1. Spirit Fanfics >
  2. Encanto >
  3. Mudanças

História Encanto - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, gente, alguns devem estranhar que excluí o antigo capítulo 2, mas foi algo necessário. Corrigi alguns pontos, obrigada pela atenção e aproveitem ^^

Capítulo 2 - Mudanças


72 horas antes da transformação

 

_Madara-sama, acredito que não há necessidade para isso e...

_Zetsu, minha decisão está tomada. Me reunindo com eles, eu teria menos preocupações.

_Sabe que isso inclui Itachi, certo?

_Sempre tem um lado negativo – disse o moreno com desgosto – mas é algo que eu possa suportar.

A conversa é encerrada devido as três batidas na porta.

_Entre.

_O que você quer agora? – disse a rosada entrando no escritório.

_Nós vamos ficar um tempo fora.

_Vocês dois né?

_Não, você também. Nem pense em protestar quanto a isso.

_Posso saber para onde?

_Um lugar distante daqui.

_Realmente, com essa informação, sei exatamente onde vai ser – disse sarcástica.

_Não tem necessidade de saber – disse cortando – Vamos partir amanhã cedo. Mais alguma pergunta?

_Ahh sim... posso levar o meu gato?

_Do que está falando? Onde arrumou um gato?

_Encontrei ele no gramado uns dias atrás, apenas estou cuidando dele.

Zetsu havia falado sobre um animal de estimação, mas não havia especificado.

_Sim.

_Obrigada – disse a rosada se curvando, o que não passou despercebido pelo moreno.

 

56 horas antes da transformação

 

Madara e Sakura haviam acordado cedo para chegar o quanto antes no local destinado. Eles entraram numa floresta, um tanto peculiar das demais que parecia que o quanto mais andava, maior o caminho ficava. A rosada havia sentido que estava sendo seguida por algo, até que em cima de um galho de uma árvore, viu uma criatura pequenina esquelética do tamanho de uma mão a observando sentada, que de repente se levanta e desaparece.

_Aonde ele foi? – indagou a rosada.

_Se refere as criaturas do espírito da floresta? Há vários deles por aqui.

Ao seguir a trilha, a rosada vê dezenas deles em cima dos galhos, encarando e girando suas cabeças, olhando-os com curiosidade, uns pulavam felizes, outros brincavam, corriam na sua frente.

Passados meia hora, os dois avistaram uma vila grande em extensão, mas com poucos distritos que detalhadamente eram enormes, mas seguiram passando por trás dela. Até que finalmente, chegaram, ficava distante dos outros, mas é uma fortaleza. A paisagem transmitia uma sensação de paz a Sakura que acabou desmaiando de cansaço, vendo isto, o Uchiha pegou a rosada e a colocou nas costas, descendo a trilha que fazia em direção ao imenso castelo.

Ao entrar nele, Madara foi imediatamente dar um banho em Sakura, ainda com as suas roupas na banheira, ficou uma hora em função disto, afinal ela estava desacordada. Para que não pegasse uma hipotermia, tirou suas roupas de cima e a colocou roupas bem grossas para se aquecer, sendo assim, a pôs na cama com cuidado e saiu.

 

No dia seguinte

40 horas antes da transformação

 

A rosada havia conseguido dormir bem, apesar de ter acordado um pouco tarde. Ela quis dar uma saída para explorar o lugar, e nisso dá de cara com um barco pequeno marrom.

Ele não vai achar ruim, se eu der uma remada por aí. Ainda mais, que estou com o chakra selado. Se eu voltar a tempo, ele nem percebe.

Madara havia dado uma saída para resolver um assunto pendente e nisso havia deixado um aviso para Sakura.

Não esqueça do que te disse antes.

 

No outro lado da vila

 

Ainda a tarde, Indra estava numa canoa no mar junto ao seu cachorro, tocando o apito que emitia um som doce que deixava os animais marinhos, como os golfinhos felizes. Ao anoitecer, os golfinhos nadaram ao lado oposto, o que não passou despercebido pelo moreno.

Estranho.

Ele pulou para entender o por que de todos nadarem juntos ao outro lado. Até que viu uma cabeleira rosa, perto de uma barreira de rede tentando desprender um dos golfinhos que gritava muito. Ao nadar mais próximo, ela conseguiu soltar.

O Uchiha havia ficado curioso em saber quem era a garota.

Aqui não tem ninguém de cabelo rosa. Deve ser uma forasteira.

Sakura sempre foi curiosa. A maré havia subido e viria uma correnteza, em breve. Remou mais distante ainda e deu de cara com um bosque que desta vez não tinha aquelas criaturas do espírito da floresta, mas sim com o seu gato de estimação, Bip, que ao vê-la correu floresta a dentro, fazendo sua dona o seguir.

