1. Spirit Fanfics >
  2. Enigma - Shouto Todoroki >
  3. Capítulo Dez.

História Enigma - Shouto Todoroki - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


roi, honeys né? KKKKKKKKentao eu disse que ia postar até segunda passada, só que eu nao postei mesmo por que aqui é afronta sob afronta 🤡

como eu disse antes, esse é um capítulo MUITO importante pra fic, eu espero que vocês se divirtam lendo! 🧃


💮 WARNING: eu removi os poderes de teletransporte e as asas negras de Itsumi. baseado nisso, fiz algumas alterações nos capítulos anteriores, mas nada que atrapalhe o enredo.

✄╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌

Sugoi: que incrível!
Otōsan: papai.
Arigatō: obrigada.
Game over: fim de jogo.

Capítulo 14 - Capítulo Dez.


Fanfic / Fanfiction Enigma - Shouto Todoroki - Capítulo 14 - Capítulo Dez.


"Um pequeno viajante tocando um instrumento, um sino tocado pela primeira vez."


╌────═❁═────╌


— Pessoal, eu estive esperando vocês! - O super-herói profissional Treze exclamou, animado. Todos já se encontravam dentro da famosa U.S.J., mas nem por isso Todoroki deixou de observar Mochizuki.

Área de naufrágio; deslizamento; incêndio; ciclone; e ruínas! É chamado: Unforeseen Simulation Joint! Ou, U.S.J! - Treze era conhecido como o pro-hero cavalheiro, que já salvou diversas pessoas de diversos perigos! "Sugoi..", os estudantes pensaram de novo.

Aizawa suspirou. 

— Certo, vamos começar. Primeiro-..

Ele foi interrompido por um curto de energia de rondou toda a estrutura metálica e redonda da U.S.J., de repente, as luzes se apagaram. Apesar de não fazer tanta diferença, pois estava de dia.

Um portal negro se abriu no pequeno chafariz mais a frente. Ele foi aumentando. Aumentando. 

Aizawa arregalou os olhos, se virando bruscamente na direção da fonte.

Mochizuki percebeu do que se tratava assim que seu pai mudou seu semblante sério e sonolento.

Do portal negro, primeiro saiu uma mão. E depois um rosto, como se estivesse abrindo espaço. E depois, saíram vilões. Dezenas deles. 

Mochizuki estava certa! Aquilo era um aviso!

Otōsan! - Itsumi tentou ir até seu pai, mas parou quando ele se pronunciou:

— Itsumi, para trás! Junte todos, e não se mexam! Treze, proteja os alunos! - Ele disse, se posicionando em defesa. Os estudantes se entreolharam confusos, e olharam com essa mesma expressão para a metade-demônio que se encontrava apreensiva.

— Mochizuki? O que é isso? - Kirishima perguntou a garota. Ela o olhou preocupada.

— K-Kiri-.. São vilões. - Ela respondeu. Os alunos em volta a olharam com medo. Céus.

O portal ainda estava aberto. Vários vilões ainda saiam dele. Minoru Mineta pensou sem dúvida que eles iriam morrer. Que não tinham chance de sair vivos dali. Que os vilões iriam fazê-los em pedacinhos e depois pisá-los como se fossem nada. Ele quase chorou ao pensar que queria pelo menos ter tocado os peitos de Mochizuki antes de morrer. 

– Prazer em conhecê-los. - O líder dos vilões começou a falar. - Nós somos a Liga dos Vilões. Pode soar presunçoso da nossa parte, mas se convidamos para a universidade U.A, casa dos heróis, para que o All Might, símbolo da paz, dê seu último suspiro. E agora: - O homem que estava falando, que olhando melhor pôde ser identificado como uma figura formada por uma fumaça violeta, pareceu adquirir um tom de voz desdenhoso. - Meu trabalho é espalhar todos vocês e torturá-los até a morte!

O homem-fumaça liberou uma fumaça, também violeta, na direção dos alunos. A fumaça os cercou, deixando apenas um pequeno grupo de alunos para fora. A névoa era muito espessa, eles mal conseguiam enxergar um palmo a frente de seus rostos. A fumaça os envolvia como um abraço apertado, aquilo era sufocante. 

