1. Spirit Fanfics >
  2. Em Turbulência >
  3. Trancados no banheiro nanico;

História Em Turbulência - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Trancados no banheiro nanico;


【Capítulo Único】

 

A situação dentro do Aeroporto Internacional de Newark, era estável e normal, por assim dizer. Muitas pessoas de vários países, estados e continentes passavam por ali. E uma tripulação de alto nível do Japão, estava se preparando para o trabalho. Uma viagem de Nova Jérsei até Tóquio, capital do Japão.

E a lanchonete privada para a tripulações dos diversos aviões, estava cheia após a tripulação original do Japão, se estabilizar ali para um descanso antes de mais um vôo. 

Sasuke e Naruto, o comandante e o co-piloto, conversavam entre si enquanto tomavam em seus copos de isopor, café puro. E o resto da tripulação se encontrava por entre as mesas de redondas para quatro pessoas.

Sasuke, no entanto, enquanto ouvia as mil e umas baboseiras do parceiro e amigo, sua mente vagava nas lembranças com uma certa aeromoça de cabelos cor-de-rosa.

Não negava que sentia uma necessidade enorme de estar perto dela, mas negaria até o fim se alguém o perguntasse isso. Aliás, se ao menos desconfiasse de algo, o seu emprego e o dela também, estariam em risco e era por este grande motivo que apenas algumas olhadas eram trocadas entre eles, sendo elas muito bem escondidas, arrancando pequenos sorrisos de ambos.

Mas agora, ele não a olhava, e sim pensava nela. A vontade que tinha de pegá-la nos braços e viajar com ela para onde quiserem e sozinhos…. Ah era gigantesca.

— Ei Teme! O que tanto pensa? — pergunta Naruto, terminando com seu café. — Ai moça, pode me trazer mais um?

— Dobe, desse jeito vai ficar falido de tanto pedir café. — Sasuke revirou os olhos e se encostou na madeira de encosto da cadeira.

— Não são de graça? — espantado, o loiro encarou o Uchiha com certo pavor.

— Nada é de graça, só um pouco mais barato, só que….bom, já até perdi a conta de quantos cafés você tomou.

— Oh droga! 

Sasuke sorriu sem mostrar os dentes e deu batidinhas no ombro do parceiro.

— Quer saber? Café é bom e vai me ajudar a ficar acordado no vôo!

O moreno olhou para o relógio no pulso.

— Temos que ir Naruto.

— Ah ta ta ta! — ele balança a mão no ar. — Espera chegar meu último café e pagar, ‘eai nós vamos!

— Certo… 

Os olhos de Sasuke captaram o momento no qual todas as aeromoças se levantaram para ir no caixa. Mas ele olhava especificamente para ela, Sakura.

Sakura conversava com Ino e Tenten alegremente, mostrando vez ou outra seus dentes brancos e alinhados. O mais lindo sorriso, na opinião secreta do Uchiha.

Diferente do que ele imaginava, as meninas conversavam sobre problemas engraçados com os passageiros, e de fato tinham casos muito engraçados. Como por exemplo, o dia em que um velhinho causou uma confusão de números do assento e de pessoas, ele aparentemente tinha Alzheimer e não se lembrava de que sua família estava ali sentada no assento certo, e ele teimava dizendo que eram pessoas estranha querendo pegar seu assento. Ele fez um escândalo.

— Dez reais. Nota ou cartão?

— Nota. — diz Sakura estendendo a nota de dez reais. 

— Tudo certo minha jovem, tenha uma boa viagem e trabalho!

A rosada sorriu e acenou em agradecimento, saindo da lanchonete ao lado de sua equipe. Sasuke e Naruto vinham logo atrás.

— O Sui está mais quieto hoje, não?

— Hum?

— Olha Sasuke, o Sui! Ele está...pra baixo demais. 

— Deve estar mesmo, ele não quis dizer antes mas acho que o relacionamento dele com a Karin está por um fio.