_Ei, me espera – gritou a rosada correndo atrás do gato – Se você sumir, eu vou me perder também.

Ela correu muito até que se cansou e se perdeu do animal até que escutou um miado alto e foi ver que era um filhote de gato preso nas raízes da árvore.

_Então foi pra isso que me trouxe, certo? – perguntou olhando para o seu gato que acabara de aparecer – Esse lugar é cheio de armadilhas.

A rosada soltou o animalzinho que de repente o Bip pegou com a boca e saiu andando devagar com ele, mostrando o caminho de volta a shinobi. Ela começou a sentir tonturas, mas a não impediu de chegar em casa.

_Onde estava?

_No rio.

_Não minta pra mim, Sakura. Esteve no bosque, não é? Eu te avisei várias vezes para não ir ao outro lado, ainda mais quando se está tarde. Não posso dar um voto de confiança em você apesar desse tempo todo, ainda mais com o seu chakra selado. A partir de agora, vai ficar trancada no quarto – disse pegando a mulher pelo braço e a jogando dentro dele, fazendo com que ela caísse no chão. Em seguida, ela escutou várias fechaduras se trancando.

Ele havia colocado várias na porta.

 

...

 

_Oi, me chamo Tobi – disse sorrindo ao ver que ela acordou – Ele tá furioso com você.

_Quem?

_Eu não posso contar, mas ele faz coisas horríveis com as pessoas e vai fazer coisas horríveis com você.

_Eles devem estar em reunião, por que não te levaram?

_Falaram que era melhor eu tomar conta de você.

 _Não deve ser amigo deles, então.

_Por que eu não seria?

_Eu escutei uma voz masculina mais cedo dizendo que alguém estava chateado com um tal de Tobi.

_Como assim?

_Sabe o que eu escutei?

_Não

_Quer ouvir? Chega mais perto de mim para falar no seu ouvido.

_Estão querendo se livrar de você, estão chateados com você.

_Você está mentindo pra mim – disse triste.

_Não tem por que eu mentir.

_Por erros bobos? Eu já disse que eu faço sem querer, e eles nunca entendem – disse angustiado – Até outra hora – nisso foi correndo e trancou a porta com a chave.

Sakura percebeu que ele tinha uma personalidade de criança e de tanto ficar olhando para o teto, acabou adormecendo. Ao sentir uma mão em volta de si. Despertou e viu que a porta estava aberta.

_Isso não foi legal, você mentiu – disse Tobi atrás de si.

_Me desculpa, Tobi.

_Você quis fazer com que eu me sentisse inseguro aqui – Tobi se levantou.

_Não foi a minha intenção – a rosada levantou em seguida.

 _Posso te beijar no rosto?

_Pode – disse rápido.

O beijo foi algo curto e simples. O suficiente para Tobi começar a gostar de Sakura.

_Eu gosto de você, fiz alguns desenhos daquele gato que você tem. Aqui não tem animais. Ele vivia deitado na janela do meu quarto, mas todas estão trancadas. Na verdade, tem uma que está aberta e fica no meu quarto.

_E como é essa janela?

_Enorme.

_Eu posso ver?

_A janela?

_Não, os desenhos.

_Eles estão no meu quarto.

_Me leve até lá – disse ela pegando nas mãos do Tobi.

_Eu não posso, você vai fugir de novo e vão ficar furiosos comigo.

_Eu não vou fazer isso.

_Está mentindo de novo – disse triste.

_Não estou. Eu estou sozinha neste quarto, assim como você está sozinho no lado de fora desta porta.

_Vem comigo – disse ele puxando-a pra fora do quarto.

 

_Esses são os meus desenhos. Não são aquela coisa, mas é algo né – disse mostrando cada um – Esses são os golfinhos que vivem aparecendo aqui, desde que você chegou.

_Nossa, são lindos – disse cautelosa – E quanto a janela que você disse que desenhou, onde ela fica?

_Aaaah, a janela. Ela fica aqui – disse apontando para um desenho dividido em vários papéis que encenavam uma janela grande.

_Esta é a janela que estava falando? – disse desesperança.

_Sim, não achou que era de verdade, né?

_Não, não é isso – a rosada se encolheu.

_Você queria fugir!!!

_Olha não é isso, sério – disse tentando acalmar Tobi que se sentiu traído.

_Você não gosta de mim

_É claro que eu gosto.

_Vou contar pra eles que tentou fugir – disse saindo de perto da rosada.

_Se contar é porque não gosta de mim.

_Volta pro seu quarto, por favor. Não quero ver você – disse triste.

Sakura obedeceu ao que Tobi dizia, pois poderia piorar a situação em que se encontrava. Entrou em silencio no quarto que logo em seguida foi trancado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...