1. Spirit Fanfics >
  2. Em um clic - JinKook KookJin >
  3. Se permitir, o resto a vida faz.

História Em um clic - JinKook KookJin - Capítulo 6


Escrita por: e suhk


Notas do Autor


Olá pessoas lindas e maravilhosas. Obrigada por todo o carinho.

DESCULPEM OS ERROS.
BOA LEITURA.

Capítulo 6 - Se permitir, o resto a vida faz.


Seokjin não conseguia esconder o sorriso do rosto, embora ele estivessem fazendo um enorme esforço para conte-lo. A imagem de Jungkook parado na calçada, o fazia sorrir como um bobo, primeiro, porque ele não estava conseguindo acreditar que realmente aquele garoto estava guardando seu dinheiro esse tempo todo, segundo porque Jungkook era extremamente educado ele percebeu isso no almoço e terceiro e não menos importante, tinha aqueles olhos enormes e brilhantes e isso era um mistério para Seokjin: como uma pessoa podia guardar a galáxia inteira dentro dos olhos?

Quando ele chegou ao restaurante, respirou fundo, espantando as doces lembranças recentes, se encarou no espelho retrovisor, sua testa ainda amostra, ele riu ao lembrar de Taehyung e de como ele precisava estar bonito, então ele arrumou melhor os cabelos e desceu do carro, com passos lentos ele caminhou até a entrada do restaurante, avistando Bogum, na entrada da cozinha ao lado do metrê, aparentemente lhe dando orientações, então discretamente, Seokjin passou pelas mesas, cumprimentando educadamente alguns clientes, até chegar onde Bogum estava.

- Estava em um encontro senhor Kim? Bogum brincou, com um enorme sorriso no rosto.

- Eu? Porque ? Seokjin perguntou confuso, mas curvando-se educadamente para o metrê, que elegantemente se afastou.

- Que eu saiba a incrível testa Kim, é para... Momentos especiais.

- Aigoo, eu não estava em um encontro. Jin falou um pouco alto.

- Mantenha a compostura. Bogum disse baixo, sorrindo discretamente para quem quer que estivesse olhado para eles, gentilmente direcionou Seokjin para o escritório e então respirou fundo de alívio. – Minhas costas doem. Ele se jogou na cadeira, fazendo Seokjin rir. – Você ri porque não é você.

- Quer trocar as profissões? Seokjin sugeriu brincalhão.

- Nunca, Deus me livre. Bogum se arrumou, pegou alguns papéis na gaveta.

- O que é isso? Seokjin perguntou curioso.

- Você veio me ver? Que fofo, mas precisamos trabalhar, afinal nosso restaurante é responsável pelo coquetel do concurso. Bogum o lembrou.

- Sim... eu sei... já conversamos com a equipe e decidimos muitas coisas, como locações e as etapas, mas falta o coquetel e eu confio plenamente no seu bom gosto. Seokjin sorriu.

- Muito obrigada, mas eu realmente preciso de sua incrível e adorável opinião em tudo, sócio...

- Sócio... Seokjin piscou.

- Então... Preciso saber, onde o coquetel ficará, lista de comidas proibidas caso houver alguém com alergia, sabe... Sócio... Coisas assim... Bogum disse em tom debochado.

- Certo, eu vou lhe passar tudo e também seu irmãozinho Park Jimin, tem exigências especiais, ele terá um camarim única e exclusivamente para ele na abertura, então preciso de um garçom exclusivo para ele. Seokjin avisou, vendo a expressão incrédula do amigo.

- Temos ótimos garçons, mas... Ele bufou. – Quem estará a altura de Park Jimin?

- O Oceanic bistrô, está a altura até mesmo do presidente! Jin enfatizou convicto.

- Ah meu Deus, por favor... eu já aturo o Jimin sendo um narcisista, não preciso que você seja assim também.

- Eu não sou narcisista, eu sou lindo, perfeito, maravilho e ... Seokjin parou ao ver o tédio na expressão do amigo. - Estou brincando. Jin ergueu as mãos em rendição.

- Ok, chega de conversa fiada, preciso das suas anotações... cadê sua agenda, caderno, papéis...?

- Papéis? Eu te enviei tudo por e-mail, sabe... eu não quero destruir uma árvore só porque Park Bogum nunca abre seu e-mail. Jin brincou.

- Eu ainda preciso ouvir isso, eu deveria... Bogum respirou fundo, encarando a tela do computador enquanto abria seu e-mail. – Jimin está estressado ultimamente... Eu preciso de um garçom com o cúmulo da paciência...

