1. Spirit Fanfics >
  2. Encoraja-me. >
  3. Capítulo II

História Encoraja-me. - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente!
+1 pra vocês!

Obs:. Os babys na capa é minha inspiração para Jasper e Adrian. Sim, é o Boss Cavill. Mas é apenas inspiração!


Boa leitura 🖤

Capítulo 2 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction Encoraja-me. - Capítulo 2 - Capítulo II

Anastasia andava pelo jardim, dando voltas pelo mesmo lugar. Não conseguia ficar dentro do castelo com a família do duque rodeando o ambiente. Se sentia sufocada, sem respirar, sem saída, e odiava a sensação de estar sendo vigiada a cada segundo que se passava.

Desde a noite anterior, quando Jude a pegou conversando com o príncipe Adrian, não parava de vigiá-la um segundo. Sentia que iria explodir a qualquer momento, teria um colapso. Sabia que teria que ser forte enquanto a família de Slowyn estivesse em terras O'Harianas.

A princesa não conseguia controlar o instinto de se lembrar dos olhos claros do príncipe Adrian e sentir que seu corpo reagia apenas por lembrar-se de suas trocas de olhares na noite que se passará. Anastasia parou de andar por um segundo e massageou as temporas em sinal de cansaço absoluto de seus pensamentos.

De longe o duque observava a apreensão da futura duquesa e por mais que adorasse implicar com a jovem princesa, não podia negar o fato de que sua beleza o encantava e que estava feliz por em breve desposa-la. Jasper podia ser muitas coisas, mas certamente não era um vilão. Nem de longe. Acontece que a princesa não sabia disso.

O duque tinha consciência que sua convivência com Anastasia não seria das melhores, mas estava disposto a conquistar sua confiança e lealdade, mesmo que não fosse deixar de irritar e nem implicar com a mesma. Jasper estava disposto a mostrar seu verdadeiro eu cheio de defeitos para ela, se isso o levasse a ter paz em seu casamento com a astuta e prepotente mulher.

— Admirando a futura duquesa de Slowyn? — Adrian chegou por trás do irmão, fazendo o mesmo sorrir. — Pensei que a odiasse.

— Não a odeio, mas gosto do efeito de suas bochechas vermelhas quando a tiro do sério. — Os irmãos riram e voltaram seu olhar para a princesa. — Mas ela me odeia. Só preciso arrumar um jeito de ter um pouco de paz com ela ao lado.

— Porque acha que não terá? — Adrian observou a expressão de rigidez no rosto do irmão. — É tão ruim assim?

— Anastasia realmente acredita que matei seus dois irmãos no conflito. — O duque bufou e encarou o irmão que ainda o observava. — Não duvidaria na frieza dela em me matar enquanto durmo.

— Ela não ousaria.

— Adrian, ela estava de preto ontem. — O moreno riu da expressão de incredulidade do irmão. — Quem usa preto no jantar de assuntos matrimoniais?

— Sua futura esposa. — Jasper respirou fundo e deu um sorriso fraco. — Vai contar a ela a verdade sobre a morte de seus irmãos?

— Não fiz isso antes, não farei agora. — O duque e o príncipe continuaram a observar a princesa. — Isso também me dará vantagem nos futuros conflitos. Não posso recuar.

— Acha que ainda terá conflitos entre os povos? — Adrian estreitou os olhos para o irmão, surpreso com sua fala. — Seu casamento é um acordo de paz, meu irmão.

— Há curto prazo. — Deu de ombros. — A bancada do nosso rei não quer um acordo de paz, eles gostam do conflito. Sabe disso! A bancada do rei Sírius também não é muito diferente da de nosso pai.

Os dois irmãos ficaram em silêncio por um longo período, olhando para o enorme jardim e admirando a beleza da princesa diante de todo seu explendor entre as flores a qual estava próxima.

— Porque Freya não veio? — Adrian quebrou o silêncio, se referindo a irmã caçula. — Prenderam a desordeira em uma torre?

— Freya está com dezessete anos e papai está deixando que faça suas próprias escolhas. — Os irmãos gargalharam. — Tão petulante e desobediente como você.

— Me sinto honrado por isso. — Adrian se curvou para o irmão, ainda sorrindo, fazendo Jasper revirar os olhos e o empurrar levemente. — Vocês ficarão por quanto tempo em O'Hara?

— Vocês porquê? Está pretendendo partir?

— Não gosto da idéia de Freya sozinha naquele castelo imenso, podendo trazer problemas.

A verdade era que Adrian partiria para cortar qualquer contato com a princesa Anastasia. Se sentia tão atraído pela sua presença e seu olhar cativante que tinha medo de não conter seus impulsos e acabar fazendo algo incorrigível e precipitado.

O príncipe ainda prezava pela confiança de seu irmão e queria manter-se assim.

— Certo. — Jasper assentiu positivamente. — Me dê licença, irmão. Sinto que preciso implicar com minha futura dama. — Adrian forçou um sorriso aberto.

