História Em nome do amor - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Drama, Ficção Adolescente, Justin Bieber, Romance
Visualizações 41
Palavras 2.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente, muito obrigado por baterem mais da meta de comentários no capítulo anterior. Fiquei muitooooo feliz com isso, muito mesmo. Por isso, pesar da demora para atualizar - em outras palavras - caprichando para vocês. Cá estou eu com mais um novo capitulo que espero que gostem!!!

Ps: Percebi que algumas pessoas acham o Justin insuportável, o que é um bom resultado para mim, já que ele é o vilão da história e essa é a intenção. Agora preparem seus corações para fortes emoções!!!


Ouçam: Wolves - Selena Gomez Feat Marshmello

Capítulo 9 - Tudo, menos isso!


 Fiquei calada o trajeto inteiro depois da discussão que Nicolas teve com o Bieber, mas eu não aguentei por muito tempo e resolvi tirar todas as minhas dúvidas em relação ao que ouvir.

– Vocês dividiam suas namoradas? – Nunca fui de fazer rodeios, então fui direta ao ponto enquanto ele foi diminuindo a velocidade do carro sem tirar os olhos da pista, logo depois, estacionando no meio fio.

– Sim! – Deu uma longa pausa e revirou os olhos. – Isso era uma regra do grupo que tínhamos que seguir. Na verdade, não éramos nós que dividíamos elas, mas elas que não se davam o devido valor e estava sempre se jogando para qualquer um. – Falou encarando suas próprias mãos no volante e me fitou nos olhos. – Eu sou homem, mas também tenho sentimentos! – Levantei as sobrancelhas surpresa. Não que eu duvidasse de sua palavra, mas sendo sincera, eu pensaria o mesmo que a maioria pensava sobre eles; que não tinham coração. – As garotas só querem status e se aproveitar do que temos e somos. Eu convivo com isso diariamente. Por isso, nunca dei muito crédito para nenhuma algumas garotas e nem para meu envolvimento com Miranda. No início, eu pensei que ela fosse como as outras e a traí várias vezes antes que ela fizesse isso comigo primeiro, mas falhei. Ela era diferente. Sempre estava comigo toda vez que ficava bêbado caindo pelo os cantos. Cuidava de mim quando ficava doente. Dispensava os outros garotos para ficar comigo. Então, eu fui percebendo que eu estava escolhendo as garotas erradas todo esse tempo e não elas que não prestavam. Por exemplo, você...

– Eu o que? – O interrompi antes de terminar a frase e o mesmo franziu o cenho.

– Calma, eu só ia dizer que você é mais uma garota que me surpreendeu. Afinal, desde o momento que eu te vi recusando o Justin e enfrentando-o na frente da galera inteira do colégio, eu vi que você não era igual ás outras. Inclusive, você foi a primeira amiga mulher que eu fiz que não tem interesse no meu status, dinheiro ou intenções de ficar comigo. – Ouvi a última parte fez doer meu coração. Eu teria que disfarçar mais para não ficar tão na cara que estava gostando dele já que ele só me enxergava como amiga, caso contrário, ele iria me achar igual ás outras.

– Ela me traiu com aquele imbecil, mas sei que foi pressionada por ele. Ela me ama! – Resmungou mais para si mesmo.

A forma que falava de sua ex me deixava com uma ponta de ciúmes.

– E você, não a ama? – Quis saber.

– Não como ela me ama! – Foi rápido. De fato, senti um alivio me invadir por completo. – Foi muito bom até o momento que durou. Não me arrependo de nada, porque sei que se não fosse assim, eu não teria aprendido a lição. Por isso, quero fazer as coisas certas dessa vez.

Isso já era o suficiente para mostrar o quanto ele tinha amadurecido em tão pouco tempo e como estava se tornando alguém melhor. Sorrir, pensando que não era tão ruim ser só sua amiga. Eu preferiria mil vezes ser sua parceira de corrida, de passeios e risadas enquanto nossa amizade estivesse o deixando feliz e longe de problemas.

No outro dia, Nicolas comemorou sua entrada no time Dangerous e me lembrou de ir vê-lo jogar no sábado. Depois de presenciá-lo tão entusiasmado, me sentir mais motivada a ir. A escola inteira estava comentando sobre esse jogo, claramente, esperando ver o circo pegar fogo na disputa entre Justin e seu antigo parceiro de festas. Não sabia se seria uma boa ideia está presente quando meu estado temperamental me fazia arranjar problemas de alguma forma. Já estava farta do Bieber e seu bando de seguidores de plantão.

