História Encanto de Professora. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome
Visualizações 75
Palavras 2.127
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiê olha eu aqui de novo.
Mais uma one. KKK
Bom vou postar aqui e sair correndo espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Encanto de Professora. - Capítulo 1 - Capítulo Único.

 Encanto de Professora.

Inu/Kah.

• Capítulo único.

...

Assim que ela entrou na escola pra dar aula seus olhos encontram os meus e nunca mais deixei de pensar nela, Kagome, a professora maravilhosa e gostosa, que não só os alunos comentavam sobre ela, mas também os professores saíam falando.

Toda vez que ela dava aula nossos olhares se cruzavam me fazendo sentir algo a mais, eu a olhava dos pés a cabeça e como ela se vestia diferentes, em todas as aulas. Eu já me encontrava perdido em pensamentos por ela.

Perdendo as contas de quantas vezes ela também me observava e cheguei realmente a pensar que ela também estava afim de mim...

InuYasha, tenho 18 anos de idade e repetir o terceiro ano pela primeira vez. As aulas eram chatas e já não tinha muito Interesse em certos assuntos até que "ela" passou pela porta.

Poderosa, sex, exuberante e firme em suas passada, usava uma jaqueta por cima de sua blusa branca e social, porém não dava pra ver seu busto por conta dos livros que carregava em frente ao corpo, a saia lisa e social também até os joelhos e seus belos saltos deixava irresistível...

De repente me peguo imaginando ela retirar aquela roupa sedutora, fazendo meu "pau" criar vida por dentro da calça.

Meus pensamentos pornográficos foram cessados por um par de belos seios fartos que pularam a minha frente, e na tentativa de conhecer a dona daqueles belos vales, meus olhos subiram pelo seu pescoço, queixo, lábios avermelhados e olhos estremamente sérios por de trás daqueles óculos de leitura.

— Eu estou lhe chamando a 15minutos InuYasha, o que tanto pensar? - ao ouvir sua voz como música aos meus ouviu minhas mãos passaram inquieta pelas minhas coxas e só aí percebi o que estava acontecendo comigo.

Pra disfarçar cruzei minhas pernas, e apoiei meu queixo sobre minha mão mudando de assunto.

— O que deseja professora, Kagome?

— Você não me ouviu não é mesmo? - constrangido com a pergunta dela não soube se falava a verdade ou mentisse.

— Eu estava pensando em algo. - se levantou ficando ereta ajeitando os óculos.

— E eu posso saber sobre o que pensava. - "claro, oh se pode, eu estava pensando em como eu poderia tranzar com você". Pensei balançando a cabeça tentando dissipa aquele pensamento.

— Não professora, é algo particular. - achei melhor guarda pra mim mesmo.

— Quero que todos saíam, menos você InuYasha. - Quando ela disse isso me congelei na hora, não pelo fato de ficar na sala, mas sim por que eu estava "com minha barraca armada".

Assim que todos saíram ela trancou a porta e volto a caminha parando a minha frente, dei graças por esta entre duas carteiras e ela, definitivamente ela saberia o que eu realmente estava querendo dela.

— Me diga InuYasha, você está interessado em sua professora de matemática? - A professora de matemática que ela se refere era ela mesma, com o nervosismo minha perna direita começou a se mover rápido de mais demostrando meu nervosismo.

— Não professora, claro que não, eu a respeito como qualquer outro professor desta escola.

Crusando os braços em frente aos seios eles deram uma leve aumentada chamando atenção de meus olhos , "quando pensei que já estava voltando ao seu normal "ele" acorda novamente e eu tive que abaixa os braços pra disfarçar minha ereção.

— Não seja bobo Inu. - Ela chamou meu nome ou melhor a metade dele gostosamente, me causando arrepios. — Vai me dizer, que você não repara na sua professora atrevida?

Pergunta ela se sentando sobre a primeira carteira apoiando apenas uma perna sobre mesma me causando uma pequena curiosidade pra saber o que tinha lá em baixo. Meus olhos me prenderam ali me distraindo novamente.

— InuYasha, estou falando com você.

— Eu não quero lhe falta com respeito professora. - Ela fez uma cara de inocente e aquilo me chamou atenção. Sedutora e irresistível. Como pode?!

— Acredite em mim. Você não faltará.

Ela se levantou novamente e dessa vez parou ao meu lado alisando meus cabelos platinados e depois meu rosto com os dois primeiros dedos.

