1. Spirit Fanfics >
  2. Êmulo >
  3. Décimo Terceiro

História Êmulo - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, Kitsune-chan!

Depois de 84 anos, aqui estou eu. Disse que a escola seria um peso e que demoraria para postar, e eu estava certa. Mal começou a primeira de aula e já tenho mais de três trabalhos para fazer, tá uma loucura isso aqui, minna. Ainda bem que arrumei um tempinho pra fazer o capítulo 13 pra vocês.
Pequeno, mas de coração.

Além disso, gostaria de agradecê-los! Êmulo está com mais de 200 favoritos, minna! Assim como Nukenin, atingiu essa marca com 12 capítulos.
Tô falando, Êmulo vai superar Nukenin

...

O capítulo 13 retrata o início do "Sasuke Shippuden" e, apesar de haver semelhanças, são as diferenças que predominam nessa nova fase. A partir daqui o roteiro foi majoritariamente meu e não só baseado no universo de Kishimoto. Vocês viram muitas semelhanças com o mangá (digo isso porque estou me baseando na linha do mangá, não do anime como em Nukenin e nas minhas outras fanfics, daí outra diferença aqui),as aqui é diferente.
Roteiro originalzinho, as coisas começam a mudar drasticamente.

Inclusive, eu mudei o tempo de treinamento de 2 anos e meio para 3 e meio. Sei que tem o negócio todo do Orochimaru ter um receptáculo a cada 3 anos, mas nós conseguimos mexer uns pauzinhos para isso poder acontecer. Além disso, isso muda a idade dos personagens base para 16/17 em vez de 15/16.
Fiz isso pro SS não querer me foder quando tiver lemon, por que né, tem que se atentar as regras se eu quiser postar fanfic, non?

Espero que isso não seja um problema pra vocês, neeh

...

Vamos a pergunta do dia!
– Qual seu membro favorito do clã Uzumaki?

Amo o Naruto, mas a Kushina mano, não dá. Nasci até no mesmo dia que ela (10/07 S2), tá escrito nas costas do sapo ninja já

Podem ler agora, eu deixo!

[Betado]

~entrelinhas
~mudanças nos personagens
~kukuku

Capítulo 13 - Décimo Terceiro


Seus orbes encaravam o lugar onde vivia com certa admiração. Konoha havia crescido bastante nos três anos em que estivera longe treinando secretamente com Hatake Kakashi. Agora, a beira dos dezessete, seus cabelos negros estavam mais longos com uma pequena franja caindo sobre o metal da bandana de sua vila. Parte da blusa negra de mangas longas era coberta pelo colete chuunin – como estivera fora da vila, sua graduação era a mesma –, fazendo par com suas calças ninja cinzentas.

Sasuke olhou disfarçadamente para um ponto específico atrás de uma árvore. Kakashi estava se mantendo escondido nas sombras, tomando conta de si de longe. O plano era deixar Sasuke ali sob os cuidados de Jiraiya enquanto o Hatake voltava para sua vida de Sasaukage – Hokage das sombras.

O Uchiha confessava que iria sentir falta da convivência com o Hatake. Kakashi era severo e durão, algo totalmente diferente de Obito, mas sabia fazer piadinhas e apoiá-lo quando precisava. No quesito Naruto, Kakashi havia sido o maior ombro amigo que tivera nesses anos e, com toda certeza, devia muito ao sensei, tanto pela amizade criada quanto pelo treinamento.

Estava muito mais forte agora.

Sasuke sentiu uma pedra sendo jogada em seu cangote, acordando de seus devaneios. Encarou a figura risonha de Obito com um breve revirar de olhos.

– Oi, Sasuke! – o mais velho veio cumprimentá-lo da forma certa. – Você não mudou nada, até o cabelo de pato é o mesmo.

– Sua cara de idiota também. – rebateu. Kakashi o ensinara a arte do sarcasmo, principalmente a como lidar com Obito. – Pare de agir como criança, você tem mais trinta anos.

Obito grunhiu internamente. Essa atitude ignorante me lembra o Kakashi, bufou. Como esse maldito consegue ser igual a ele?

– Obito! – chamou Jiraiya.

– Jiraiya-san, espero que esse pirralho não tenha dado trabalho.

– Fala de mim como se você fosse fácil de lidar – resmungou.