O sinal tocou para o intervalo depois de longas horas de aulas e me sentei em uma mesa vaga junto com Siera, depois de pegar meu almoço. Nicolas, chegou logo depois nos cumprimentando e piscou para mim antes de se sentar. Sisi se aproximou do mesmo e aproveitou para fazer alguns questionamentos sobre o que Bieber gostava de comer, de fazer nas horas livres e entre outros.

Odiava vê-la se humilhando daquela forma  e, como se tivesse lido meus pensamentos, Nick alertou-a dizendo.

– Siera, não insista no Justin. Ele nunca vai dar oportunidades para você! – Foi direto e sem medir as palavras, tornando o clima mais tenso e deixando Siera sem jeito. Então, foi meu momento de me intrometer na conversa.

– Nicolas tem razão. Você viu a forma que ele te tratou e trata todas as garotas. Pare de insistir nesse caso perdido!

Ela assentiu cabisbaixa. E falando no próprio, ele surgiu de repente vindo na nossa direção e parou na frente de nossa mesa.

– Fiquei sabendo que entrou para o grupo Dangerous. Parabéns, você acaba de estragar com sua reputação andando com esse tipo de gente. Eu esperava bem mais de você, Nicolas! – Disse.

– E eu esperava exatamente isso de você, afinal, você sempre teve esse costume de se preocupar com coisas inúteis. Aliás, esse tipo de gente que você se refere, são pessoas legais e divertidas ao contrario de você!

– Eu já te pedi desculpas, mas vejo que prefere se tornar meu arco-inimigo.

– Uma pena que você pense isso de mim. Assim, você só prova que foi meu amigo esse tempo todo por interesse enquanto estive participando do seu grupinho e fazendo suas vontades. Mas agora que decidir sair, é como inimigo que você me ver. – Nick se levantou. – Nos vemos no próximo jogo e que vença o melhor! – Passou esbarrando no ombro do Bieber e eu o seguir junto com Siera deixando ambo sozinho.

 

                                                          >>>

 

Agradecia aos céus por está na última aula e faltando 15 minutos para acabar. Era a aula extra de natação e me sentia perdida já que não sabia nadar – o motivo principal que me fez optar por fazê-la. Estaria tudo bem se Kimberly e seu grupinho não tivesse escolhido a mesma aula que eu, ou seja, péssima ideia a minha.

Eu estava bem perto da borda da piscina para prevenir que algo de ruim acontece-se. Confesso que, era vergonhoso alguém da minha idade não saber nadar e ficar parecendo uma criança com medo de água, e para piorar, percebi que as garotas estavam comentando sobre mim por trás e sorrindo e só me deixava mais desconfortável. Então, pedi ao professor para ir ao banheiro na intenção de fazer hora.

Fiquei me olhando no espelho e lavei minhas mãos só para passar as horas e um grupo de garotas entrou gargalhando, mas quando me viram, ficaram serias e me encarando. Por mim, tudo estaria sob controle se não fosse as Drama Queens.

– Olha aí a garota que tem medo de água. – Kimberly disse fazendo suas amigas rirem com deboche. – Agora todo mundo vai ficar sabendo que você é um desastre ambulante. – Ela me mostrou seu celular com um vídeo em que apareço apoiada na borda da piscina com medo e enviou para seus contatos.

– Isso que você está fazendo não é engraçado! – Rebati e seu sorriso desapareceu.

– Ah, jura? Pois eu me divirto muito com isso. E pelo visto a escola inteira também, pois nunca vi um feedback tão rápido assim. – Ela mostra seu aparelho para suas aliadas que começam a gargalhar e em seguida guarda no bolso. – Esse, eu faço questão que você veja pessoalmente.

– O que eu sinto por você é nada mais que pena e nojo. Você pode está sorrindo agora, mas cuidado para isso não voltar contra você amanhã!

O sinal tocou e suspirei de alivio passando por elas de cabeça erguida enquanto faziam caretas. Me abaixei para pegar minhas coisas para ir embora, mas fui surpreendida quando me empurraram com força e caí dentro da piscina.

Avistei quando elas correram para fora da sala e me deixaram se debatendo sem conseguir encontrar o chão para pegar impulso para cima. Engoli muita água á medida que gritava de desespero e cada esforço parecia inútil já que ninguém aparecia. Perdi as forças de quantas vezes tentei sair dali. Então, vi minha vida toda passar diante dos meus olhos e apaguei.

