História Em meio a heróis, sempre haverá vilões. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Detetives, Heróis, Super Poderes, Vilões
Visualizações 6
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Este capítulo pode ter cenas um tanto quanto desconfortantes, por isso, leiam com devida consciência disso.

Capítulo 3 - "Felizes férias submarinas a você, Trisha".


Fanfic / Fanfiction Em meio a heróis, sempre haverá vilões. - Capítulo 3 - "Felizes férias submarinas a você, Trisha".

Akinashi estava carregando em carrinhos que geralmente são usados em construções, os corpos de Sarah e Tsuki, indivíduos que foram anteriormente nocauteados pelo garoto; sendo que este parava brevemente, olhando para um possível inimigo que estaria na frente deste, qual permanecia a segurar um relógio em sua mão direita, enquanto vários desses estariam presos em suas vestimentas, o clima do local era um tanto quanto pesado, pois Akinashi podia se lembrar daquelas mãos em qualquer lugar, até mesmo se estivessem a distância.

-Como vai a sua mãe, rapaz?- Ditou o homem que portava o relógio em sua mão direita, sendo que este soltava gargalhadas após tal pergunta, sendo que Akinashi apertava sua mão, soltando os dois carrinhos que trazia consigo.

-Olá... Estava me perguntando aonde você estaria...- O rapaz havia de ditar tais palavras com um sorriso em seu rosto, sendo que devido a escuridão no local, a única coisa a ser vista era o seu sorriso, que era branco o suficiente para ser visto.

-É mesmo...? Sabia que meu pênis ainda sente falta da apertada vagina da sua mãe?- Ditou o homem, ainda mantendo-se a gargalhar, quando começava a lentamente ir na direção de Akinashi; sendo que o tal havia de acender um isqueiro enquanto andava, demonstrando seu rosto com um forte tom avermelhado, seu cérebro aparecia, os lábios não existiam mais, estava apenas um lugar rasgado no local, o homem tinha um pênis atravessado em seu pulso, que estava extremamente roxo e ao ir mais abaixo, este não tinha calças, e nem seus testículos, muito menos seu pênis estava no mesmo local.

-Eu deveria me sentir mal por não ter mais meu pênis, ou deveria me sentir honrado por descobrir o poder real da Memories...? É essa sua habilidade, não é? Foi assim que você me deixou assim, garoto. E, você não ousou me fazer isto desacordado. Ouso dizer que és um cavaleiro.- Ditou o homem, qual começava a se aproximar ainda mais de Akinashi, qual ia também na direção do homem, agora. Com um sorriso enorme em seu rosto, e com o seu cabelo tampando o rosto, agora.

-O que acha de também dar uma chupadinha no meu pênis?! Hã?!- O homem começava a gritar com Akinashi, desferindo diversos xingamentos contra o tal.

-Você me fez ficar segurando o relógio naquele maldita hora?! Por que não admite os seus crimes para os seus amiguinhos detetives, em?! Ou, melhor, me deixe contar para a garota de cabelos verdes. Ah! Realmente, a sua paixão não é ela, certo?! Por que não deixa eu estuprar a garota de franja, aquele que você tanto protege até hoje!- O homem começava a gritar descontroladamente, como se estivesse assustado com a aproximação do garoto que mais chegava, sendo que o tal abria sua mão direita, a apontando na direção do rosto do homem; sendo que o tal permanecia com seu sorriso no rosto.

-Você deveria ter corrido, enquanto teve a chance... Hehehe.- O garoto riu de maneira estranha, colocando sua mão sobre o rosto do homem, quando este começava a ser perfurado, apenas pelos dedos do garoto estarem contra o local, sendo que internamente a mandíbula do homem também começava a se quebrar; quando Akinashi estava quase reduzindo os ossos da face do homem a migalhas, ele levou um potente tiro, que o levou a bater contra uma das paredes do local em que estava, era um tiro de coloração azul, que fez com que o garoto começasse a sangrar, com um enorme buraco sobre sua barriga, sendo que seus órgãos podiam ser vistos.

O silêncio no local perdurou, quando o garoto saiu da parede, andando normalmente, sendo que o tal foi na direção do atirador, que estava recarregando sua arma encostado numa parede, ao se mover, o garoto extremamente branco perdia muito sangue, sendo que uma trilha de sangue era possível de ser vista atrás deste.

-P-por que você ainda não morreu?!- Gritou o atirador assustado, sendo que Akinashi permanecia de pé em frente ao tal, com uma enorme quantidade de sangue saindo de seu corpo, mas, mesmo assim o garoto estava de pé.

-Eu estou usando o Memories, como seu chefe pediu. Uhuhuhu.- Ditou o garoto de cabelos castanhos, que se agachou na frente do atirador, aproximando seus dentes do pescoço do homem, quando este abriu sua boca o máximo que podia, dando uma grande mordida no pescoço do atirador, que levemente ia cedendo a Akinashi, sendo que o atirador já se encontrava no chão, no momento, com o garoto acima deste, repetindo várias e várias mordidas no tal. Sendo que uma enorme poça de sangue se formava no local, tanto do corpo do garoto, quanto do atirador. 

O corpo do atirador era reduzido a pequenos pedaços, quando o garoto olhava para a direção do homem que anteriormente segurava o relógio em suas mãos; sendo que o tal começava a correr, no entanto, o local era preenchido por uma enchente de sangue, sendo que o homem sentia algo perfurando seu orifício anal, enquanto piranhas começavam a ingerir seu corpo, e com o homem soltando um grito de dor, ele se afogava na enchente.

-Parabéns, você me irritou...- Ditou Akinashi, que após tais palavras, tudo havia de voltar ao normal, um homem segurando um relógio estava deitado no chão, totalmente com os lábios roxos e não respirando, e o atirador também estava normal, apenas caído no chão.

-Nada disso ocorreu comigo, mas a Memories consegue facilmente acessar sentimentos de culpa... Você e todos não têm o desejo de me ver em seus sonhos- Ditou Akinashi, qual guardava uma caneta em seu bolso, começando a puxar um rolo de filme da cabeça dos dois inimigos, os guardando separadamente de outros dois, o de Sarah, e o de Tsuki.

-Vocês tem sorte, afinal... Pois eu os livrei da culpa, e da vida.- Ditou o garoto, picotando um pequeno pedaço de um rolo de filme, e o colocando, na cabeça de Tsuki, qual acendia sua mão direita; sendo assim Akinashi levou os rolos de filme dos inimigos as mãos de Tsuki, quais eram completamente queimados e reduzidos a pó.

Assim, o garoto pegou um grampeador e grampeou o pedaço de rolo de filme novamente, voltando a andar novamente, levando consigo os dois carrinhos de construções.

-Felizes férias submarinas, Trisha...- Ditou o garoto, com uma expressão vazia sobre seu rosto.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Até outro longo tempo, pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...