História Êmulo - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


OIE, KITSUNE-CHAN!

Como vão tus? Vim aqui pra avisar que amanhã irei viajar de volta para a minha cidade natal e não haverá capítulo, pois a viagem dura 24 horas de barco (exatamente, senhoras e senhores). Minha rotina na minha cidade natal é muito diferente da que estou tendo aqui, nas férias, então talvez a minha frequência de postagem também mude
Lembrando que dia 22 eu viajarei de novo, hn

...

Sobre a fanfic, estamos com mais de 70 favoritos com dois capítulos. Eu gosto de ver a participação de vocês, tanto nos comentários quanto nos favoritos. Estou esperando muita coisa de Êmulo

...

Esse capítulo aqui tem várias entrelinhas. Leiam as entrelinhas, senhoras e senhores (alguns leram as entrelinhas do capítulo anterior, hn)

Vamos a pergunta do dia:

– Qual personagem você acha subestimado em Naruto?

Existem vários, mas irei falar aqui do Shino. O cara era um dos gennins mais fodas na idade dele, extremamente inteligente e habilidoso, mas sempre isolado e esquecido. Ele era tão esquecido que virou até piada, cara!
Surpreendente, mas Shino não foi o único subestimado (Tenten, Chouji....)

Podem ler agora, eu deixo!

[Betado]

PS – ~entrelinhas

Capítulo 3 - Terceiro


Os jounnins cochichavam entre si. O Hokage havia convocado uma assembleia de última hora para falar com todos os jounnins e senseis de equipes gennin e todos estavam ansiosos para saber qual era o motivo da reunião. Alguns estavam preocupados, pensando que iriam levar uma bronca ou algo do tipo, afinal a maioria era de recém-jounnins ou senseis novatos que estavam há apenas três meses liderando um trio. Obito, apesar de ser um novato, estava bastante calmo. Como secretário do Hokage, ele sabia os assuntos de todas as reuniões antes de todo mundo.

Talvez fosse por isso que ele sempre chegava atrasado nelas.

O barulho dos corvos foi ouvido e a figura cansada de Itachi apareceu. Os cochichos pararam e todos fizeram uma referência respeitosa ao Hokage.

– Eu acredito que o motivo para a convocação dessa assembleia é óbvio para todos vocês. – Itachi pareceu se esquecer que era o único gênio dali. – Afinal, um ninja não pode ser gennin para sempre.

Foi aí que os jounnins se acalmaram. Era apenas isso, afinal.

– E quando vai ser? – perguntou um deles, Hayate.

– Eu bem que já havia percebido a presença de alguns jounnins de outras vilas por aqui. – disse Rin. – Mas não pensei que seria tão rápido assim.

Rin era a melhor amiga de Obito. Morena de olhos castanhos e com marcas roxeadas abaixo das bochechas, Nohara Rin é uma jounnin especializada em ninjutsu médico. Apesar de passar a maior parte de seu tempo trabalhando no Hospital de Konoha, Rin tinha que participar das reuniões de jounnins. As reuniões, na verdade, eram os raros momentos que ela se encontrava com Obito.

Obito estava bem distante desde a morte de Kakashi, até mesmo dela.

– Em sete dias, o Exame de Seleção Chuunin acontecerá. – disse Itachi. – Alguns de vocês já estão habituados com o roteiro do exame, então não perderei muito tempo com as palavras. Inicialmente, vamos ouvir quem está monitorando os novos gennins.

Obito e mais dois jounnins deram um passo a frente. A sua direita estavam Kurenai – kunoichi sensorial especialista em genjutsus, sensei de Hinata, Kiba e Shino – e Asuma – filho do Sandaime, shinobi estrategista e de batalha, responsável pelo trio Ino-Shika-Cho. Itachi passou os olhos pelos três.

– Obito, Kurenai e Asuma. – cumprimentou. – Tem algum gennin que vocês querem que entre para a seleção? Não é necessário que eu fale as normas para um gennin ingressar no exame. Começando por Obito, vamos – Itachi estava apressado.

A principal regra para um gennin ingressar no Exame Chuunin era a de ter realizado corretamente o mínimo de oito missões. A partir disso, o gennin pode ser recomendado por seu sensei e terá que realizar o exame mesmo se o jounnin responsável por seu time não tiver o comunicado antes. Arcaico, mas sempre deu certo.

– O Time Sete conduzido por Obito, Haruno Sakura, Uchiha Sasuke e Uzumaki Naruto. – apresentou. – Sob o nome de Uchiha Obito, eu os nomeio para o teste de seleção.

