. - O que foi?! Nós somos vizinhas, vi uma movimentação estranha e lá estava vocês duas, quase se engolindo.

— Droga, eu não deveria ter feito aquilo.

— Mas fez, então significa que se resolveram?

— Não, posso dizer que terminamos o que nunca tivemos. Colocamos um fim naquela grande confusão, eu acho.

— Sempre acaba seus relacionamentos com um beijo? 

— Ela queria uma despedida, eu não perdi nada com aquilo e nem ela, eu acho.

— Se acha é porque as duas perderam. Meu palpite é o juízo.

— Eu tenho juízo, foi por isso que a mandei se afastar, pela terceira vez, eu acho.

— Vai terminar todas as frases com ‘’eu acho’’? 

— Desculpa, estou com muita incerteza hoje.

— Eu acho que est…

Foi surpreendida com a chegada de sua namorada, impedida de falar, pois havia outra boca na sua. Jisoo sentiu uma pequena fisgada, coisas como essa estão se tornando mais frequentes. Ela não pretende falar o que vem sentindo, pelo simples medo de atrapalhar o andamento das coisas e interromper a felicidade de sua irmã.

— Bom dia pra você, Chaeyoung. - Disse Jisoo.

— Para alguém que estava completamente arrependida ontem, você me parece furiosa. - Disse Rosé.

— Você está certa. - Disse Lisa. - Ela acordou de mau humor.

— Pode ser consequência da ressaca. - Disse Rosé.

— Tá longe disso. - Disse Lisa. - Talvez seja a dor de um fim.

— Não sabia que a Taylor poderia fazer tanto estrago. - Disse Rosé.

— Não foi a Taylor, foi a Jennie. Pelo que parece elas acabaram ontem. - Disse Lisa e sua namorada fingiu surpresa.

— Ela não me disse nada sobre isso. - Disse Rosé.

— Por favor, vocês poderiam parar de falar sobre isso? Já acabamos e já resolvemos tudo. - Disse Jisoo.

— Então avisa para Nayeon, porque a Chaeyoung* me disse que ela quer muito acabar com você. - Disse Rosé.

— Tô nem aí, quem procura acha. Se ela quer confusão, terá confusão.

— Você vai brigar com ela?  - Perguntou Lisa, um pouco surpresa com a coragem dela.

— Sim, qual outro jeito de resolver isso?

— Um pedido de desculpas, dizer que foi a bebida ou dizer que nunca quis a Jennie e nem sabe porque fez aquilo. - Disse Lisa.

— Ela não vai aceitar uma conversa e nem vai acreditar que a culpa foi da bebida. Jennie retribuiu o beijo, isso apenas prova que não há justificativa.

— E se ela não quiser te bater? Só uma suposição, porque obviamente ela quer. - Disse Rosé.

— Irei provocá-la

— Você é doida, acho que a bebida afetou os seus neurônios. - Disse Lisa.

— Não afetou, apenas acordei mau humorada e querendo me livrar dessa raiva.

— Ainda bem que não serei eu a experimentar disso, agora eu to com pena da Nayeon. Que Deus a tenha. - Disse Lisa.

— Só digo uma coisa, pega leve. A Jennie me disse que você já quebrou o nariz de alguém com um murro e machucou o braço da Jade. Talvez tenha muita força. - Disse Rosé

Rosé realmente estava preocupada com o estresse de sua irmã, tinha um pouco de medo das suas atitudes no outro mundo, temendo agora que aquele monstro volte.

— Irei pegar leve, não precisam se preocupar.  - Disse Jisoo.

Jisoo falou com calma, em um tom diferente do que estava, tentando lhe passar calma, já que a preocupação estava nítida em sua feição. 

O sinal tocou e todas foram para suas respectivas salas. Até mesmo os cochichos dentro de sala eram presentes, mas não só ficou só nisso. Insinuações desrespeitosas e bilhetes, coisas que fizeram sua raiva apenas aumentar. Jisoo se encontrava confusa, queria entender o que estava sentindo, queria saber o porquê de tanta raiva, mas ninguém seria capaz de lhes dar essa resposta.

(...)

Jennie teve uma única aula com Nayeon, não poderia usar esse momento para falar com ela, não teria privacidade para o assunto que quer conversar, então esperou o primeiro intervalo. Por sorte ela estava em um corredor vazio, acompanhada de Sana, Jihyo e Chaeyoung*

— Ei, ei, não podemos resolver isso?

— Eu fui traída na frente de uma festa inteira, como você quer resolver isso?

Kim olhou para as outras três, entenderam o seu recado e as deixaram sozinhas.

— Ela me agarrou, estava bêbada.

— Você retribuiu o beijo, Jennie. Todo mundo viu.

— Eu gosto de você, eu quero resolver isso. Me perdoe, vamos voltar. 

