1. Spirit Fanfics >
  2. Endless Night >
  3. Ao anoitecer

História Endless Night - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa é a minha primeira história, espero que gostem.
Peço desculpa por qualquer erro de português.

Capítulo 1 - Ao anoitecer


(Em uma cidade, várias pessoas continuam a desaparecer. A polícia não consegue resolver o caso e os moradores parecem não se importar.

Mais e mais pessoas estão morrendo, e a verdade parece mais distante.

Será você, aquele que buscará a verdade?

Ou será apenas mais um peão do jogo?)

 

Voz: Você está bem?-uma voz ecou.

(Aos poucos fui abrindo os olhos. Olhei em volta e me vi dentro de um trem.)

Voz: Está cansado de ficar sentado, eu aposto. Já estamos chegando, Souji.-a voz disse com um tom descontraído.

Souji: Certo…-o garoto respondeu olhando para janela.

Pela janela podia se ver o mar passando. Souji já sabia que aquilo ia acontecer, mas, mesmo assim, ele não podia esconder sua insatisfação.

Ele sabia que a culpa não era de sua mãe.

Mãe: Sua matrícula já esta pronta. Amanhã mesmo você já pode ir para escola!

Souji: Certo…

Mãe: Vai ser só durante esse ano, depois podemos voltar.- a mulher disse enquanto abaixa o rosto.

Souji: Tanto faz. Já estou acostumado mesmo.

O silêncio permaneceu até o fim da viagem. Ao entardecer o trem finalmente chegou em seu destino. Souji e sua mãe desceram e, seguiram rumo a sua nova casa.

Após arrumarem um pouco da mudança, jantaram e foram para os seus quartos. Souji arrumou seu uniforme e foi deitar.

 

Voz: Será você aquele que sentará ao trono?

Souji de repente se viu em outro local.

Voz: Será você aquele que dará um fim ao mundo?

A voz ecoava pela sala. O garoto olhou ao redor. A sala se parecia como um hall de castelo.

Voz: De fato, tens um futuro intrigante.

Em sua frente, uma sombra apareceu ao mesmo tempo que o hall se tornou mais escuro.

Voz: Você é um convidado bastante especial.

Souji então reparou em suas roupas. Ele vestia um terno preto com traços de uma espécie de armadura dourada.

Por alguma razão, o corpo de Souji se moveu sozinho. Em suas mãos uma espada se formou. O garotou avançou contra a sombra.

Quando a lâmina se encontrou com o ser, o mesmo desapareceu.

Voz: Entendo. Você é realmente especial.

A sombra apareceu atrás de Souji.

Voz: Mas não tenha pressa. Nos encontraremos novamente no futuro, isso é claro, se você quiser.

A visão de Souji aos poucos foi ficando embaçada, sua cabeça começara a doer.

Voz: Até lá, adquira súditos e busque a verdade.

Quando os seus olhos novamente, se viu de volta em seu quarto.

Souji: Um…sonho?-ele se perguntava, já que aquilo parecia muito real.

Ele olhou para o despertador e viu que já era de manhã. Levantou e se arrumou.

Depois de pronto, ele desceu para a cozinha. Na mesa, havia um bilhete deixado por sua mãe, informando que a mesma só voltaria a noite. Após ler o bilhete, ele foi para escola.

 

Na sala, todos estavam curiosos com o novo aluno, afinal, como a cidade era pequena, não era sempre que isso acontecia.

Aluno: Eu ouvir disser que é alguém da cidade grande-um garoto falava.

Aluna: Cidade grande? E oque raios ele veio fazer nesse fim de mundo?

Aluno: Talvez ele tenha sido expulso de lá.

A fofoca continuou até o professor entrar na sala. Nesse momento, todos se calaram e sentaram em seus lugares.

Professor: Bom dia, como vocês estão? Bem, eu espero. Como já sabem, a partir de hoje teremos um aluno novo- o professor disse enquanto acenava para que Souji entrasse.

Souji entrou e ficou ao lado do professor. Mesmo querendo parecer calmo, ele não conseguia esconder a vergonha que estava a sentir.

Professor: Seu nome é Souji Anami. Vamos se apresenta- o professor deu um tapinha nas costas de Souji.

Souji: Prazer em conhecer vocês- falou com uma voz meio trêmula.

Professor: Certo, você pode se sentar atrás do Ryuou.

O garoto da penúltima cadeira da última fileira levantou a mão. Souji caminhou e se sentou. A aula continuou normalmente.

Depois de um tempo, o sinal do intervalo tocou. Vários alunos se levantaram, outros apenas sentados ficaram. Souji apenas olhou para janela e observou o céu.

Aluno: Então você veio da cidade?

Souji virou para ver de onde vinha a voz.

Ryuou: Me chamo Ryuou, é um prazer conhecer você!- o garoto disse estendendo a mão para Souji.

Souji: Souji, prazer.- disse enquanto apertava a mão de Ryuou.

Ryuou: Então você não é muito de falar pelo visto. Bem, isso não é problema para mim!

