1. Spirit Fanfics >
  2. Encontro com a Vampira - Jenlisa >
  3. A base

História Encontro com a Vampira - Jenlisa - Capítulo 16


Escrita por:


Capítulo 16 - A base


Por um momento eu achei que estava sonhando de novo. Aquele sonho onde dançávamos.

Eu corri em direção a ela e a abracei forte sem me importar se eu estava vendo coisas.

–Lisa você está bem? – Rosé perguntou. Soltei o abraço e me afastei para olha-la, ela estava séria, mas ainda era a Lisa que eu conhecia.

–Preciso falar com Seulgi – Ela disse.

–Mas o que aconteceu lá Lisa? Como ele conseguiu te fazer desmaiar? – Jisoo perguntou.

Lisa pegou a minha mão e se sentou no sofá. Eu sentei ao seu lado. Jisoo sentou do seu lado direito e Rosé se sentou em um poltrona do nosso lado de frente para nós.

–Vocês o mataram?

–Sim, quando chegamos vimos a menina... e você no chão – Rosé falou.

–Ele fez algo com ela, ele disse que queria saber como Eva nos teve. Eu me descuidei. E também disse outra coisa.

Ela fez uma pausa enquanto acariciava a minha mão.

–O que seria? – Jisoo perguntou.

–Ele disse que os humanos estão fazendo experimentos com agente.

–Isso é impossível, não tem como pegarem agente sem que soubéssemos – Jisoo falou.

–Somos catalogados você sabe – Rosé disse.

–Somos todos tão controlados que ninguém sabia quem Kimura era. Fora os outros que fogem e somem – Lisa falou meio alto, parecia estar chateada.

–Lisa esse cara era um maluco! Você já esqueceu quantas merdas nós já vimos e ouvimos?

–Eu sei Jisoo, mas mesmo assim preciso ir lá hoje.

–Acho que você teria que ir lá de qualquer jeito – Diz Rosé.

Lisa solta a minha mão e se levanta. Eu fui atrás dela com pressa.

–Espera! Posso ir com você? – Coloquei minhas mãos em seus ombros.

Ela desviou o olhar em direção as meninas. Me virei também em direção a elas e vi que Jisoo estava fazendo um sinal de negativo.

Lisa volto o olhar para mim e pôs as duas mãos na minha cintura.

–Claro docinho – Ela se inclinou e beijou a minha bochecha.

Eu senti minhas bochechas esquentando, estava sem graça por ter gente assistindo sua demonstração de afeto comigo.

Me afastei e estiquei a camisa:

–Olha estou usando sua camisa, espero que não se importe – Falei tentando amenizar a vergonha que eu estava sentindo.

–Pode usar o que quiser meu. Já volto. – Ela piscou e foi para o seu quarto.

–Vou avisar a Seulgi que estamos chegando e que Lisa está bem. – Rosé se levantou e também foi para o quarto.

Só ficamos eu e Jisoo na sala, resolvi me sentar perto dela no sofá.

–Tudo bem mesmo eu ir? Não existe nenhuma regra que me impeça?

–Está tudo bem, somos todas responsáveis por você Jennie.

–Como assim?

–Quer dizer que se você fizer algo que nos prejudique de alguma forma seremos todas julgadas.

–Não existem prisões para gente, mas não me preocupo com isso, algo me diz que eu posso confiar em você

Não sei exatamente o que ela quis dizer com ‘’não existem prisões’’ e com ser ‘’julgadas’’, mas isso não me preocupava, eu nunca as prejudicaria.

–Por que eu pareço com a Ruby? – Perguntei e ela desviou o olhar.

–Então, eu vou arrumar minhas coisas e você também deveria ir se trocar.

Ela se levantou e foi para um dos quartos. Eu acabei fazendo a mesma coisa já que tinham me deixado sozinha na sala.

Coloquei as mesmas roupas de ontem, e fui ao banheiro escovar os dentes.

Quando voltei para sala Lisa estava lá de mochila.

