1. Spirit Fanfics >
  2. End Of The Day - 3 >
  3. I would marry her too.

História End Of The Day - 3 - Capítulo 9


Escrita por: signof_thetimes

Notas do Autor


Espero que gostem :))

Capítulo 9 - I would marry her too.


Fanfic / Fanfiction End Of The Day - 3 - Capítulo 9 - I would marry her too.

Dizer que Lauren estava nervosa era um eufemismo. Noites atrás ela havia dito à Harry que não se importaria em aprender golfe, visto que ele adorava o esporte e jogaria assim que tivesse a chance.

 

Ela apenas não esperava que ele fizesse reserva em um campo de elite em seu dia de folga. Harry não conseguia conter o entusiasmo em apresentar o esporte para ela, mas não sabia como conter também o cansaço em seu corpo. 

 

-Prometo que você vai se divertir mas, por favor, preciso de trinta minutos... 

 

A voz dele ecoou pelo quarto enquanto Lauren experimentava seus novos tênis de golfe. Harry havia insistido para qua ela se vestisse para obter a experiência completa do golfe. 

 

-Estou animada também, mas com medo. 

 

Harry rapidamente abriu os olhos, voltando a fechá-los apenas quando viu que ela estava bem.

 

-Quero dizer, e se eu me acertar no rosto com o taco ou for atingida por uma bola de golfe voadora?

 

A risada estrondosa de Harry encheu o quarto enquanto manteve as pálpebras fechadas. Lauren sorriu com o quão boba soava, rindo junto.

 

-Em primeiro lugar, você não vai se acertar com um taco e é altamente improvável que seja atingida por uma bola de golfe voadora. 

 

Ele abriu os olhos, Lauren riu. 

 

-Em segundo lugar, você realmente acha que eu a traria para fazer algo perigoso? 

 

Balançou a cabeça, sorrindo.

 

-Você está certo, só estou um pouco nervosa porque nunca joguei.

-Eu sou um ótimo professor, não há com o quê se preocupar. Vai ser divertido.

-Tudo bem dorminhoco, mas quando vamos então? 

 

A garota perguntou, deitando esticada em cima das costas do marido. Harry gemeu com o peso dela primeiro, o rosto cada vez mais afundado no colchão, depois sorriu. 

 

-Trinta minutos e estaremos indo.

-Eu não quero ficar aqui baby, quero explorar o lugar... -olhou a imensidão verde pela janela, em cima dele- Parece lindo.

-Quer ir na frente? Todo o campo é seguro e fechado, não teremos problemas. 

-Hum... -pensou- Pode ser. 

 

Lauren apoiou ambas as mãos no colchão, reerguendo-se.

 

-Trinta minutos? 

-Trinta minutos. 

-Muito bem, até daqui a pouco. 

 

Se inclinou, deixando vários beijinhos na boca bonita dele. Tudo que precisava pegar era sua pequena bolsa e telefone. 

 

Fazia algum tempo que ela não tinha um momento para si mesma. A vida havia sido tão intensa nos últimos meses que eles se esqueciam do quê realmente era relaxar e não fazer nada. 

 

Tudo o que ela queria fazer, naquele momento, era vagar livremente pelos enormes campos e piscinas do lugar.

 

Andando, ela não sabia exatamente em qual parte do campo estava, mas não importava desde que estivesse vendo pessoas felizes ao seu redor.

 

Era necessário reservar um tempo para se isolar do mundo, compreender a si mesmo melhor.

 

Lauren tinha aquele tipo de energia que, não importava onde estava, sempre agregava valor aos espaços e à vida das pessoas ao redor.

 

Quando Lauren estava prestes a atravessar o restaurante, notou uma garotinha sozinha, chorando relativamente alto.

 

Lauren caminhou lentamente até ela, com muito cuidado para não assustar a criança já assustada. Ela olhou por cima e suas bochechas estavam completamente vermelhas.

 

-Olá querida, você está sozinha?

 

Sua voz era baixa e suave quando se ajustou para ficar do tamanho da garota. A menininha acenou com a cabeça, rapidamente estendendo a mão para Lauren pegá-la. 

 

Lauren desceu ainda mais à altura dela e segurou seu pequeno corpo, levantando com ela em seus braços.

 

A menininha limpou as bochechas com os dedos, rapidamente sentindo a sensação de segurança de novo. 