Itachi e os demais jounnins esconderam a surpresa. Não era normal um sensei novato recomendar seu time inteiro para o Exame Chuunin, ainda mais sabendo que todos eram novatos na graduação ninja. Obito certamente era corajoso.

– O Time Oito conduzido por Kurenai, Aburame Shino, Hyuuga Hinata e Inuzuka Kiba. Sob o nome de Yuuhi Kurenai, digo o mesmo que o anterior.

Kurenai também?; pensaram. Vindo de Obito era até esperado, já que o Uchiha não tinha a fama de ser inteligente, mas não Kurenai. O que os senseis novatos estariam planejando?

– O Time Dez conduzido por Asuma, Akimichi Chouji, Nara Shikamaru e Yamanaka Ino. – tragou um pouco de seu inseparável cigarro. – Sob o nome de Sarutobi Asuma, digo o mesmo que o anterior.

– Hn. – Itachi sorriu de canto. – Todos? Isso é muito raro.

– Espere um segundo!

Itachi ergueu uma sobrancelha.

– Diga, Gai.

– Eu gostaria de retrucar a decisão dos meus colegas. – cruzou os braços. – O Exame Chuunin não é uma brincadeira para crianças. Pessoas sofrem e se machucam durante as provas, muitas morrem ou ficam tão feridas que não poderão mais se tornar ninjas. Vocês são senseis novatos, não precisam recomendar seu time logo no primeiro exame. O meu próprio time teve que treinar um ano antes de participar do exame.

Obito riu.

– Seu time é seu time, Gai. – disse. – A partir do momento que aquele trio saiu da Academia, estão sob a minha responsabilidade. Eu sou seu sensei, não você. As regras são minhas e eu decidi que eles vão participar do Exame Chuunin.

Os olhares pararam sobre Obito e Gai. Maito Gai é um dos melhores jounnins de Konoha, de cabelos de tigela e sobrancelhas grandes, era uma negação na Academia. Porém, a partir do trabalho duro e das chamadas “chamas da juventude”, Gai deu a volta por cima e agora liderava o mais forte trio de gennin de Konoha. O mais conhecido, é claro.

Gai se aproximou lentamente de Obito e parou a centímetros de distância do mesmo.

– Você não sabe do erro que está cometendo, Obito. – suspirou. – Kakashi não faria isso.

Silêncio. Obito abaixou a cabeça e segurou as mãos em punhos, se segurando para não dar um soco na cara de Gai. Rin foi segurada por Hayate, vendo que uma possível briga poderia acontecer. O assunto Kakashi ainda era muito recente para o Uchiha, mesmo que o Hatake tenha morrido há mais de dez anos atrás.

– Gai, eu sei que você era um grande amigo do Kakashi, vivia o chamando de rival e o perseguia por todos os cantos. – quando levantou a cabeça, seus sharingan estava ativado. – Mas eu espero que não tenha se esquecido que o melhor amigo do Kakashi sempre foi eu. Eu sei como Kakashi pensa e como ele funciona, tenho certeza de que ele teria feito o mesmo e você vai perceber isso também quando conhecer o meu time. – virou-se para Itachi. – Minha decisão não mudará, Hokage-sama.

Kurenai e Asuma concordaram com Obito. Seu time era novato e nada acostumado com a sistemática do exame, mas aquela prova serviria como uma experiência de crescimento para eles. Estavam confiantes – e mais ainda depois das palavras do Uchiha.

Gai bufou e maneou com a cabeça, voltando para seu posto. Você não tem ideia no que está metendo seu time, Obito; Itachi passou as últimas instruções. Eles não têm chances contra Lee, Neji e Tenten.

– Entreguem os cartões para os seus gennins. – Itachi sorriu. – Tenho uma reunião com o líder de Iwagakure agora, é a primeira aliança entre Iwa e Konoha em anos, sabem como isso é importante.

– Mais gennins vão participar esse ano então. – disse Kurenai. – Kiba vai ficar ainda mais ansioso.

– Shikamaru com certeza vai falar que isso tudo é problemático – disse Asuma, sorrindo amarelo.

Aqueles pirralhos vão amar a notícia, principalmente o Sasuke, pensou Obito enquanto via Itachi sumir em um mar de corvos, mostrando ser apenas um clone. Eles vão mostrar a força do Time Sete.

Esse vai ser o melhor Exame Chuunin da história de Konoha.


* * *


As pedrinhas soltas dos paralelepípedos da rua eram chutadas pela ponta das sandálias azuladas. Naruto olhava para o caminho com clara insatisfação. Nos últimos meses desde que havia entrado para o Time Sete, a única missão interessante havia sido a de Tazuna e o encontro inesperado com Zabuza e Haku. Desde lá, eram apenas missões rank-D idiotas de pegar gatos fujões e ajudar velhinhas a carregar suas compras.