                                                 

                                                            >>>

 

– Já pode ir embora, cara. Não está vendo que está tudo bem com ela? – Ouvi uma voz abafada e masculina dizer.

– Saí você. Eu que encharquei toda minha roupa para salvar a vida dela. Se não fosse por mim, Skylar teria morrido! – Eu conhecia muito bem essa segunda voz.

– Já entendi, mas ela não vai gostar de te ver aqui quando acordar e você não precisa fingir que se importa com o estado dela, então, estou apenas te fazendo um favor.

Pisquei várias vezes para me acostumar com a claridade do ambiente e abrir os olhos devagar com certa dificuldade, mas ainda assim, conseguir ver meio turvo que Nick segurava minha mão e alisava e, logo ao lado, estava Justin encostado na janela nos observando com cara de desdém.

– Onde estou? – Disse com a voz falhando e forcei para levantar, porém, Nick me impediu.

– Não se levante até a enfermeira chegar, Mackenzie.

– Deixa que eu a chamo! – Justin se ofereceu revirando os olhos. Logo percebi que estávamos na enfermaria da escola.

Não demorou para a enfermeira entrar junto com o próprio e me avaliar dos pés a cabeça, praticamente. Ela afirmou está tudo bem e disse que se não fosse pelo o Justin, eu teria morrido. O encarei e percebi que ele também.

Mais uma vez Justin tinha feito algo surpreendente e bom.

– Obrigado! – Agradeci, mas não obtive respostas. – Minha mãe não pode saber do que aconteceu hoje aqui! – Alertei sussurrando no ouvido de Nicolas.

– Ela não vai saber de nada, pode ficar tranquila. Agora você precisa me dizer o que aconteceu!

– Eu tropecei e cair. – Menti para não arranjar mais confusões. Percebi quando Justin riu pelo nariz.

– Que tropeção hein! – Resmungou para dentro, porém, foi possível de ouvir.

Dei de ombros e me levantei da cama com a ajuda do Nicolas e fui beber água no bebedouro perto da porta. Me virei e tropecei no meus próprios pés e Justin me segurou a tempo pelo o braço.

– Tem certeza que você está bem? – Ele questionou deixando nítido sua preocupação. Apesar de não entender sua presença ali, me sentia agradecida pelo o que ele fez.

Nicolas surgiu me segurando também na intenção de ajudar e quatro braços já era demais. Eles dois pareciam está em uma disputa que não fazia muito sentido, então me afastei deixando bem claro que eu estava me sentindo muito bem e poderia andar sozinha.

Peguei carona com Nicolas para casa e entrei pela porta revirando os olhos da piada péssima que o próprio me contou. Ao contrário, ele estava se rachando de rir da própria piada e tentando me explicar à lógica, mas seu sorriso não durou muito até presenciarmos minha mãe nos encarando com cara de enterro.

– O que houve? – Questionei preocupada.

– Nos conversaremos lá em cima.

Me entreolhei com o mesmo e acredito que ele entendeu meu recado já que balançou a cabeça. Me retirei seguindo o trajeto que minha mãe fazia até paramos no segundo andar dentro do meu quarto. Ela fechou a porta de chave e ergui a sobrancelhas já preocupada com tanto suspense.

– O senhor Lincoln nos demitiu. Vamos ter que ir embora daqui! – Não excitou em dizer.

Não, de novo não. Tudo, menos isso. Por quantos anos iríamos viver assim? Por quanto tempo eu teria que suportar?

Naquela cidade, eu tinha vivido muito mais do que em outra em menos de um mês. Sorrir, chorei, sofri e me surpreendi. E a última coisa que esperava acontecer – mesmo sabendo a possibilidade – seria passar por essa mudança tão cedo.

Minha reação foi abrir a porta do quarto e sair correndo atrás do Nicolas, mas não precisou procurá-lo. Ele apareceu no meio do caminho e me abraçou com necessidade.

– Eu não vou deixar você ir. Eu não posso deixar! – Ele disse em súplicas, supostamente já sabendo o que estava para acontecer. Meu rosto estava suado de tantas lágrimas que caíam do meus olhos. – Sky, olha pra mim. – Pediu calmamente enquanto segurava meu rosto. – Eu vou achar um jeito de você ficar.

– Não, não vai.

 – Confie em mim!

– Por que isso, Nick?

– Não é sua culpa. Estamos falindo!


Notas Finais


Estou in love com esse casal, porém, dividida. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...