— Você acha? 

— Tenho quase certeza. — Sasuke deu de ombros, olhando para o colega cabisbaixo um pouco mais atrás de todos, e Naruto fez o mesmo, olhando-o com certa pena. 

.

.

.

Se tinha algo que Sasuke não gostava em seu trabalho, era os procedimentos de entrada no avião, e das vezes que tinha de cumprimentar os passageiros com um sorriso - falso - no rosto. Realmente, ele não servia para ser carismático e sim cordial e respeitoso com aqueles que lhe confiavam suas vidas para voar em um avião tão grande quanto aquele, em suas mãos.

Ele suspirou de alívio, sentindo um conforto interno que era entrar dentro do avião. Só de pisar na aeronave, um arrepio de ansiedade lhe tomava.

Desde de garotinho, esse era seu sonho. Comandar aqueles milhares de botões e ser o cara chefe.

— Comandante, está bem? 

A voz dela o tirou de seus devaneios. Sasuke olha para o lado, na direção do som da voz da mulher que pode chutar de olhos fechados e dizer estar amando-a. E ali estava ela, com um sorriso cínico no rosto. Suas orbes esverdeadas transmitiam diversão ao invés de preocupação como de acordo com a frase dita, ela deveria ter.

Coisa rosa petulante!

— Tsc. Estou bem, Sa-ku-ra. — ele fez questão de falar seu nome lentamente, soltando um sorrisinho de canto no final, arrancando um suspiro - nada - discreto dela.

— Hum, que bom, fico mais tranquila. Afinal, nossas vidas estão nas suas mãos, comandante. — Sakura passou a mão no ombro do Uchiha, como se estivesse limpando poeira dali. — Bom...nas suas e de Naruto.

Sasuke, como um bom “soldado”, lutou contra a vontade gritante de encurrala-la na parede do avião e apenas estalou a língua no céu da boca e balançou a cabeça em afirmativa.

— Pode ficar tranquila, sei muito bem o meu lugar na tripulação, quanto mais pilotar um avião. E você, aeromoça?

O resultado de sua provocação veio certeiro. Sakura bufou irritada e bateu o pé com o salto grosso do seu uniforme, saindo de perto dele sem falar mais nada.

Os passageiros continuaram a entrar no avião, um a um, alheios ao que se passara entre o comandante e a aeromoça.

.

.

.

— Sejam bem vindos à bordo. Observe o número de seu assento no cartão de embarque. Por medidas de segurança, acomodem as bagagens de mão nos compartimentos acima de seus assentos e as que não couberem abaixo da poltrona a sua frente. — Sasuke dá uma pequena pausa para continuar a falar, mas agora em inglês, como deve ser o procedimento. — Welcome aboard. Please observe your seat number in your boarding pass. For safety reasons, put your hand luggage in the compartment above or seat or under the seat in front of you.

Enquanto o comandante dava as informações necessárias de toda tripulação antes do vôo - e depois também -, os passageiros iam se acomodando em seus lugares, guardando suas bagagens e sendo vigiados pelas aeromoças e o co-piloto reserva, Suigetsu.  

— O comandante e sua tripulação, apresentam-lhes as boas vindas a bordo do A350. Daremos a seguir algumas informações sobre a nossa viagem. O tempo de vôo até Tóquio está estimado em 14 horas e 15 minutos, sem escalas. The commander and his crew, welcome you aboard the A350. Below we will give you some information about our trip. The flight time to Tokyo is estimated at 14 hours and 15 minutes, nonstop.

Quando tudo de importante foi dito e sinalizado pelas aeromoças, Sasuke e Naruto já tinham decolado. O silêncio reinava entre os dois, que encontravam-se concentrados demais para bater papo fora. Teria uma hora melhor para isto, quando fosse um lugar estável para o avião e sem problemas. 