 

-Qual é o seu nome, linda?

 

Perguntou com um sorriso.

 

A menininha era tão pequena e frágil que Lauren podia ver as pequenas veias correndo pela pele de seu rosto, e era adorável. Fazia seu coração doer em amor. 

 

-Sarah. -respondeu em um sussurro-

-Uau, que nome bonito! 

 

Lauren sorriu enorme, vendo a garotinha sorrir pela primeira vez desde então. 

 

-Então, Sarah, você pode me dizer com quem estava para que possamos encontrá-los? 

 

A menininha havia dito que estava com uma mulher chamada Emily e que usava um chapéu marrom enorme. 

 

Lauren olhou em volta, não vendo ninguém de chapéu nas redondezas.

 

-Tudo bem mocinha, vamos encontrar a Emily. 

 

Respondeu, colocando-a no chão e fazendo cócegas em sua pequena barriga. 

 

Sarah sorriu e perguntou se seria uma aventura encontrá-la, Lauren respondeu com um sim definitivo.

 

-Conte-me sobre você! 

-Eu... -se enrolou- Eu gosto de chocolate, tenho vários na minha mochila!

-Oh, eu amo chocolate!

 

As garotas sorriram, de mãos dadas. 

 

-E o quê mais tem na sua mochila? -sorriu, encantada-

-Tenho um pente de cabelo, hum... -pensou- Um gloss... -olhou para os lados- Chocolates, um livro para colorir e um celular. 

-Nossa, sua mochila é muito mais legal do que a minha!

 

Apontou para a bolsa, a garotinha gargalhou. 

 

-E o quê tem na sua? 

-Apenas coisas chatas de adultos... -pensou- Um celular, documentos, chaves e cartão.

-É, a minha é melhor mesmo. 

-Sim! 

 

Riu, nunca soltando a mão da garota. 

 

Caminharam por cerca de dez minutos, tentando localizar a mulher do chapéu. Ela estava começando a cogitar chamar a polícia quando Sarah começou a correr para frente. 

 

-Lá! Lá! -apontou

 

A mulher parecia estar em pânico e chamava freneticamente o nome de Sarah, parando todos em volta.

 

-Emily?

 

Lauren chamou e a cabeça da mulher imediatamente virou para o som de sua voz desconhecida. 

 

A moça de pele beijada pelo sol avistou Sarah correndo em sua direção.

 

Quando ela estava bem na sua frente, Emily a afastou e a abraçou com força.

 

-Você me assustou! Eu pensei que tinha te perdido! -disse ofegante- Não faça isso nunca mais, está bem? 

 

Emily a questionou. Sua voz era rouca, sotaque americano. Emily olhou para Lauren antes de se voltar para a garotinha.

 

-Desculpe, tia Emily.

-Está tudo bem...

 

Deu-lhe um último aperto, antes de se virar para Lauren. Os olhos de Emily a avaliaram, tentando decifrá-la.

 

-Eu estava caminhando e a vi chorando no restaurante, só queria ter certeza de que Sarah estava bem.

 

Enquanto Lauren explicava como ela e a garotinha haviam se encontrado, um grande sorriso tomou conta das feições da mulher.

 

Emily estaria mentindo se negasse estar se derretendo com um sorriso bonito em uma mulher tão bonita quanto Lauren. 

 

Ela parecia como uma flor imperatriz, a mais linda de todas.

 

-Não precisa explicar, agradeço por ter a trago de volta. Eu estava em uma ligação e nem percebi que ela não estava mais por perto... 

 

Suspirou olhando para a garotinha, arrependida.

 

-Bom, sorte a minha por ter encontrado essa princesinha. -abaixou- Tenha cuidado, viu?

 

Sarah fez que sim com a cabeça e Lauren piscou para ela, voltando para Emily então. 

 

-É a primeira vez que eu passo um dia sozinha com ela, estou aprendendo ainda. 

 

Emily não conseguia desviar os olhos de Lauren enquanto falava. Poucas pessoas encontrariam uma criança chorando e se certificariam de que ela ficaria segura novamente.

 

-Tia, estou com fome...

 

A pequena Sarah falou, séria novamente.

 

Lauren acenou com a cabeça, notando que era sua hora de seguir em frente.

 

-O restaurante fica logo ali, foi um prazer conhecê-las. 

 

Ela sorriu para o par e acenou para a menininha, antes de voltar para chamar seu companheiro.

