História Encurralados - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Drama, Jimin, Romance
Visualizações 53
Palavras 3.893
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal..
Como estão?? Espero que bem.. 😀
Mais um capítulo para vocês..
Espero seus comentários.. 😉
Desculpem qualquer erro..
Boa leitura!!

Capítulo 48 - Way to go - Parte II


Fanfic / Fanfiction Encurralados - Capítulo 48 - Way to go - Parte II

______'s pov

Voltei até o meu cavalo, peguei a escova e voltei a escova-lo com carinho que estava tendo para com ele.. meu amigo.

- Qual o problema? - disse Jimin se aproximando de mim.. eu nada disse apenas continuei fazendo o que eu estava fazendo.. e ele me abraçou por trás.. e beijou o meu pescoço. - Hein?! Qual o problema?

- Parece que você ensinou bastante coisa para a Drina, não é?

Ele sorriu soprado e me virou de frente para ele em um movimento rápido.

- Adoro quando você fica com ciúmes..

- Não tem ciúmes coisa alguma.. - me desvencilhei dele e respirei fundo. - Eu só.. fiquei.. - cruzei os braços e olhei para baixo. Estou com ciúmes mesmo!! - Um pouco.. - olhei para ele novamente.. e ele me puxou para perto dele.. e passou uma de suas mãos pelo meu rosto.

- Passado já era.. - ele olhava atentamente para mim.. - Meu futuro é você e somente você, ______!

- Eu sei.. - sorri e ele me beijou..

- Olha lá o Tae!! - disse Namjoon chamando a atenção de todos.

Jimin e eu nos separamos e nos afastamos do meu cavalo.. e vimos Namjoon correndo de encontro ao Tae, Hoseok e Yoongi.. olhei aflita para Jimin e corri até eles..

- O que aconteceu? - disse aflita ao olhar para aquela flecha no peito do Yoongi..

- Quando fugiamos.. - começou Hoseok com a voz cansada. - Ele foi ferido..

- Hoseok!! - disse Renata já ali ao meu lado..

- Oi, meu bem.. - ele sorriu para ela.. e após Namjoon ficar no lugar dele, segurando Yoongi, eles se abraçaram..

- Vamos levá-lo para dentro.. - disse Jimin..

E assim eles o levaram até a pequena cabana.. deitaram o Yoongi na pequena cama.. a cara dele de dor me deixava agoniada.

- Eu vou cuidar dele.. - disse e todos me encaravaram.. - Saiam, por favor.. - olhei para Jimin e ele me encarava atentamente.. com o meu olhar pisquei duas vezes para ele.. que passou atrás de mim e pousou brevemente sua mão em meu ombro ao deixar o pequeno quarto.

- Eu vou preparar algo para ele beber.. - disse Taehyung deixando o quarto.

Todos saíram e eu agachei-me ao lado da cama de Yoongi.. os olhos dele estavam semicerrados.. e eu olhei para aquela flecha, flecha dos meus soldados.. olhei em volta.. Irina.. maldita seja!

- Eu vou tirar a flecha.. - disse o encarando. - Aguente firme! - disse tentando passar firmeza a ele, mas.. acho que não obtive muito sucesso quarto a isso.. levei a minha mão a flecha e ele gruiu de dor. - Desculpe, mas isso vai ter que sair daí.. - completei entre dentes.. e fechei os meus dedos em volta da flecha.

- _______.. - disse ele com dificuldade. - De vagar com a dor.. - a voz dele era sofrida e eu podia jurar que a dor que ele sentia estava me atingindo.

- Você precisa se acalmar.. - elevei ambas as sobrancelhas. - Tem que ficar quieto para que eu tire a flecha.

Fiz mensão de puxar a flecha..

- Espeeere!! - disse ele com veemência. - Vai doer mais do que está doendo.. não é melhor deixar isso quieto ai?? - sugeriu ele com um olhar apavorado para mim.

