1. Spirit Fanfics >
  2. Encontro destinado >
  3. Capitulo 2

História Encontro destinado - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Aviso: Esse capitulo contém cenas de sexo e linguagem imprópria.

Capítulo 2 - Capitulo 2


− Olá! Estava me perguntando se eu teria a oportunidade de conversar com você a sós. - Wei havia colocado a camiseta novamente, porém não a havia abotoado.  Ele caminhou suavemente até ele e estendeu a mão.

− Prazer, Wei Ying. Nome de cortesia: Wei Wuxian.

Lan Zhan apertou a mão dele não querendo ser mal-educado.

− Lan Zhan, nome cortesia: Lan Wangji. − Ele teve sua mão segurada e Wei chegou mais perto.

− “Lan Zhan” − ele repetiu seu nome, o rosto a um palmo de distância, Lan Zhan sentiu-se atordoado, aquele homem era ainda mais bonito de perto e parecia ter uma personalidade única.

− Me diga senhor Lan, essa é a sua primeira vez aqui, não é?

−É tão evidente?  Por alguma razão, ele manteve aquela proximidade, sentia sua pele quente e o calor daquele contato se espalhando.

−Eu não me esqueceria de você, se já tivesse te visto. Você é um homem muito bonito, Sr Lan. − Wei colocou a mão em seu queixo e Lan Zhan o segurou.

−É costume seu seguir os outros até o banheiro? − Ele não ia permitir ser manipulado assim.

−É a primeira vez que venho atrás de alguém. − Wei virou a mão em um movimento rápido e levou a mão de Lan Wangji até seus lábios. − Você parece ser um homem difícil, Sr Lan, mas eu gosto disso. − Wei roçou os lábios de forma sensual nas costas da mão pálida.

Lan Zhan puxou sua mão num movimento brusco como se um bicho tivesse lhe mordido. Seu coração e seus sentidos levando um choque imediato. Uma onda de excitação correu para sua virilha. Entretanto, o homem à sua frente pareceu entender como uma dura rejeição. O sorriso desapareceu e seu olhar escureceu.

−Você é hétero? − Ele supôs interpretando o ato como se Lan Zhan tivesse aversão ao seu toque.

−Não! eu.. − Lan Zhan nunca imaginou que se assumiria naquelas condições, parecia que a sua maior frustração havia se materializado externamente tomando a forma daquele homem.

−Eu não faço o seu tipo, então? − Wei voltou a sorrir relaxado. − Que pena, eu queria foder com você nesse banheiro, eu até tranquei a porta.

Lan Zhan sentiu o queixo cair em descrença. 

− Você está falando sério? − Talvez aquele homem fosse um comediante de mau gosto.

−Sim. Gostei de você desde o momento que cruzou por aquela porta. Não me entenda mal, eu não costumo fazer esse tipo de convite, mas você também não é um homem comum.

Wei o olhou da cabeça aos pés de maneira séria, Lan Zhan ficou surpreso com a sobriedade de quem havia bebido tanto, no início ele interpretou que o outro estaria bêbado.

− Vestindo terno a rigor em um bar gay, caminhando com uma postura tão rígida, observando com olhos tão julgadores...um puritano que nunca experimentou nada do pecado. Porém, eu vi a forma que você me olhou enquanto eu tirava a roupa, o desejo lascivo nos seus olhos.

Wei se aproximou novamente, nunca perdendo o contato visual. Ambas a mãos desceram pela camisa e os polegares apertaram os bicos rígidos do peito. Lan Wangji fechou os olhos e tomou uma respiração profunda, seu coração batia tão forte que jurava que o outro poderia senti-lo. O calor se tornou insuportável, o desejo reprimido por tantos anos parecia transpirar por seus poros. Wei aproveitou para alcançar aqueles lábios delicados, lambendo-os com lentidão, como se qualquer movimento brusco fosse assustar a outra parte. Estava prestes continuar o beijo quando sentiu seu lábio ser mordido com força. Soltou um gemido de dor surpreso e encarou o homem ultrajado. O homem à sua frente parecia ter se transformado, os olhos claros brilhavam em fúria.