— Pode dizer o que acha da sua professora, prometo a você que não me sentirei ofendida - disse cada palavra de um modo que me deixou louco.

— A senhora, é muito bela. - disse ainda de boca aberta a vendo sorri docemente.

— Não me chame de senhora, me faz me sentir velha, afinal eu só tenho 25 anos. - disse ela soltando os cabelos os sacudindo.

— Maravilhosa... disse ofegante ao ver aquilo.

— Você acha? - pergunta ela desabotoando os botões da camisa.

— Certeza. - eu dizia sem desviar meu olhar dela memorizando cada detalhe magnífico que ela fazia.

— Você é um fofo Sabia. - disse ela rindo gostosamente levando as mãos ao meus pescoço e se inclinou me fazendo sentir seus lábios sobre os meus. — Gostaria de aulas particulares? - meus olhos se arregalou com sua pergunta e me peguei pensando se ela poderia já ter feito isso com outros alunos.

— Você, já fez isso antes? - perguntei meio robótico.

— Sobre o que se refere? - pergunta sedutora e logo em seguida sentou-se em meu colo me deixando constrangido.

— Isso que está fazendo. - o olhar dela era de luxúria e seu sorriso de sapeca que não passou despercebido.

— Isso fará diferença?

— Bem não, mas seria bom saber.

— Bom... - ala abriu os primeiros botões da minha camisa polo e a puxou retirando de mim revelando meu peitoral malhado pela academia. — Se lhe faz se sentir melhor você é o primeiro que faço isso. Foi o primeiro dos meus alunos que me interessei de primeira, mas se você quiser... - ela pegou minha mão e ajudou a subir pelo seus corpo pausando em seu seio esquerdo. Me deixando ofegante. — Eu posso para e fingir que nada disso aconteceu

Ela colocou os dedos entre meus cabelos da nuca e logo senti meu corpo todo se arrepia com aquilo.

— Ho, Kagome... - gemi seu nome fechando os olhos e ela se aproxima do meus ouvido lambendo meu pescoço e falando em seguida.

— Hum... Que gostoso. Você não quer sentir mais nada? - dito isso ela mordiscou minha orelha, e minhas mãos apertaram suas coxas com força. — ham... Mãos grandes e fortes você tem...

Abri meus olhos encontrando os dela e me delicie com a luxúria que ela exalava. Pegando em minha mão novamente ela a colocou o meu dedo indicador em sua boca começando com movimentos eróticos o chupando delicadamente me deixando de boca aberta em total êxtase.

Suas mãos percorreu meu corpo chegando ao coz da calça enfiando sua mão por dentro dela sentindo o quanto estava vidrado nos movimentos dela.

— Hum... Você é grande, e grosso, adoraria sentir-lo em mim. - pelo visto ela gosto do que sentiu.

— Professora atrevida.

— Você quer? - pergunta ela.

— Muito. - ela se levantou de cima de mim retirando a camisa revelando aqueles grandes seios por baixo do sutiã. Ela era perfeita seu corpo estrutural e bem rígido com suas curvas nos lugares.

— Você gosta do que vê? Hum ... - eu não sabia se tocava nela ou se babava por que era a única coisa que eu consegui fazer naquele momento.

— Bastante. - ela se virou de costas pra mim colocando aquele bumbum grande em minha frente indicando o zíper da saia.

— Você poderia tirar pra mim? - pediu ela me olhando por cima do ombro.

— Claro. - minha mão direita a segurou pela cintura e a esquerda deslizou lentamente o zíper revelando cada centímetro de sua calcinha fio dental vermelha com alguns detalhes em preto, fazendo meu coração acelerado. A visão dela era incrível e assim que o zíper finalizou sua saída, caiu de uma vez revelando o corpo extraordinário que tinha.

— Você gosta? - disse docemente levando o dedo indicador aos lábios ficando mais atraente.

— Gostar? Eu estou louco de tesão. - dessa vez me levantei com tudo e antes dela falar alguma coisa calei sua boca na minha a beijando intensamente.

Nossas línguas brigaram por espaço de tão gostoso que estava aquele beijo depósito minhas mãos sobre sua cintura e ela me abraça o pescoço me puxando cada vez mais pra perto dela.

— Quer fazer agora? - pergunta ela com uma brecha que ouve entre nossas bocas.

Minha mão entrou por dentro de sua calcinha a sentindo toda molhadinha por dentro.