Que droga!! Tirei as minhas mãos da flecha e encarei Yoongi atentamente.. passei uma de minhas mãos pelo rosto dele que estava com gotículas de suor.. sendo liberadas pela dor que sentia. Vou ter que arrancar de uma só vez sem que ele esteja esperando por isso.

- O que você andou aprontando hoje, meu amigo?

Ele sorriu fraco.

- De noivo, passei para amigo.. - ele suspirou. - Pelo menos é alguma coisa, não é? - ele me encarava atentamente, com um olhar pesado. - Corremos em direção ao lago, para podermos pegar os limites do reino com a floresta negra.. exatamente como dizia o bilhete.. - ele puxou o ar mais uma vez.. - E.. acabei sendo atingido pelo que eu não vi.. - ele riu sem humor.. fracamente.

- E quanto ao Jungkook e Dimitri? - ele me encarou atentamente. - Por que não estão aqui com vocês??

- O Jungkook sumiu.. - disse ele e eu estreitei os olhos confusa.. como ele pode ter sumido? - Quanto ao seu irmão.. - ele suspirou desanimado.. e olhou em volta.. - ele não conseguiu.. - abaixei a cabeça e travei o maxilar.. - Eu sinto muito.. Irina o matou. Yoongi sussurrou o final.

- Não sinta.. - voltei a minha atenção para ele..

- Trouxe algo que vai o fazer melhorar rapidamente.. - disse Tae entrando com uma tigela pequena em suas mãos..

- O que é essa porcaria? - disse Yoongi..

- É larva de mosquito com sangue de raposa. - disse Tae e eu franzi o cenho, mas não encarei nenhum dos dois.. - Uma delícia. - completou animado.

- Eu não vou beber isso!! - disse Yoongi agitado. - Saia para lá com essa tigela voodoo!!!

- Eu estou zoando com você, seu idiota!! - disse Tae rindo.. - É apenas água com alguns segredos para que melhore logo!

- Não vou beber isso!! - levei a minha mão na flecha e a puxei rapidamente. - AAAAAAA!!! - gritou ele se curvando um pouco para frente.

- Foi mal.. - dei de ombros e peguei a tigela das mãos de Tae.. - Vamos.. tem que beber isso.. - segurei a cabeça de Yoongi e levando a pequena tigela em sua boca.. que ele manteve fechada.. - Deixa de ser criança! Abra a boca! - disse firme. - Abra!! - finalmente ele entreabriu a boca e eu derramei o líquido todo goela a baixo nele.

(...)

Não sabemos o que vamos fazer com o Jungkook que sumiu e o Tony que sumiu do alto de uma árvore misteriosamente.. enquanto ninguém pensa em nada, estou treinado a grande proeza de acertar uma flecha dentro da outra..

- Acho que.. - virei para encarar o dono da voz.. Jimin. - Eu fiquei com ciúmes agora.

- Ciúmes de mim? - arqueei uma sobrancelha..

- Acho que sempre vou ter ciúmes de você.. - ele balançou a cabeça positivamente. - O que está tentando fazer com esse arco e flecha?

- A metodologia é fraca e antiquada.. - posicionei o arco e mirei no boneco de palha.. - Fazem com que eu errei com frequência o meu objetivo.. - soltei a flecha e ela na certa não acertou o lugar certo. Encarei Jimin e ele cruzou os braços e mantinha seus olhos atentos a mim.. sorri brevemente e ele prendia um sorriso travesso. - Você pode me ajudar?? - mordi o lábio inferior e pisquei os olhinhos três vezes..

- Pedindo assim quem é que resiste.. - e sorriu e se aproximou de mim.. - Primeiro.. vamos começar do início.. você não está fazendo o certo..

- Estou fazendo o quê de errado? - perguntei curiosa..

- Você não está segurando o arco como se deve..

- Não? - disse prendendo um sorriso.

- Primeiro.. - começou ele. - Determine o seu olho dominante.. Como você provavelmente pode adivinhar, o seu olho dominante é mais preciso em mirar o alvo e julgar distâncias.