Deixou apenas um pequeno grupo de estudantes de fora.

Mineta teve certeza de já ter morrido.

Itsumi sabia, aquele pressentimento, aquele aviso.. Não eram os alunos que eles queriam. Era All Might. Então iriam acabar com dois coelhos em uma cajadada só. Que horror.

Quando os estudantes se deram conta, eles estavam em lugares completamente desconhecidos. Eles foram teleportados para áreas aleatórias da U.S.J.

Quando Itsumi percebeu, ela estava caindo do céu. 


╌────═❁═────╌


Zona de naufrágio; Mochizuki, Itsumi, Mineta e Tsuyu.


Mochizuki caiu, se chocando com a água. Ela afundou, em choque, tentando nadar para cima. Antes que ela pudesse subir á superfície, fora agarrada pela língua comprida de Tsuyu, a menina rã. Ela segurava Mineta pelo braço esquerdo, e com o direito segurava a mão de Midoriya.

A garota sapo pulou para um grande navio que se encontrava por perto, deixando seus colegas na superfície. Mochizuki tossiu. A temperatura de seu corpo sempre era um pouco mais quente do que o normal, visto que ela era um demônio -ainda que 50%. Portanto, ela odiava encostar na água fria, tinha que ser morna ou bem quente.

Seus cabelos molhados grudaram-se no seu rosto, e sua cauda se aquietou. 

— Obrigado T-T-T-T-Tsuyu-san! - Izuku corou bruscamente, como sempre. Ele se acalmou, voltando a falar: - Esses caras sabiam do cronograma da U.A. Analisando toda a situação, eles-..

— Eu sabia. - Itsumi se levantou do chão, ainda tossindo um pouco. - Nós sabíamos. Bakugou, Kirishima, Kaminari, Sero, Mina e eu fomos até o lado de fora durante o alarme. Nós vimos o estrago. Sabíamos que eram vilões.

— Mochizuki-chan, isso poderia ter sido perigoso. Kero. - Asui disse, enquanto a observava com aqueles seus olhos de sapo. A morena apenas abaixou a cabeça.

— Eu sei, não deveria ter os levado. Eu sempre ajo por impulso, papai vive me dizendo isso. - Midoriya a olhou com preocupação. 

— Esses caras têm um jeito de matar All Might. - A esverdeada continuou. 

Minoru arregalou os olhos enquanto apontava para os lados:

— G-Gente, tem um monte deles! Não vamos conseguir sair vivos! Vamos morrer! - Ele se escondeu atrás de Mochizuki, que continuava cabisbaixa.

Foi quando a garota de olhos violetas levantou sua cabeça. 

Se ela quisesse se tornar uma heroína, ela teria que salvar pessoas, derrotar vilões, é como ela já havia dito: não poderia se esconder para sempre.

Ela teria que agir, por mais que isso significasse ser impulsiva de novo. Ela não ficaria parada dessa vez. Ela iria superar seu trauma, certo?

— ..Ugh, meus mortos-vivos podem dar um jeito neles. - Os seus colegas a olharam. Mortos-vivos?

— Vai dizer que-.. - O baixinho de cabelos arroxeados tremeu mais ainda, dessa vez indo para trás do garoto de cabelos esverdeados e sardas.

Itsumi fechou seus olhos. Um grande portal negro se abriu no chão do navio. A metade-demônio abriu seus olhos de novo, e os teve completamente negros. Seus cabelos começaram a flutuar. Ela começou a recitar um ritual em uma língua desconhecida, aquilo era psicótico.

Do portal, começaram a sair dezenas de mortos-vivos, com roupas rasgadas e extremamente ensanguentadas. Olhos brancos sem vida alguma, e todos eles faziam um barulho infernal, era como se suas almas estivessem queimando para sempre. A cor de suas peles era bem pálida, mas eles estavam muito ensanguentados e machucados, o que dava a eles um ar horripilante. Perturbador, horrível mesmo, sem dúvidas.

Eles pulavam na água, atraindo a atenção dos vilões. Em seguida nadavam até eles, em uma tentativa de atacá-los. Alguns dos vilões ficaram perplexos, outros mataram -mataram algo que já estava morto?- alguns dos mortos-vivos, já que eles eram bem lentos. Outros foram machucados gravemente por eles.