— Oh que delícia. - falei ofegante abrindo minha calça e a descendo por completo revelando minha ereção pulsando por ela.

— Eu quero agora. - ela mesma retirou sua calcinha sem nenhuma dificuldade e sentou-se sobre a carteira abrindo as pernas, me deixando maravilhado com a visão.

Me aproximei dela me inchando em sua entrada, enquanto ela segurava ele me ajudando a penetra-la.

De vagar eu entrava sentindo sua intimidade inteira quente e humida me engolindo por completo, ela era estremamente gostosa me fazendo desliza suavemente.

— Ah que delícia, você é tão gostosa professora. - disse ofegante fechando os olhos me deliciando com aquele momento privilegiado pelos deuses.

— Você que tem um pau gostoso e grande. - disse ela gemendo ao se inclinar pra trás, puxei seu sutiã fazendo seu seio pular pra fora e o abocanhou dando uma mordida em seu bico a ouvindo gritar de prazer — Meu aluninho mau criado. - disse ela fervorosa. — Chupa gostoso meu seio vai.

— Seu pedido é uma ordem. - o puxei com força e o suguei um pouco forte e senti que ela gostava de um pouco de "brutalidade", e por fim descido então penetra-la mais forte e rápido.

— Isso!!! Ah!. - Apertei seu clitóris com o polegar sentindo ela estremecer com aquilo.

— Inu, eu vou gozar. - disse mordendo seu labios sentindo o prazer, ao sentir-la se contraindo sobre meu membro quase me explodo de tesão.

— Eu também professora. - disse ofegante sentindo o suor escorrer pelo meu corpo e me inclinei sobre ela ainda dando algumas estocadas firmes e fortes, e logo ela gozou assim que sentir que iria me aliviar me retirei dela gozando sobre sua barriga a vendo se deliciar com aquilo.

— Você é deliciosa, professora. - Ela me puxou pelo ombros e me beijou falando em seguida.

— Você que é fantástico, adorei seu "pau" na minha boceta, gostaria de repetir? - sorri de lado com sua pergunta e falei.

— E criança rejeita doce? - Ela sorri de lado e continuamos nosso caso até o ano se finalizar.

Foram nove meses de um relacionamento escondido "Por que a escola tinha regras que os alunos não poderiam ter um relacionamento romântico com os professores". Mas já estava dando na cara até que o diretor descobriu e pediu que Kagome se retirasse da escola. Ela foi manda embora por minha causa.

— Eu sinto muito Kagome. - falo a observando guarda suas coisas em uma caixa.

— Ta tudo bem inu, não se preoucupe.

— Como não?! Você está sendo mandada embora por minha causa. - ela parou o que fazia e me observou delicadamente. Tocou meu rosto e logo em seguida deposita um selinho simples sobre meus lábios.

— Não foi sua culpa, e sim minha, eu sabia que estava entrando de cabeça muito rápido e acabei me apaixonando por você.

Suas palavras foram sinceras e tive vontade de abraçar lá naquele momento. — Bom não se culpe por isso, estarei em casa te esperando, agora quero que você termine seus estudos e se forme, pra que possamos conversar do nosso futuro.

— Você quer ... Fica comigo? - perguntei confuso por causa da nossa idade.

— Não entendo, há algum problema?

— E que temos uma diferença de idade. - ela arqueou a sobrancelha e falou.

— Isso faria diferença se os papéis fossem ao contrário? Idade são apenas números, não vou deixar de viver o que eu acredito por causa da sociedade mal amada desse mundo. - Ela era incrível. Me aproximei dela e a beijei.

— Eu te quero por muito tempo.

— Eu também bonitinho. Agora deixa eu ir pra não arruma problemas pra você. Até mais.

— Até. - falei a observando se afastar e pensei como seria daqui pra frente com minha deusa em casa. — É minha agora.

Não queria dizer pra ela, mas estava feliz que ninguém mais iria ficar olhando e nem a desejando muito menos aqueles idiota dos professores que acham que são uns máximo, agora apenas eu irei olhar para ela...

— Só minha...

Fim!!!


Notas Finais


E isso ^^
Bom eu fiz essa one para as meninas que me pediram uma continuação pra one "Meu caso com o Professor". Eu havia dito que não haveria continuação então, pensei em fazer algo diferente...
Meninas espero que tenham gostado.
Suas lindas até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...