História Em meio ao Sofrimento - Capítulo 13


Escrita por: e Flare13

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Aquarius, Aries, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Droy, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Evergreen, Flare Corona, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jet, Jude Heartfilia, Kagura Mikazuchi, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Leon, Levy McGarden, Libra, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Lyra, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Metallicana, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Nikora "Plue", Pantherlily, Personagens Originais, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Scorpio, Sting Eucliffe, Taurus, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Yukino Aguria, Zeref
Tags Gale, Gruvia, Jerza, Miraxus, Nalu, Stinkino
Visualizações 225
Palavras 2.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom esse capítulo foi possível graças a Bolo-de-morango que me disse o que seria muito bom para esse capitulo.
Caso queiram que eu acrescente algo no próximo capítulo que será do casal gale (gajeel + Levy)
Podem deixar nos comentários.
Boa leitura.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction Em meio ao Sofrimento - Capítulo 13 - Capítulo 13

Autora pov's On:

O azulado se encontrava em frente ao prédio, a chuva caia fortemente tornando a noite mais fria do que o de costume e o azulado se encontrava um pouco molhado e com frio olhou mais uma vez para o papel dado por sua irmã onde continha o endereço dela.

Precisava falar com ela e explicar a situação, situação essa que ele tinha sua parcela de culpa.

Mas para entendermos a situação teremos que voltar um pouco no tempo.

dois dias antes...

Jellal se encontrava em frente a empresa Dragneel onde seu pai o havia pedido para entregar alguns documentos.

Foi até a recepção e pediu a recepcionista para levá-lo até a sala do chefe da empresa.

Ao sair do elevador percebeu que a mesa que deveria pertencer a secretária dele estava vazia, então foi até a porta e bateu na mesma recebendo permissão para entrar logo em seguida.

Adentrou a sala avistando um homem de cabelos ruivos um pouco grisalhos devido a sua idade, terno preto que lhe dava um ar de seriedade.

- Jellal o que faz aqui? -Perguntou.

- Oi senhor Dragneel, desculpe não ter avisado nada, mas é que sua secretária não estava lá fora. vim entregar alguns documentos a pedido do meu pai. -Falou entregando o envelope.

- Ah é que eu pedi para que ela fosse buscar alguns contratos antigos no depósito, falando nisso ela estuda no mesmo colégio que você.

- Sério?

O mais velho foi impedido pelo telefone que tocou, depois de atendê-lo, voltou a encarar o azulado.

- Me desculpe, mas é ela precisa de ajuda para carregar todos papéis, por que não me acompanha? assim pode aproveitar e conhecê-la, ela está ai fora.

- Claro.

Atravessou a porta, ele esperava ver qualquer pessoa ali menos ela...

Erza Scarlet...

A ruiva parecia não ter notado a sua presença devido as enormes pilhas de papel acumuladas em sua mesa que a pouco estava vazia.

- Erza, venha aqui quero que conheça uma pessoa. -Chamou o ruivo.

- Sim senhor.

No momento em que ela se virou seu corpo travou e seus olhos estavam arregalados.

- Erza este é um amigo do meu filho, Jellal. Jellal está é a minha secretária Erza Scarlet, ela estuda na Fairy Tail também.

- Eu já o conheço senhor Igneel.

- Que mundo pequeno, não?

- Uma ervilha eu diria. -Respondeu o azulado.

- Bom se me derem licença, eu tenho uma pilha de contratos pra revisar, por que não aproveita e vai pra casa Erza? Seu turno já acabou mesmo.

- Eu achava que o senhor me deixaria responsável por revisar esses contratos.

- Não, você passou essas últimas semanas fazendo hora extra e saindo muito tarde daqui, você deve estar cansada. Podem ficar conversando se quiserem, agora eu tenho que ir.

O mais velho foi para a sua sala deixando eles sozinhos.

- Eu imagino o que você e sua família devem ter passado pra chegarem ao ponto de colocarem a própria filha pra trabalhar. -Falou sério.

- Você não sabe pelo que eu passei para estar aqui, então cala a boca e não se atreva a contar isso pra ninguém muito pior espalhar pelo colégio.

- Não se preocupe, se depender de mim ninguém vai ficar sabendo.

- E não adiant... o que?

- Você esta certa, eu não tenho nada haver com a sua vida por tanto não tenho o direto de espalhar isso pra ninguém.

- Promete?