Jiraiya sorriu amarelo. Esteve todo esse tempo escondido dentro da própria casa, tomando cuidado para saber onde iria e ver se não encontrava Obito, Rin ou qualquer outra pessoa. Além de seu leve cativeiro – coisa que, infelizmente, não conseguiu esconder de uma furiosa Tsunade –, Jiraiya saiu poucas vezes para se encontrar com Kakashi e perguntar algumas coisas sobre suas investigações.

Pouco a pouco e mais novidades sobre a Akatsuki iam aparecendo, Jiraiya só não sabia se agradecia por isso ou se se assustava cada vez mais ao ver o que descobria.

– Sasuke é um menino muito tranquilo e habilidoso, ele aprende rápido. – igual o Naruto, pensou. – Deixo ele nas suas mãos novamente. Cuide bem dele, sim?

Mais fácil eu cuidar dele do que o contrário, pensou Sasuke. 

– Vou cuidar. – riu. – Obrigado, Jiraiya-san!

Obito acompanhou – forçadamente – Sasuke pela vila após se despedir de Jiraiya. O sannin respirou fundo, sentindo uma preocupação a menos saindo de cima de seus ombros.

– Sasuke ficará bem?

Olhou para o beco. Concordou com a cabeça.

– Obito é responsável mesmo que não pareça, Kakashi. – sorriu. – Sasuke está em boas mãos.

– Bom. – cobriu seu rosto com um capuz. – Tenho que ir agora, há uma coisa que tenho que fazer.

– Você tem certeza disso? É um caminho sem volta, Kakashi.

Kakashi deu um último olhar a Jiraiya e saiu silenciosamente sem dizer nada. O sannin negou com a cabeça.

Isso não vai dar nada bem.


* * *


Enquanto Obito tagarelava em seu monólogo irritante falando das mudanças na vila, Sasuke estava completamente aéreo a tudo. A única coisa que prestara atenção é que os três Irmãos da Areia estavam todos compromissados e namorando. Como aquele cabelo de salsinha conseguiu namorar alguém?; pensava quem havia sido a pobre coitada que estaria aguentando o ruivo. Temari deve ter se amigado com o preguiçoso do Shikamaru. E Kankuro... será que aprovaram relacionamentos entre humanos e marionetes?

– Sasuke?

Sasuke se virou na direção da voz e abriu os braços. Sentiu o peso de Sakura se jogando em seu abraço. Ela engordou ou são os músculos?; encarou a amiga rapidamente. Provavelmente são os músculos. Rikudou do céu...

– Você ficou mais baixinha ou é impressão minha?

Sakura bufou e soltou o abraço. Deu um giro em torno do próprio eixo e fez pose, mostrando a nova roupa de treinamento rosa que Tsunade havia a dado de presente quando fizera quinze anos.

– Agora eu me pareço mais como uma mulher, Sasuke?

– Quer que eu diga com sinceridade ou com amor a minha vida? – vendo a cara irritada de Sakura, soube que era a segunda opção. – Oi, era brincadeira.

– Seu Uchiha idiota, não mudou nada! – apertou a bochecha de Sasuke e ficou movimentando seu rosto para os lados. – Dá vontade de esfregar essa sua carinha bonita no chão e cavar as covas do cemitério com ela!

Sasuke engoliu em seco. Antes que fosse usado como pá de coveiro, Obito apareceu para apartar a briga e convidá-los para um teste de poder. Animados com a possibilidade de uma luta juntos depois de tanto tempo, aceitaram o convite e esqueceram que Sakura estava quase matando o pobre – ou não – Uchiha.

– Certo, isso aqui vai definir se vocês evoluíram ou não – estendeu a mão.

Um par de guizos brilhantes balançavam nos dedos de Obito.

– Sinos de vaca? – perguntou Sasuke.

– Guizos, Sasuke – corrigiu Sakura.

– Sim, guizos. – sorriu. Nunca pensei que diria isso com tanta facilidade, pensou, isso significa que estou finalmente superando. – O teste dos guizos é o método de treinamento passado pelo Sandaime e pelo Yondaime Hokage. Fazer esse treino é uma honra para um shinobi.

Sasuke e Sakura se entreolharam com os olhos brilhando. Um teste criado por Hokages parecia ser interessante.

Obito encarou o lugar onde estavam com certa nostalgia. Seu olhar parou sobre a pedra cercada de ervas e flores.

