1. Spirit Fanfics >
  2. Em uma noite fria- Imagine sope(yoonseok). >
  3. Lembranças

História Em uma noite fria- Imagine sope(yoonseok). - Capítulo 35


Escrita por:


Notas do Autor


Já sabem escutem música

Se cuidem.


Boa leitura 💜

Capítulo 35 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction Em uma noite fria- Imagine sope(yoonseok). - Capítulo 35 - Lembranças



    **Anos antes na época que os suga era adolescente.**


A minha vida está muito difícil, agora estava indo encontrar com um cara italiano para tratar de negócios.

Eu ainda adolescente já tinha grandes responsabilidades, tive que entrar pro ramo da máfia, pra ter uma vida melhor. 

Comecei com alguns trabalhos para grandes chefes, depois de um tempo decidi começar meu próprio ramo. Não sabia que aí se tornar algo tão grande.  

Estava numa sala a espera dele, o ligar era bem protegido e bonito. Mas está nervoso porém não podia deixar transparecer.

Inho- Yoongi é um prazer te ver, e fazer negócios com vc. Assim que ele adentrou na sala me levantei, e apertei sua mão logo em seguida.

- idem, bom vamos começar, não quero ficar muito tempo aqui. Não me leve a mau, mas não posso demorar. Estávamos sentados em poltronas, perto de uma janela que dava a vista a cidade.  

Tempos se passaram os negócios já haviam sido fechados. Eu estava esperando somente ele pegar um contrato quando uma menina adentrou na sala.

- cadê o inho? Vou matar aquele desgraçado. Ela entrou gritando, ela realmente iria matar ele.

- quem é vc garota? Perguntei a ela.

- não é da sua conta seu garoto idiota. Cadê o inho? 

- olha como fala comigo! Estava ficando bravo com ela.

- me poupe seu garoto irritante. Vc é um inútil mesmo, né serve pra falar onde o inho está!  Ela falava de frente pra mim 

Inho- estou aqui Ana, oque deseja falar comigo! Eu e ela olhamos pra ele, ela foi até ele e deu um soco no estômago dele.

Ana- eu falei que queria estar na reunião de negócios e não está naquela merda de aula de etiqueta. Estou gostando dessa garota.

Inho- aí me desculpe, vc tem que ser mais educada como uma garota.

Ana- como uma garota!? Seu desgracado eu sou uma garota, mas não sou fraca como elas, não nasci pra depender de alguém, olha seu... Não sei do que te chamar, inho vc está morto na minha mão. 

Inho- não foi isso que eu quis dizer..  Eu estava apenas apreciando  a briga dos dois. - esse é o garoto que vc queria conhecer. Ele falou apontando pra mim, tentando mudar de assunto.

Ana- esse pirralho é quem eu estava curiosa pra conhecer? Esse pirralho é o mafioso que vc fechou contrato. Meus deus ele não passa de baixinho.

- baixinho eu? Menina olha o meu tamanho. Vc que é uma pirralha mimada, que bate em pessoas mais velhas que vc, não tem respeito por ele não?  Eles começaram a rir da minha cara.

Ana- parabéns é o primeiro a não abaixar cabeça e ao ficar de cabeça baixa. Gostei de vc Yoongi. Estendeu a mão pra mim e eu apertei.

- vcs são muito estranhos mas eu gostei! 

Ana- vamos ser grandes amigos.

Despois disso eu assinei o contrato,e descobri que inho era mentor dela até ficar maior de idade, mas depois tive que ir embora.  Eles me levou até a saída do prédio.

Ana- foi um prazer em te conhecer. 

Inho- foi um prazer fazer negócios com vc.

- pra mim tbm, eu fiquei feliz em ganhar uma amiga. 

Estava saindo dali, entrou alguns homens da máfia, e eram coreanos. Eles entraram me olhando feio,e provavelmente o chefão esbarrou em mim. 

Um garoto passou sobre mim, ele estava triste e com a cabeça baixa, má seria cabelos eram da cor laranja. Ele ficou atrás do chefe, então dedeuzi que era filho do cara. 

- bem eu vou indo, até mais Ana.  Me despedi deles e sai de lá.



** Ponto de vista do hobi nesse momento do passado**


Eu e meu pai estávamos indo ao encontro de um cara que também vazia parte da máfia pra renovar os contratos.

- Pai oque o senhor vai fazer lá de tão importante que tem que me levar junto?

- meu filho vc vai assumir meu lugar nisso tudo algum dia.

- mas eu não quero, não vou assumir seus negócios.

- já te falei vc vai assumir independente de sua escolha, já sabe que se deserdar morrerá a mesma coisa acontecerá se abanddonar sua familia

Apenas fiquei em silencio escutando as palavras idiotas dele.

- vamos ver o garotinho que entrou como chefe da máfia, e está sendo super respeitado. Se ele der trabalho pra mim vou mata- ló

- olha as bobagens que está falando pai, vc não precisa se sentir superior a ele. A mamãe não iria gostar disso e já teria de batido.

- sua mãe morreu quando vc nasceu, então a culpa não é minha! 

Ele é tão ridículo que pra se sentir melhor, tem que humilhar os outros, pra se sentir acima dos outros a mesma coisa.

Apenas fiquei em silencio até o final do caminho. Quando chegamos no prédio que a reuniao aconteceria apenas fiquei de cabeça baixa, o arrogante do meu pai trombou no menino, que provavelmente seria o menino da máfia. Ele não seria tão imbecil de trombar com outro mafioso de fazer ia a questão de revidar.