- Prometo.

A ruiva pegou sua bolsa, estava quase saindo quando chamou pelo azulado e ele virou pra ela que o olhava de rabo de olho.

- Obrigada.

A Scarlet saiu dali deixando ele pra trás, mas o único erro deles foi não perceber a presença de uma certa pessoa que usaria isso ao seu favor.

dia seguinte no colégio...

Assim como qualquer outro dia a Scarlet chegou ao colégio, andava pelos corredores em direção a sala e todos a olhavam torto, outros riam ou até mesmo sussurravam coisas nos ouvidos uns dos outros.

Ela se sentia desconfortável com aquilo, até que começaram a falar dela em alto e bom som para todos que quisessem ouvir.

- Não sabia que a Scarlet estava passando por necessecidades. -Falavam algumas.

- Eu sempre soube que ela não era isso tudo que diziam.

- Ela não passa de uma secretariazinha de merda, aposto que dorme com o chefe pra conseguir pagar um colégio tão caro como esse. -Comentou um dos garotos.

A ruiva já esperava por isso, sabia que um dia eles acabariam descobrindo, mas não achava que iria doer tanto escutar todos aqueles xingamentos depois de todos esses anos de trabalho duro que ela teve pra chegar até onde chegou, mesmo sabendo que o que eles diziam era mentira.

Tentou ignorar o falatório das pessoas, mas a cada aula que se passava ficava mais difícil até que finalmente o sinal tocou para o intervalo onde ela pediu as meninas para ficar um pouco sozinha.

Estava andando pelos corredores vazios, quando escutou os passos de alguém vindo em sua direção, pensou que provavelmente seria alguém querendo provocá-la.

- Erza.

- Você não tem vergonha nessa sua cara de pau não, né?

- Como?

- Eu que pergunto, você me prometeu que não contaria nada sobre o meu segredo e quando eu chego no outro dia você já tem espalhado pro colégio todo. Eu sinceramente não sei como eu fiz a idiotice de confiar em você, mesmo sabendo o que você faz com as suas irmãs. -O corpo do azulado travou nesse momento, como ela...

- É eu sei o que você faz com a juvia e a Levy, mas eu ainda não te achava capaz de tanta crueldade, mas agora eu entendo elas. Eu não sei o que deu em mim, mas quando você descobriu sobre a minha outra vida eu me senti tão aliviada, como se eu tivesse tirado um grande peso do meu coração. Eu sinto isso por você a muito tempo e já estava conformada com o fato de que você nunca olharia pra mim. A dor que eu sentia quando te via com uma vagabunda nova toda semana não é nada comparado ao que eu estou sentindo agora. -Ela saiu dali e foi para a sala onde pegou suas coisas, estava saindo da sala quando o sinal tocou e suas amigas a avistaram.

- Onde vai Erza? -Perguntou Lucy.

- Vou pra casa não estou me sentindo bem. -Falou segurando as lágrimas.

- Você esta bem? -Perguntou Levy.

- Vou ficar.

Saiu do colégio e foi para o seu apartamento, depois de chegar jogou a bolsa em qualquer lugar se deitou na cama e deixou que as lágrimas caíssem, depois de um tempo ela acabou pegando no sono.

Enquanto isso no colégio, Jellal havia matado as outras aulas que se seguiram, tinha que achar quem havia espalhado o segredo da Scarlet, vê-la falar tudo aquilo, enquanto segurava pra não chorar era de arrebenta-lo no meio.

Sentiu braços circularem sua cintura, sentiu um cheiro de perfume barato, já sabia quem era.

- O que você quer Ultear? -Perguntei ríspido.

- Estava pensando em nos divertirmos.

- Não to com vontade.

- Achava que depois do que eu fiz com a Scarlet você teria mais tempo pra mim.

- O que você fez?

- Você esqueceu um livro na minha carteira, quando eu fui na sua casa pra devolver você não estava, mas a empregada me avisou que você tinha ido nas empresas Dragneel, então eu fui lá e cheguei bem na hora em que aquela ruiva azeda estava te fazendo prometer que não contaria nada pra ninguém.

- Então foi você que espalhou pro colégio inteiro o segredo da Erza?

- Claro que sim, aquela vadia não merece a sua atenção...

Nessa hora o azulado segurou a morena pelo pescoço, bateu o corpo dela contra a parede e apertou o pescoço dela com força.

