História Em Meio Aos Mortos (Sciles) - Fanfic Teen Wolf - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Fear The Walking Dead, High School of The Dead, Shingeki no Kyojin (Attack on Titan), Teen Wolf
Personagens Scott McCall, Stiles Stilinski
Tags Apocalipse Zumbi, Bissexualidade, Ftwd, Hotd, Romance Gay, Sciles, Teen Wolf, Twd
Visualizações 52
Palavras 1.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, ontem o telefone bugou todo e eu não pude postar o capítulo. Mas aqui está, espero que gostem!

Capítulo 5 - Líder


Fanfic / Fanfiction Em Meio Aos Mortos (Sciles) - Fanfic Teen Wolf - Capítulo 5 - Líder

Autor POV

Scott havia jantado com os Stilinski, mas Stiles decidira não ir. Será que foi pelo o que ele havia dito? Bom, para ele tanto faz! Viado bom é viado morto.

Após tomar uma bela ducha, foi em direção ao quarto, pronto para dormir. Stiles estava apagado na cama e Scott não queria deitar ao lado de um gay. Mas sem muita escolha, ele puxou um pouco do cobertor, e se virou, demorando um pouco para dormir.

No dia seguinte, ele notou que Stiles dormia profundamente. Eram 8:00 e Scott sempre acordou cedo. Ele afagou os cabelos e Stiles virou para cima.

Scott olhou, e notou os braços dele. Estavam com cortes, como fazem os depressivos. Será que era culpa dele? Scott jamais parou para pensar nas consequências de seus atos. Agora, ele via como que alguns comentários, poderiam acabar com alguém.

Ele acordou Stiles.

- Ei, Stiles. Acorda. Stiles!

Stiles abriu os olhos. Ele achou que via um anjo. Mas logo percebeu que era o mesmo demônio do dia anterior.

- O que quer? - perguntou meio sonolento.

- Eu... queria te pedir desculpas. Pelo o que eu disse ontem. - falou.

Stiles sentou na cama.

- Porque? Achei que fosse homofóbico.

- Eu sempre fui meio contra isso. Mas depois de ver que agora o mundo se divide em vivos e mortos, não podemos nos separar mais. - observou.

- Scott. Ninguém muda assim do nada.

- Eu mudo. Depois que vi isso, principalmente. - ele apontou para os braços de Stiles.

Stiles recuou-os.

- Ah, isso...

- Sim, isso.

Scott pegou levemente no braço do Stilinski. Stiles viu o quão carinhoso Scott poderia ser. Porquê ele agiu daquela maneira ontem? Teria sido uma última demonstração de masculinidade frágil?

Scott sorriu e o coração de Stiles acelerou.

- Eu nunca tive uma amigo gay antes. - disse. - Sabe... - ele virou os olhos. - por conta do que eu acreditava.

Stiles assentiu.

- Acho que seria interessante se eu tivesse um, principalmente agora. - ele estendeu a mão. - Amigos?

Stiles cerrou os olhos.

- Sim. Mas antes, tenho que te conhecer mais. - ele apertou a mão de Scott.

- Ótimo.

...

Scott e Stiles se sentaram num banco de uma praça. Era sábado, e não havia muita gente.

- Aquele ali, você acha bonito? - Scott apontou para um cara aleatório.

Stiles fez que não com a cabeça.

- Não faz o meu tipo.

- E qual o seu tipo?

"Os morenos", pensou Stiles. Mas decidiu manter para si.

- E aquela lá, o que você acha? - Stiles apontou para uma garota que corria.

Scott a olhou em cheio e deu um sorriso malicioso.

- Eu comia.

Eles riram.

- Scott? - perguntou uma mulher que se aproximou.

- Sim? - o moreno se levantou.

- Vim à mando da prefeita. - ela se vestia como uma agente secreta. - Me acompanhe por favor.

Scott sorriu.

- Eu já tava querendo falar com ela mesmo.

- Mas Scott...

- Relaxa Stiles. Eu vou voltar. - ele piscou para o menor que sentiu um frio na barriga, seguido de seu coração batendo forte.

Scott chegou na prefeitura de Beacon Hills e seguiu para a sala em que a prefeita se encontrava. A mulher que estava com ele, bateu na porta, entrando.

