História Em Meio Aos Mortos (Sciles) - Fanfic Teen Wolf - Capítulo 6


Postado
Categorias Fear The Walking Dead, High School of The Dead, Shingeki no Kyojin (Attack on Titan), Teen Wolf
Personagens Scott McCall, Stiles Stilinski
Tags Apocalipse Zumbi, Bissexualidade, Ftwd, Hotd, Romance Gay, Sciles, Teen Wolf, Twd
Visualizações 69
Palavras 1.724
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aviso: melhor capítulo até agora.

Capítulo 6 - Primeiro Dia


Fanfic / Fanfiction Em Meio Aos Mortos (Sciles) - Fanfic Teen Wolf - Capítulo 6 - Primeiro Dia

Autor POV

- Lydia, as aulas já vão começar! Dá para se arrumar logo? - gritou a prefeita.

- Tá bom mãe!

Lydia desceu as escadas e entrou no carro, com sua mãe em seguida. 

- Eu não queria mesmo ficar naquele ginásio calorento. Você bem que podia me explicar o porquê das aulas terem sido suspensas até agora. - ela pôs o cinto.

- Isso é surpresa. - Natalie puxou o nariz de Lydia. - Minha princesinha.

- Mãe! - ela afastou a mão. - Eu não sou mais criança.

- Independência! - riu Natalie. e com uma irritada Lydia, elas se dirigiram à Beacon Hills High School.

...

- Então essa é a escola? - Scott achava tudo muito grande. 

- Sim. Fico muito feliz de ter um amigo menino aqui pela primeira vez. - Stiles comentou.

- Bom, então vamos logo. - Scott envolveu Stiles com seu braço (N//A: igual parça hétero) e caminharam.

- Stiles. - era Alisson. - As aulas foram suspensas, você sabe de algo sobre o porquê?

- Como eu havia dito no início do ano: eu não sei. 

- É que seu pai é o xerife. - Alisson parecia frustada.

- O que houve? - Scott quis saber.

- Eles estão preparando alguma surpresa para nós. Fiquem espertos. - ela se virou para ir embora, mas deu meia volta. - Ah! E vocês estão tão bonitinho de casal.

- Que? - Scott notou como estava. - Ih, sai dessa sou macho. Ele é só o meu amigo.

Stiles se sentiu mal, mas forçou um sorriso.

- Sim. Só amigos. - eles trocaram um soquinho.

Alisson os olhou com os olhos semi abertos.

- Meu radar nunca falha. - ela seguiu o próprio rumo.

- Me desculpe por isto Scott. - falou Stiles. - Eu falei que andar comigo não era boa coisa.

- Ah, deixa de viadagem. Ah não pera...

Stiles o socou de leve.

- Cuzão. 

- Deixa de drama. Você é meu amigo e ponto final. - Scott acenou para que eles continuassem.

Stiles levou o amigo até o ginásio. O local estava lotado de adolescentes e no centro, havia um palco onde estava a mãe de Lydia, um cara num jaleco branco, o pai de Alisson e uma mulher que Scott achou muito atraente. Scott, assim como todos, notou que havia algo grande atrás deles, coberto por um pano, em cima de uma mesinha. Parecia o formato de uma serra elétrica, mas ninguém conseguia decifrar o que era.

Sciles se acomodaram na arquibancada, na parte mais perto da saída.

- Caralho Stiles. - ele cutucou o amigo. - Quem é aquela?

- A diretora. 

- Puta merda, que gostosa. 

Stiles riu. 

- O que você vê nela?

Ele se apoiou no ombro dele.

- Olha, tá vendo a bunda? É grande. Isso significa que ela deve ter mó xotão. - Stiles riu.

- Mas ela ainda sim é a diretora e temos que respeitar.

- Respeitar porra nenhuma! Se der mole pra mim eu pego, foda-se. 

Stiles virou os olhos.

- Héteros.