 

-Você está com fome também?

 

Sarah perguntou e, apesar de Lauren querer negar, jamais poderia diante daqueles olhos tão pequenos. 

 

Seu sorriso voltou ao rosto e ela virou para a tia, como se esperasse que liderassem o caminho.

 

-Gostaria de se juntar à nós?

-Eu... Hum... -sorriu, sem graça- Eu estava voltando para...

-Só um café, um suco como forma de agradecimento. 

 

Emily insistiu e Lauren não soube como dizer não. Calculando que ainda faltavam dez minutos para Harry deixar o quarto, ela acabou cedendo à gentileza do convite. 

 

Lauren se sentou ao lado de Sarah, que parecia trocar o mundo real pelo virtual, deixando apenas sua tia e a nova amiga conversando. 

 

-É a sua primeira vez aqui? -a encarou, sorrindo-

-Na verdade, sim. 

-E onde uma mulher como você se escondeu por tanto tempo numa cidade tão pequena?

-Oh! -abaixou a cabeça, corando- Não sou daqui...

 

Ao mesmo tempo que soava estranho que Emily não a reconhecesse de nenhum lugar, parecia completamente certo. 

 

-Posso adivinhar? 

-Claro! 

 

Ajeitou o prendedor no cabelo, ajustando seu rabo alto no lugar.

 

Emily tomou um gole de suco, nunca deixando os olhos de Lauren. 

 

-Pelo sotaque, você está mais para a região norte do país. 

-Certo... 

-Pelo sorriso encantador, não muito longe daqui. 

 

Lauren desviou os olhos rapidamente, sabia onde aquele assunto estava indo e sentia-se envergonhada perto da garotinha tão inocente ao lado. 

 

Ela não soube como responder.

 

-De onde você veio, bonita Lauren? 

-Emily, eu... -sorriu, vermelha- Eu preciso ir.

-Por favor, não quero assusta-la. Você veio sozinha? Sabe jogar? 

 

Lauren olhou para o telefone, Harry poderia aparecer a qualquer momento. 

 

-Estou acompanhada e ele já deve estar chegando.

 

Olhou em volta, coração palpitando com o pensamento de seu amor. 

 

-Algum amigo?

-Meu marido. -sorriu-

-Oh! Você é casada! -arregalou os olhos- É claro que é.  

-Combinamos de nos encontrar agora mesmo, então... -a ignorou- Obrigada pela conversa e pela oportunidade de conhecer a Sarah. 

 

Lauren lentamente se levantou, o quê fez com que Harry a enxergasse do outro lado do restaurante. 

 

-Tive uma tarde muito boa com você hoje, Lauren. -flertou- Talvez possamos nos ver de novo. 

 

Lauren abriu um sorriso, fazendo o coração da outra mulher derreter mais do que já havia derretido.

 

Mas aquilo apenas a enchia de falsas esperanças. 

 

-Posso ter o seu número? Sarah pareceu gostar de você. 

 

Lauren olhou para garotinha então, que tinha olhos apenas para a tela em sua frente. 

 

-Tenham uma ótima vida, Emily, se cuidem.

 

Ela sorriu mais uma vez, deixando o suco pago e um beijo na cabeça da menininha. No momento que virou, encontrou Harry não muito distante. 

 

Ela correu até ele então, abraçando-o apertado nas pontas dos pés. 

 

Emily, ainda de pé, semicerrou os olhos a fim de enxergar quem seria o dono de tamanha sorte. 

 

-Inacreditável...

 

Sussurrou para si mesma quando viu a mulher por quem havia se apaixonado se afastar com o homem pelo qual muitas outras mulheres eram apaixonadas. 

 

-Aquilo, Sarah, foi intenso. -Sarah não a olhou- Eu nem sabia que Harry Styles namorava! 

 

Falou para si mesma.

 

-Você sabia que Harry Styles é casado? 

 

Parou a garçonete que passava com um bandeja de suco, que a olhou estranho ao se afastar. 

 

-Jesus... -reclamou, incrédula- Eu me casaria com ela também. 

 

A caminhada até o campo específico consistiu em compartilhar piadas cafonas e uma grande dose de ciúmes do Harry. 

 

Ela o queria sorrindo, mas ele quase tinha uma e carranca em seu lindo rosto.