Ele se despediu e saiu dali, e a garota que estava com o inho, depois de ver a cena falou " que homem idiota, tenho nojo." E saiu dali, em passos pesados.

- deveria educar ela melhor inho, ela está insolente. 

Inho- ela já é educada demais pro meu gosto. Não sei como ela não te bateu. Ele sussurrou essa parte.

- vamos tratar de negócios. Nos subimos pra cima, e os mais velhos trataram de negócios. Não vi o garoto má a fiquei intrigado com ele.

Ele de alguma maneira me deixou pensando nele. Estranho eu sei, mas eu queria o conhecer.


Mas ao decorrer do tempo esse garoto foi ficando poderoso, e mau pai não gostou disso, depois que o contrato com inho foi cancelado por conta da menina.

Meu pai tomou raiva dela, e junto raiva do menino. Pois ele estava cada vez mais unido com a máfia italiana. 

Depois daquele dia eu nunca o vi, mas imaginava seu rosto e sua personalidade de alguma maneira eu estava criando sentimentos por ele. Também é estranho mas não posso controlar meu coração.

As coisas começaram a ficar feia pro meu lado, meu pai queria que eu assumisse seu lugar. A maneira que ele me trava tbm piorou sempre jogando na minha cara, que a minha mãe havia morrido por minha causa.

Até que resolvi fugir e deixar aquilo pra trás, deixar aquele velho que já estava morrendo pra traz, ele nunca foi meu pai, nunca me deu amor, sempre fiquei a cuidados de babás.

Então numa noite arrumei minhas coisas e peguei dinheiro, o que me sustentaria por alguns anos. Sempre que me perguntavam de minha família, inventava desculpas, as pessoas nunca se aproximavam de mim.

Descobri por pura sorte, que meu pai havia morrido um tempo pra trás, e havia deixa os negócios pra dois irmaos. 




** Voltando ao presente**

                                       ~suga on.

Hs- eu preciso te contar algo..

- fala meu amor.

Hs- vc se lembra de quando foi tratar de assuntos com o inho?

- Como vc sabe do inho?

Hs- não sei se lembra do dia que um cara trombou em vc?

- vc está me assustando como sabe dessas coisas? A Ana falou com vc? 

Hs- não eu era o garoto que na época estava com o cabelo laranja.

- sério, era vc o menino de cabelo laranja cabisbaixo daquela época?  Ele balançou a cabeça ainda de costas pra mim. - nossa por que nunca me falou nada? Na época eu procurei saber de vc, mas como não encontrava informações de vc, desisti e agr está aqui em meus bracos, como isso é estranho.

Hs- só tive essas lembranças vendo a Ana sangrando, e tudo se passou muito rápido pra mim, eu tbm andei te procurando as desisti assim que o meu teve a ideia de te matar. 

- ele quis me matar?

Hs- sim, por causa que vc estava crescendo no ramo, e falou que ia te matar, mas ele ficou doente e não conseguiu ainda bem.

- não iria morrer antes de me casar com vc, meu menino dos cabelos laranja.  O apertei ainda mais em meus braços.

Hs- não está triste comigo?

- por que estaria meu amor?

Hs- pelo meu pai ter pensado em te matar, e que eu sou do sangue dele? Ele me olhou.

- os erros dele, não são seus erros. Não sei sinta mau por uma coisa que os outros fizeram, ao se culpe.  Dei um beijo nele demonstrando meu amor.

Hs- vamos sair daqui estamos começando a ficar enrugados.

Nos levantamos e vestimos um roupão, e ficamos deitados um tempo na cama, e pegamos no sono.



 ** Ana on**

Desgraça acordei com os meus pontos doendo, vi que minha camisa estava sangrando.

Fui até o banheiro e tomei um banho pra ver se parava de sangrar, me vesti um moletom e comecei a refazer os curativos.

Jin- Ana? 

- tô aqui, vem cá! 

Jin- licença. Entrou dentro do banheiro.- bom chegou uma carta pra ti. Pera se tava fazendo os curativos?

- obvio, estava sangrando tomei banho e troquei os curativos.

Jin- se mexeu muito em quanto dormia?

-nao sei, apenas acordei com isso sangrando.

Jin- não devia ter saído do hospital.

- tá bom hyung. Mas não vou voltar pra lá.

Jin- se vc diz.

-cade a carta? Ele me entregou a mesma. - obrigada.

Abri e comecei a ler em voz alta.

- vc escapou da morte dessa vez, mas não garanto que nao sairá da próxima. É melhor vc ficar esperta, da próxima não passará.

Jin- aí jinsus com quem vc mexeu Ana!

- tbm quero saber.

Jin- ele vai te matar, menina! 

Tae- quem vai matar quem?

Eu e o Jin nós assustamos.

- caralho tae.

Jin- menino.

Tae- quem vai matar quem, vcs não me responderam.

- ninguém tae, ninguém.

Tae- não parece, vcs estão me escondendo algo, e eu vou descobrir. Saiu do banheiro.

Jin- ele não vai parar até saber de algo.

- ele não vai saber de nada.. rasguei a carta e a joguei na privada.

Jin- eu não vou falar nada Ana.



- isso vai ser apenas lembranças.



 


 



Notas Finais


Quem será que está atrás da Ana?

Espero que tenham gostado.

Desculpe qualquer erro ortográfico.


Bjs, até a próxima💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...