História Enfrente o que vier! - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Bad Boy, Banda, Ganges, Harem, Mistério, Rock, Romance, Segredos
Visualizações 3
Palavras 1.500
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Finalmente saiu...
espero que gostem!

Capítulo 7 - A verdade


 Levanto em um pulo, assustada, droga estou atrasada, muito atrasada! Minha cabeça doe, doe tanto que levo algum tempo de pé parada, antes de me dirigir para o banheiro. Lavo meu rosto e me olho no espelho e que porcaria meu olho está horrível, talentosa que sou com a maquiagem vou chegar muito, muito mais do que muito atrasada.

Trinta minutos depois e sem muito sucesso com a maquiagem pego um grande óculo escuro e saio de casa pronta para encarar o temido comprador na reunião das 10horas. Só espero que de tempo para finalizar nosso projeto, porque se não estaremos ferrados na mão daquele comprador.

Assim que abro a porta do de cara com o ...

-Colin?!

-Há! Bom dia!

-O que faz aqui?

-Uma carona, aceita?

Eu sorrio e aceno positivo com a cabeça.

-Então vamos, estamos atrasados!

-Ok! – Digo me dirigindo para camionete.

Depois de algum tempo na estrada Colin começa a rir.

- O que foi?

-Desculpe, mas, você ... não conseguiu esconder né! –Fala ele rindo apontando para meu óculo.

-E você não dormiu né, pois está parecendo um panda! –Retruco.

-Um bom motivo. Finalizei o projeto.

-Serio você conseguiu terminar! - Digo surpresa

-Claro que sim! - Diz ele sorrindo.

-Obrigada Colin!

-Ainda temos os outros não esqueça, mas esse em especial, dizem que é... –Começa ele a falar

-Osso! –Completo

-Exatamente!

O restante a viajem ouvimos como de costume os clássicos do rock. Quando chegamos na empresa a Lisa veio correndo na minha direção e me puxou até o banheiro.

-O que está fazendo? – Pergunto.

-Um favor! Vamos deixe eu ver o tamanho estrago. – Fala ela puxando meu óculo.

Ela me encara com espanto.

-Muito feio? – Pergunto.

-Sabe quando Colin disse que estava feio, não imaginei que pudesse estar tão feio... o Soco foi certeiro né! –Fala ela com um sorriso.

-Nem me fala.

-Vamos lá, em um instante você vai ficar linda! – Fala ela começando a me maquiar.

Depois de uns minutos está pronto.

-Vamos veja como esta? - Fala Lisa me virando.

-Uau! Sou eu mesma? –Pergunto espantada.

Lisa dá uma gargalhada e me puxa para saída.

-Vamos já ficamos muito tempo aqui.

- Ok! –Falo a seguindo

Do lado de fora encontro Rafael que me olha e sorri de maneira desconfortável.

-O que aconteceu Rafael? – Pergunto.

-Você vai ver! –Diz ele me indicado o elevador.

Na subida tentei perguntar, mas, ele parecia nervoso e não está disposto a conversa.

Entrei na sala e vejo Colin trabalhando nos ajustes, olho para ele depois para Rafael.

-O que está acontecendo? –Pergunto.

-O osso chegou e esse ai ficou assim! –Fala Colin apontando para o Rafael.

-Agora eu entendo porque se recusou a trabalhar comigo nesse projeto. Ele é tão terrível assim? –Pergunto para Rafael.

-Não e sim... – Diz Rafael se sentando e tomando um grande gole de agua.

Olho para Colin e ele dá os ombros em sinal que não sabe do que se trata.

-Bem, vamos ó enfrentar. Certo Colin!!- Falo pegando o material para a apresentação.

-Sem problemas! –Responde me acompanhando

Nos dirigimos até a sala de apresentação e montamos toda a apresentação do nosso projeto, mas, não conseguimos ensaiar, pois assim terminamos nosso chefe chegou acompanhado por um homem Alto moreno e forte, me lembrava...

-Colin! Que supressa! –Fala ele sorrindo e abraçando-o.

Colin parecia em estado de choque, pois não conseguiu responder o abraço.

-Deixe eu ver como você está! – Fala o Senhor dando palmadas nos seus ombros e o olhando de cima a baixo.

-Eu estou bem! –Fala Colin tirando as mãos dele dos seus ombros.

- Estou vendo e essa linda garota é a sua noiva? – Pergunta ele me encarnado.

-Há! Muito prazer e comece-lo sr....?

-Leo me chame de Leo. – Responde ele.

- Eu sou Maiara Borgate, trabalho junto com o Colin. –Me apresento.

-Você disse Borgate? –Pergunta o Sr. Leo.

-Sim! –Confirmo.

O sorriso e bom humor do Sr. Leo mudam e dão lugar e a um rosto sério.

-Senhor Leonardo, não se preocupe ela não tem nada a ver com aquela família. –Fala meu chefe em minha defesa.

Eu olho para os homens na minha volta e tento entender.

Que porcaria está acontecendo aqui!

Durante nossa apresentação o sr. Leonardo ficou me encarando durante muito tempo, na verdade o tempo todo. Mas, nosso resultado foi bom no final.