— Como você tem a cara de pau de me pedir isso?

— Eu faço qualquer coisa para voltarmos.

— Corte laços com a Jisoo.

— Eu corto.

— Acho que não você não entendeu, eu quis dizer todos os laços, tudo que ligue ela a você.

— Eu entendi isso.

— A Lisa e aquela sua amiguinha estão juntas, terá que parar de falar com ela.

— Não, não, não, você não pode me pedir isso. É uma amizade de anos, nem lembro de como a conheci.

— É isso ou nada.

— Então é um nada.

— Pelo visto a Jennie de antes morreu, você mudou muito desde que aquela vadia apareceu. Se relacionando com pessoas estúpidas, mudança de comportamento, beijando uma imbecil e não se importando com a suas amizades de anos.

— Eu me importo com vocês e me importo com você. Mas você está certa sobre uma coisa, eu realmente mudei, não posso negar mais isso.

— Então eu não te conheço mais. Tudo acaba aqui, até mesmo a nossa amizade. - Se aproximou de Jennie, ficando perto do ouvido dela. - Aquela vadia da Jisoo, deve ficar linda com vermelho nos dentes.

— Você não ousaria. - Nayeon se afastou com um sorriso.

— Então veremos, ouse me impedir e ela será pega de surpresa. Como bem sabe, conheço pessoas que acabariam com a raça dela em dois segundos.

Im se retirou sem dizer mais nada, a outra sabe muito bem do que é capaz, porém não teme que algo aconteça a Jisoo. Tem conhecimento que ela pode ser ainda pior do que qualquer um à sua volta ou de seu trabalho. O que irá fazer? Ver de longe até onde isso irá dar, intervindo apenas se for necessário ou se uma das partes estiver realmente muito encrencada.

(...)

E lá estavam quatro pessoas encarando Jisoo, esperando que falasse alguma coisa. Já que nenhum deles foi à festa, só sabem o que foi lhes contado pelos outros e não por ela.

— Perguntem logo. - Disse Jisoo.

— Por que diabos você beijou Jennie Kim? Não lembra das tantas coisas que ela te falou? - Disse Jin

— Eu lembro e ainda guardo mágoa.

— A bebida te deu coragem ou você já estava com ela? - Perguntou Mina

— A bebida me deu coragem e eu não estava com ela.

— Estão tendo alguma coisa? - Perguntou Yeji.

— Não temos nada, nenhuma ligação ou vínculo

— Já se beijaram antes? - Perguntou Louis

— Não.

— Eu não te ensinei a mentir assim. - Disse Lisa. - Elas já se beijaram outra vez e eu as peguei no flagra. 

— Lisa. - Reclamou Jisoo, vermelha de vergonha e com um pouquinho de raiva.

— O que foi? Hora ou outra eles teriam que saber. Ainda não contei o que vi ontem a noite.

— Jisoo arrasando corações ou domando encrenqueiras. - Disse Mina.

— Eu não a domei, nós não estamos juntas e nem estaremos.

— Aposto três semanas. - Disse Louis.

— Duas. - Disse Yeji.

— Dois meses, a Jisoo é cabeça dura. - Disse Jin.

— Até você? - Ele deu de ombros. - Pensei que estivesse com raiva disso.

— Estou, mas vocês ficam bem juntas e apoio essa junção. Uma santa e uma garota má. - Rosé tentou conter sua risada.

— Se for por essa lógica eu sugiro quatro meses. - Disse Mina. - Mas elas ficarão de frescura, tentando negar o que já está óbvio. Meu veredito final é seis.

— Vocês duas tem algum palpite? - Olhou para as Lisa e Rosé, que apenas apreciavam toda a situação.

— Não quero me meter nisso. - Disse Rosé.

— Aposto que em cinco semanas e dois dias. - Disse Lisa com graça.

— Você é bem específica. - Disse Jisoo.

— Te conheço como a palma da minha mão. Só não sabia da sua queda por encrenqueiras. - Disse Lisa.

Os cochichos começaram a se fazer mais presentes, pessoas surgindo de todos os lados. O motivo? A aproximação de Nayeon, juntamente com Chaeyoung* que parecia tensa e totalmente contrariada com aquilo e com Sana, que diferente de Chaeyoung, parecia disposta a ajudar Nayeon em qualquer coisa, até mesmo a esconder um corpo.

— Ixi, se prepara. - Disse Jin.

Toda a multidão acompanhava com os olhos Nayeon, alguns ligavam a câmera do celular e outros estavam na espera do pior.

— Nayeon, isso não é hora e nem lugar, todo mundo tá olhando. - Disse Rosé.

— Meu problema não é com você, Park. Saia da frente ou será a sua cara que irá sangrar. - Disse Nayeon.

— Ameaça ela de novo e você tá fudida. - Disse Lisa.

— Eu resolvo isso. - As duas a olharam. - Podem deixar.