Naruto estava começando a concordar com Sasuke, apesar de não ter coragem de enfrentar o Hokage frente a frente. Se fosse o Sandaime talvez o fizesse, afinal Hiruzen era o homem que bancava o muquifo que chamava de casa.

– Não sei porque ele não é mais o Hokage. – pensou alto. – O velho Sandaime é legal até, mesmo que passe a maior parte do tempo fumando charuto e pintando quadros.

Foi ele quem me falou de Kyuubi, afinal.

Ouviu um barulho suspeito e olhou rapidamente para trás. Reprimiu um sorriso divertido ao ver a caixa com dois furos nada discreta no meio da rua. Naruto havia se esquecido de como aqueles momentos eram divertidos. Toda a sua animação tinha sumido depois que soube da notícia de seus pais, de qualquer forma.

– Eu já percebi vocês. – ouviu um resmungo. – Konohamaru, Moegi, Udon, saíam.

A caixa foi chutada para longe e um trio de pequenas crianças apareceu. Konohamaru, o neto do Sandaime e pupilo de Naruto – mesmo que o Uzumaki não tenha concordado com aquilo –, era o líder, sempre seguido de seus melhores amigos, Udon e Moegi.

– Você percebeu de novo. – Konohamaru suspirou e se aproximou. – De novo essa cara morta. O que aconteceu com você, nii-chan? – Naruto desviou o olhar.

– Não é nada, Konohamaru.

– Você anda muito frio. – as outras crianças vieram e concordaram. – Somos rivais, mas também somos amigos às vezes.

Naruto reprimiu um pequeno sorriso.

– São coisas minhas. – virou-se. – Não posso brincar com vocês hoje.

– Você não brinca com a gente há meses, já estamos acostumados. – Naruto se sentou em um banco e foi seguido por Konohamaru. – Não dá para ser rival de algum tão jururu, Naruto no nii-chan.

– Foi por causa da notícia, Naruto-san? – perguntou Moegi, preocupada.

– Todos estão falando disso na vila – Udon disse, respirando fundo.

– Verdade! Não é legal, nii-chan? – os olhos de Konohamaru brilharam. – Somos parentes de Hokages!

Naruto negou com a cabeça e se levantou. O sol levantava ao meio dia. Avistou Sasuke e Sakura se aproximando. Obito havia combinado de se encontrar com eles naquele local, mas, como ele sempre se atrasava, provavelmente só chegaria uma ou duas horas depois.

– Não é legal quando meus pais estão mortos, Konohamaru.

Konohamaru engoliu em seco, percebendo que havia falado demais. Desculpou-se com um resmungo e saiu correndo dali antes que Naruto brigasse com ele. Moegi e Udon o seguiram na corrida, mas pararam quando o pequeno Sarutobi esbarrou em um garoto de cara amarrada.

– Olha por onde anda, pirralho – levantou-o pela gola.

Sasuke e Sakura apareceram no momento em que o garoto moreno com estranhos desenhos tribais roxos maquiados no rosto fez Konohamaru gritar. O pequeno tremia de medo. Os olhos do forasteiro exalavam uma sensação estranha.

– Vê a bandana dele? – Sakura sussurrou. – É um ninja de Suna.

– Não vamos fazer nada? – Sasuke perguntou no mesmo tom.

Naruto grunhiu e se aproximou. Mesmo que estivesse se distanciando dos pequenos, era muito próximo de Konohamaru. Seus olhos sonhadores eram quase como os dele – antes de receber a notícia sobre seus pais, claro, Naruto era outro agora. De qualquer forma, não deixaria ninguém que fizesse Konohamaru gritar ficar impune.

– Largue-o – disse.

– E você vai fazer o que? – olhou-o de cima a baixo. – Podemos lutar se quiser.

– Não quero perder meu tempo com você. – rosnou. – Largue-o, agora.

O ninja de Suna assistiu os olhos de Naruto mudarem do azul opaco para o vermelho cor de sangue. Tremeu dos pés a cabeça e largou o pequeno Konohamaru no chão, que rapidamente se levantou e correu para trás do Uzumaki, procurando proteção.

– Você...

– O que pensa que está fazendo, Kankuro?

A voz vinha de uma garota poucos centímetros maior do que o garoto maquiado. Seus cabelos loiros eram presos em marias-chiquinhas e pela postura irritada, Naruto presumiu que ela era irmã mais velha do garoto.