Diferente deles, Suigetsu e as mulheres, andavam pelo avião todo, verificando os passageiros e se as portas de emergência estavam devidamente livres e abertas para um caso extremo, as portas das bagagens bem fechadas para não correr o risco de serem abertas e os objetos caírem nas pessoas. 

Quando dera duas horas de viagem, iniciou-se o procedimento do primeiro lanche. As aeromoças arrumavam os quatro carrinhos com os lanches e as diversas bebidas à disposição e em duplas, saíram com os carrinhos nos dois corredores. Sakura e Ino foram juntas, perguntando de um em um o que queriam, e os servindo.

— Café, chá gelado, suco natural ,refrigerante ou água?

— Chá gelado, por favor.

Ino entregou o chá para uma moça de um lado e do outro, Sakura fazia a mesma coisa, porém na hora de perguntar o que o homem ruivo do assento do corredor, algo inesperado acontece.

— O que vai querer para beber, senhor?

— Nada.

— Ok. De comida temos duas opções, a…

— Se uma dessas opções, você estiver no cardápio…. essa será a opção que irei escolher.

Sakura engoliu em seco, sentindo o constrangimento bater na porta.

— Senhor, lamento mas...hum, temos pão, manteiga e cream cheese, ou….

— Me chame de Sasori, gatinha.

Ela não sabia o que responder com educação diante de tal situação. Sakura se sentia muito ruim com aquele olhar do tal Sasori e a situação piorou quando ele agarrou seu pulso.

Enquanto isso, na cabine de comando, Sasuke estava ficando irritado por pensar tanto na Haruno. Ele precisava de concentração ao extremo e isso é muito difícil de se conseguir quando se tem ela em mente.

— Mais que…

O barulho da porta ao ser aberta chama a atenção dos dois pilotos e impede de Sasuke soltar um palavrão daqueles.

— Desculpa ai, mas temos um problema. 

Sasuke trinca os dentes e firma as mãos no manche do avião.

— Qual é o problema, Sui? — pergunta Naruto, claramente mais calmo que o capitão.

— Digamos que...hum, assédio talvez?

— Hein? — Sasuke franziu o cenho, contendo-se para não virar para trás, e prestando atenção no céu aberto.

— Caramba! Eu to dizendo, tem um cara esquisitão flertando na cara de pau com a Sakura e…

— Suigetsu, fica no meu lugar.

— O quê?

— Droga cara, você me ouviu, só vem! 

Rapidamente, Suigetsu ficou no lugar de Sasuke, este que saiu da cabine de controle com fúria nos olhos e bufando de raiva. Como capitão, é seu dever vigiar e cuidar de todas as pessoas presentes ali, contudo, quando coisas desse tipo acontecem, a chapa esquenta. E agora ela está mais quente ainda, por se tratar logo com Sakura.

E ele pôde ver certo tumulto - algo que ele repelia - no corredor direito, onde foi visível o cabelo rosa no meio. 

Chegando mais perto, ele ouviu Ino dizer algo à alguém em tom de fúria e seguindo o olhar para o dedo do qual a loira apontava para o tal sujeito, uma cabeleira ruiva se fez presente em sua visão.

“Então esse é o cara…” Pensou com um gosto amargo tingindo sua boca, garganta e por fim, estômago. E isso só piorou ao ouvir: “ ‘Qual é, só estou dizendo que comer-te é a melhor opção no momento, já que os lanches de avião sempre são ruins..”. AH! Mas esse cara ‘tá pedindo ‘pra morrer!

— Hum, algum problema por aqui? 

Só pela voz grossa e rouca do Uchiha, as aeromoças ficaram tensas assim como outros passageiros que por ali estavam e percebiam o poder que ele exalava só com sua presença. Era o capitão, afinal.

— Sakura? — Sasuke a olhou da cabeça aos pés, percebendo o quão incomodada estava, de pernas cruzadas e uma das mãos apertando com força o carrinho. Isso era um mal sinal. Sakura é a mulher mais doce, amável e gentil que já conheceu, todavia, é uma onça e muito forte quando está brava.

