História End of the day (2 Temporada) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles
Tags Drama, Fama, Harry Styles, Lauren, Romance, Shows
Visualizações 89
Palavras 1.829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ♡

Capítulo 15 - Just me, her and the moon


Fanfic / Fanfiction End of the day (2 Temporada) - Capítulo 15 - Just me, her and the moon

Pov Harry

 

-Eu menti, Lauren! 

 

Abri os braços o máximo que eu conseguia, pronto para fazer um anúncio triunfal! 

 

-Diga boas vindas ao Havaí e as suas férias! 

 

Ela parou no meio das escadas e seu rosto variava com um sorriso deslumbrante e com feições de quem não podia acreditar no que acabara de ouvir. 

 

Lauren desceu aqueles degraus correndo e pulou em meus braços sem medir esforços. O choque do corpo dela contra o meu nos fizeram cambalear para trás até que eu a segurasse firme de volta.

 

-Por Deus eu sou tão apaixonada por você, isso tudo é tão insano! 

 

Sua voz saiu abafada, porém eu escutei em alto e bom som. Eu só queria permanecer ali para sempre e sempre.

 

Afastei alguns fios do cabelo dela que batiam no meu rosto e mergulhei meu nariz em seu pescoço, dando leves beijinhos. 

 

-Como posso começar a te agradecer? 

-Não precisa, te ver feliz já é um bom agradecimento. 

 

Sorri, ela ainda estava em choque. 

 

-Vamos? Estamos no meio da pista! 

 

Digo olhando em volta e ela fez o mesmo, rindo envergonhada. Puxamos nossas malas e fomos de carro até o hotel que eu havia escolhido. 

 

Eu já estive aqui antes, mas não pude aproveitar tanto quanto queria agora. Tentei mostrar algumas coisas para ela pela janela mas aquele paraíso funcionava melhor com a luz do dia. 

 

Entramos pela garagem e tivemos acesso rápido ao quarto, Mary certamente já havia ligado e resolvido questões burocráticas. 

 

Tirei o cinto e olhei para ela, que parecia estar com a mente em outro mundo e coração voando de felicidade por aí. 

 

-O que? -ela riu tímida ao perceber que eu a encarava-

-Essas flores combinam com o seu cabelo. 

 

Lauren abaixou a cabeça e eu pude perceber o quanto ficou vermelhinha e o quanto aquilo era importante para mim. 

 

Eu era capaz de qualquer coisa por ela. Literalmente.

 

As flores amarelas se misturavam com o cabelo castanho, que faziam um belo contraste com suas bochechas coradas. Lauren tirou o cinto primeiro e eu desci do carro o contornando rapidamente. Abri a porta dela e inclinei o corpo, esticando a mão como um bom cavalheiro faria.

 

Lauren aceitou a gentileza e logo logo estávamos esperando pelo elevador. Quando a porta se abriu, algumas pessoas saíram e eu, por reflexo, abaixei a cabeça. 

 

Não sei explicar porque essas coisas aconteciam mas acontecia meio que sem querer, meio automático da minha parte. Respirei fundo quando percebi que era só bobagem minha e respirei mais fundo ainda quando vi que ela não notou. 

 

Lauren entrou e parou em frente ao espelho, enquanto a porta se fechou devagarzinho. Apertei o número do nosso andar e reparei que os olhos dela foram da roupa, às flores e ao seu rosto. 

 

-Essa não é a única surpresa. 

 

Sorri e me virei rápido, vendo-a se virar para mim no mesmo instante.

 

-Como assim Harry? 

 

Lauren veio até mim e eu me virei de novo, travando os lábios e fazendo sinal negativo com a cabeça.

 

-Vaiii!!! 

 

Ela virou de novo e eu balancei a cabeça negativamente, sorrindo. 

 

-Gabriella e Linz estarão aqui também. Alguns amigos meus também, mas elas porque eu sei que vocês se gostam e você gostaria. Você gostou? 

-Harry tá brincando?? 

-Opa, é aqui.

 

A interrompi, mas por um bom motivo. A porta se abriu e nos revelou um corredor enorme de portas madeira e chão claro. 