Que porra é essa?! - Um vilão disse, e em seguida gritou de dor: um zumbi havia mordido seu pescoço com força, arrancando um pedaço de sua carne. Apesar de eles parecerem machucados, eles eram bem fortes.

Mochizuki piscou os olhos, fazendo-os voltarem a coloração normal. O portal negro se fechou, e seus cabelos pararam de levitar.

M-M-Mochizuki-san.. - Midoriya estava assustado com o que havia acabado de acontecer.

— Eu os apelidei carinhosamente de "zumbis de sangue". - A morena sorriu mínimamente, logo após voltando com seu semblante sério. - Agora vamos embora, os zumbis vão deixar eles ocupados por ora.

E foram.

A de olhos violetas, o de cabelos roxos, o de sarda seguraram-se na menina-rã quando ela pulou alto, alto o suficiente para que quando eles aterrissassem na água, já estivessem no raso.

— Arigatō, Tsuyu-chan.. - Itsumi agradeceu.

Ela estava preocupada com os outros. Com Mina, Bakugou, Kirishima, Hagaruke, todos eles. Ela estava preocupada com seu pai.

Ela sabia bem que ele era forte. Ele era seu herói, sua inspiração, seu tudo. Ela sabia que ele dava conta. Mas algo nela não a deixava ficar tranquila.. Isso se chama medo. Ela tinha medo de perdê-lo, ela faria de tudo para evitar isso. E impulsiva como era, não tinha dúvidas.

Sua cauda agitava-se de um lado para o outro, enquanto caminhava para fora da água. Ainda estava um pouco longe. 

Sua cabeça estava cabisbaixa, enquanto seus olhos olhavam seu reflexo. Ela via uma garota impulsiva, medrosa, inquieta, turbulente. Uma aspirante a heroína. Uma sobrevivente.

Ela parou de andar quando bateu nas costas de Izuku. 

..Hm? - Itsumi olhou para os seus colegas, confusa. Por que pararam de repente? E por que estava olhando para..?

Olhando para?

Ela olhou para onde elas estavam olhando. 

Ela arregalou os olhos.

Então sua cauda parou de se mover. Ela parou de pensar. Seus olhos ficaram marejados de lágrimas.

Sentiu seus pés se prenderem no chão. Ela ficou imóvel. Sem se mexer, sem piscar, com o coração acelerado e respiração falha.

Aizawa Shota, seu pai e sensei, estava sendo torturado por um monstro enorme. 

Um monstro em um formato humanóide, musculoso, de coloração preta. Ele tinha cicatrizes de aspecto recente em seus braços. Sua cabeça parecia ser formada por "lábios" metálicos que serviam de apoio para seus dentes extremamente afiados. Mais acima, havia uma cápsula fina e quase invisível que protegia um cérebro exposto. No cérebro, haviam dois grandes olhos sem íris, sem cor. 

Era uma figura puxada para o bestial em sua perfeita forma, mas diferente de zumbis e outras criaturas, ele havia uma arrogância em seu olhar e caminhar. Ela como se diante dele, todos fossem pequenos vermes que não custavam a vida. Olhar para aquilo era como perder suas esperanças. 

Devastante. Ele era um Nomu.

"Otōsan?", ecoou em sua mente.

— Otōsan.. - Uma lágrima desceu pelo rosto de Mochizuki. - Otōsan.. OTŌSAN!!!

Ela começou a correr para fora da água, e agora não se importava com a temperatura gelada. Sua cauda voltou a ficar agitada. De seus olhos, saiam ondas de caos. De raiva. Uma mistura de raiva e medo, assim como no dia do massacre que sua mãe cometeu.

Itsumi, não venha. - Eraser Head falou, com suas forças se esvaíndo. Ele sangrava muito.

Mas a garota foi orgulhosa demais para ouví-lo. Tão orgulhosa que isso poderia ter custado sua vida. Ela continuou correndo em direção a criatura que torturava seu pai.

Estava se aproximando. 

Perto.

Mais perto.

A adrenalina, o ódio e o medo que corriam em suas veias fazia com que o seu orgulho despertasse agora. Despertasse agora.

Agora?

Agora!

