História Emotional Rollercoaster - Capítulo 76


Escrita por:

Postado
Categorias Chaz Somers, Justin Bieber, Kendall Jenner, Kylie Jenner, Ryan Butler
Personagens Justin Bieber, Kylie Jenner
Tags Chaz Somers, Drama, Justin Bieber, Kendall Jenner, Kylie Jenner, Policial, Romance, Ryan Butler
Visualizações 89
Palavras 2.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei meus amores, espero que gostem ♡

Capítulo 76 - Need a plan


- Okay, faz o que você achar melhor. - Foi a última coisa que saiu da sua boca antes dele levantar saindo.

- Justin... - Chamei por ele que não deu a mínima, saindo de lá e eu respirei fundo. Acho que preciso tomar cuidado com algumas coisas que eu falo.

Peguei o telefone e mandei uma mensagem para a Alice vir até aqui. O Justin não vai tentar nos ajudar, ele acha perigoso e se tratando disso ele não vai mudar de opinião.

Depois de um tempinho o Justin saiu, ele não queria conversar comigo. Eu sei que não devia ter dito aquilo mas agora já era. Eu me sinto mal por ele mas ele podia nos ajudar, simplesmente não custava nada. A Alice chegou e ela já estava toda animada.

- Cadê o Thomas?

- Lá dentro com a Beth mas senta aqui, preciso falar com você. - Ela fez o que eu pedi.

- Falou com o Justin?

- Sim... e a reação dele não foi das melhores. - Ela bufou alto. - Você falou com o Chaz?

- Sim, a reação dele também não foi das melhores mas insisti e ele disse que vai conversar com o Justin e ver o que pode fazer.

- Então pode esquecer. - Ela franziu o cenho. - Não é que o Justin não gostou da idéia... Ele detestou, disse que era impossível, que não iria acontecer. - Ela fez uma careta.

- Você acha que não tem chances?

- Eu não acho que ele vá mudar de ideia, realmente é perigoso.

- Eu sei mas poxa, o Jason não tem culpa. Eu quero ir, você também.

- Eu quero ir mas sei lá, é muito arriscado e eu preciso conversar melhor com o Justin, a gente se desentendeu. Talvez conversando com mais calma ele cede e se esforça para ajudar com isso. - Ela assentiu e respirei fundo, pensando nele que deve estar puto comigo.


   P.O.V Justin Atlanta, GA 11:34 AM


Cheguei no cassino e não dei a mínima para o que estava rolando lá, fui direto para o escritório onde tive uma grande surpresa quando entrei.

O Ryan conversava à sós com a Isabella com uma certa intimidade e eu fiquei meio sem jeito por 'atrapalhar'. O Ryan realmente iria até o fim nessa história de tentar pegar a irmã do falecido Rick.

- Não sabia que você ia aparecer por aqui hoje. - Foi o que ele falou e a garota saiu de perto dele.

- Eu resolvi dar uma passada, não sabia que vocês...

- A gente só estava conversando, não é? - O Ryan me interrompeu.

- É. - Ela concordou rindo e revirei os olhos.

- Vocês não precisam me dar explicações. - Falei sentando no sofá ali e ascendi um cigarro.

- A gente sabe, nós só realmente só estávamos conversando. - Ela falou rindo, enquanto saía. - Até logo mais vocês dois.

O Ryan acenou com a mão e ela saiu. Ele me olhou com um sorriso de convencido nos lábios e ri alto.

- Eu pensei que você estava brincando quando falava dela.

- Aí que está, eu nunca brinco. - Falou me fazendo rir e soltei fumaça. - Ela tá muito na minha, eu sinceramente pensei que seria mais difícil.

- Ryan, toma cuidado com essa garota... Ela é irmã do Rick e eu não vou gostar nada se você fizer mal à ela. - Falei sério e ele levantou as mãos em rendição, cínico.

- Não precisa se preocupar, eu também era amigo do Rick e eu vou cuidar muito bem da irmãzinha dele. - Falou sorrindo com maldade e foi impossível conter a risada.

Vi o Chaz passar pela porta e cumprimentei ele assim como o Ryan.

- Todo mundo resolveu me fazer uma visita hoje, é isso? - O Ryan falou e o Chaz o olhou irônico.

