1. Spirit Fanfics >
  2. Encontros ao Acaso (Terceira temporada) >
  3. Dominando na cozinha.

História Encontros ao Acaso (Terceira temporada) - Capítulo 4


Escrita por: e Jse87eEsposa


Notas do Autor


A aventura continua, mais louca do que nunca.
Será que a Tati e a Andréia vão continuar aprontando?
Acompanhe essa história que está para lá de louca.
Boa leitura!

Capítulo 4 - Dominando na cozinha.


Fanfic / Fanfiction Encontros ao Acaso (Terceira temporada) - Capítulo 4 - Dominando na cozinha.

Narrado por Andreia

Finalmente, chegamos em casa, depois de uma semana inteira no paraíso, que é está nos braços do Edson. Fomos para Paris, a cidade do amor. Consegui visitar todos os locais turísticos, da qual não consegui quando eu vim fazer estágio aqui. Estava tudo perfeito e o Edson estava maravilhoso. Agora só queria entrar em casa, deitar na cama e descansar. A viagem foi longa, mas, eu nunca me senti tão feliz.

Edson: Feliz de está de volta em casa?

Andreia: Queria que essa lua de mel nunca acabasse.

Edson: Podemos viajar sempre que quisermos.

Andreia: Aproxima vez eu quero ir para Roma.

Edson: Hummm, anotado.

Estacionamos o carro na garagem e nos despedimos dos seguranças. Será que eles aproveitaram essa viagem e também se pegaram? Eles não saíram de perto da gente. Depois do acidente que tivemos, o Edson ficou assustado e fez questão de levar os seguranças conosco. Eu já até me acostumei com a Marina, ela é uma boa companhia. Caminhamos abraçados até a entrada da casa. O Edson abre a porta de casa e esbarra em algum coisa. Ouvi-se gritos e Xingos, eu tive que ligar a luz da sala, pois, estava um breu danado.

???: Você não sabe bater na porta antes de entrar?

Edson: Tati, o que você está fazendo aqui?

Tati: Eu estava pegando o caco de vidro, do copo que deixei cair.

Edson: Você quebrou o meu copo?

Tati: Você fala como se fosse de cristal.

Edson: E é de cristal, Tati.

Tati: Ops! Foi mau.

O Edson olha para a Tati indignado e não acreditando que a Tati estivesse ali.

Edson: O que você está fazendo aqui, Tati?

Tati: A Andréia me ligou e pediu pra eu vir aqui.

Eu o que? O Edson me olhou surpreso.

Andreia: Tati, eu não...

Ela me olha pedindo socorro, eu conheço minha amiga tem algo de errado. Ela me lançou o olhar, aquele olhar, como se dissesse, “não fode com tudo eu preciso de você”. Eu conheço bem esse olhar. Eu sou sua melhor amiga, a conheço melhor do que ela mesmo.

Andreia: É, eu liguei sim.

Edson: Porque não me contou?

Andreia: Ah,... Porquê... Eu esqueci amor. Você sabe que ando meio avoada por causa da gravidez.

O bom de estar grávida, é que, a gravidez é desculpa pra tudo.

Edson: Tudo bem, eu vou levar as malas pro quarto. Não demora muito pra subir.

Tati: Quer transar, né?

Ele me dá um selinho e mostra a língua para a Tati.

Tati: Isso foi desnecessário.

Ele sobe com as mala, sem dá atenção para o comentário da Tati.

Andreia: O que foi, Tati? Eu te conheço, tem algo de errado.

Tati: Eu tenho três coisas pra te contar.

Andreia: Puxa! Só três? Fiquei desanimada agora.

Tentei soar engraçada, mas, nem todas as tentativas de fazer piada, da certo. A Tati não riu!

Andreia: O que foi, Tati? O que aconteceu?

Tati: Descansa, você deve está cansada da viagem, amanhã a gente conversa.

Andreia: Olha, por mais que eu esteja curiosa, eu estou realmente cansada. Quer que eu arrume o quarto de hóspedes para você?

Tati: Não se preocupe, eu já fiz isso.

Que folgada! Como ela conseguiu entrar aqui? Acho que eu nem quero saber. Subimos para nossos respectivos quartos. Vejo o que o Edson já pegou só sono, ele estava exausto. Tomei banho, coloquei minha camisola e me deitei ao seu lado. Senti seu braço me envolver e puxar para ele.

Edson: Hummm, Você está cheirosa, se eu não estivesse muito cansado, faria amor com você agora. Entrando bem de vagar saboreando cada gemido seu.

Droga! Já preciso de outro banho.

Andréia: Pena que você está cansado, porque com o que você acabou de me dizer, você me deixou toda molhadinha.

O Edson abre os olhos, parece que despertou.

Edson: Deixe-me conferir.

Ele levanta a minha camisola sensualmente e provocativamente e coloca a mão por dentro da minha calcinha.

Edson: Puta merda! Você está pronta, não posso perder a oportunidade.