— Não há nada de errado… — ouviu o murmúrio dela e ele teve vontade chacoalhá-la para abrir a boca e dizer o que aquele cabelo de fósforo tinha dito antes dele chegar.

— É capitão, sua…

— Escute, vou ser bem breve e claro: Não tolero esse tipo de gente no meu avião e se for preciso, te jogo por aquela porta de emergência com apenas a mochila de paraquedas e sem as suas bagagens. Seja homem o suficiente para respeitá-la. Ou por acaso, não é um? — Sasuke franziu o cenho sorrindo de canto. — Venha Sakura. — tocou no ombro da Haruno como um convite para que o seguisse e assim ela o fez, ambos sendo seguidos por olhos de curiosos passageiros.

Os dois foram parar na área se banheiro, o que despertou a curiosidade e confusão em Sakura.

— Capitão, o que…

— Não tem outro lugar melhor para nós conversarmos sem que mais urubus venham ‘pra cima de você. — sem encará-la, ele destrava o banheiro com plaquinha verde para entrada e entra com ela junto. Tranca a porta antes de virar-de de frente para Sakura, podendo assim sentir o quão apertado é o banheiro do avião, e o pior é que ele é bem alto. — Tsc. Deveriam fazer um banheiro maior…

— Você é um piloto e capitão, tem mais voz com os superiores, que toda a tripulação daqui. — ver ela com um sorriso de canto era mais que encantador. — Aliás, o Sui está no seu lugar agora? — ele apenas assentiu. — Ótimo, vamos todos morrer.

— Não é ‘pra tanto assim, ele está com Naruto.

— Obrigada por jogar na minha cara que vamos morrer. — os dois riram. — Sasuke...Obrigada.

— Hum, por nada. 

— Normalmente, no currículo não vem esse tipo de informação no tópico de problemas. — ela cruzou os braços por debaixo da altura dos seios, acabando por elevá-los e apertá-los no uniforme colado, chamando a atenção mesmo sem querer, de Sasuke.

Seu pomo-de-adão subiu e desceu, sentindo a temperatura do lugar apertado esquentar com a mistura de suas respirações e foi impossível não olhar para a boca entreaberta e repuxada de lado.

Estavam sozinhos, ele guarda há muito tempo o sentimento por ela, e ali quase grudados um no outro após uma confusão na qual ele teve de se segurar para não bater no passageiro, Sasuke se vê no último estado de limite seu.

Sendo assim, seu desejo e coração falaram mais alto que a razão.

Sasuke pegou-a de surpresa ao dar um passo para frente, ficando praticamente colado com ela e sem deixando-a ter saída pelo lugar fechado e minúsculo a não ser fosse sentar na privada, e ele a beijou de modo sedento por ela, sem deixá-la escolher um não ao beijo.

E com o coração batendo freneticamente, Sasuke abriu as orbes ônix, arregalou-as no instante em que percebeu ser correspondido e ter sua roupa agarrada e puxada pela Haruno, espremendo-os um no outro.

Sasuke envolveu o pescoço de pele leitosa da aeromoça e ficou sua mão na nuca dela, esfregando com carinho os pequenos fios róseos que ali havia e que estavam crescendo. E Sakura como resposta, soltou um gemido apesar de não ter separado sua boca da dele - e nem queria.

Com o outro braço, ele pegou na coxa da perna dela e a impulsionou para cima. Sakura logo entendeu o desejo dele e envolveu a cintura do maior com as pernas, dando um choque nos dois por suas intimidades cobertas porém em contato uma na outra. Foi quando o ar implorou para ser renovado e mesmo que o dois desejasse nunca mais se soltar, tiveram que se separar. 

Ofegantes, seus olhos se encontraram um no outro e se perderam na imensidão de palavras não ditas e sentimentos não falados. 