– Foi aqui o primeiro encontro do Time Sete, não? – os olhos da dupla perderam seu brilho.

– Um trio...

– Um time...

– Naruto ainda estava com nós naquele dia – Obito suspirou.

Eles se encolheram em posição fetal, tristes em sua própria solidão. Obito sentiu uma lágrima solitária escorrendo por seu olho.

– O nome do Naruto virou um tabu para eles. – fungou. – Talvez para mim também.

Após ficarem na própria bolha de saudades, recuperaram-se e voltaram para o treinamento. Obito explicou como o teste era simples. Basicamente, eles tinham que tirar os guizos dele para poderem vencer.

Obito prendeu os guizos no cós da calça e cruzou os braços.

– Mostrem-me o quanto evoluíram!

Partiram para cima de Obito com força total. Mesmo que o Kamui fosse muito útil para evitar os ataques, o Uchiha tinha que reconhecer que seus alunos estavam mais fortes. Lutavam com sabedoria, pareciam pensar em cada movimento que iriam fazer. Além disso, tinham criado coisas que nunca pensou que veria.

Percebeu isso quando uma alta descarga de chakra Raiton saiu da espada que Sasuke levava em suas costas. Por pouco era atingido. Certamente viraria churrasquinho de Obito se fosse.

– Ele sumiu. – Sasuke empunhou sua katana. – Medroso.

– Se não está na direita, na esquerda, atrás, na frente ou em cima. – Sakura ergueu o punho. – Então está no chão! – socou o solo com força.

Sasuke sentiu um leve medo percorrendo por sua espinha quando viu o estrago que um simples soco de Sakura fez no chão. Ela não era tão forte assim, viu Obito tremendo entre os escombros de terra. A lendária Tsunade é realmente um monstro!

Antes que atingissem Obito, ele se transportou com seu Kamui e se escondeu entre as árvores para recuperar seu chakra. A dupla se encarou, começando a pensar em algum plano.

– Não tem como vencê-lo se ele ficar usando esse Kamui toda hora. – Sakura ajeitou as roupas amassadas. – Ele sempre estará um passo a nossa frente desse jeito.

– Obito tem um ponto fraco. – tirou algo do bolso. – Peguei quando ele estava distraído.

Trocaram sorrisos maldosos.

– Isso é maligno até para você, Sasuke.

– Vale tudo pelos guizos, não?

Encontraram Obito apoiado em uma das árvores. Mesmo que tentassem planejar um ataque surpresa, sabiam que o seu sensei já sabia que eles estavam ali. Assim, atacaram sem nenhum plano em mente.

Ataque frontal desse jeito descuidado?; Obito começou a preparar seu Kamui. Isso é meio decepcionante.

Foi quando Sasuke tirou a foto do bolso e a mostrou para Obito. O mais velho perdeu totalmente o foco na luta e começou a tatear os bolsos, percebendo então que haviam conseguido pegar sua foto do Time Minato em algum momento da luta. Seus olhos voltaram para as figuras de Minato e Kakashi, desestabilizando-o por poucos segundos. Quando voltou em si, Sasuke e Sakura balançavam os guizos na sua frente, sorrindo.

Obito bufou e tomou a foto da mão de Sasuke com certa brutalidade.

– Golpe sujo! – guardou a foto com cuidado. Porém, sorriu orgulhoso. – Vocês realmente evoluíram. Usaram minha própria fraqueza contra mim.

Um golpe inteligente e covarde, certeza de que isso foi ideia do Sasuke, Obito negou com a cabeça. O que mais será que Jiraiya-san ensinou para ele?

– Acho que merecemos uma comemoração decente. – disse Sakura. – Todo esse esforço me deixou com fome.

– Concordo com a testuda.

O mais velho pegou sua carteira e fez muxoxo ao ver a quantidade de dinheiro que tinha ali. Certamente tinha que voltar ao trabalho ou não teria dinheiro para comprar seus dangos diários. 

– Vamos comer churrasco. – a dupla comemorou. – Mas apenas uma porção simples ou eu vou falir antes de me tornar Hokage.

– Nii-san não te paga salário?

Obito refletiu. Estive trabalhando esse tempo todo de graça. Como sou burro, Rikudou do céu!

Realmente, Itachi tinha que o pagar por todo o tempo que esteve ajudando a cuidar de toda aquela papelada. Iria confrontar o Godaime mais tarde.