- Senhora, ele está aqui. - ela empurrou Scott.

- Ótimo, mande-o sentar. - ela se virou na cadeira. - Temos que conversar.

Scott se sentou.

- Me chamo Natalie Martin, e você é Scott, certo? - ela leu uma pasta.

- Sim.

- Órfão, Francisquense, tem 16 anos e foi encontrado ontem, no Dia Z. - ela fechou a pasta. - O que mais sobre você eu posso saber?

- Eu não tenho muito o que dizer. Apenas que dei sorte de ser salvo. - falou.

- Sorte? Scott, aquele caminhão era para ter estacionado à quadras dali. Se ele estava ali, tem que ter um motivo, mas Argent não me diz nada. - ela parecia frustada.

- Como assim?

- Você não foi salvo à toa. E eu preciso saber o porquê.

- Eu realmente não sei de nada. Eu apenas vi o caminhão no beco e...

- Entendi. - ela disse. - Me perdoe te questionar. Você está aqui para ser acolhido.

- Aproveitando, eu posso fazer umas perguntas?

- Claro.

- Se tudo começou ontem, como que esse lugar já servia de base para um refúgio?

- Há três anos atrás, em Nome no Alasca, essas coisas apareceram, e se espalharam pelo o estado. - contou.

- Por isso o governo fechou a fronteira e desligou todo e qualquer contato com o Alasca, tornando-o uma zona de quarentena?

- Exatamente. Desde então, o governo americano escolheu à dedo, cidades que poderiam servir de refúgio e/ou quarentena. Os esforços para conter o vírus foram um fracasso e eles começaram a atacar o Canadá. Unidos, o exército dos dois países, conseguiu repeli-los mas de nada adiantava.

- Porque não soubemos de nada?

- As notícias no Canadá, assim como a internet foram cortadas. - disse. - Os zumbis dominaram as cidades e logo chegaram aos Estados Unidos. Washington ainda resiste. - comentou.

- Entendo. Eu posso ir agora?

- Não sem antes saber que irei matricular você no colégio de Beacon Hills. Você ia para a escola, não? - indagou.

- Sim. Estou no segundo ano.

- Sorte a sua que ainda é Março. - ela riu. - Sim, pode ir agora. E seja bem-vindo. - ela sorriu.

Ele saiu pedindo licença e no hall de entrada estava Lydia.

- Scott! O que a minha mãe falou pra você? - indagou.

- A prefeita é a sua mãe? - quis saber.

- Sim. - ela disse como se fosse óbvio.

- Ela só me contou mais sobre como o apocalipse começou e que eu era bem-vindo. - contou.

Lydia não parecia convencida.

- Bom, eu vou lá falar com ela. O nerd tá aí fora.

Scott se despediu e lá fora, estava Stiles e seu Jeep.

- Demorou hein.

Eles se cumprimentaram.

- Acho que faço parte de The Walking Dead agora. - Scott riu.

- Vamos para casa, Rick Grimes. - zombou Stiles.

Enquanto Stiles dirigia, Scott pensava que se não estava ali por acaso, por que estaria?

- Eu nunca tive amigo menino. - comentou Stiles.

- Porquê?

Stiles fitou Scott com ironia.

- Ah, entendi. Eu também pensava assim, mas acho que realmente quero mudar.

- Sim, isso é bom.

- E eu quero ser seu amigo homem. Se algum babaca tentar te bater eu deito na porrada. - prometeu Scott.

Stiles não sabia se o que sentia por Scott era atração ou amizade. Mas sabia que era algo muito forte. E que teria que lidar com isso.

- Eu vou começar meu ano letivo na segunda que vem. - comentou Scott.

Os olhos de Stiles brilharam.

- Vai ser muito legal te ter por perto. O problema é que vão te zoar por estar comigo.

- Stiles. - Scott olhou nos olhos do menor. - Fodam-se eles. O meu amigo aqui é você. Não a opinião deles. Afinal quem tá dando o rabo é você. Não eles.

- Eu sei.

"Só não sei como suportar".


Notas Finais


Tema da Fic: https://youtu.be/o0rm4yqM8Bk

Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...