−Desculpa, eu n− Lan Zhan não o deixou terminar a frase, o beijando de forma abrupta. Braços fortes o ergueram do chão enquanto o levava até a pia de mármore. Uma pitada de medo e excitação apontou dentro de Wei. Ele não era um homem pequeno e nem leve para ser carregado assim. Sentiu as mãos fortes puxarem sua camisa e os lábios descerem por seu seu pescoço, mordendo qualquer parte como se estivesse com fome. 

−Espera.. − Wei avançou para tentar tirar a roupa do outro e também ser ativo naquele jogo. − Ah! − Sentiu seu mamilo ser puxado sem qualquer delicadeza. Lan Zhan se afastou o empurrando enquanto ele mesmo desabotoava a camisa. Wei teve a intuição de que havia mexido com quem não devia. Será que eu o provoquei demais? Wei Wuxian sempre foi o que comandava na hora do sexo. Mesmo ficando "por baixo" era ele quem ditava como tudo seria, mas pelo visto, esse homem era uma exceção. Sua linha de pensamento se perdeu quando Lan Zhan tirou a camisa branca revelando o seu “V” perfeito do abdômen e peitoral bem desenhado. A pele era de um tom de jade imaculado e perfeito.

− Droga..você é lindo demais..eu já te disse?

Lan Zhan deu um sorriso.

− Sim, já disse.

Wei olhou surpreso, era a primeira vez que o via sorrindo, e o deixava ainda mais bonito do que já era.

Lan Zhan voltou a face séria e focou no homem sentado na pia. Aquilo que estava prestes a fazer era loucura. Iria foder pela primeira com um homem, um desconhecido e num bar. Estava tão cansado de se reprimir, cansado de ser bom, de ser perfeito. Wei Wuxian também não era um homem comum. Aquela personalidade era totalmente oposta à sua, e isso o atraía como um imã, como se ele fosse tudo que ele havia desejado ser em todos os seus 32 anos. Ele voltou a colar o corpo naquele outro corpo masculino, tudo ali lhe excitava, o cheiro, o gosto, o gemido. As mãos rasgaram o zíper da calça jeans e puxaram o tecido para baixo junto com a boxer. Lan Zhan parou o beijo para olhar o órgão genital da outra parte, o pênis estava totalmente duro e sua glande molhada, era a primeira vez que via um pênis masculino e tinha acesso ao toque. O desejo de prova-lo era grande e foi exatamente isso que fez. Desceu de maneira brusca o colocando em sua boca.

− Cuidado com seus dentes! − Wei segurou a cabeça do outro de forma automática, com medo que seu falo fosse danificado. Uma quentura se espalhou pelo seu pau e o prazer o atingiu em segundos o desarmando. − Assim.. isso! Coloque ele mais fundo. −Wei tentou erguer os quadris para entrar mais na boca do outro.

Lan Zhan parecia ser totalmente inexperiente, mas a boca quente trazia um prazer único. Wei puxou os cabelos negros com cuidado para chamar a atenção e recebeu um olhar afiado.

 − Você bem que podia descer um pouco mais e usar essa sua língua para me preparar, não é?

Ele apoiou seus pés na pia e usou a outra mão para erguer o saco escrotal e afastar as nádegas com 2 dedos, mostrando seu ânus. Lan Zhan observou aquele gesto desavergonhado com total atenção.  Wei o olhava com um sorriso de ponta a ponta, os olhos azuis o desafiavam. Ele manteve o contato visual aceitando o desafio e desceu a língua naquela cavidade.

−Sim! Me deixei molhado. − Lan Zhan ouviu aquela voz sussurrada cortar seu último fio de controle. Aquele demônio lascivo e desavergonhado iria pagar por aquela noite de tormento.

Levantou-se e abriu suas calças, libertando o pênis dolorido de excitação.

−Tem camisinha e lubrificante ali naquele vidro. − Wei apontou para uma valise no canto esquerdo da pia. Era comum ter preservativos espalhados por todo o bar, inclusive nos banheiros.