- Eu te vejo todos os dias, filho da puta. - Ele respondeu fazendo o Ryan rir alto mostrando o dedo do meio. - Na verdade eu preciso conversar com você, Justin.

- Claro... - Franzi o cenho estranhando a seriedade dele. - Alice e Kylie querem ir para L.A.

- A Kylie já me falou sobre essa loucura. - Falei revirando os olhos, lembrando da forma que ela falou comigo mais cedo. - Já disse que não vai rolar.

- Justin, não tem como você pensar melhor?

- Ah não, Chaz! Até você. - Falei negando com a cabeça. - Você sabe que isso é um tiro no pé do caralho.

- Eu sei, eu sei. Também não gostei nada quando a Alice conversou comigo, eu realmente não concordo mas... - Revirei os olhos. Sempre tem um "mas"... o Chaz não consegue mesmo dizer não para a Alice, comigo e a Kylie não era diferente mas isso é loucura. Não posso deixar acontecer. - Elas passaram do ponto que "pediam" pra gente para ir direto para o ponto que "somente estão nos avisando que vão" Ou seja, elas vão com ou sem nossa ajuda, então... Não acha melhor a gente entrar nessa? Você sabe, elas estão totalmente desprotegidas, a Interpol e o FBI só querem um sinal de vida qualquer da Kylie para chegar até você.

Pensando por esse lado era verdade. Apesar de ser arriscado também, com a nossa ajuda poderíamos evitar que alguma merda acontecesse. Mas ainda era uma coisa muito delicada e arriscada.

- Porra, Chaz... logo Los Angeles. - Falei passando as mãos no rosto. - Foi o primeiro lugar que descobriram nossas identidades e quase fomos presos.

- O Justin tem razão, é uma má idéia do caralho. - O Ryan apontou.

- Isso foi há mais de um ano, nossos 15 minutos de fama já passaram, ninguém lembra mais disso naquela cidade. - O Chaz insistia.

- A  S.W.A.T e o FBI com certeza lembram muito bem e o sonho de consumo deles é que a gente pise lá novamente. - Mandei a real e o Chaz fez bico concordando. - Mas eu vou pensar melhor, pensar como faríamos da forma mais segura... Talvez se a gente tiver um plano perfeito para não sentirem sequer nosso cheiro por lá, podemos ir.

- Meu Deus, Justin. Não seja idiota! - O Ryan falou fazendo careta como se o que eu tivesse acabado de falar fosse absolutamente estúpido mas não julgo, de fato era. Estava cavando minha própria cova. - Isso é burrice, vocês vão arriscar suas vidas, sua liberdade para elas poderem ir à um aniversário? Foi mal mas vocês estão sendo estúpidos. Aniversário tem todos os anos, comemorem em outro lugar no ano que vem. Só um minuto. - Ele falou saindo da sala enquanto atendia uma ligação.

Respirei fundo encarando o Chaz sério que parecia tão apreensivo quanto eu sobre esse assunto.

- Adoraria discordar dele mas ele está completamente certo, é uma burrice enorme. - Foi o que falei. - Mas de qualquer jeito, vou tentar montar um plano.

- Okay... Parece abatido, o que aconteceu? - Bufei alto.

- Discuti com a Kylie.

- Sobre isso?

- Também, enfim... Eu preciso resolver uns assuntos. - Falei levantando e ele fez o mesmo. - Vai ficar por aqui?

- Sim. Preciso tratar de alguns assuntos com o Ryan. - Assenti e o Ryan entrou na sala.

- Negócios, negócios... - O Ryan falou rindo e eu checava se não havia alguma mensagem no meu celular.

- Você está muito simpático hoje, o que tá rolando? - O Chaz falou e guardei o celular no bolso.

- Tá pegando a Isabella. - Foi a última coisa que falei antes de sair da sala e o Ryan riu alto.

Andei pelo local até a saída e fiz o mesmo no estacionamento até o meu carro. Antes de entrar escutei passos atrás de mim e antes de me virar para olhar, a pessoa chamou pelo meu nome.

- Justin... - Olhei vendo que era o Dylan e franzi o cenho sem entender o que ele queria.

- O que faz aqui?

- Eu queria conversar com você. - Ri sem humor e cruzei os braços.

- Acho que nós não temos nada pra conversar.

- Por favor, só quero conversar com você calmo, talvez você não me odeie. - Bufei alto.

