História First Love - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Romance, Taehyung
Visualizações 109
Palavras 1.527
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello

Capítulo 16 - Chapter Sixteen


Fanfic / Fanfiction First Love - Capítulo 16 - Chapter Sixteen

Pov. Bella


Eu levantei daquele banco de praça e corri para casa. Ainda não havia caído a ficha de que novamente, aquilo tudo estava se repetindo.

Eu pulei na cama e me sentei abraçando minhas pernas. Lembrei da cena de Taehyung e Agnes enquanto aquela dor no peito me invadia.

— Bella! — ouvi o grito e em seguida a porta do meu quarto se abrindo. Era Jimin. Ele me olhava com pena enquanto andava até mim e se sentava ao meu lado — Desculpe, quebrei minha promessa. — o abraçei e minhas lágrimas encharcaram seu uniforme.

— A culpa não é sua. Você é o melhor irmão do mundo. — murmurei com a voz falha.

— Eu não suporto te ver assim. O que aquele maldito fez? Quero mais motivos pra terminar de socar a cara dele!

— Você bateu nele? — me separei bruscamente e encarei meu irmão perplexa.

Senti um aperto no peito ao imaginar Taehyung machucado, apesar de tudo eu ainda amo muito esse babaca.

— Acha mesmo que ele ia te fazer chorar e ficar por isso?

— Eu o amo Jimin. — nem terminei a frase direito e mais lágrimas eram derramadas.

— Eu sei. E é disso que eu tenho medo. — ele suspirou.

Quando me recompus contei tudo para Jimin, que ficou ainda mais enraivado. O fiz prometer que não machucaria Taehyung novamente e ele assentiu depois de muita insistência da minha parte.

                         x

Neguei ir para escola durante  aqueles três últimos dias da semana, eu sabia que se olhasse Taehyung, eu iria me machucar mais, já não bastava as inúmeras ligações e mensagens dele que eu fazia questão de não atender ou responder.

Meus pais não sabiam do ocorrido. Eu não iria os preucupar com meus problemas como da última vez.

Meus choros não cessaram, eu não comia direito e muito menos saía do meu quarto que virou meu refúgio.

Sook, Jane e Kate eram as únicas que vinham me visitar e me dar apoio.

 Não aceitei a visita de Yumi, pois Jimin disse que várias vezes a mesma já tentou convecer ele a ouvir o lado de Taehyung, mas ele negava.

Eu estava disposta a esquecer, mas seria impossível já que estudamos na mesma escola. Eu só me pergunto que dentre tantas garotas, porque logo a Agnes, ele sabia o quanto ela me odiava, e mesmo assim se declarou pra ela na minha frente.

A traição certamente era o que mais me machucava.

No sábado Jimin me conveceu a sair do quarto. Passamos o dia assistindo filmes de ação. Até que Mia exigiu assistir seu anime de costume, o que me fez lembrar instantaneamente de Taehyung e o desenho que eu lhe dei naquele dia.

Senti o celular vibrar no bolso. Provavelmente ele. De novo.

Bufei alto.

— Deixa que eu atendo. — Jimin me tomou o aparelho. — Espera, é a Lisa.

— Sério? — franzi o cenho.

Fazia tempo que eu não falava com ela e Rose, era até estranho.

— Alô? — atendi.

— Bella, querida, Yumi me contou o que aconteceu, sinto muito. — Lisa disse sincera.

— Não se preocupe Lisa, eu estou bem melhor agora! — menti.

— Hum, sei. Bem esquecendo isso, eu e Rose estamos indo até uma lanchonete, aquela da noite passada, você aceita vir? Faz um bom tempo que não nós vemos.

— Não sei. — murmurei indecisa.

Por que isso assim de uma hora pra outra?

— Bella, você esta muito presa, te esperamos as quatro! — e desligou.

Ela tinha razão.

Aquilo seria bom pra me descontraír um pouco.

Então eu concordei comigo mesma.

Assistimos o resto do desenho, eu tentando sentir nenhum tipo de ressentimento e em seguida fui tomar um banho, eram exatamente três e meia.

Vesti um short jeans vermelho, all star preto básico, uma blusa preta de mangas e amarrei um casaco preto na cintura. Soltei os cabelos e passei um pó de leve pra disfaçar meu rosto que ainda estava um lixo.

Fui um pouco mais cedo e andei lentamente pelas calçadas sentindo uma brisa que fazia tempo que eu não presenciava. Foi quando vi aquela pracinha e bateu a tristeza.

Eu simplesmente não conseguia mais me ver sem Taehyung do meu lado fazendo parte dos meus dias. Ele simplesmente fazia parte de mim.

Seus beijos, carinhos, tudo fazia falta, ele fazia dos meus dias mais alegres. E só de imaginar ele fazendo isso com outra garota quebrava meu coração.