As duas se afastaram intrigadas com tudo isso, Jisoo passou a frente delas, ficando cara a cara com a garota. 

— Quer resolver isso? - Perguntou Jisoo. - Então vamos resolver, mas não aqui ou agora. - Seu colarinho foi agarrado e não expressou reação sequer com essa ação.

— Você não está no direito de escolher quando irá levar uma surra, Kim.

— Então me acerte, me bata, bem aqui na frente de todo mundo.

— Você é louca, fez tudo aquilo só para apanhar?

— Não, eu fiz porque eu quis. Era isso que queria escutar? - Todos se surpreenderam com sua ousadia em dizer isso. - Me bate logo e acaba com isso.

— Ela estava solteira esse tempo todo, porque justamente quando começou a namorar?

— Porque eu a quero, mas não posso. Ver vocês duas juntas, saber que ela pode ter um relacionamento com outra pessoa que não seja eu…Me deixa doida. - Agarrou a mão que estava lhe segurando. - Então usei a bebida como desculpa, mas se quiser mais motivos…. eu tenho vários.

— Você é uma vadia, Jisoo, sabia disso?

— Mais do que você ?  - Deu uma risada falsa - Impossível. Agora me acerta, deposita toda a sua raiva no meu rosto, me deixa sangrando aqui na frente de todo mundo e correndo o risco de ser suspensa por agressão. Mas lembre, eu apenas estou te provocando, já estou encrencada, então isso não será nada. 

Chaeyoung* cochichou algo no ouvido de Nayeon, mas ela parece não ter gostado da ideia. Olhou para os lados e tomou uma decisão.

— Depois da sua detenção, no campo. Esteja lá ou irei te caçar

— Estarei lá, não sou de fugir de brigas.

Nayeon a soltou, virou as costas e saiu. Jisoo ficou a olhando ir embora, aos poucos todos retornaram ao que estavam fazendo. Do outro lado do refeitório aquele grupo ainda olhava para ela. Jennie em momento pensou em levantar para resolver aquilo, apenas quis analisar cada expressão e coisa dita por Jisoo.

—  Você tá doida ou quer morrer? - Perguntou Lisa.

— As duas coisas, eu queria um saco de pancadas e consegui um.

— Você vai acabar se ferrando nessa.

— Não mais do que ela. - Pegou sua mochila. - Vou pra aula, vejo vocês no almoço ou em alguma aula.

Roseanne deu um jeito de alcançá-la, a puxando pelo braço até um corredor vazio. Queria explicações do porquê disse tudo aquilo, pois ontem mesmo havia dito que Jennie estava desconfiada e tudo o que disse poderiam dar a ela ainda mais motivos para isso.

— Porque você disse tudo aquilo?

— Não pensei.

— Jisoo, a Jennie pode ficar ainda mais desconfiada com o que estamos escondendo. Lembra do que disse quando estava bêbada?

— Lembro, eu disse que queria muito ela, mas não podia.

— E repetiu a mesma coisa, fascinante a sua estupidez.

— Só porque agora você é a mais velha, não significa que pode falar assim comigo

— Nossa, a Soya voltou.

— Desculpa, desculpa. Não sei o que tenho hoje.

— Eu sei, um coração partido e pelo visto ainda não chorou pelos términos.

— Isso não tem nada a ver com a minha raiva.

— Tem sim, lá no fundo você gostava da Taylor, impossível não ter sentimento algum por alguém que namorou por três anos. Depois a Jennie, você a ama e nunca tiveram sequer um começo, colocaram um fim nisso. Sei que lá no fundo você tinha esperança em tê-la, mas isso acabou ontem a noite. Você viveu a outra vida com raiva por não ter permissão de amá-la, as coisas estão se repetindo. Me responda uma coisa, você chorava quando pensava nela ou apenas ficava com raiva?

— Raiva, eu sempre saía ou batia em alguma coisa. Tentava me livrar disso.

— É nessa vida? Você sempre pareceu estar bem, calma e com as ideias no lugar.

— Eu..Eu.. - Abaixou a cabeça.

— É isso que estou tentando te dizer, ter raiva não vai te livrar do que está sentido. Chore por isso, pela perda, pelas decisões que está tomando e por tudo.

— T-tentarei fazer isso… só preciso resolver essa confusão com a Nayeon. 

— Você está muito encrencada, sabia?

— Sim, não deveria ter falado todas aquelas coisas.

— Mas disse e agora é tarde. Te vejo no almoço.

Park foi para sala de aula, deixando sua irmã em meio a pensamentos de arrependimento. Assim como no dia anterior e todos os outros de sua vida. Sua irmã foi a culpada por abrir seus olhos, desvendar o motivo de sua raiva e trazer uma solução para tudo que está sentindo.



Notas Finais


Até o próximo sangrento capítulo....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...