 

-Eu te deixei sozinha por meia hora e quando volto você já conquistou metade do campo?! 

 

Ela gargalhou, ele tinha bochechas vermelhas. 

 

-Eu ajudei a encontrar a sobrinha dela, fiz uma boa ação hoje! 

-Ela foi mais rápida em pedir o seu número do que eu!

 

Lauren o abraçou de lado, concordando. 

 

-Olá senhores, bem vindos! -sorriu- Por favor, não hesitem em sinalizar se precisarem de alguma coisa.

 

O homem uniformizado acenou com a cabeça e ambos Harry e Lauren sorriram ao agradecer.

 

-Tudo bem conquistadora, vamos lá.

 

Harry bateu palmas e seus olhos brilharam como os de Sarah brilhariam. 

 

-Existem dezoito buracos, está vendo?

 

Harry apontou para o horizonte, Lauren conseguia ver metade deles.

 

-Neles existem alguns obstáculos, então fique de olho. -sorriu- Não quero que tropece em uma daquelas caixas de areia. 

 

Lauren debochou quando Harry parecia afronta-la. Era autoexplicativo, mas Lauren ainda estava preocupada com uma bolada no rosto. 

 

Ela não costumava ter sorte quando se tratava de esportes, então é claro que desconfiava de tudo ali.

 

Harry tirou um dos tacos de seu suporte e agarrou a bola de golfe. Ele os colocou onde precisavam estar e se posicionou onde se sentia mais confortável. 

 

Seus braços fortes se flexionaram para trás e então para frente, fazendo a bola praticamente voar para longe.

 

Lauren ficou bastante intimidada em tentar depois daquilo, mas o aplaudiu mesmo assim.

 

-Ok baby, qual desses tacos deve ser melhor para a sua altura?

 

Haviam vantagens em Harry ajudá-la. Vantagens como ele a abraçando por trás enquanto a posicionava da forma correta, por exemplo.

 

Lauren sorriu quando sentiu a respiração dele em seu pescoço, seguida por arrepios enquanto Harry movia levemente as belas mãos.

 

Não seria um problema jogar golfe frequentemente se ele sempre a ajudasse daquela forma. 

 

Assim que os pés dela pareceram estar na posição correta, Harry se afastou um pouco para observá-la tentar. Ela respirou fundo, o calor do sol a fazendo suar na nuca.

 

Lauren endireitou os ombros, olhou para longe e estreitou os olhos. Seus braços se flexionaram para trás e então para frente, o taco acertando a bola com mais força do que técnica. 

 

-Não foi ruim! 

 

Virou para Harry, surpresa.

 

Harry riu ao vê-la girar, comemorando. Uma das pessoas que trabalhava para o local passou por eles, batendo palmas para ela.

 

-Foi ótimo, tente com este agora. 

 

Harry entregou outro taco e Lauren se posicionou, mantendo o mesmo nível da primeira tacada. 

 

Eles eram brilhantes para quem os via de longe. Seus raios de energia acalmavam a pele de qualquer um que passasse por ali. Emanavam tranquilidade e conforto. 

 

O brilho dourado de suas feições poderia deixar qualquer um de joelhos, se assim desejassem. A aura amigável deixava as pessoas apaixonadas por suas bondades. 

 

A doce voz de Lauren fazia cócegas no coração de quem tinha o prazer de ouvi-la, Emily naquele dia. 

 

As pessoas frequentemente os aglomeravam e os seguiam não apenas com os olhos, mas ansiavam por sua atenção e desejavam uma chance para estar com alguém que parecia tão mágico e tão intocável. 

 

Lauren era um mistério aberto. Emily sentiu-se atraída por ela sem mesmo saber de nada sobre sua vida.

 

Nada além de seu primeiro nome e status civil. 

 

-Parece que sua amiga veio te assistir. -bufou-

-O quê? 

 

Lauren se virou rapidamente, vendo Emily do outro lado do campo. 

 

-É mais provável que ela tenha vindo te ver. -deu de ombros-

-Eu as vi no restaurante... -murmurou- Ela é uma mulher bonita, parece interessada até agora.

 

Harry se virou, tentando não se incomodar. Lauren levantou as sobrancelhas, seus lábios se curvando em um sorriso pequeno.

 

Ele estava certo, a mulher era linda e estava praticamente se jogando em Lauren com seus cílios vibrantes e risadinhas silenciosas.