- Esquece seu irmão por enquanto, abra seu e-mail e ....

- E ele exigiu tudo isso? Park virou a tela do computador.

- Sim, mas não esqueça que apesar dos patrocinadores não terem feito nenhuma exigência, precisamos corresponder todas as expectativas, aliás, superar as expectativas, inclusive do seu irmãozinho, que pra vir aqui comer de graça ele serve, mas pra evitar que nossos nomes apareçam na revista de fofoca não... Seokjin respirou fundo, lembrar de todas as vezes em que foi motivo de fofoca na revista de Jimin o irritava.

- Esquece o Jimin, você só me enviou anotações, eu preciso de uma planta do local, eu preciso ensaiar os garçons por onde saírem e entrarem, eles não podem correr o risco de esbarrarem um no outro ou oferecer bebidas ao mesmo tempo e constrangerem os convidados.... Bogum parou observando as anotações na tela do computador.

- O que foi? Seokjin encarou a tela tentando ver se havia algum erro.

- Jimin, Hoseok, Jéssica Jung e Lee Minho serão jurados e os convidados podem levar acompanhantes? Bogum perguntou num fio de voz.

- O que tem de errado nisso?

- Eu pensei que seria algo pra lançamento, porém mais íntimo sabe...

- Não, será algo extremamente elegante e os convidados com traje a rigor, não é a toa que contrataram o Oceanic bistrô! Seokjin falava calmo.

- Ótimo, precisaremos de mais garçons do que eu tinha previsto... Bogum disse pensativo.

- Ah e quanto o local, será no salão de eventos da Hope e bom, você já conhece, acho que facilita. Jin piscou.

- Pelo menos isso e pare de piscar pra mim. Bogum sorriu. – Por que você parece tão feliz?

- Eu? Nada de especial, gosto de trabalhar com você.

- Sei. Bogum balançou a cabeça em negativo.

A tarde foi de trabalho, Seokjin explicando em detalhes como seria a organização do coquetel que daria abertura a um concurso desenvolvido pelos patrocinadores e do qual a agência de Hoseok era organizadora.

- Senhores ? O metrê bateu na porta.

- Entre. Seokjin disse no automático, sem tirar os olhos da tela, onde Bogum lhe mostrava onde ficariam as mesas, as possíveis entradas e saídas de garçons.

- Aconteceu alguma coisa senhor Chan? Bogum se preocupou.

- É que já está na hora da troca de turno de alguns garçons e da recepcionista e o senhor sempre gosta de verificar os uniformes e dar orientações. O metrê avisou, fazendo Seokjin sorrir.

- Porque está sorrindo?

- Pensei que você não fazia mais isso.

- Eu sempre faço, você tem um excelente sócio, certo Senhor Chan? Bogum brincou.

- O melhor. O homem disse gentilmente curvando-se e saindo do escritório.

- Acho que já adiantamos boa parte. Bogum disse se levantando.

- Certo... Estou sendo expulso ou é impressão minha? Jin brincou.

- Impressão sua querido amigo. Bogum debochou seguindo até a porta, a abrindo e encenando com a mão para Jin sair.

- Entendi... Jin ameaçou socar o amigo. – Eu voltarei. Jin brincou, fazendo Bogum rir.

No caminho de volta para casa, o pensamento de mais cedo retornou, a figura de Jeon parado na calçada.

Seokjin acreditava no destino, nos cosmos, no horóscopo e se não fosse coisa do destino ele reencontrar Jeon, então ele não sabia o que era.

Ao chegar em casa, assobiando feliz, ele estranhou Taehyung estar lá e na cozinha, fazendo o jantar.

- Brigou com o Hobi? Ele perguntou curioso, vendo Taehyung cozinhar alguma coisa.

- Não, ele precisou levar o irmão e Yoongi precisou sair...

- Ah... Eu me tornei sua última opção. Jin brincou.

- Cala a boca, só senta aí, você parece muito feliz. Taehyung falou sorrindo.

- Ah... Consegui resolver tudo com Bogum. Jin falou simples e Taehyung apenas assentiu.

Não demorou e ambos estavam sentados à mesa comendo Lamem.

- Se eu soubesse tinha jantado no restaurante. Jin resmungou.

- Foi bom você vir, me diz o que você achou do Jungkook, ele pode ou não ser meu amigo? Taehyung perguntou como se não fosse nada, enfiando uma quantidade enorme de Lamem na boca, enquanto encarava Seokjin, esperando por uma resposta.