O fragmentado Time Sete saiu do lugar de treinamento, indo comer um bom churrasco por conta de Obito – que no fim pagou bem mais do que uma porção simples de carne. Comiam e conversavam a vontade, informando-se de todas as novidades nesses últimos três anos e meio desde que Sasuke saiu para treinar. Estavam tão felizes que momentaneamente ficaram alheios a todos os problemas que tinham.

Alheios ao mal que viria.


* * *


Oito das dez cadeiras do grupo principal da Akatsuki estavam preenchidas. Os membros integrantes não conversavam entre si, afinal eram proibidas as conversas paralelas no momento da reunião. O líder supremo ajeitou sua máscara negra no rosto pálido e pigarreou, chamando a atenção de todos.

– Estivemos esse tempo todo parados em nossa própria bolha. – disse. A voz rouca e imponente preenchia os ouvidos de todos. Talvez fosse pela máscara ou sua própria voz era assim. Ninguém sabia. – Chegou a hora de a Akatsuki nascer como o sol nasce toda manhã.

Voltamos com as metáforas e comparações, pensou Orochimaru. Espero que seja algo realmente importante, deixei Naruto-kun sozinho com Kabuto no esconderijo.

Na verdade ele não estava sozinho, mas a maioria das companhias que tinha no novo esconderijo não eram as melhores influências do Mundo Shinobi.

– Nossa última reunião teve que ser adiada e conseguimos fazê-la somente agora, mais de três anos depois. – continuou. Ninguém ousava o interromper. – Como sabem, muitos participam da Akatsuki, mas nem todos têm o privilégio de participar da elite. Inicialmente, precisamos de dez membros para começarmos com os nossos planos.

– Mas somos apenas oito. – disse Pain. Ele era o único que tinha o direito, além do líder, de falar. Era quase como seu braço direito. – Por isso, tivemos que ficar reclusos por um tempo até que algum convidado viesse até nós.

– Nossa espera teve resultados. – ouviram o barulho da porta sendo aberta. – Conheçam o nono membro da Akatsuki.

Olhares arregalados, principalmente os de Orochimaru e Hidan. A figura de Kakashi era conhecida por todos no Mundo Shinobi como o ninja que salvara o lendário Uchiha Obito, o Uchiha do Kamui, durante a guerra dando a própria vida no processo. No entanto, ele estava vivo.

E vestindo o manto rubro negro da Akatsuki.

– Okaeri, Hatake Kakashi.

Kakashi fez uma reverência respeitosa. Seu olhar era inexpressivo. Era impossível de saber o que ele estava pensando.

– Sente-se.

O Hatake obedeceu às ordens do líder, sentando-se ao lado de Hidan. O jashinista o encarou de cima a baixo. Ele é igual ao garoto da foto de Obito, o líder começou a falar um monte de baboseiras as quais ele não prestou atenção. Será que eles sabem disso?

– Agora que temos nove membros, precisaremos apenas de mais uma pessoa. – o olhar escarlate parou sobre Orochimaru. – Você disse que tinha uma recomendação, não é? Como membro veterano da Akatsuki, abro uma exceção para você apresentar seu shinobi.

Orochimaru lambeu os lábios. O nome de Kabuto, seu membro mais fiel, estava na ponta de sua língua, mas mudou a resposta de última hora. Seu objetivo é favorável a mim, abriu a boca para falar. Kabuto terá que esperar um pouco mais.

– Uzumaki Naruto – os membros não esconderam a surpresa. –, o Kyuubi no Gaki.

O líder sorriu por detrás de sua máscara. O jinchuuriki do demônio raposa de nove caudas, estendeu a mão para Konan, a única mulher da organização. Ela entendeu o ato e o deu um pequeno pedaço de papel preto. Todos conheciam aquele pequeno papel. Essa reserva de chakra é algo que não podemos desperdiçar. É o que faltava para agilizar o meu plano.

– Entregue isso para ele. – entregou o papel. – Veremos o que acontece depois.

O sannin invocou uma pequena cobra branca, prendendo o papel entre suas presas. A cobra sibilou antes de se esgueirar pelos pés da mesa redonda, sumindo na penumbra da sala.

– Com ou sem a confirmação do seu garoto, temos que dar início ao nosso plano. – deu um olhar para Konan. Ela tirou um enorme mapa do bolso e o estendeu na mesa. – Como temos um novato aqui, temos o dever de resumir o que acontece na Akatsuki. Pain!