– Nada não, Temari. – deu passos para trás. – Eu apenas esbarrei nele – riu.

– Seu irmão machucou o meu pirralho. – Naruto cruzou os braços. – E eu não gostei nem um pouco da atitude dele.

Temari arregalou os olhos ao ver o olhar irritado de Naruto. É igual ao olhar dele, pensou.

– Como sabe que somos irmãos?

– Intuição. – cruzou os bracos. – Agora, peça para que seu irmãozinho não venha mais irritar o meu.

– Naruto no nii-chan – Konohamaru sorriu. Isso, mostra para ele quem você é!

– Eu não vou dizer nada – Kankuro estava brincando com fogo.

Antes que Naruto partisse para cima de Kankuro, uma pedra foi jogada no meio dos dois. A atenção foi dirigida para um garoto baixinho de pele pálida. Seus cabelos eram da cor do sangue e o verde água de seus olhos era tão opaco quanto o azul de Naruto. Uma cabaça estava presa em suas costas.

Ele era no mínimo interessante.

– Você é uma vergonha para Suna, Kankuro. – desceu da árvore e parou na frente de Naruto. – Peço desculpas pelo meu irmão, ele não costuma agir dessa maneira.

– Konohamaru, saía. – Naruto nem precisou repetir de novo e o trio saiu correndo dali. – Vejo que são de Suna.

– Viemos para o Exame Chuunin. – respondeu Temari, cruzando os braços. – Acredito que saibam o que é.

Concordaram com a cabeça. Exame Chuunin era um dos assuntos mais comentados em toda a vila.

– De qualquer forma, seu irmão me deu certo trabalho. – Naruto encarou Gaara. – Uzumaki Naruto.

O ruivo o olhou dos pés a cabeça. Por um momento, Naruto jurou ter visto os olhos verdes mudarem para um dourado penetrante.

– Sabaku no Gaara.

Eles estão conversando normalmente como se nada tivesse acontecido, pensou Sakura. Esse ruivo me dá calafrios, eu não gosto nada disso.

Naruto conversou mais com esse ruivo falso em um minuto do que comigo em dias, Sasuke cruzou os braços. Não gostei desse cara.

Por que ele só fala com o Naruto? – Sasuke bufou. – Eu também sou forte.

– Convenhamos Sasuke, existem muitos Uchihas em Konoha para esse Gaara querer falar justo com você – disse, sincera.

Às vezes eu odeio a sua sinceridade, Sakura, pensou Sasuke. Será que era tão sem-graça assim?

– Nós temos que ir – Kankuro não aguentava mais aquele ar tenso.

– Espere um pouco. – disse Gaara. Kankuro esperou, ninguém ousava contrariar o ruivo. – Vocês vão participar do Exame Chuunin?

– Estávamos indo nos encontrar com nosso sensei quando seu querido irmão nos interrompeu. – Naruto sorriu carregado de ironia. – Provavelmente, sim.

– Entendo. – virou-se. – Acho que iremos nos encontrar mais vezes – sorriu. Gaara nunca sorria. –, Uzumaki Naruto.

Gaara e seus irmãos saíram dali no momento que seu sensei apareceu. Aparentava ter a mesma idade de Obito. Tinha cabelos ruivos bagunçados e olhos castanhos. O Time Sete não prestou muita atenção nele, estavam mais preocupados com o estranho trio de gennins que haviam acabado de conhecer.

O sorriso não saiu do rosto de Naruto em nenhum momento.

– Dobe?

– O que foi, Teme? – riu. – Essa coisa de Exame Chuunin parece interessante.

A situação melhorou mais ainda quando Obito apareceu com seus cartões de convocação para o Exame Chuunin. Naruto não estava prestando atenção nas palavras do seu sensei, apenas sorria com a ansiedade. Esperava encontrar pessoas que aparentavam ser tão fortes quanto o ruivo de olhos opacos.

Seria um bom treino para Naruto, com toda certeza.


* * *


Itachi suspirou e afundou as costas na cadeira. Sua reunião era em menos de cinco minutos e as palavras que devia falar estavam todas enroladas em sua cabeça. Uma aliança com Iwagakure no Sato nunca havia acontecido em anos por conta do antigo regimento de Ōnoki, o Sandaime Tsuchikage. No entanto, com a troca de Kage no ano passado, Konoha finalmente havia conseguido suavizar Iwa e criar uma proposta de aliança.

Mas Itachi iria pôr tudo a perder se não esfriasse a cabeça e lembrasse de seu discurso perfeito.