- Ah... ele é uma boa pessoa... quero dizer... Ele parece ser... mas, ele parece não gostar de conversar muito. Jin falou pensativo. – E porque ele trouxe os irmãos... os pais estão viajando ou...

- Morreram... Taehyung o interrompeu.

- O que? Então... Quem cuida deles..., Como...

- Jungkook cuida dos irmãos Hyung, são apenas os três. Taehyung respirou fundo, soltou os hashis sobre a mesa.

- Como ele paga a mesma faculdade que você? Não estou... Quero dizer... Ele vende flores...

- Calma. Taehyung sorriu ao ver o desespero do irmão. – Ele consegue conciliar tudo.

- Isso é bom. Jin disse pensativo.

- Ele te devolveu o troco?

- O troco... Jin sorriu. – Então... Ele pigarreou. – Não...

- Porque não? O mais novo perguntou surpreso. – Porque suas orelhas estão vermelhas? Hyung?

- Aigoo, eu.. só... Mas me diz, você realmente o conheceu na faculdade?

- Sim. Taehyung o encarou com tédio.

- E quem cuida dos irmãos quando ele está trabalhando e na faculdade?

- A vizinha e a filha dela. Taehyung olhava desconfiado para o irmão, embora ele fosse protetor, não costumava fazer tantas perguntas íntimas.

- A filha... Jin se engoliu.

- No horário da faculdade...

- Então... eles... Ficam sozinhos com duas crianças....?

- E pelo que eu sei quando ele chega, as crianças já estão dormindo. Taehyung provocou sorrindo vendo os olhos do irmão aumentar de tamanho.

- É bom que ele tenha uma namorada... Assim ele não...

- Aish! Taehyung gritou. – Ela tem quinze anos, não é namorada dele, mas porque você está tão interessado?

- E-eu não estou interessado...só quero saber com quem você anda, você mesmo me disse que era para eu não ser um policial com ele, então estou sendo com você. Jin falou rápido.

- Sei. Taehyung balançou a cabeça em negativo, enquanto sorria, mas ele ainda estava curioso para saber porque Jungkook não devolveu o troco e ele sabia que o irmão não lhe contaria.

- Os irmãos dele disseram que eu sou bonito... Jin falou sorrindo. – A pessoa mais bonita que eles já viram.

- Considerando a idade deles... Taehyung brincou.

O jantar seguiu com provocações, mas Taehyung conseguiu perceber que seu irmão, estava interessado demais em falar sobre Jungkook.

No dia seguinte, Jungkook e os irmãos foram convidados para almoçar com a senhora Hideko e os irmãos estavam eufóricos, eles amavam quando almoçavam lá nos finais de semana, porque eram mimados pela mulher.

- Jungkook quem é esse homem que as crianças tanto falam? Aliás essas pessoas? A senhora Hideko perguntou curiosa, enquanto mexia nas panelas e Jeon estava sentado a mesa.

- Taehyung é meu colega na faculdade, ele me apresentou ao noivo dele, à um amigo e também ao irmão. Jeon respondeu simples.

- Ele gosta mesmo da sua amizade.

- Parece que sim. Jeon coçou a nuca pensativo.

- Humm... Você me parece mais alegre hoje, não está com a cara cansada de sempre.

- Eu me sinto mais feliz hoje, sabe... Mais leve, acho que foi bom ter feito algo diferente com os meninos.

- Só isso? Ela sorriu.

- Sim. Ele sorriu envergonhado, desviando o olhar para onde as crianças estavam sentadas, brincando com algum jogo antigo ao lado de Anya. – Eu gosto de saber que eles estão felizes.

- Jungkook... A mulher sentou-se a mesa e segurou as mãos de Jungkook delicadamente. – Eu sei que precisa se preocupar com eles, mas não pode esquecer de você.

- Enquanto eles estiverem bem, eu também estarei. Ele se engoliu.

- Eu sei disso, mas você não pode se fechar... Sabe...você precisa abrir seu coração para novas oportunidades... Hideko falava com a voz doce e calma de sempre. – Esse rapaz bonito de quem as crianças tanto falam... Parece ser uma boa pessoa.

- Ele é lindo. Soobin apareceu do nada, se debruçando sobre a mesa. – Ele tem a boca gordinha... E a pele lisinha... Ele é alto e os cabelos... parece aqueles modelos da tv. Ele falava fazendo a senhora Hideko sorrir e Jeon ficar vermelho. – Vozinha quando eu crescer eu quero ser bonito que nem ele... Aaah todos eles são bonitos e a senhora tinha que ver o apartamento... O Hyung falou do carro? Acho que eles são ricos.