Uma luz tão forte quanto a luz da lua brilhou na frente de Itsumi. Brilhou tão forte quanto as estrelas em uma noite de lua cheia, onde as nuvens deixaram o céu para que os terrestres contemplassem a bela vista da janela.

A luz foi tomando forma. Tomou forma. Uma forma alta, musculosa, orgulhosa, depois a forma de espada em uma mão que segurava forte.

Uma brisa leve e calma, que depois se tornou forte e agitada rodeou-a. Enquanto Mochizuki corria na direção do Nomu, a figura luminosa ia a sua frente, como se estivesse protegendo-a.

A figura perdeu quase toda a sua luz, possibilitando vê-la melhor. Era um homem alto, que mesmo usando armadura de prata e um elmo podia-se ver que era forte. Em sua mão direita, uma espada desembainhada que, ao olhar melhor, tinha uma corrente de ar agitada em sua volta. Era de lá que vinha o vento. 

O homem:

— Eu sou perseus, o herói. Aquele que decapitou Medusa, aquele que tem seu nome nos céus. Constelação sessenta e três em relação a primeira lua, eu irei mostrar-lhes o pecado do meu orgulho. 

Itsumi o via, Itsumi sabia que ele corria a sua frente. Mas algo dentro de si se permitiu confiá-lo.

Perseus avançou sobre o Nomu. Com sua espada ventosa, ventosa e reluzente, o herói traçou o ar. Alterando a pressão com o seu pecado orgulhoso, cortou fora a cabeça da criatura musculosa a sua frente.

Assim como fez com Medusa.

Assim como fez com Medusa!

Quando a cabeça do monstro caiu no chão, sua mão soltou a cabeça de Aizawa, quando não havia mais vida naquele bicho horrendo, Perseus, o herói, desapareceu, deixando apenas o sangue que esguichava da criatura já morta.

Mochizuki se sentia fraca, mas conseguiu chegar até Aizawa, caindo de joelhos.  Ele estava deitado e bem machucado, devido ao Nomu. Ela deixou suas lágrimas caírem livremente enquanto se sentia mais fraca e pesada a cada instante

— Otōsan.. - Ela sussurrava em meio a soluços, abraçando-o. Seu pai ainda estava em choque devido ao homem luminoso que havia se colocado a frente de sua filha e decapitado o monstro, mas ele sorriu. 

Nesse momento, um rapaz de cabelos azuis, que tinha várias mãos em seu corpo, começou a coçar seu pescoço desenfreadamente:

— Essa garotinha fez acabar com meu Nomu. Game over. É game over. Kurogiri, game over. - Aparentemente, Kurogiri era o nome do homem-fumaça.- Vamos dar o fora daqui, vamos-

Ele foi interrompido por um tiro que atravessou a sua mão direita: era Snipe, um dos heróis que Iida trouxe em sua ida a U.A., mais cedo.

— Eu, Iida Tenya, representante da turma 1A, retornei! - O herói do faroeste, Snipe, continuou atirando em Tomura.

Ele conseguiu dar três tiros, pois antes de dar o quarto, o vilão fora envolto na mesma fumaça violeta de mais cedo. Kurogiri estava o protegendo.

Mochizuki se sentiu mais fraca. 

Mais fraca.

Mais fraca.

Quando o homem-fumaça cobriu o rapaz completamente, eles desapareceram, deixando os outros vilões para trás.

A metade-demônio se sentiu mais fraca.

Mais fraca.

De repente, sua visão se escureceu, com uma escuridão tão negra quanto a da noite.

Se sentiu leve, leve, e desmaiou.


╌────═❁═────╌


Perseus a observava lá de cima.

Mas agora, a observava lá de dentro.


╌────═❁═────╌


Notas Finais


honeys, sou eu de novo! o que acharam do capítulo? AI GENTE FOI UMA EMOÇÃO ESCREVER ISSO, NAO VIA A HORA DE APRESENTAR O PERSEUS A VOCÊS <3

bom, eu quero pedir para que vocês sigam a minha melhor amiga, @yummysan02
ela se registrou aqui no aplicativo recentemente, dêem apoio a ela! c:

✄╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌╌

recomendações do dia;
música; my smile is extinct [kane strang]
jogo; ori and the blind florest


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...