- Morda a sua língua antes de falar dela, agora você vai repetir tudo isso pra mim de novo, depois você vai literalmente sumir da minha vista e se eu vir você de novo ou se pelo menos tocar em um fio de cabelo da Erza, eu vou fazer muito pior do que estou fazendo agora.

QUEBRA DE TEMPO

Jellal adentrou sua casa, dando de cara com as suas irmãs que estavam na sala de estar.

- Qual o endereço da Erza?

- Não acha que já fez ela sofrer demais não? -Perguntou Levy.

- Não fui eu quem espalhou o segredo da Erza pro colégio.

- Isso não muda nada. -Falou a azulada menor.

- Olha aqui baixinha, a Erza foi a melhor coisa que já me aconteceu agora ou você me da o endereço dela ou vou ter que invadir o colégio pra pegar?

Ela pegou um pedaço de papel e anotou o endereço da ruiva, entregando para o azulado.

- Está bem, mas se você fizer ela sofrer de novo...

- Você e as meninas vão me fazer pagar por isso.

- Garoto esperto.

QUEBRA DE TEMPO

O azulado se encontrava em frente ao prédio, a chuva caia fortemente tornando a noite mais fria do que o de costume e o azulado se encontrava um pouco molhado e com frio olhou mais uma vez para o papel dado por sua irmã onde continha o endereço dela.

Precisava falar com ela e explicar a situação, situação essa que ele tinha sua parcela de culpa.

Adentrou o prédio, aproveitou a saída do segurança e foi para o elevador, andou pelo corredor até achar a porta de número 345.

Bateu na porta algumas vezes até a porta ser aberta...

Erza estava do outro lado da porta, usando uma camiseta larga e um short minúsculo, seus cabelos estavam um pouco bagunçados e seus olhos estavam inchados e vermelhos.

Jellal não acreditava que tinha feito aquilo com a sua ruiva, seu coração estava quebrado, a tinha feito sofrer e o resultado o fez querer se destruir.

- O que faz aqui? -Sua voz estava rouca e falhava na maior parte do tempo.

- Posso entrar? Ou vai me deixa ao relento?

- Você não esta merecendo nenhum tipo de compaixão vindo de mim. -Mesmo depois do que ela disse ele continuou na porta. - Ta bom.

- Erza não fui eu quem espelhou seu segredo pra todo o pessoal do colégio.

- Veio somente pra me dizer isso? Então pode ir embora. -Falou apontando para o outro lado da porta.

- Não, foi a Ultear que contou pra todo mundo, ela escutou a nossa conversa e usou isso contra você.

Ele pegou o celular e mostrou a confissão da Ultear, a ruiva escutava o áudio atentamente, enquanto olhava para algum lugar da sala.

- Eu ainda não entendi do porquê você ter gravado se podia muito bem ter feito ela se desculpar comigo pessoalmente.

- Porque eu também tenho uma parcela de culpa nisso tudo, se eu tivesse parado de comer uma garota atrás da outra e ido atrás da que eu realmente queria talvez você não tivesse passado por isso.

- Ela deve ser uma garota de sorte.

- Tanto que eu estou olhando pra ela agora.

- Como?

- Isso que você ouviu Erza Scarlet, eu te amo.

- Repete.

- Eu te amo, eu te amo, eu te amo. vou repetir isso quantas vezes você quiser.

Ela o agarrou e colou seus lábios nos dele, suas línguas lutavam numa batalha sem fim por espaço, o gosto de morando e hortelã se misturavam fazendo pequenas correntes elétricas correrem pelos corpos de ambos, até se separarem por falta de ar.

- Eu também te amo.

- Quer namorar comigo?

- Sim.

Jellal não aguentou e a beijou novamente, teria que aprender a se controlar, pois não poderia ficar agarrando ela em qualquer lugar, mas nisso ele pensava depois o que queria naquele momento era explorar aquela boca deliciosa com gosto de morango.

Depois de um tempo eles colocaram um filme qualquer e ficaram deitados na cama da ruiva assistindo, Erza se encontrava sentada, enquanto Jellal estava deitado com a cabeça em seu colo.

O carinho que recebia da sua namorada era tão reconfortante que acabou pegando no sono, Erza não queria acorda-lo, então o ajeitou na cama, deitou a cabeça em seu peito e em pouco tempo pegou no sono.


Notas Finais


Obrigada por lerem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...