- Fala logo. - Falei já sem paciência.

- Eu não planejei nada sobre o que aconteceu, fiz por impulso, estava bêbado. No dia seguinte eu queria me matar por tentar algo assim, logo você que sempre me ajudou. - Travei o maxilar e apesar de tudo isso parecia sincero da parte dele. - Eu só quero que você me desculpe e não me odeie.

- Eu não odeio você. - Foi o que eu disse atraindo seu olhar surpreso. - Naquele dia eu estava puto porquê tinha acabado de descobrir e fiz o que fiz com você. Mas agora está tudo bem.

- Então você não quer me matar?

- Não, Dylan. Eu não quero te matar. - Olhei meu relógio e precisava ir. - Mas se você se aproximar da Kylie novamente, eu vou encher sua cara de aço.

- Copiado. Não se preocupe, não vai acontecer. - Eu realmente achava melhor assim.

Entrei no meu carro dando a partida e saí dalí. Dirigia pela cidade rumo até minha casa  e parei no sinal pegando meu celular em seguida. Respirei fundo e digitei uma mensagem para a Ashley, precisava saber de algumas coisas. O sinal abriu e voltei à dirigir.

Depois de um tempo estacionei o carro no estacionamento do prédio e entrei no mesmo. Assim que entrei no elevador meu celular apitou e era uma mensagem da Ashley.

'Não. Ela ainda não foi embora. Mas ela parece bem, então não procure por ela.'

Ri fraco disso e guardei o celular no bolso. Ela quem sempre me procurava. Aliás, ela quem "ressuscitou".



 
    P.O.V Kylie Atlanta, GA 12:15 PM


Meu dia estava sendo horrível, não estava em um dia bom e a Beth percebendo isso levou o Thomas para passear um pouco no parque que tem aqui perto. Não fazia a menor ideia de onde o Justin estava mas imagino que esteja no cassino. Espero que o Chaz consiga convencer ele sobre a viagem para L.A já que ele não quer me escutar.

Falando no diabo ele passou pela porta e parecia não ter me visto ali na sala, simplesmente passou direto para o quarto e franzi o cenho estranhando. Levantei indo até o quarto e vi ele tirar a camisa, sentando na cama e checava algo no celular.

- Me ignorar não é o caminho. - Falei quebrando o silêncio e ele evitou me olhar.

- Não estou ignorando você. - Foi o que ele disse e sentei do seu lado na cama.

- Sei que está chateado, eu não deveria ter dito aquilo.

- Mas você não mentiu, estou certo? Aliás, é o que eu realmente sou.

- Não pense assim, por favor. Eu falei aquilo da boca pra fora, estava com raiva. - Ele assentiu me olhando sério no fundo dos olhos.

- Está tudo bem.

- Mesmo? - Ele concordou com a cabeça e me deu um beijo rápido levantando.

- Conversei com o Chaz. - Engoli seco, esperando que sua resposta fosse positiva.

- E então?

- Minha resposta ainda é não e eu sou totalmente contra... - É, como imaginei. - Mas nós concordamos pensar em algo, tipo um plano. Caso isso resulte em um plano eficiente... Podemos tentar executar.

- Você tá falando sério? - Perguntei animada e ele concordou dando uma risadinha e avancei nele beijando várias vezes seu rosto.

- Eu iria dizer pra você não criar tanta expectativa mas... - Ele falou enquanto eu ainda o beijava.

- Eu já falei que amo você mais do que qualquer outra coisa? - Falei enquanto acariciava seus cabelos e ele riu alto.

- Você é muito falsa, quando eu disse não você quase me bateu. - Ele falava com dificuldade enquanto gargalhava alto.

- Não me chama de falsa, garoto. - Falei rindo. - Eu só fiquei irritada porquê sei que você pode me ajudar e não queria fazer isso.

- Okay... Mas eu também te amo. - Falou tocando meu nariz e sorri beijando ele.






Oi, amores. Voltei o mais rápido que pude... Estamos chegando no final dessa fic mas ainda temos alguns bons capítulos pela frente. Queria agradecer à todos vocês que votam e comentam aqui, até mesmo quem recomenda minha fic para outras pessoas. Vocês são incríveis. Volto logo. ♡


Notas Finais


Comentem o que estão achando, ou até mesmo sugestões amores, me motiva muito à voltar logo. Até mais. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...