E Sakura foi a primeira a quebrar o silêncio.

— C-Capitão….se demorarmos mais, vão humm… — Sakura arranhou o próprio lábio pelo toque inesperado da boca de Sasuke em seu pescoço, tendo seu lenço de aeromoça no chão, e naquela região, passar a distribuir beijos e mordidinhas. — V-Vão desconfiar…

— Que se danem. — Sasuke primeiro beijou e depois mordeu o mesmo local, arrancando um gemido de Sakura. A sentou na minúscula pia do banheiro e sentiu ela passar os braços por cima de seus ombros, abraçando seu pescoço. — Sabe… você é a aeromoça mais linda que eu já vi.

Sakura riu e Sasuke pôde apreciar o tom rosa delicado que apareceu no par das maçãs do rosto da Haruno.

— E eu acho você…

— Abram essa merda! — um certo alguém demoniado socou a porta, assustando os dois e antes que Sakura desse um grito, Sasuke tapou a boca dela.

— Shi… — sussurrou.

— Vou chamar alguém ‘pra abrir!

Silêncio. Os dois respiram fundo, aliviados.

— Onde paramos?

— Sasuke eu acho melhor nós…

— Sakura, você acha que eu manuseio bem o avião?

— Humpf, mas é claro. Se não soubesse manusear tão bem, não seria digno de ser o capitão da tripulação. 

— Então me deixa manusear toda sua pele coberta por esse uniforme ridiculamente apertado e que me deixa louco! — isso trouxe um sorriso de orelha a orelha vindo dela.

— À seu dispor e comando, capitão. — piscou para ele e o beijou novamente de supetão.

Algo neles esquentou e cresceu, cresceu o desejo um pelo o outro e de certo, não haveria nada que os parasse agora.

Exceto por…

Sasuke e Sakura acabam por sentir forte demais o desequilíbrio e assim, despencaram do outro lado da parede do banheiro, com ela caindo em cima dele.

E nenhum deles precisava ser gênio o bastante para saber do que se tratava este desequilíbrio.

— Turbulência. — disseram em uníssono.

— Eu vou matar o Sui e o Naruto!

 

“Só se conhece o valor de uma pessoa, quando passamos por certas turbulências em nossas vidas, e o quanto ela esteve ao nosso lado nessas horas.” — Mara Regina Caprio

 


Notas Finais


Primeiramente, quero colocar dedicatória às meninas @EsposaDoShor_r5 por ser a THE BEST aeromoça que já vi , à @Luiza77 pela capa MARAVILHOSAMENTE LINDA e à @Explosivegirl- por ter me ajudado com o nome do plot e ainda por cima, foi pelo nome que criei tais acontecimentos na one
OBRIGADA MENINAS! AMO VOCÊS!
-leiam as fanfics delas, prometo que não vão se arrepender!-
Segundamente, quero agradecer desde já à todos os meus leitores que tem uma paciência de anjos por me seguirem e esperarem as att por meses HAHAHAHA i promise que depois de um avalanche de ones e novos plots, as att viram em um mutirão também!
Espero que tenham gostado deste plot
Vejo vocês nas próximas novidades!
Kisses da Uchiha <3

INFORMAÇÕES importantinhas :0
Para este plot de história li artigos, blogs e vi vídeos no YouTube, e vou colocar o link de alguns deles, os quais me ajudaram melhor, só para dizer de onde surgiram essas frases e dou o total direito autoral das falas dos tripulantes de avião.
*manche*= volante do avião

Link do site das falas:
https://www.google.com.br/amp/s/muitaviagem.com.br/speech-do-comissario-de-bordo/%3famp
Link do vídeo:
https://youtu.be/p2FzNV31rDM
Link do site para a rota traçada:
https://www.adistanciaentre.com/us/distancia-entre-nova-jersey-e-toquio-japao/DistanciaHistoria/1781322.aspx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...