-Senhorita, Colin temos que conversar! –Fala o senhor Leonardo em um tom muito sério.

-Hoje não, me dê um tempo antes. –Responde Colin.

-Teve tempo o suficiente! –Fala Sr. Leonardo impaciente.

-Ela não pode conversar hoje, ontem ela teve um acidente... aquele acidente! –Fala Colin me puxando com força para saída.

Ele me puxa até o estacionamento sem me dar uma chance de revidar, quando para finalmente consigo me soltar.

-Colin... o que está acontecendo? –Pergunto.

-Eu vou te contar, mas não aqui! –Fala ele abrindo a porta da caminhonete.

-Sabe, que podemos ser despedidos né! Por sair no meio do trabalho... – Digo assustada.

-Como se aquele cara fosse deixar.... Você quer saber a verdade Maiara? –Pergunta

Eu apenas aceno com a cabeça afirmativamente.

-Então entre na porcaria desse carro! –Fala ele impaciente e brusco.

Engulo seco e entro no carro, minha vontade é matar ele, mas preciso saber que inferno está acontecendo, preciso mesmo, saber o que está acontecendo, não quero ficar no escuro...

-Desculpe pelo meu tom de agora pouco. –Fala o Colin depois de algum tempo dirigindo.

-Comece a falar e não me enrole mais Colin! –Falo brava.

-Ainda não, espere até chegarmos! –Responde ele rindo.

-Aonde estamos indo? - Pergunto emburrada

-Você vai ver! – Responde com um sorriso safado.

Depois de quase duas horas de viajem em uma rua onde não tinha sinal de vida chegamos em uma linda cidade.

-Colin...- o advirto

-Bem vida ao clã Gatechardt!

- O que? –Falo surpresa que papo doido é esse.

-Espere você vai ver. –Diz ele sorrindo

-Colin? – O advirto novamente.

- Calma princesa! –Diz ele rindo.

-Você é um babaca! Sabia?

-Sim eu sei, mas esse babaca vai te contar a verdade e você terá que sair do seu mundinho. – Fala ele com deboche.

-Então fale. - Digo seca.

Depois de entramos na cidade ele estaciona a caminhonete em frente a um grande prédio, uns dos mais lindos e luxuosos que já vi.

-Então vamos começar, sabe esse prédio ele é o centro dessa cidade e provavelmente vamos ver todos que precisamos passar por aqui.

-Ok!

- Nós vivemos na zona sul, como é chamada o clã que comanda por lá é Bormone, os principais ramos desse clã são, Darkelei que cuida das finanças, Lima que cuida da segurança e o Dias que cuidam das necessidades pessoais. Claro que todos devem obedecer ao cabeça do clã Bormone. Que você conheceu agora apouco.

-Está dizendo que...

-Sim, Leonardo Bormone que também é meu pai. –Fala ele com desdém.

-O que! –Grito

-Ai meus ouvidos garota! Se quer que eu continue fique quieta. - Fala ele tampando as orelhas com as mãos.

-Ok! Você venceu vou ficar quieta! –Digo respirando fundo.

Depois de um minuto em silencio, vejo Yuri saindo do prédio.

-Colin...?

-Yuri Techarnedt, se não me engano ele deve ter mais uns três irmãos todos albinos como ele, acho que vamos ver outro agora... Bingo aquele ó filho mais novo Victor Techarnedt conhecido como o homem iceberg, fique feliz em ser o Yuri e não Victor seu pretendente. –Fala ele rindo.

-Isso não tem graça! –Falo dando um soco no seu ombro o que faz rir mais.

-Então o clã Gatechardt se compõem da seguinte forma: Gatechardt ramo principal, Borgate o ramo secundário mais forte, Techarnedt o Terceiro ramo e quarto ramo adivinhe

-Ganedt

-Isso também é seu o sobrenome do Rafael se não estou enganado. O fato que assim como na zona sul, a zona norte divide os em ramos principais de entro desses ramos a outros ramos, famílias, todas devem seguir ao cabeça e adivinhe é a cabeça!  

-À cabeça? –Pergunto.

-Sim e lá vem ela traz do Victor –Aponta ele para uma senhora de idade.

-Aquela vovó? - Pergunto.

-Sim, e ela é um amor de pessoa, se não fizer o que ela mandar ela estoura seus miolos aonde estiver, igualzinho meu pai! –Fala sorrindo

-Você está brincando né? –Pergunto.

-Claro que não... seu pai foi um exemplo afinal casar com uma mulher da zona sul é se condenar a morte, no entanto ela não sabia de você até você completar 15 anos, ela deve ter ficado em choque ao ponto de fazer um pobre rapaz a viver na zona sul isso depois de assinar um contrato de paz entre os clãs. Acho que deve estar arrependida! – Finaliza ele me encarando.

-Você está bem? –Pergunta ele.

Eu o encaro por um tempo e depois tomo minha decisão.

-Não saia daqui Colin!

 Abro a porta da caminhonete e saio em direção aquela senhora.

-Maiara volte aqui! Droga Maiara!

Ouço o Colin gritar, mas já estou decidida vou até o fim.


Notas Finais


Para todos que leram até aqui o meu muito obrigada e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...