– O objetivo da Akatsuki é alimentar a Estátua Gedo com uma enorme quantidade de chakra. – disse o ruivo. – Com o chakra, iremos criar o maior genjutsu já imaginado pelos shinobis.

– O Tsuke no Me. – disse o líder, levemente distante. – Um mundo onde mais ninguém sofrerá com a dor. A paz perdurará entre os ninjas. Não existirão guerra, fome ou sofrimento. Apenas a dura e eterna felicidade. – suspiros foram ouvidos. Aquele era o desejo de todos: parar de sofrer. – É para isso que a Akatsuki foi criada por mim.

O shinobi ao lado esquerdo do líder, um estranho homem bicolor, soltou um pequeno resmungo quase inaudível. Essa sua farsa de líder me enoja às vezes, pensou. Afinal, quem criou a Akatsuki foi eu.

Kakashi concordou com a cabeça. A proposta de um mundo completo de sonhos e sem dor, sentiu sua cabeça latejar. É irrecusável...

– De qualquer forma, nem o nosso chakra é capaz de realizar um jutsu tão grande quanto esse, até mesmo não é possível para Kisame que é quase um bijuu de tanto chakra que possui. – o homem tubarão sorriu de canto com o “elogio”. – É para isso que precisamos extrair o chakra de algum lugar.

– A primeira missão oficial da Akatsuki será viajar até Sunagakure no Sato – apontou para a vila no mapa. – e capturar o jinchuuriki do Ichibi, Sabaku no Gaara.

– O filho do Kazekage, neeh? – Kisame riu. Eles querem nos meter em cada furada.

– Não só o filho como o atual Kazekage. – Kakuzu cruzou os braços. – Suna deve ter o dobro de proteção com ele.

– Já tomei as devidas providências, a entrada de Suna será fácil para vocês. – disse. – Como é sua primeira vez aqui, Kakashi, precisamos ter certeza da sua total lealdade a Akatsuki. Aceitará essa missão?

Hidan o encarou com certa ponta de esperança. Estava ali obrigado em cativeiro por todos esses anos, com Kakuzu sempre em seu pé para que ele não fugisse, e por isso não poderia fazer nada até que conseguisse fugir. No entanto, o outro podia fazer o que quiser. Esperava do fundo do coração que Kakashi não aceitasse aquela missão. Afinal, escolher atacar Suna era o mesmo que escolher atacar Konoha.

No entanto, Kakashi estava decidido a ser fiel.

– Eu aceito.

– Bom. – sorriu por trás da máscara. – Kisame, você acompanhará Kakashi em sua missão. Alguma objeção?

Como ninguém reclamou, o líder fechou o mapa e o entregou para Konan. A mulher de cabelos roxos bufou. Sinto como se eu fosse uma simples secretária, o líder deu as últimas instruções para a dupla recém formada. Ainda me pergunto porque Pain não assumiu o comando.

– Vocês sairão durante a madrugada, sei que os poderes oculares de Kakashi irão facilitar a sua locomoção. – como ele sabe do meu Kamui?; pensou Kakashi. – De qualquer forma, nada está garantido quando chegarem em Suna. A única coisa que exijo é que voltem com o jinchuuriki, de preferência vivos. Entenderam?

– Hai, Líder-sama!

– Dispensados!

Pain foi o último a sair na sala. Encarava a maior cadeira da mesa com certo desejo. Queria ser o líder da Akatsuki, tinha motivos maiores para querer estar sentado naquela cadeira, mas infelizmente para ele o líder era hierarquicamente superior a si. Suspirou irritado.

Existiam coisas que rolavam por trás dos panos da Akatsuki que ninguém poderia saber o que eram.


* * *


O papel negro tremia em suas mãos enluvadas. A imagem da morte de seus pais durante o ataque de Kyuubi se repetia milhares de vezes em sua mente. Quem inventara aquele método psicológico de tortura era certamente um gênio, qualquer um ficaria atordoado depois que visse sua maior dor repetida a sua frente. No entanto, a dor foi rapidamente substituída pelo sentimento momentâneo da vitória.

– Você tem certeza?

A cobra branca sibilou. Um largo sorriso se alastrou pelo rosto bronzeado. A sua hora estava chegando. Depois de três longos anos treinando para aumentar seu poder finalmente sentia que sua vingança estava perto. Era quase como se pudesse tocá-la em seus dedos.