Aluna: Claro, você não fica quieto por um segundo- uma garota disse enquanto se aproximava dos dois.

Ryuou: E lá vem você você de novo- disse enquanto abaixava a cabeça.

Lia: Me chamo Lia, é um prazer conhecer você- a garota disse com um sorriso.

Souji: Souji, prazer- disse virando o rosto.

Ryuou: Agora que já se apresentou-se pode nos dar licença?- disse com um tom de deboche.

Lia: Para você alienar ele?

Ryuou: O que você quis dizer com isso?

Lia e Ryuou começaram a discutir e se esqueceram completamente de Souji, que apenas observou a cena.

Aluno: Ei você viu no jornal? Mais uma pessoa desapareceu- um aluno falou para o outro.

Os três escutaram o que o aluno havia dito.

Lia: Mais uma vítima…- disse com uma voz entristecida.

Ryuou: O que será que a polícia está fazendo para deixar que umas coisas dessas aconteçam.

Souji: Pessoas desaparecendo?- perguntou confuso.

Ryuou: Ultimamente várias pessoas têm sumido pela cidade- disse enquanto olhava para o lado.

Lia: Depois algum tempo, algumas reaparecem, mas…

Ryuou: Elas voltam em uma espécie de coma.

Souji: E o sequestrador não deixa nenhum rastro?

Ryuou: Não… E não é apenas uma pessoa que some por vez.

Souji: Como assim?

Lia: Da última vez sumiram cerca de 10 pessoas ao mesmo tempo. Cada uma em um local diferente da outra.

Souji: Espera, se algo desse nível está acontecendo, por que as pessoas continuam agindo normal?

Lia: Eu não sei. Algumas pessoas parecem que nem se lembram dos casos.

Ryuou: É como se elas ignorassem.

Souji: Isso não faz sentido.

Lia: Ryuou, você se lembra do irmão da Enma?

Ryuou: E tem como se esquecer dele?- disse com um tom triste.

Lia: A própria Enma não fala mais o nome dele.

 

Um longo silêncio se instalou na conversa. Ryuou e Lia possuíam um semblante triste em seus rostos. Souji estava confuso e com medo dos relatos.

Após alguns minutos o intervalo acabou, e as aulas voltaram.

Como a escola possuíam aulas integrais, eram quase 18 horas quando as mesmas acabaram. Souji arrumou suas coisas e foi para casa.

Ryuou: Hey Souji, que tal irmos juntos?

Souji: Certo…

Os dois estavam passando pela entrada da escola quando sentiram algo estranho.

Estava muito frio e um leve neblina surgia.

Ryuou: Espera- Ryuou parou de andar.

Ryuou: Está tudo muito quieto.

Souji: Agora que disse- Souji olhou em volta, percebendo que não havia ninguém além dele e Ryuou.

Ryuou: Vamos voltar para escola- Ryuou disse enquanto se virava com pressa.

Eles não conseguiram dar nem 2 passos. De repente, uma forte dor de cabeça começou. A visão de ambos começou a ficar branca. A neblina fica mais densa.

Ryuou: Que porra tá acontecendo!?- Ryuou se ajoelhou devido a forte dor que sentia.

 

Voz: É chegado a hora- uma voz sussurrou no ouvido de Souji.

O garoto virou para trás e não viu ninguém. A neblina já havia tomado conta de tudo.

Voz: Se é a verdade que deseja, então vá em frente.

Um forte barulhou começou.

Voz: Um verdadeiro Rei presa pela segurança de seus servos.

A voz estava cada vez mais alta.

Voz: É chegado a sua hora. A hora do seu despertar.

De repente, Souji se viu sozinho em um lugar escuro. Ele olhou para os lados e não encontrou nada. Estava apenas ele ali.

Voz: Apenas o Rei tem esse direito.

Ele escutou a voz vindo de trás. Rapidamente se virou e viu algo.

Em sua frente havia uma espada enferrujada, crava em um pedestal.

Voz: Apenas o Rei pode retirá-la.

Souji caminho em direção a espada.

Voz: Se é realmente tu que sentará no trono, então a espada não o rejeitará.

Segurando a espada em ambas as mãos, então a retirou. Uma luz pelo local se espalhou.

Voz: Agora é a hora. Em frente, meu Rei!

A espada brilhou intensamente e espalhou sua luz por todos os lados.

Após um tempo, Souji se viu em frente a escola novamente, mas dessa vez, ela estava diferente.

A noite havia chegado, havia neblina por todos os lados, a escola parecia agora um castelo em ruína.

Voz: Alguém me ajude!!!- uma voz ecou pelo castelo.

Souji engoliu seco.

Ele então reparou que estava usando as mesmas roupas do sonho que tivera.

Voz: Não tenha medo, é o dever de um Rei proteger seus servos- uma voz ecou na mente de Souji.

Souji lembrou de seu sonho. Ele balançou a mão da mesma forma que fez no sonho e, da mesma forma que ocorreu no sonho, uma espada apareceu em sua mão.

Voz: Agora meu Rei, em frente!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...