- Ricos? A mulher franziu o cenho.

- Eles são. Jeon se engoliu.

- Soobin você pode nos deixar um pouquinho a sós? Ela pediu gentilmente e Soobin assentiu.

- Algum problema? Jungkook perguntou curioso.

- Você gostou dele? Sabe desse rapaz que o Soobin falou.?

- Ah... Sim, ele é irmão do Taehyung, eles são pessoas ótimas e eu acho que ele tem um namorado... Jungkook se engoliu.

- Jungkook... A mulher respirou fundo. – Eu sei que não vai me dizer se gosta ou não e eu sou só uma velha... mas quer um conselho? Você é um rapaz esforçado, dedicado, forte e bonito, tem um coração de ouro, então não importa se eles são ricos ou não, você não é menos do que eles.

- E-eu...

- Se eles são boas pessoas como você diz e se você tiver a chance de se permitir a algo novo, faça isso... Não se coloque em lugar inferior e nem se preocupe no que as pessoas vão pensar, mesmo que não seja com esse rapaz... Você disse que acha que ele tem namorado, mas independente disso, se permita conhecer pessoas novas hum?!

- Obrigado. Jungkook assentiu pensativo.

Durante o almoço, as crianças não paravam de falar, falaram sobre Taehyung, sobre os jogos em realidade virtual, sobre a casa, a comida, sobre a beleza de Seokjin, de como Hoseok tinha um sorriso brilhante e de como Yoongi era engraçado.

- Vovó, um dia eu vou ter um carro grande igual ao do amigo do Jungkook. Jihoon falou.

- Tenho certeza que vai. A mulher sorriu, já fazia muito tempo que ela não via aqueles olhos brilharem tanto. Ela acompanhou de perto o drama de Jungkook, em como ele parecia perdido do início e como ela pensou que ele não aguentaria a pressão de cuidar de duas crianças, mas ele sempre se mostrou forte, mesmo quando aparecia com os olhos inchados de tanto chorar, ou quando ele aparecia no meio da noite pedindo ajuda quando uma das crianças ficava com febre.

Ela viu Jungkook chegar exausto do trabalho e mesmo assim tentar sorrir para os irmão, ou levá-los para tomar sorvete, mesmo quando as moedas eram contadas e ela estava feliz em ver o brilho naqueles três pares de olhos grandes.

A tarde Jungkook ficou em casa, adiantando alguns trabalhos da faculdade, mas ele deixou os irmãos na casa da senhora Hideko, já que elas estavam entretidas jogando e conversando.

- Taehyung? Jungkook disse assim que atendeu o celular sem ver quem estava ligando, mas ouviu a voz do amigo.

- Sim, eu quero saber se você e as crianças querem passear comigo e com o Hobi, no parque? Taehyung perguntou ansioso, ele queria saber o que Jeon tinha achado do almoço e principalmente sobre seu irmão.

- Ah... eu adoraria, mas estou adiantando alguns trabalhos, você sabe que é complicado durante a semana. Jeon respondeu sem jeito.

- Tudo bem, eu entendo... Nos vemos amanhã. Taehyung falou um pouco triste, ele realmente estava ansioso.

- Até amanhã. Jungkook desligou, encarou pensativo os trabalhos, ele realmente precisava adiantar tudo.

- Ele não vem? Hoseok perguntou a Taehyung.

- Não, ele está adiantando alguns trabalhos... O Kim respirou fundo.

- Então... Hoseok sorriu. – Vamos ao Parque, tomamos sorvete juntos e depois jantamos no Oceanic, o que acha?

- Eu acho que você é um noivo perfeito. Taehyung sorriu.

O casal seguiu para o parque, se divertirem juntos, a única dificuldade era não ter nenhum um tipo de carinho em público, mas os sorrisos e olhares compartilhados pareciam ser o suficiente.

A noite eles seguiram para o Oceanic Bistrô, sendo recepcionados por Bogum.

- Há quanto tempo não vejo meus clientes preferidos? Bogum brincou.

- Estávamos um pouco ocupados. Hoseok disse, mexendo as sobrancelhas sugestivamente.

- Me poupe dos detalhes. Ele sorriu, direcionando o casal a uma mesa especial, a mesma de sempre, em um espaço mais reservado.