- Eu estou encarando o meu alvo agora.. - encarava Jimin e sorri. - E não quero muita distância.

- Até agora conseguiu.. - ele riu para mim e pegou o arco e a flecha da minha mão.. estávamos próximos. - No uso do arco e flecha, a dominância dos olhos é mais importante do que a dominância da mão. Mas.. uma coisa não exclui a outra.. entendeu?

- Ah, eu entendi.. - disse suavemente.

- Segundo, sua mão dominante.. puxa a corda do arco para trás e a mão não dominante segura o arco. - ele me deu o arco e eu virei para o alvo, o boneco de palha. - Terceiro, posicione-se corretamente para lançar a flecha. - disse ele próximo ao meu ouvido e eu senti sua respiração quente em meu pescoço. Suas mãos correram pela minha cintura. - Seu corpo deve ficar perpendicular ao alvo e a linha de tiro, o que significa que, se você desenhou uma linha imaginária entre você e o alvo, esta linha deve passar entre as suas pernas..

- Assim?

- Sim. - disse ele em meu ouvido. - Se o seu olho dominante for o direito, segure o arco com a mão esquerda, vire o seu ombro esquerdo para o alvo,.. - ele passou uma de suas mãos pelo meu ombro esquerdo, o posicionando corretamente. - .. e segure a flecha e a corda com a mão direita.

- Preciso da flecha para atirar.. - disse arqueando uma sobrancelha.. ele ainda não me deu a flecha que segura em sua mão livre..

- Não seja apressada, _______. - ele me repreendeu e eu o encarei de soslaio e Jimin reprimia um sorriso doce. - Agora.. afaste ligeiramente os pés, de modo que seus dois pés formem uma linha reta apontando para o alvo. Quanto a sua postura, .. - ele passou sua mão esquerda pela linha das minhas costas e eu me arrepiei. - Consente-se.. - ele sussurrou no meu ouvido.

- Assim fica difícil.. - retruquei.. e ele riu.

- Mantenha-se reta e relaxada. Você deve ter uma postura confortável, porém, firme. - disse ele sério. - A posição correta de um arqueiro é formar um "T" com o tronco e os ombros. - ele colocou as mãos em meus ombros, mantendo-me na posição. - Os músculos das costas são usados para puxar a flecha até o ponto de ancoragem.. agora.. posicione a flecha.. - peguei a flecha que ele me estendeu com a mão direita. - Aponte o arco para o chão e encaixe a haste da flecha na rabeira da corda. - embora eu soubesse disso, deixei que ele me guiasse. - Prenda a parte posterior da flecha à corda do arco com o nock. - o pequeno componente de plástico com um sulco que tem como finalidade prender a flecha à corda - Use três dedos para segurar a flecha, levemente, na corda. - ele mantinha o seu corpo junto ao meu. - A maneira mais comum é ter o dedo indicador mantido acima da flecha e os dedos médio e anelar abaixo.. mas.. use o polegar na parte de trás.. e os três dedos posicionados abaixo da flecha, este estilo traz a flecha para mais perto do rosto.. e mais precisão em seu alvo. - fiz o que ele disse.. usei o polegar segurando a flecha. - Agora levante e posicione o seu arco.. - ele passou suas mãos pelos meus ombros e braços. - Sempre que segurar o arco, faça-o da forma mais relaxada possível, sem pressionar o tubo de subida. Mantenha o braço que segura o arco em direção ao alvo. - ele me orientava segurando o arco comigo. - O interior do seu cotovelo deve ficar paralelo ao chão.. - ele elevou o meu cotovelo. - .. e o arco deve sempre ficar na posição vertical. Isso geralmente é feito em um movimento fluido e com a prática, você terá perfeito controle dos seus movimentos, o que irá lhe permitir concentrar-se totalmente no alvo sem se distrair, nem mesmo pelo cansaço.. ou..