Aquela sensação era revigorante.

– Você ouviu isso, Karin? – virou-se, ainda sorrindo. – Akatsuki!

A ruiva retribuiu ao sorriso. Com um longo cabelo da cor característica do clã Uzumaki e olhos tão vermelhos quanto, Karin era aprendiz de Orochimaru na parte laboratorial dos esconderijos. Sua habilidade sensorial e medicinal era extremamente útil para o sannin, que decidiu abrigá-la para poder estudar melhor o exterminado clã do rodamoinho.

Era realmente uma coincidência para Karin ter encontrado outro membro de seu clã ainda vivo. Vivera na pele o extermínio dos Uzumaki e desde lá se tornou órfã. Após uma infância difícil e soturna, Karin sentia que finalmente tivera uma conexão com suas raízes.

Talvez fosse por isso que ela era sua melhor amiga e confidente.

– Sempre pensei que Orochimaru-sama recomendaria Kabuto, mas confesso que você é bem melhor do que ele – riu.

– Kabuto não chega aos meus pés. – concordou. Admirou o papel ainda em suas mãos. – Isso significa que Orochimaru-sama realmente está do meu lado. Minha vingança está prestes a se realizar, Karin! É a minha vitória!

Karin se levantou da cama de solteiro e bateu seus punhos. Encarou o amigo brevemente. Estava diferente desde a primeira vez que o vira, confuso e quieto ao lado de Orochimaru e Kimimaru. Os cabelos dourados batiam abaixo de suas orelhas e a pele era mais bronzeada por conta do treinamento direto ao sol, porém o olhar distante e vingativo nos olhos azuis era o mesmo. Seu desejo por vingança parecia ter apenas aumentado durante os três anos que estivera com Orochimaru.

No entanto, Karin e o autodeclarado Time Hebi – Cobra – eram os poucos que conseguiram ver uma faceta do antigo Naruto. O alegre, feliz e sem o sentimento famigerado por morte e vingança.

Naruto esse que estava morto.

– Devo treinar em dobro agora que entrarei para a Akatsuki. – Naruto deu voltas no quarto pequeno e fechado. – Como líder, o maldito assassino dos meus pais não deve ser fraco. Isso torna as coisas ainda mais interessantes! Terei a imensa felicidade de pegá-lo pela garganta – seus olhos ficaram do puro vermelho escarlate. – enquanto tiro uma a uma suas tripas para fora do corpo.

Karin engoliu em seco. Eram raros os momentos em que não via os olhos vermelhos sedentos por caos. Orochimaru fez questão de trabalhar ao máximo no controle do chakra de Kyuubi. A maior consequência disso é que o corpo de Naruto e seu bijuu estavam completamente conectados e alternavam no controle de sua consciência. Karin às vezes não sabia nem diferenciar se era seu amigo ou o monstro de nove caudas falando consigo.

Era assustador.

– Mas deve tomar cuidado, a segurança dele deve ser enorme. – pôs a mão em seu ombro. – Como seguidores de Orochimaru-sama, todos nós fazemos parte da Akatsuki secundária. Estaremos sempre ao seu dispor.

– Eu sei. – suspirou e olhou para as próprias mãos. Seus olhos piscaram entre vermelho e azul. – Entrar para a elite da Akatsuki significa que estou entre os mais fortes dos mais fortes. Nunca pensei que chegaria nesse ponto.

– Você é o shinobi mais incrível que conheço, Naruto. Tudo isso aconteceu por conta do seu esforço. Você merece!

Naruto fechou os olhos. Quando os abriu, estavam azuis. Karin sorriu pequeno ao perceber que novamente veria a faceta esquecida do verdadeiro Uzumaki.

– Meus pais teriam orgulho do que eu me tornei?

Karin não respondeu, não sabia o que falaria. Segundos se passaram e seus olhos voltaram para o vermelho sangue. Era sempre assim. A ruiva bufou quando viu que não havia aproveitado o pouco tempo com o amigo.

O copo de plástico que estava no criado-mudo caiu, derrubando a água no chão de concreto. Um corpo magro e ossudo surgiu de dentro da poça. Ostentava um sorriso matreiro no rosto pálido. Bagunçou os cabelos platinados e piscou os olhos rosados antes de começar a falar com sua voz esganiçada e irritante – nas palavras doces de Karin.