A diretora deu um passo a frente com um microfone na mão.

- Bom dia, alunos e alunas de Beacon Hills. Sou a diretora Jennifer Blake, para os alunos novos. As aulas serão diferentes, por conta do estado atual do país. A prefeita irá dar umas palavras.

Todos bateram palmas e a mulher pegou o microfone.

- Dada a situação de calamidade que o país se encontra, temos que nos defender não só dos mortos, mas também de outros humanos. - comentou. - Pessoas vão querer invadir nosso lar para roubar nossas casas e pilhar nossos amigos e familiares. - ela parou de andar pelo palco. - Temos que nos manter unidos. União é a força suprema que locomove um grupo. E esse grupo, é a sociedade de Beacon Hills. - todos bateram palmas e ela passou o microfone para o pai de Alisson.

- Eu sou Chefe de Patrulha aqui de Beacon e vocês serão treinados para se tornarem máquinas de combate. - explicou. - Os mortos não podem atravessar esses muros. E a muralha apenas pode ser acessada de cima, com helicópteros ou aviões. 

Ele pigarreou.

- Portanto, qualquer imbecil pode nos atacar de cima. Para nossa sorte, temos tecnologia militar de ponta que nos defenderá caso precisemos. Agora vem a pergunta: e se a comida acabar? E se precisarmos de mais suprimentos? - ele apontou para o objeto atrás de si. - É aí, que vocês entram. 

O homem de jaleco puxou o pano, revelando um objeto jamais visto antes.

- Este é o DMT. - falou o cara de jaleco. - Ou, como eu chamo: Dispositivo de Movimento Tridimensional. Desenvolvido por mim, permite grande mobilidade ao enfrentar os zumbis em combate. O equipamento permite ao usuário lutar em um espaço 3D (altura, largura e comprimento) ao contrário de um espaço 2D (largura e comprimento). - disse o homem.

O equipamento em si tem a forma de um arnês. 

- Embora o equipamento pode conceder a um usuário qualificado tremenda mobilidade, - continuou ele. - é uma arte exigente que requer força e habilidade, as quais devem ser aprimoradas através da prática constante.

- E para isso treinaremos vocês, para que possam enfrentar quaisquer perigos. - destacou Chris Argent. 

- Isso é incrível. - falou Stiles. - Isso abrange grande parte do corpo abaixo do pescoço. - notou. - Estou louco para usar.

- Ei vai com calma. - falou Scott. - Nem sabemos se nós vamos usar isso.

- Porquê?

- Sei lá. Talvez eles queiram pessoas específicas. - sugeriu o moreno.

- É o meu pai. 

Stiles e Scott tomaram um susto.

- Porra Malia! Avisa antes de chegar assim do nada. - Scott disse.

- Ele se acha o sabichão. - Malia disse ignorando Scott.

- Ah, o Peter. - Stiles disse.

- Aí, que garoto lerdo hein. - ela saiu.

- Eu hein. 

Após as palestras, Stiles pediu para Scott esperar pois ele iria beber água. O problema é que ele estava demorando demais e Scott estava preocupado. Ele foi procurar o garoto pela imensa escola.

- ... gayzinho!

Scott ouviu uma gritaria e foi ver o que era. 

Haviam três garotos. Um deles batia em Stiles e os outros seguravam.

- Você é culpado por tudo! - ele socou a barriga de Stiles mais uma vez.

- Você é um escroto, Jackson! - Jackson riu.

- E você não é? Você é uma bicha fofoqueira que acabou com o meu relacionamento com a Lydia. 

- Você nem gostava dela. Você é só um enrustido.

Os olhos de Jackson inflaram e ele socou a barriga de Stiles com mais força, fazendo com que ele cuspisse sangue. 

Scott agiu.

- Você deveria estar morto Stilinski! - Jackson disse. 

O agressor não viu, quando o soco o atingiu. Ele deslizou no chão. Scott olhou para os dois comparsas, de forma ameaçadora e apenas disse:

- Soltem ele. 