– Acalme-se, Itachi. – disse Gai. – Vai piorar as coisas se ficar esquentado desse jeito. Não sei como se estressa, a força da juventude corre por suas veias!

O Hokage suspirou. As forças da juventude pararam de correr por seu sangue no momento em que pôs aquele chapéu maldito em sua cabeça. Queria muito largar tudo para Obito, mas não podia. É tudo pela paz, Itachi, pela paz, repetia.

– É difícil lidar com tudo isso, ainda mais agora que Obito é sensei. – suspirou. – Eu agradeço por ter vindo me ajudar, Gai.

– Se Kakashi estivesse vivo, ele certamente te ajudaria com toda essa papelada. – Gai pegou um pergaminho e o leu. Entendia quase nada daquilo tudo. – Mesmo que eu não goste muito do Obito, às vezes eu tenho que concordar com o que ele fala.

– Kakashi faz falta para todos nós, mas nunca compare sua dor com a do Obito. – Itachi era bom amigo de Kakashi quando vivo. Ele iria recomendar o Hatake para os Anbu quando o mesmo, fatidicamente, morreu. – Obito nunca superou a morte dele.

– Eu sei. – suspirou. Gai se sentia culpado pelas palavras duras que disse ao Uchiha. – Kakashi era um bom rival, mas acima de tudo era um bom amigo. Se não fosse Kakashi aqui, seria Shisui.

Itachi pressionou os olhos com força, momentaneamente sentindo a cabeça doer. Assim como Kakashi era para Obito, Shisui era para Itachi. Gai engoliu em seco quando percebeu que falara demais – de novo.

– Certo, eu vou indo. – levantou-se. – Sua reunião começa em um minuto. Acalme-se, estou aqui para o que precisar.

O Hokage concordou com a cabeca. Itachi viu Gai saindo do escritório e abriu a última gaveta de sua escrivaninha. Tirou um retrato de dentro da mesma. Era uma foto de quando Itachi tinha treze anos. Havia acabado de se tornar um Anbu, na época.

Um garotinho de cabelos castanhos bagunçados e olhos escuros estava do lado do pequeno Itachi, sorrindo orgulhoso. Aquele era o melhor amigo e primo do Hokage, Uchiha Shisui.

– Por que você tinha que morrer, Shisui?

– É realmente uma lástima, hn.

Itachi se assustou e quase deixou o retrato cair. Olhou para a frente e sentiu que o ar não chegava aos seus pulmões.

– A porta estava aberta. – riu. – Nós temos uma reunião. Você se lembra, não é, Hokage, hn?

O chapéu marrom brilhava com a luz do sol que passava pela janela aberta. Com longos cabelos longos e intensos olhos azuis, o novo Tsuchikage não parecia passar dos dezesseis anos de idade. Assim como Itachi, ele também era considerado um prodígio.

– Tsuchikage-san – engoliu em seco.

O Tsuchikage riu. Estava acostumado com aquela reação vindo das outras pessoas. Muitos duvidavam do seu governo por conta da sua idade, na verdade.

– Poupe-me das formalidade, Hokage. – estendeu a mão. Itachi jurou ter visto uma boca sorrindo nela. – Sou Deidara, hn.

Itachi aceitou a mão. Seus olhos ônix se fixaram nos azuis do Tsuchikage. Era realmente ele. O neto prodígio de Ōnoki, o atual Yondaime Tsuchikage, Deidara.

– Uchiha Itachi.

– Temos muito a conversar. – recolheu a mão. – Certo, Itachi?

Por que meu nome na voz dele parece ser tão perfeito?; Itachi balançou a cabeça. Deixou o retrato  de Shisui sobre a mesa e começou a conversar sobre o que realmente importava com o Tsuchikage: negócios. Minutos depois, Deidara se despediu com um aperto de mãos e um sorriso de canto.

Iwa e Konoha eram oficialmente aliados.


Notas Finais


Obito, Kurenai e Asuma inscrevem seus gennins para o Exame Chuunin; Maito Gai; Time Sete conhece o time de Suna – o misterioso Sabaku no Gaara; Iwa e Konoha são oficialmente aliados

Ficou bom, hn?

PS¹ – Qual personagem para você é subestimado em Naruto?
PS² – Se não tivesse Deidara na minha fanfic então não seria minha fanfic, non
PS³ – Entrelinhas, senhoras e senhores
PS⁴ – Como eu disse, personagens que terão influência na história terão seu nome lentamente adicionados. Vejam as alterações, hn
PS5 – Gai, se dói para você, imagina para o Obito
PS6 – Exame Chuunin! Tenho muitas mudanças planejadas para esse arco

Ja ne!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...