O simples fato de seu irmão chamar a princesa de sua, trazia um sentimento de incômodo. Ele não conseguia entender o motivo de tal atração pela bela mulher de seu irmão, o fazendo questionar em como seria sua convivência com a mesma em terras Slowynas. Se distanciou da visão de seu irmão andando até Anastasia e foi preparar suas coisas para partir.

Enquanto isso Jasper caminhava tranquilamente em direção a princesa com uma postura elegante e suas mãos entrelaçadas nas costas. Percebeu o quão distraída Anastasia estava quando ela não se virou com sua aproximação. Isso incentivou o duque a parar atrás da moça e aproximar sua boca de seus ouvidos e sentir seu cheiro doce de flores.

— Aposto que está tramando contra minha vida antes mesmo de ser nomeada duquesa. — Anastasia sentiu um arrepio forte subir pelas suas costas com a voz bruta de Jasper tão próxima a sua pele.

A princesa se virou para Jasper e seus rostos estavam tão próximos que mesmo querendo vingança, podia sentir o desejo atravessando seu corpo diante dos olhos negros do homem a sua frente. O duque era um pouco mais alto que ela, seus ombros eram tão largos que a levou imaginar os músculos por baixo de toda sua roupa real de duque.

Anastasia sorriu com sarcasmo, encarando os olhos de Jasper e mantendo a aproximação entre os dois.

— Um simples veneno em sua comida lhe mataria. — Sua voz era sensual e isso fez o duque ficar com corpo tenso. — Acho digno mandar seus criados provarem de suas refeições antes de comê-las, duque.

— Admiro sua audácia, futura duquesa. — Seu desdém fez Anastasia revirar os olhos e virar as costas para Jasper. — Mas não me amedronta. — Ele sorriu.

O duque adorava a astúcia da mulher que seria sua esposa. Sabia o quão ríspida ela podia ser quando levada ao seu limite. De forma elegante e despretensiosa começou a andar lentamente em volta da princesa, enquanto ela o seguia com o olhar das vezes que passava em sua frente.

— Me causará um desmaio se continuar me rodeando, Jasper.

— Tenho uma proposta a lhe fazer. — Falou em meio a um sorriso, com a postura firme e suas mãos ainda para trás.

— Estou ouvindo.

— Será minha esposa em breve. Uma duquesa respeitada, mas sabemos que nossa convivência não será das melhores. — Ela concordou com um sorriso triunfal. — Porém, pretendo fazer nossos dias um pouco mais calmos. Um acordo de paz.

— Acordo de paz? — Debochou. — Porque crê que eu farei um acordo de paz com você?

— Porque tenho a mesma escala de frieza que você, Anastasia. E não acho que queira entrar em uma disputa. — Parou de rodeá-la e ficou de frente para ela, a encarando com firmeza.

— Não me põe medo e acho que sabe disso. Mas prossiga.

— Lhe deixarei livre para viajar, estudar, fazer o que for de seu agrado para que possamos ter uma convivência pacífica. Mas... — A princesa estreitou os olhos e enrijeceu o corpo com a voz confiante de Jasper. — Quando sentir o corpo esquentar... — Passou os dedos com leveza no pequeno decote dela, fazendo-a arrepiar involuntariamente. — Me procurará.

— Porque acha que me deitaria com você? — Sua voz saiu estremessida e isso deixou Jasper satisfeito. — Não daria minha honra á você.

— Anastasia... — Arrastou a voz, subindo os dedos pelo pescoço dela. — Não tem sua honra há muito tempo. — Ela sorriu de suas palavras provocativas.

— E como sabe disso? Estava presente quando a entreguei?

— Não é como as outras mulheres e sabe disso. Tem seus próprios meios e pensamentos. Sou um bom observador.

— E estúpido também se acha que concordarei com sua proposta nada desafiadora.

— Prefere um desafio? — Olhou-a com superioridade. Jasper idolatrava desafios e isso o havia instigado. — Se arrependerá, princesa.

Anastasia se aproximou até sentir a respiração do duque em seu rosto, entregando-lhe um sorriso malicioso.

Sentiu quando ele amoleceu com a proximidade. Sabia que mexia com Jasper e isso era como vencer uma guerra para ela.

— Se estiver vivo para me fazer arrepender, lhe darei o que quiser.

— O que eu quiser?

— O que quiser. — Passou as mãos pelo pescoço nu do duque, já que seus longos cabelos loiros estavam em um coque e aproximou seus lábios da orelha dele. — Não durma na mesma cama que eu, duque. Não tenho medo do inferno.

Jasper afastou a mão da princesa com agilidade e seu olhar era tão duro e áspero que por um momento fez Anastasia estremecer, mas não demonstrou.

Ela ajeitou a postura, se recompôs e andou para dentro do castelo, deixando o duque tremendo de raiva e medo por não saber o que esperar da mulher que lhe deram para partilhar os dias. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado 🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...