Eles hesitaram.

- AGORA!

Eles soltaram Stiles e foram socorrer Jackson. 

- Tudo bem? - Stiles gemeu de dor.

- Sim. - ele ficou de pé.

- Ah, então o viado arranjou um namoradinho? - Jackson perguntou.

Sem pensar, Scott deu a mão para Stiles.

- Sim. Algum problema? 

Stiles olhou Scott e sorriu. 

- Era o que me faltava. - Jackson avançou e Scott correu em direção à ele.

Jackson desferiu um soco, mas Scott desviou, socando a perna do oponente. Jackson perdeu o equilíbrio e Scott o socou no rosto. O garoto avançou, mas Scott, o empurrou nos armários, e socou as intimidades. 

- Ooh! - Jackson arfou de dor.

Scott o empurrou com força, fazendo-o cair em cima dos amigos.

- Melhor correr pra mamãe. 

- Isso vai ter volta! - o trio agressor fugiu. 

- Scott isso foi incrível. 

- A sua cara está horrível. - comentou. - Vamos para casa ajeitar isso aí.

- Mas e as aulas? 

- Você é um cara inteligente, vai pegar tudo fácil. 

...

- Pronto, amanhã vai estar novinho em folha. - disse Scott, depois de colocar o último band-aid.

- Obrigado Scott. 

- Que isso, cara. 

Stiles começou a chorar. 

- O que é?

- Jackson disse coisas horríveis hoje. Ele disse a verdade: que eu não deveria existir.

- Cala a boca. - mandou Scott.

- Que?

- Cala a porra da boca! 

Stiles parou de chorar e ficou atônito.

- Você é um cara foda. É inteligente pra caralho, é um bom amigo. E daí se é gay? - uau, Scott jamais pensaria assim dias atrás. 

- Eu só faço merda Scott! - gritou.

- Errar é humano.

Ficou um silêncio de um segundo, mas pareceu uma eternidade.

- É... aquilo que fez hoje. - comentou Stiles.

- Ãn? - Scott o incitou a falar mais.

- É um exemplo das merdas que eu faço. 

- Porquê? 

- Deve ter ferido seu orgulho. Eu não acho que você deveria ter feito aquilo de dizer que era meu namorado. Me desculpa mesmo, eu...

Stiles foi calado com um beijo.

Scott não sabia porque. Mas sentiu que precisava daquilo. Scott não sentiu nojo no beijo, e nem repulsa. Apenas sentiu seu pau endurecendo na calça e a vontade crescente de beijar Stiles. 

O ar se fez presente e os dois cessaram o beijo. 

- Scott, porque você fez isso?

O moreno estava confuso.

- Eu não sei. - admitiu. - Eu apenas quis.

Stiles estava vermelho.

- Stiles, admita pra mim: você tá afim de mim? 

Stiles não soube o que responder.

- A sua cara diz tudo. - Scott riu. 

- Lembra de quando perguntou qual era o meu tipo? - Scott assentiu. - Eu adoro morenos. E você foi como um anjo que apareceu pra mim. 

Scott o beijou de novo. 

- A gente tem que se conhecer mais, Sti.

- Sti? 

Scott de uma risada gostosa.

- Sim, Sti. 

- E porquê quer me conhecer mais? 

Scott se aproximou do ouvido do menor.

- Pro caso de eu querer oficializar o que eu disse hoje. 

O coração de Stiles quase pulou para fora.

- Vem, vamos comer alguma coisa. - Scott levantou abrindo a porta do quarto. 

...

Após comerem, e verem um filme, os dois foram dormir.

- Boa noite, Scott.

- Boa noite Stiles.

Os dois se beijaram e Scott envolveu o menor, e ambos adormeceram de conchinha.


Notas Finais


https://youtu.be/8A0FeP34JQY

Espero que tenham gostado! Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...