Lan Zhan não quis pensar muito na razão de Wei Wuxian, saber de forma precisa, onde encontrar preservativos ali. Ele pegou dois envelopes prateados e rasgou um deles com os dentes. 

−Que selvagem, eu não esperava isso de um cavalheiro puritano, Lan Wangji. − Wei não perdeu a chance de brincar com aquele homem tão sério.

− Você nunca fica quieto, não é? − Lan Zhan o encarou enquanto se desfazia da calça e cueca e deslizava o preservativo pelo pênis.

Wei Wuxian parecia um pouco chocado e seu sorriso tinha morrido. Ele devia ter calculado pela altura e tamanho das mãos que Lan Zhan não seria pequeno em parte alguma.

−Lan Wangji, você tem uma espada impressionante, vamos com calma, sim? − Wei Wuxian tinha costume de brincar até quando falava sério e como resultado − a outra parte não estava nem um pouco piedosa.

Lan Zhan foi até ele e o ergueu da pia, o levando para o sofá negro, agradecendo que quem quer que seja o decorador, havia escolhido um modelo grande para um banheiro. Apesar de estar bem excitado, a pia não era um bom lugar para iniciar um ato. Wei tomou a liberdade de pegar o segundo envelope com lubrificante e espalhou sobre aquele membro impressionante ouvindo Lan Zhan suspirar de prazer. Wei olhou a face bonita, os olhos fechados de prazer enquanto ele o punheteava. Não pode se conter de o beijar novamente, dessa vez descendo os beijos pelo pescoço alvo e voltando até a orelha.

−Você gosta? Vai gostar ainda mais quando ele estiver dentro de mim. − Sussurrou de forma devassa.

Lan Zhan sentiu tanto prazer que quase gozou com aquela provocação. Ele o empurrou no sofá e ergueu as pernas de Wei e direcionou seu pau para aquela abertura escondida.

Wei ying, sentiu a ponta de seu pênis entrar com algum esforço, a dor e o prazer misturados. Ele sabia que logo se sentiria bem, assim que a ponta pressionasse sua próstata.  Lan Zhan sentia o suor brotar de sua pele com o esforço para não entrar de uma vez só naquele lugar apertado. Cada centímetro era uma tortura, recuou um pouco e penetrou novamente, sentindo seu pau ser apertado com força.

Wei pressionou suas pernas em suas costas o levando para baixo e em um impulsou ele estava totalmente dentro. O prazer percorrendo cada parte dele.

-Ah, poha, você é enorme, mas tão bom. – Ele olhou para Wei que parecia prestes a chorar.

Lan Zhan o penetrou de novo, dessa vez quase saindo do seu corpo e voltando.

−Dói? Quer que eu continue?

−Dói..mas eu só quero que você me foda, por favor, não pare! – Wei se sentia totalmente preenchido, havia dor e também um prazer que brotava a cada penetração. Ele só precisava que pressionasse mais vezes aquele lugar.

Lan Zhan deixou cair todo o peso de seu quadril, ouvindo aquela suplica. Sentia um prazer genuíno pela primeira vez na vida. As estocadas pegando um ritmo vicioso, dentro e fora.

Na visão abaixo de si, Wei estava coberto de suor, os olhos cheios de lagrimas, enquanto trabalhava em seu próprio pênis.

− Lan Zhan, faça um estrago, me foda mais forte! Eu irei gozar. – Wei sentiu Lan Zhan o escuta-lo, as estocadas se tornando vigorosas, até que sentiu uma forte mordida em seu ombro. Aquilo foi a gota d’água para que ele viesse, molhando seu próprio abdômen. Ele gritou pegando quadris que seguiam o penetrando sem diminuir o ritmo.

−Espera, ah! Diminua um pouco! Diminua!

Lan Zhan lhe deu um segundo sorriso, dessa vez sádico.

− Você..disse..que fizesse um estrago..eu farei.−

Wei Wuxian o olhou sorrindo de maneira sofrida.

“Eu deveria falar menos. Por que eu simplismente não calo a boca?                                                         



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...