 

Ela tentou jogar, mas havia perdido a graça. A garota largou o taco e caminhou até Harry em busca de um pouco de sombra e de seu marido de volta. 

 

Suas mãos se moveram ao redor do pescoço dele primeiro, para então subir até sua testa e pentear seu cabelo.

 

-É fofo... -sorriu- Você está com ciúmes.

 

Harry jogou a cabeça para trás, apertando os olhos.

 

-Eu não estou, não sou ciumento.

 

Lauren acenou com a cabeça, um brilho travesso em seus olhos.

 

-Tão, tão, tão ciumento...

-Não estou com ciúmes.

-Você fica bonito com ciúmes.

-L!

 

Harry suspirou, virando a cabeça para longe do olhar dela.

 

Sem muito aviso, Lauren fez o corpo dele como seu próprio apoio.

 

As mãos dele na cintura dela.

 

As dela, em volta do pescoço dele. 

 

O calor de Lauren colidindo com Harry.

 

-Estamos pagando para estarmos aqui, certo? 

-Certo, por quê? Quer chamá-la? 

 

Lauren revirou os olhos, calando-o. 

 

Em um instante, os lábios de Harry estavam nos dela em um beijo apaixonado. Ela lentamente se apoiava nele, que se apoiava contra uma mesa, que segurava firmemente seus quadris.

 

O coração dele imediatamente acelerava e começava a martelar com mais força contra sua caixa torácica.

 

Seus corpo estava imprensado entre Lauren e a mesa, não tinha para onde ir. Lauren levou as mãos ao rosto de Harry, passando alguns dedos por sua mandíbula.

 

-Não entende que eu só tenho olhos para você? 

 

O sol brilhava, os pássaros cantavam e o som da água espirrando a distância tornava o dia ainda mais doce. 

 

O som distante de pessoas conversando era quase imperceptível em comparação com as ruas agitadas e barulhentas com as quais estavam acostumados. 

 

Tudo aquilo quase os fazia esquecer o quão quieto o mundo poderia ser e o quão gratos eram pela pequena fuga para um lugar pacífico.

 

Sua saia branca de verão balançava com o vento e seu cabelo preso mantinha os fios longe de seu rosto.

 

Os olhos esmeralda de Harry examinavam cada um dos contornos de Lauren, tentando ao máximo memorizá-los como se ela fosse sua pintura favorita.

 

Lauren o mantinha com os pés no chão, mesmo quando ele podia jurar que estava nas nuvens.

 

Ele realmente não conseguia entender como ela considerou ficar para sempre, sabendo quais consequências e dificuldades havia trazido para sua vida. 

 

Seus longos cílios o emolduravam perfeitamente, as minúsculas sardas em seu rosto faziam Lauren querer contá-las para que pudesse dizer à todos quantas ele tinha. 

 

Lauren sentiu as mãos grandes de Harry agarrarem seu antebraço, apertando-o levemente antes de ela dar um beijinho em seu nariz. 

 

O corpo rígido dele se derreteu então, como se estivesse sentindo falta de seus beijos o dia todo.

 

-É só que... -respirou fundo, organizando seus pensamentos- Tenho medo de um dia você acordar e não me amar mais.

 

Lauren sentiu como se as mãos dele tremessem ao redor de seus quadris e sua voz tão baixa que quase sussurrava.

 

-Eu te amo, Harry. Eu te amo muito, me casei com você e realmente não me importo com o quê temos que enfrentar, contanto que estejamos juntos. Você pode sentir ciúmes, está tudo bem!

 

Ela pressionou sua testa contra a dele e deixou que o pequeno contato afastasse toda aquela  insegurança. Os dedos de L estavam no rosto dele, puxando-o para mais perto, se é que fosse possível. 

 

-Eu prefiro perder tudo do que perder você, então não tenha medo. Meu coração simplesmente não aguentaria. 

 

Lauren então colou seus lábios, tentando ao máximo tirar a insegurança de Harry. Emily havia desistido quando os viu beijar de novo. 

 

Ambas as partes estavam convencidas de que seus lábios foram feitos para ficarem juntos.


Notas Finais


Harryzinho com ciúmes é tudo pra mim. Mas imagina poder acalma-lo com um beijo, um abraço, um sorriso? 

Se você ainda não faz parte da lista de leitoras no ig mas gostaria de estar lá também, dê um alô :))


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...