- Por alguém falando de maneira sexy em meu ouvido.. - olhei para ele por cima de meus ombros.

- Ah.. com certeza.. mas a intenção aqui é que você acerte o seu alvo.. - ele sorriu de uma maneira sexy. - Você deve ser capaz de olhar diretamente para a coluna da flecha. - ele tinha uma de suas mãos sobre a minha mão direita. - Leve a mão que segura a corda em direção a sua face para o "ponto de ancoragem"... - chegamos a posição correta. - A âncora localiza-se, geralmente, em algum ponto próximo ao queixo, bochecha, orelha ou canto da boca..

- Você sem dúvida explica muito bem.. - sorri brevemente. - Você tem algum truque na manga que eu não saiba? - arqueei uma sobrancelha ao sentir a ereção dele me pressionar na parte de trás.

- Se eu tiver.. não vou contar a você.. - ele sussurrou em meu ouvido. - Mas.. gosto de ensinar a uma aluna tão dedicada como você.. _______..

- É mesmo? - sorri.

- Vamos nos concentrar.. - disse ele limpando a garganta. - Uma vez que este se torna o seu ponto de referência, ele deve ser mantido a cada tiro. Tome cuidado para não relaxar demais ou continuar a puxar a flecha após ter alcançado o ponto de ancoragem, ou você corre o risco de lançar mal a flecha ou perder a força da puxada.

- Certo.

- Ache o seu alvo. Mire.

- Certo. - fiz o que ele disse.

- Escolha entre tiro instintivo ou tiro com alça de mira. - disse ele calmamente.

- Poderia fazer a gentileza de me explicar, por favor? - perguntei em um tom suave.

- O tiro instintivo é a coordenação entre os olhos e o braço do arco, permitindo que a sua experiência e subconsciente orientem o seu movimento. Isto requer muita concentração e prática. Concentre-se em nada mais do que o centro do alvo. - ele fez uma breve pausa. - Atirar com alça de mira envolve o ajuste de pinos nas laterais de um arco composto ou arco recurvo, definidos para distâncias diferentes. Esta maneira é muito mais fácil de aprender, e, portanto, a melhor para um arqueiro inexperiente.

- Inexperiente? - arqueei uma sobrancelha.

- Digo para este tipo de lançamento. - ele se justificou.

- Sinto uma mudança nos ventos digo eu.

- Atire a flecha, relaxando os dedos da mão que seguram a corda. Embora isso possa parecer simples, a maneira como você solta os dedos da corda pode ter um impacto no voo da flecha. O objetivo é fazer com que o lançamento seja o melhor possível. Os problemas que você pode encontrar ao liberar o arco incluem vacilar, balançar ou antecipar o tiro imprecisamente. Qualquer coisa que desviar a corda da maneira como você retira os seus dedos pode alterar o curso da flecha.

- Eu não vou vacilar.. - disse firme encarando a flecha no meio do boneco de palha, que é o meu alvo realmente.

- Uma vez que a flecha tenha sido lançada, mova sua mão para trás e termine a rotação do ombro.. - ele pousou sua mão em meu ombro. - O movimento não termina com a saída da flecha, não. - disse ele em meu ouvido. - Mantenha a mão que segura o arco em posição até que a flecha atinja o alvo. Observe o voo da sua flecha.. agora atire.

Atirei segundo as instruções do meu professor e a minha flecha atravessou a flecha que estava no meio do boneco de palha.. sorri e abaixei o arco em seguida..

- Consegui!! - disse animada virando para encarar Jimin..

- Sabia que conseguiria.. - disse ele abrindo os braços e eu pulei nele o abraçando.. passei as minhas pernas ao redor da cintura dele.. caímos na grama e rimos juntos.. - Não esperava por essa.. - ele tinha as mãos em minha cintura e nossos olhos conectados em uma perfeita sintonia. - Você foi muito bem.. aprendeu direitinho.. - uni nossos lábios em um beijo calmo...