- O mesmo de sempre. Taehyung tombou a cabeça para o lado de maneira manhosa. – E aquele vinho especial.

- Anotado. Bogum sorriu. – Hã.... Ele estava saindo quando retornou de repente. – Jin Hyung estava em um encontro ontem? Ele perguntou curioso.

- Encontro? Taehyung disse pensativo. – Ah não, ele almoçou com a gente... Mas porque a pergunta?

- Ele estava alegre demais. Bogum disse sorrindo. – Vou trazer os pedidos. Bogum se retirou.

- Será que aconteceu alguma coisa entre o Jungkook e o Jin Hyung? Taehyung disse pensativo.

- Por que você acha isso?

- Jin Hyung disse que o Jungkook não devolveu o troco e depois desviou o assunto.

- Se aconteceu, logo saberemos... Agora vamos falar de nós? Hoseok respirou fundo, colocou a mão aberta sobre a mesa para Taehyung segurar.

- Nós... Taehyung apertou carinhosamente a mão alheia.

- Quando vamos nos casar? Sinto que estou sendo enrolado. O Jung brincou.

- Eu quero terminar a faculdade primeiro e você sabe que meu pai quer que eu assuma a empresa, então, espera só mais um pouquinho. Hum?!

- Você está bem com isso Tae? Sabe... Ter que assumir a empresa, você está se formando em arquitetura e não administração. Hoseok perguntou preocupado.

- Vai ser difícil no começo, mas eu já estou familiarizado com tudo, papai me ensina sempre e tenho certeza que ele estará sempre disposto a me ajudar.

- Você não fica bravo com o Jin?

- Talvez no início... quando eu percebi que a responsabilidade da empresa seria minha... mas eu aceitei... Eu poderia ter feito como Jin e seguido outra carreira, mas eu quis ser arquiteto e agora me sinto empolgado em assumir a empresa. Taehyung sorriu e deu espaço para o garçom colocar o vinho e as taças sobre a mesa.

- Nós mesmo servimos. Obrigado. Hoseok disse simpático. – Moramos no mesmo prédio, que diferença faz você morar comigo ou com Jin Hyung? Hoseok resmungou manhoso.

- Hyung... eu só não quero que tudo perca a magia depois... acho que eu gosto de pensar que estaremos casados e passar pelo nervosismo e a ansiedade... Taehyung sorriu. – Estou ficando com as manias do Jin.

- Eu só quero acordar ao seu lado todos os dias, prepararmos juntos o café da manhã e saber que quando eu voltar pra casa, eu vou encontrar você lá... Hoseok suspirou. – E vamos dormir abraçados no sofá, porque estamos cansados.

- Eu pensei que você diria outra coisa. Taehyung piscou.

- Eu amo muito você sabia? Hoseok sorriu, seus olhos brilhando em direção a Taehyung. – E eu vou amar fazer amor com você todos os dias. Ou quase todos os dias.

- Hobi... Taehyung se engoliu. – Eu também te amo, muito, muito, me espera só mais um pouquinho. Hum?

- O tempo que você precisar. Hoseok beijou a mão do mais novo.

E o jantar foi com palavras de carinho, de cuidado, de compreensão, depois ambos se despediram de Bogum e quando saíram os flash de paparazzi os incomodaram, eles tentaram serem simpáticos sorrindo até chegarem ao carro.

- Jimin não cansa? Hoseok resmungou.

- Dois gays na capa da revista, quer mais Ibope que isso, só se nos beijassemos. Taehyung sorriu.

- Eu acho que quero beijar você agora.

- Hobi?

- O vidro é fumê! Ele piscou e se inclinou em direção ao mais novo, tocou seu rosto com carinho e uniu seus lábios de forma calma. – Você poderia dormir no meu apartamento hoje. Hoseok sussurrou contra os lábios de Taehyung.

- Eu vou adorar. O Kim uniu os lábios mais uma vez, de maneira mais afoita, segurando os fios de Hoseok com certa força.

Eles estavam no site de fofocas de Jimin, naquela noite, a imagem dos dois saindo de mãos dadas do restaurante e depois a pergunta do porque eles demoraram tanto dentro do carro antes de irem embora.

Ao ler a notícia, Taehyung pensou em Jungkook e Seokjin, pensou que se eles tivessem algo a mais, Jeon estaria preparado para essa vida?


Notas Finais


Espero que tenham gostado. @suhk eu já disse que você é uma gênia? Pois você é! Obrigada pela parceria.
Beijos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...