Ai caramba! Lascou. Ele sobe em cima de mim e acaba de tirar minha camisola.

Edson: Eu vou ser rápido, por que você precisa descansar.

Ele chupa meus seios, eu me curvo para frente dando acesso restrito a ele. O Edson dá pequenas mordidas no mamilo, depois vai descendo com a boca, fazendo caminho de beijos por todo o meu corpo, me fazendo gemer.

Andréia: Aaaahhhh! Você não disse que ia ser rápido.

Edson: Desculpa, mas não resisto quando você está cheirosa, preciso saborear você todinha.

Eu gemo mais ainda, quando sua língua vai de encontro ao meu clitóris. Ele suga, lambe e me chupa inteirinha. Não demora muito e gozo em sua boca.

Edson: Ah, que delicia. Você tem um gosto incrível.

Ele se ajeita entre minhas pernas e me penetra rápido e forte. Eu dou um grito de prazer em resposta. Ele entra e sai em um ritmo acelerado. Sua boca encostada na minha, ele geme de prazer, me preenchendo por inteira.

Edson: Caramba! A cada dia você está mais gostosa. Como isso é possível?

Ele continua no mesmo ritmo e gozo outra vez.

Andréia: Ai caramba! Ai caramba!

Gozei gloriosamente. Toda vez que fazemos amor é diferente, mas, sempre é intenso e prazeroso. Sinto seu prazer chegando e ele acelera um pouco mais, depois goza se desmanchando em mim. Ele me dá um beijo casto e deita do meu lado, me agarrando pela cintura e trazendo para perto de si. E sem falar nada, dormimos.

Acordei e ele não estava na cama, desde que engravidei, ele sempre me deixa dormir um pouco mais. Levantei, tomei banho, me arrumei para o trabalho, desci as escadas e encontrei o Edson na cozinha, tomando café e a Marta fazendo alguma coisa gostosa no fogão.

Andreia: Bom dia!

O Edson olha para mim e sorri. Com certeza se lembrando da noite passada.

Edson: Bom, dia!

Marta: Bom dia, senhora. Temos panquecas!

Andreia: Hum, Marta. Eu vou tomar café no caminho.

Marta: Vou colocar em um pote para você poder levar. Não quero que você coma qualquer coisa.

Eu olho para o Edson e vejo que ele me olha com cara feia.

Andreia: O que?

Edson: Onde você vai tão cedo?

Andreia: Trabalhar, ué!

Edson: Você sabe que não precisa trabalhar.

Andreia: Nós já discutimos sobre isso, eu gosto do meu trabalho.

Edson: Você pode trabalhar em casa.

Depois desse acidente, ele insiste para eu não sair de casa, ele está paranóico.

Andreia: Eu ficaria entendia se ficasse nessa casa enorme, eu preciso ver gente, preciso de contato físico.

Ele não gostou quando disse essa última frase, eu também me xinguei mentalmente. Eu vou trabalhar com o estilista mais sexy do mundo, que o Edson odeia por ser homem. O Edson se aproxima de mim, me encostando no balcão da cozinha.

Edson: O único contato físico que você tem que ter, é comigo.

Ele me levanta, me fazendo sentar no balcão. O Edson beija minha boca com vontade, ele desabotoa três botões da minha camisa e abre o fecho do meu sutiã, que é frontal. O Edson abocanha meus seios, me fazendo gemer. Sua mão desce para minha saia, levantando-a e tocando minha intimidade por dentro da calcinha. Eu gemo com mais intensidade.

Edson: Olha, como você me deixa louco.

Eu abro o botão da sua calça e o masturbo.

Edson: Se você não parar com isso, vou fazer amor com você aqui, em cima desse balcão.

Eu nem dei ouvidos e continuei, eu queria muito aquilo. Ainda não tivemos oportunidade de fazer amor na cozinha. Poderíamos ser pego pela Marta, mas, sinceramente, eu não estava nem aí. Eu só queria ele. Senti seu calor, seu corpo colado no meu. Sem eu ter conhecimento de causa, ele me penetrou. Eu gemi, sentindo o perfume de sua loção pós barba, que me deixou com mais tesão. Eu estava com a blusa, totalmente aberta, a saia estava na minha cintura e o Edson só estava com o zíper e o botão da calça aberto e estava me fazendo gozar outra vez, pela terceira vez seguida.

Edson: Amor, eu vou gozar.

Andreia: Seja meu, então.

Ele me puxou contra seu corpo com força, enquanto se movimentava mais rápido. Senti ele se desmanchando dentro de mim, enquanto apoiava a cabeça no meu ombro, tentando recuperar o fôlego.

Edson: Meu dia vai ser produtivo hoje.

Que piadinha infame! De repente, um copo se espatifa não chão.

Tati: Esse também era de cristal?

Ai meu Deus! Esqueci completamente da Tati. Esqueci que ela dormiu aqui. A quanto tempo ela está aqui?


Notas Finais


Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...