Afastei-me um pouco dele e passei uma de minhas mãos em meu cabelo o prendendo atrás de minha orelha.. e vi que ele carregava uma chave dourada com uma esmeralda incrustada no cabo, presa em uma corda preta em volta do pescoço.. ele sempre a usa, mas nunca tinha reparado tão de perto..

- Eu nunca tinha reparado isso.. - levei uma de minhas mãos a chave.. - Bonita.. - encarei Jimin que estava sob o meu corpo. Tinha as minhas pernas em volta da cintura dele.. Jimin estava deitado na grama e eu próxima ao seu peito, curvada. - O que ela abre? - sorri e ele sorriu de volta. - Vai me dizer que é a chave que abre o seu coração? - arqueei uma sobrancelha e ele riu.

- Acredita que eu nem sei.. - disse ele pensativo e eu fiquei intrigada. - Jin me deu isso.. pertenceu ao pai dele e o pai do pai dele.. - ele suspirou pesadamente.. - Claro que quando ele me deu.. achou que eu era filho dele. - Jimin passou uma de suas mãos em meu rosto.. que estava próximo ao dele. - Acho que deveria ficar com você..

- Não. - neguei também com a cabeça. - Ele deu a você.. - elevei ambas as sobrancelhas brevemente. - Então deve ficar com você. - sorri.

- Ele disse que está chave.. - ele levou a mão no peito sobre a chave. - .. que ela abre qualquer fechadura.

- Qualquer uma?! - disse incrédula.

- Talvez isso seja conversa. Eu não sai por ai abrindo portas.. - ele deu de ombros.

- Uma chave mágica, então.. - elevei os ombros. - É tudo o que preciso.. - gargalhei..

- Por quê? - disse ele curioso.

- Ah.. - suspirei. - Eu poderia abrir uma porta e dar de cara com a minha cama macia.. como aquelas lá do castelo e me acomodar bem nos meus lençóis brancos.

Jimin sorriu misterioso.

- Isso é um convite? - ele arqueou uma sobrancelha.

- Não seja pretensioso. - passei uma de minhas mãos pelo rosto dele e aproximei os meus lábios dos dele.. o provocando.

- Está brincando comigo, _______?

- Um pouco.. - sorri próxima aos lábios dele.

- Isso não parece uma brincadeira.. - ele começou a me fazer cócegas..

- Pare com isso.. - disse entre risos..

- Você gosta.. - disse ele.. e eu caí na grama e ele ficou por cima de mim. - É assim que eu devo brincar..? Hein?.. - ele prendeu os dentes em seus lábios.. e finalmente suas mãos pararam. Passei minha mão pelos seus braços.. e ele se aproximou deixando um beijo quente em meus lábios.

Jungkook's pov

Jogaram água gelada na minha cabeça e eu despertei assustado. Colocaram-me sentado em uma cadeira ainda inconsciente.. não estou amarrado e não poderia fugir nem se quisesse.. não tenho forças..

Avistei a minha frente uma moça.. seus cabelos curtos na cor ruiva, olhar penetrante e roupas pretas, femininas as roupas.. quase como as que ______ usava.. com uma mistura das roupas de Drina..

Ai.. péssima hora para lembrar delas.. não sei quem eles são.. vamos nos concentrar na ruiva.. a minha frente. Ela está encosta a parede com os braços cruzados em frente seu corpo.. e ela é muito, mas muito bonita.. como se luzes cintilantes refletissem em seu rosto, mesmo na penumbra que é onde estamos agora.. o lugar em que estou parece um quarto imundo.. diga-se de passagem.. e a claridade se faz presente por algumas velas.

- A bela adormecida acordou!! - disse uma voz masculino atrás de mim.. e eu apenas abaixei o olhar brevemente.. mas os meus olhos acabaram voltando a ruiva a minha frente e ela sorriu. - Finalmente!