– Boas novas, meu amigo!

– Nós já sabemos. – Karin riu. – Chegou tarde, Suigetsu.

Suigetsu cruzou os braços e bufou. Olhou para a pequena cobra branca de forma ameaçadora.

– Sou eu quem devo passar as informações aqui. – encarou-a. – Você está tirando meu emprego, sabia?

A cobra sibilou, zombando de si. Karin riu e Naruto se contentou com um pequeno elevar de lábios. Suigetsu grunhiu. Estava discutindo com uma cobra.

– De qualquer forma, nosso pequeno pirralho subiu de nível. – abraçou Naruto pelos ombros. O loiro bufou, eram apenas poucos meses de diferença. – Como se sente sabendo que está em outro patamar, loirinho?

– Não o encha de asneiras, Suigetsu!

– Não falei com você, ruiva!

Antes que Naruto respondesse, a porta se abriu em rompante. Um rapaz de cabelos laranjas e corpo grande encarou a maçaneta amassada em suas mãos com certa tristeza. Era a terceira porta que quebrava naquela semana.

– Meus poderes andam cada vez mais descontrolados. – suspirou. – Acho que tenho que me isolar de novo.

– Nada de se isolar! – negou Suigetsu. – Você pode muito bem controlar esses músculos. Além disso, nós somos seus amigos, estamos aqui para te ajudar.

– Nunca pensei que diria isso, mas concordo com o idiota do Suigetsu. – Karin sorriu. – Onde está Kimimaru? Ele volta de missão hoje, não é?

– Apenas Kimimaru consegue me controlar, isso chega a ser estranho. – olhou para as próprias mãos. – Sinto-me bem do lado dele. Será que isso significa alguma coisa?

A trio trocou olhares significativos, rindo de forma maliciosa. Naruto se soltou do abraço de Suigetsu e deu leves tapinhas nas costas do ruivo. Ele viu seus olhos azuis. É Naruto quem está aqui, pensou. É realmente ele.

– Significa muita coisa, Juugo.

Juugo ficou sozinho no quarto pensando nas palavras de Naruto. O que será que “muita coisa” significa?

– Me esperem!

O grupo se reuniu na cozinha, comemorando a entrada de Naruto na elite da Akatsuki com um belo banquete preparado por Juugo – um quase chef de tão bom cozinheiro que era. Ficaram tanto tempo comendo que Kimimaru acabou se juntando a eles em um algum momento da refeição.

Entre tigelas e tigelas de rámen, Naruto só conseguia pensar na nova fase de sua vida que iniciava.


Notas Finais


Três anos e meio se passaram; Sasuke: o retorno a Konoha; Time Sete: teste dos guizos; Akatsuki: o nono membro; Naruto: a cumplicidade do Time Hebi.

Ficou bom, hn?

PS¹ – Qual seu Uzumaki favorito?
PS² – Respondo aos comentários em breve!
PS³ – O início de Sasuke Shippuden e mais portas se abrem. Mistérios e mistérios. E essa Akatsuki aí? O objetivo dela é o Tsuke no Me desde o início, não a arma letal feita do chakra de bijuus. O que isso significa?
PS⁴ – Kakashi se junta a Akatsuki. Isso significa que ele traiu Konoha! E o pior é que Jiraiya parecia que sabia disso, será que ele também está envolvido nessa traição?
PS5 – O líder da Akatsuki diz que a entrada em Suna será fácil. Por que será que ele diz isso com tanta convicção? Será que ele tem um espião na segurança ou é apenas confiança na organização?
Percebem como tudo foi pensado? Até os papéis negros foram pensados, afinal eles foram mostrados que vêm de Konan. Viram? Tudo tem um propósito aqui, reparem nos detalhes (~entrelinhas)
PS6 – A mescla das personalidades de Naruto fica cada vez mais presente. Essa dupla personalidade é algo que eu nunca tinha trabalhado, estou animada com isso, kukuku.
E, como muitos pediram, Naruto e Karin são amiguinhos (pelo menos é o maior "laço" que ele criou após sair de Konoha)

Adoro deixar mais teorias e confusão em suas cabecinhas

~200 favoritos
~kukuku
~Time Hebi adicionado aos personagens (pra quem não percebeu, olhem como sou gente fina)

Ja ne!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...