 

Tirei as chaves do meu bolso e procurei pela porta que continha a numeração “53” nela. 

 

Localizada no meio do corredor e, quando a achei, peguei a mala dela e a puxei dessa vez. Abri a porta com as chaves e a empurrei com certa força, a deixando na minha frente. 

 

Luzes se acenderam imediatamente e eu queria muito poder ver o rosto dela agora. O quarto tinha o chão em madeira e uma cama de casal enorme e bonita. 

 

Haviam luzes do lado e em cima da cama e uma janela que tinha o comprimento da parede, nos revelando algumas palmeiras gigantes do lado de fora. 

 

-Eu nunca vou me acostumar com isso, eu poderia morar aqui!

 

Ela disse se virando para mim. Fechei a porta do quarto e estacionei nossas malas no cantinho próximo à poltronas. 

 

-Eu queria o mais bonito. 

 

Ela sorriu, como se já soubesse dessa informação. Lauren caminhou pelo criado ao lado da cama e eu fui até a janela, destrancando-a e surpreendendo-a.

 

Olhei para trás e, à medida que chamei a atenção dela, fui abrindo bem devagar. Fiz sinal para que ela fosse até lá e assim Lauren fez.

 

Ela andava bem devagar, eu diria, e posicionou as duas mãos no limite da varanda, pondo o ar de seus pulmões para fora. 

 

Tirei as mãos da porta e caminhei até ela, a abraçando por trás. O lugar era incrível e a nossa vista nem cabiam comentários.

 

Tínhamos à vista da área de lazer do hotel: duas piscinas enormes em formatos redondos ou quase redondos, palmeiras e grandes árvores preenchendo todo o espaço. 

 

Cadeiras, mesas, áreas gramadas, parquinhos, restaurantes, trilhas e outro prédio de quartos na lateral. Mas, o mais bonito era a praia que conseguíamos ver logo atrás. 

 

Nós tínhamos toda a visão de montanhas que sumiam até o horizonte e do grande mar azul tão próximo. Nós inclusive podíamos ouvir o barulho das ondas se quebrando.  

 

-Bonito, não? Baby? 

 

A soltei e peguei em suas mãos, a fazendo me olhar agora. Lauren ainda tinha as florzinhas no pescoço e algo nela e naquele momento me fizeram perder as palavras.

 

Algo sobre ela. Sobre a bondade em seus olhos, sobre o calor em seu sorriso, sobre o som de suas doces palavras.

 

Algo sobre a brisa natural que batia em seu cabelo e a fazia rir gostoso. Estava escuro mas eu podia ver perfeitamente seus olhos iluminados e cheios de vida. 

 

Eu queria ouvi-la falar sobre arte, seus pensamentos mais profundos sobre o fundo do mar e todos os seus segredos, sobre as piadas que ouviu outro dia e lembrou de mim, sobre os planetas que ela tanto gostava. 

 

E agora, apenas iluminados por algumas luzes e estrelas no céu, eu me pergunto: o que a inspira? Será que ela sabe que é ela quem me inspira? 

 

-Eu fiz isso porque precisávamos de um tempo longe de todos e precisávamos de um tempo para nós. Eu não quero que pense nisso, mas desde que aconteceu.. -ela sabia do que eu estava falando- Eu me sinto responsável por cuidar de você e te fazer sentir bem. 

-Harry..

-E não pense que é por obrigação ou por culpa, nada disso. É porque eu nunca estive tão apaixonado. Eu pensei nesse lugar porque é provavelmente o mais bonito que eu já estive e... vamos ficar por um tempinho indeterminado se for tudo bem pra você. Minhas músicas estão adiantas e... 

 

Mexi os ombros, sorrindo. As vezes alguns momentos falam por si só. 

 

-Acho que me apaixonei por você muito antes que eu percebesse mas... Pensando sobre isso agora, como eu não poderia? Você faz tanto por mim e as vezes eu sinto que não posso fazer o mesmo. 

-Shhh, não fale assim.

 

Segurei o seu rosto gentilmente.

 

-Vamos descer, quero te levar para jantar. 