–Vamos ficar lá por quantos dias?

–Não sei, quero voltar hoje mesmo, mas talvez ela queira que eu fique lá.

–Por que?

–Talvez não seja uma boa ideia te levar – Ela tirou a mochila e jogou no sofá.

–Não, não eu quero ir, não vou conseguir me concentrar em mais nada sabendo que você está lá.

–E seu pai? E a escola? – Ela se sentou em um dos bancos perto do balcão da cozinha e me puxou para perto.

–Ele não se importa, você sabe. E minhas notas são muito boas posso faltar um ou dois dias de aula que não vai fazer mal. – Falei me ajeitando entre suas pernas que estavam abertas.

–E então? Para onde vamos exatamente? – Falei colocando uma mecha do cabelo dela para trás da orelha.

–Para a nossa base assim não tão secreta – Ela me apertou para mais perto, estava com rosto bem próximo ao dela.

–Nem acredito que Jisoo não se importou de você ir, ela é tão chata – Ela disse sorrindo sem mostrar os dentes.

–Vai ver é porque eu pareço com uma tal de Ruby – Falei em tom de brincadeira, mas o rosto dela ficou sério, ela encarava muito meus olhos e minha boca.

Eu queria uma explicação, mas acabei ficando hipnotizada. Quiçá esse era um de seus poderes.

Me inclinei para um selinho rápido, mas acabei demorando tanto que Lisa resolveu me beijar para valer.

Por um momento eu me esqueci que estávamos na cozinha. Me deixei levar sentindo o deslizar da língua dela na minha boca.

–Gente não quero ser vela não.

Me afastei rápida vendo Rosé pegar umas coisas e por em cima do balcão.

–Vou fazer uns sanduiches para comermos no caminhos.

–E-eu te ajudo – Fui ajuda-la querendo enfiar minha cara no chão.

Entramos no carro e seguimos para a tal ‘’base’’. Eu não sabia muito o que esperar, eu não estava com medo, até porque eu estava com Lisa e não acho que ela me levaria para algum lugar sabendo que é perigoso.

Rosé dirigia o carro e ao lado dela estava Jisoo. Fomos Lisa e eu no banco de trás. Ela segurava minha mão com a sua mão esquerda e mantinha a mão direita por cima da minha fazendo carinho.

Talvez ela estivesse tentando me deixar mais calma, mas estava me deixando agitada em algumas partes do meu corpo.

O carro parou numa cancela e Rosé entregou uns documentos para uma pessoa na cabine.

Não se via carros no caminho que ela pegou, era só o nosso seguindo em frente.

Chegamos em frente a um portão que se abriu logo depois que Rosé falou com um dos homens vestido com roupas do exército.

O lugar parecia um condomínio era cheio de prédios. Isso aqui era algum tipo de colônia?

–É aqui que moramos, somos isolados do mundo – Lisa diz respondendo a minha dúvida. Acho que ela lê pensamentos e não quer admitir.

–Não exagera Lisa. Apenas não podemos sair sem autorização – Jisoo falou nos olhando pelo retrovisor.

O carro rodou um pouco e atravessou novamente portões. O lugar parecia uma mansão tinha até um chafariz no meio.

Rosé parou o carro bem de frente da mansão. Assim que descemos fomos abordados por algumas pessoas.

–Solar Unnie! – Lisa fechou a porta do carro e saiu correndo em direção da mulher, mas foi impedida por dois homens.

–O que?! Me solta – Ela tentava se soltar, mas não conseguia.

Eu, Jisoo e Rosé fomos correndo até ela.

–O que está fazendo Unnie? – Rosé perguntou de frente para a mulher que acredito ser Solar.

–Desculpa, estou só seguindo ordens de Seulgi.

Ordens? O que estava acontecendo? Para onde estavam levando Lisa com tanta pressa?


Notas Finais


Já falei que essa é minha primeira fic?
Estou aprendendo ainda como faz, essa fic é meio que um teste... tenha isso em mente.

Desculpem os erros e obrigada por ler <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...