- Olá.. - disse a ruiva.. com sua voz suave. Ela é a minha salvadora*.. ela se aproximou.. - Meu nome.. - começou ela de modo pausado.. sua língua se desdobrava calmamente em cada palavra. - .. é Rosetta.. esse é.. - ela apontou para o homem que ainda não estava no meu campo de visão..

- Cala a boca, Rosetta! - disse ele rude.

- O mal humor.. - ela elevou os ombros. - Chad.

Finalmente o tal Chad apareceu no meu campo de visão.. ele se aproximando e ficou cara a cara comigo, senti a respiração suave dele em meu rosto pela proximidade.

- O que querem de mim?

- Você não faz perguntas aqui.. - disse ele.. - herdeiro.. - completou com desdém. Franzi o cenho. Não sou herdeiro de nada.. certamente ele me confundiu com alguém. Chad também tinha um olhar penetrante e era bonito, tenho que admitir.. ele tinha os cabelos negros bem cortados. - Onde está a chave? - disse ele pausadamente..

Os dois falam as palavras de forma pausada e culta.. estreitei os olhos que estavam numa linha direta com os dele.

- Eu não entendi. - disse firme. Não vou rebaixar para esse babaca. - Isso é um código para alguma coisa? - elevei ambas as sobrancelhas.

- A chave!! - disse ele incisivo. - Onde está a chave?

- Desculpe, mas eu não falo língua de maluco.. - sorri debochado.

- Quem está chamando de maluco? - disse ele com uma voz grossa e eu engoli em seco.

- Não tenho a menor ideia do que quer dizer. - dei de ombros. - Sei lá.. ursos polares?! Não sei de porcaria de chave!

O tal Chad fez mensão de me bater e Rosetta o impediu.

- Não perca o seu tempo. - disse ela e ele a encarou. - Ele não sabe.

- Grande ideia sua trazer esse merdinha para cá! - disse Chad severo.

- Olha como fala! - disse encarando Chad com fúria e me arrependi disso.

Chad se aproximou de mim e colocou uma de suas mãos em meu ombro e apertou.. olhei para o meu ombro direito ao qual estava sendo apertado e sentia muita dor.. ele tem tanta força na mão.. uma força sobre humana diria.

- Você é insignificante, Jungkook.. - disse ele com um sorriso macabro preso em seus lábios. - Mesmo sendo quem é. - suas palavras não poderiam ser mais confusas para mim. - Tudo o que você entende agora é dor.. - ele sorriu largo. - Dor, dor e dor.. - de fato ele apertava o meu ombro e eu alterava os meus olhos dos dele para sua mão em meu ombro. - Nem ao menos sabe de sua vida.. - ele virou a cabeça um pouco para o lado. - Como disse.. aqui.. você não faz perguntas. Não tem vez!! - ele soltou o meu ombro e eu senti um alívio grande.

Chad deu de ombros e saiu do cômodo batendo a porta com força.. voltei a minha atenção para Rosetta.

- Você me ajudou uma vez.. - ela virou um pouco a cabeça para o lado. Vou apelar para ela.. afinal.. ela não deve ser tão ruim assim.. - Ajude-me a sair daqui.

- Você não me conhece, Jungkook. - disse ela fria.. se aproximando de mim.. não me lembro de dizer o meu nome para eles.. então.. como me conhecem..?

- Estou em desvantagem então.. já que me conhece. - disse amargo.

Rosetta se inclinou para frente e eu pude ver as cores que formam os seus olhos incisivos e cativantes.

- O meu coração foi arrancado do peito mais vezes do que posso contar.. - engoli em seco. Com certeza ela fala isso figurativamente, não é?! Gostaria de acreditar nisso, mas ela não parecia estar brincando. - Não me confunda só porque salvei você de uma morte terrível nas mãos de Irina. - ela se pôs de forma ereta e deu alguns passos em direção a porta e em seguida.. fiquei só novamente.    


Notas Finais


Então??
O que acharam deste capítulo??
Deixem comentários.. sua opinião é muito importante para mim.. 😊😊
Vejo vocês em breve..
XX #Kathy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...