Andei tão devagar que cheguei atrasada, mas elas não estavam ali. Me sentei numa mesa perto da janela e pedi um milk shake de chocolate – fazia um tempo que eu não sentia o gosto de doce –, e fiquei observando a movimentação do lado de fora.

De repente vejo uma figura que me chamou atenção ao adentrar o local. Vestia calça jeans meio rasgada, all star preto surrado, uma camisa cinza de mangas longas e o capuz que cobria seu rosto. 

Ele me era familiar.

Aquele andar e o cabelo castanho que acabava de escapulir...

Taehyung!

O que ele faz aqui?

Ele vinha em direção a minha mesa apressadamente e sentou de frente pra mim, ia me levantar mas sua mão gelada agarrou forte meu pulso e me fez sentar novamente.

— Precisamos conversar! — a voz grossa dele soou como uma ordem.

Tirou o capuz e me encarou seriamente, me dando até arrepios, ele encarou meu pulso a qual eu massegeava disfarçadamente.

— Eu te machuquei? — me encarou preocupado, eu quase entrei em hipnose olhando nos seus olhos, mas retomei a postura.

— Sim, é só o que você tem feito durante esses dias. — desviei meu olhar do dele encarando algo qualquer lá fora, ele suspirou.

— Amor eu..

— Não me chame de amor, você perdeu totalmente esse direito! — disse rude cruzando os braços.

— Bella, me dê a chance de me explicar somente essa vez! — nesse momento a garçonete chegou.

— Obrigada. — abri um sorriso que só eu mesma sabia disfarçar  numa situação daquelas e fui obrigada a sentar — Você não precisa explicar nada, eu mesma vi, com meus próprios olhos e tirei minhas conclusões. — disse voltando ao tom anterior.

— Você é boa — o olhei confusa — Em fingir, tem um talento nato, mas não siga em diante, vai se machucar. Eu não quero que se machuque.

— Sério? — disse irônica — Pois até três dias atrás você mesmo fez isso ao declarar seu grande amor pela Agnes. Vocês se merecem! — disse enojada ao lembrar dela.

— Nunca mais repita isso. Meu coração pertence a uma só pessoa. É você que eu amo, Bella você entendeu tudo errado!

— Você beijou a Agnes na minha frente Taehyung. Não tem prova maior no mundo de que..

— É minha vez de falar agora! — ele me interrompeu  tapando minha boca com uma de suas mãos enormes e macias.

Eu não hesitei pois ele me encarava profundamente e tirou a mão assim que viu que eu não ia mais falar nada.

— No dia anterior ao ocorrido que você me contou sobre o aniversário, eu fiquei muito pensativo como você mesmo percebeu e eu havia comprado um presente sem nem ao menos saber disso e decidi que ia te dar no dia seguinte. Assim ocorreu, eu ia te fazer uma surpresa por isso te evitei ao máximo, eu sabia que ia acabar cedendo a tentação e te contando. — ele disse com a mais pura sinceridade — Planejei uma tarde perfeita. E como planejado você caiu certinho e ficou confusa com aquilo tudo, eu queria te trazer momentos felizes. — eu não nego que aquelas palvaras tocaram meu coração.

Eram palavras que somente Taehyung era capaz de dizer e me deixar assim.

— Eu estava na biblioteca, ansioso para que tudo terminasse e eu me encontrasse logo na saída com você, mas Agnes surgiu do nada muito estranha. Ela certamente havia armado tudo. Fui um tolo por não perceber nada. Enquanto eu pegava um livro ela se pôs na minha frente e pediu pra ler um papel que supostamente havia recebido de um garoto. Eu li e estavam escrito as palavras que você me ouviu dizer, pois certamente ela já sabia que você estava ali. Quando terminei confuso com tudo, ela disse aquilo e me beijou inesperadamente, foi quando o livro caiu e eu percebi que você estava ali. — ele abaixou a cabeça — Me desculpe. — uma lágrima escorreu pelo seu rosto — Eu não tinha a intenção de te fazer sofrer Bella. Você se tornou tudo pra mim, sem você eu não sou nada, me perdoe! — eram tantas informações ao mesmo tempo que meu cérebro estava a mil.

Eu me levantei rapidamente deixando uma nota sobre a mesa.

— Preciso pensar. — disse saindo dali e andando rapidamente a um lugar indeterminado.

Então ele quis dizer que foi tudo armação de Agnes? Mas e se ele estivesse mentindo?

Não, ele estava muito sincero!

Ou será que não?

Aquela cena na biblioteca parecia muito verdadeira.

Logo vi que estava muito longe da lanchonete e o sol estava se pondo.

Suspirei alto.

De repente, uma van preta para ao meu lado, rapidamente um homem encapuzado saí de dentro e me prende pelo pescoço.

— Me solta! — exclamei me debatendo.

— Tenha bons sonhos! — a voz grossa e assustadora disse.

Em seguida um pano foi posto no meu nariz, o cheiro era forte e logo tudo escureceu.


Notas Finais


Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...