 

- - -

 

-Você já parou pra pensar no quanto o mundo ainda é desconhecido pelo ser humano? 

-Oh eu adoro suas conversas inteligentes, prossiga. 

 

Fiz cara de sério, porém eu realmente adorava. Lauren correu até o quarto e buscou a câmera enquanto eu escolhia uma rede para nos sentarmos. 

 

-Já imaginou o quanto as bactérias do fundo do mar são resistentes e que, se um humano for até lá e subir até a superfície com algumas delas, poderia causar sérios problemas?

-Como doenças e essas coisas? 

-Até mais! 

 

Ela apontou a câmera para mim, sorri de canto. 

 

-Elas sobrevivem à pressões que nos matariam em um segundo, então imagina o que não causariam aqui? -ela dizia com a câmera no rosto- Talvez doenças desconhecidas, o fim do mundo? 

-Você é ótima! 

 

Ri com respeito do comentário, nunca se sabe. Lauren tirou algumas fotos do horizonte e outras minhas e era bonito vê-la fazer algo que gosta e conversar sobre coisas tão malucas. Esses momentos me tiravam do mundo, eu poderia ficar o dia todo conversando com ela assim. 

 

-Se você tivesse a chance, os aparelhos e todo o suporte, desceria até o fundo do mar? Digo, no seu ponto mais profundo, cheio de coisas que não conhecemos? 

-Hum.. me dê um minuto. 

 

Coloquei dois dedos nos lábios e pensei por um instante. Ela desligou a câmera e encostou a cabeça em meu ombro, pegando minha mão. 

 

Lauren começou a passar os dedos delicadamente pelos meus, pela palma da minha mão, por toda ela. Ela fazia pequenos círculos e depois a apertava bem leve, como se estivesse realmente a sentindo.

 

-Eu acho que sim, talvez. 

-Uau você é doido! -ela riu- 

-Eu não sei, eu gosto do novo. 

 

Digo, mas ela não pareceu me ouvir. Seus dedos subiram até metade do meu braço e voltaram para a mão, a olhei e seus olhos estavam presos nela. 

 

-Me desculpe se isso parecer estranho, mas a sua mão é tão bonita..

 

Você sabe, não é o tipo de elogio que você escuta por aí mas me fez sorrir. Eu sabia que era puro. 

 

-Eu nem sei como uma mão pode ser bonita, mas a sua me faz querer segurar e nunca mais soltar.

 

Lauren dizia suavemente e agora a ponta dos seus dedos acariciavam minhas unhas. Seus olhos eram cheios de estrelas.

 

-Então não solte.

 

A interrompi, segurando a sua mão dessa vez e que, por sinal, ficava bem menor junto da minha. 

 

Lauren sorriu e levou minha mão de volta até o seu peito. Seu coração estava batendo extremamente rápido e aquilo fez com que o meu se acelerasse também. Esperei até que ela dissesse algo.

 

-Ninguém faz meu coração bater assim. 

 

Olhei para ela como se tivesse pendurado a lua no céu e ela me olhou como se eu tivesse pintado as estrelas daquela noite. E então nos beijamos.

 

... 

 

Pov Bianca

 

Abri os olhos num pulo e percebi que acabei adormecendo na mesa. Ergui meu corpo bem devagar e ajeitei o cabelo da melhor forma que eu poderia, já estava tarde. 

 

Dois aviões em um dia era demais para uma pessoa só. Juntei alguns dos papéis a minha frente e acabei encostando no teclado do computador sem querer, o que o fez abrir direto na última página que eu estava usando. 

 

-Um e-mail a essa hora. 

 

Bufei, me jogando de volta na cadeira dura e fria. 

 

“Prezada Bianca, boa noite. Viemos por meio deste e-mail informar que sentimos falta de um pendrive da nossa empresa na última Quinta-Feira. Agradecemos a preocupação, mas gostaríamos de deixar claro que somos uma empresa grande e trabalhamos de forma correta e honesta. Temos cópias. Gratos pela atenção, até a próxima.”

 

Eu não poderia evitar o inevitável.


Notas Finais


O que vocês fariam?
Até a próxima ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...