História Enjoy The Silence - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Romance, Yaoi
Visualizações 139
Palavras 1.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, gente
Esse capítulo é um pouco triste :(
Mas espero que gostem ♥

Capítulo 5 - Carta


PARK JIMIN

Acredito que ontem tenha sido um dos melhores e piores dias da minha vida.

Foi um dos melhores porque finalmente consegui dizer para Jungkook que eu não o vejo como apenas meu melhor amigo, consegui mostrar a ele o quanto me importo. E eu o beijei, eu enfim o beijei, depois de tanto tempo fantasiando como iria ser.

E mesmo depois de tanto fantasiar, foi diferente. Foi muito melhor do que eu esperava, muito melhor mesmo. E não por estar simplesmente beijando alguém, mas por estar beijando alguém que eu amo. Alguém com quem me importo, alguém que eu conheço há tanto tempo.

Mas óbvio que tudo que é bom dura pouco e nossa alegria não poderia ser diferente. E tudo seria melhor se seu pai não tivesse se metido entre nós e nos separado. E ainda acertado um soco no meu menino. Sim, meu menino.

E agora eu estou no meu quarto pensando no que fazer. Eu o deixei lá ontem, recebi uma mensagem no celular onde ele pedia desculpas e depois disso ele não me atendeu mais. Pedi para minha mãe ir falar com a mãe do Kookie, mas eles nem mesmo a receberam.

Eu estou preocupado, ele não me atende, não responde minhas mensagens, ele não pode sumir desse jeito sem me dar explicações.

Ouço a campainha e desço as escadas praticamente correndo, pensando ser ele. Entretanto encontro os pais de Jungkook, me encarando com ódio. Não tive tempo de dar espaço para eles entrarem, afinal invadiram minha casa sem pestanejar.

“Cadê ele?” Sr. Jeon me perguntou.

“Como assim?” Um medo enorme me percorreu. “Como assim cadê ele?”

“O meu filho!” Ele gritou. “O meu filho sumiu!”

“Não…” Murmurei mais para mim do que para eles. “Quando?”

“Não o vemos desde o jantar de ontem.” A mãe do Kookie disse. “Não viemos atrás dele porque pensamos que ele estivesse aqui e fosse voltar. Mas ele não voltou. Onde ele está, Jimin?”

“Eu não… eu não sei.” Sussurrei, sentando de qualquer jeito no sofá. “Ontem ele me mandou uma mensagem dizendo desculpas. Depois disso não me respondeu mais. Eu realmente não sei onde ele está, mas eu vou encontrá-lo.”

“Não. Ele vai é ficar bem longe de você.” Ditou o Sr. Jeon e eu levantei, me aproximando dele.

“Essa escolha é dele. Eu conheço Jungkook há muito tempo, eu o amo de todas as maneiras possíveis. Eu faço qualquer coisa para vê-lo bem, feliz, e recebendo amor e carinho. É isso que importa para mim, se não é o que importa para você eu não posso fazer nada.”

“Sabe que eu não vou permitir.” Me olhou com desdenho. “Eu ainda sou o pai dele.”

Eu estava pronto para respondê-lo quando minha mãe interceptou e disse que meu celular estava tocando um número desconhecido. Fui atrás do aparelho enquanto a mais velha falava algo com os pais de Jungkook.

Percebi que havia ali uma mensagem e não era de número desconhecido nenhum, era de Jungkook. Minha mãe é incrível!

"Faça-os ir embora, Minnie. Exclua essa mensagem e mostre só a próxima a eles."

Como Jungkook sabe? Céus, esse menino é um mistério. Apaguei a mensagem e esperei pela outra, que chegou em seguida.

"Minnie, me perdoa por ter sumido. Eu te amo, mas ao que parece não podemos ficar juntos. Só que se esse amor é errado, errarei para sempre. Não agora, porque agora eu dependo deles e de suas ordens. Então eu ficarei longe, longe da minha família e, o mais doloroso, de você. Eu vou sentir sua falta todos os dias, porque eu te amo como não sou capaz de amar mais ninguém, mas não posso estar perto sem poder ficar junto com a pessoa que mais me faz feliz. Me desculpa. Eu prometo que vou voltar para você."

Meus olhos se encheram de lágrimas e eu permiti que elas caíssem. Voltei para a sala ainda chorando, meu celular foi arrancado de mim e os pais de Jungkook pareceram se desesperar.

“Vamos procurar ele!” O Jeon mais velho disse e simplesmente foi embora junto com sua esposa.

E eu abracei minha mãe, chorando até não aguentar mais. Eu perdi a pessoa mais importante da minha vida. O meu Kookie sumiu.

“O meu Kookie foi embora.” Choraminguei. “Ele foi embora, mãe.”

“Fica calmo, meu anjo. O que acha de tomar um banho quente enquanto eu te faço um chá calmante? Isso sempre te ajuda.”

Assenti fraco, mesmo com meu coração doendo. Dessa vez não seria um banho quente e um chá calmante que iriam fazer com que eu melhorasse. Só Jungkook podia fazer isso.

O que eu não esperava era abrir a porta do meu quarto e encontrar um envelope sobre a minha cama. Que isso não seja uma carta de despedida, porque se for eu já me atiro da janela do meu quarto. Não pode terminar desse jeito. Não pode.

Abri o envelope e tirei uma cartinha ali de dentro. A letra linda de Jungkook se fez presente e só por isso eu já voltei a chorar, eu não quero ler ao mesmo tempo que quero, pois preciso saber o que ele quer me dizer.

“Olá, Minnie...

Eu pensei várias vezes se deveria ou não fazer isso, se deveria ou não ir embora, escrever essa carta, ou o que for, e a verdade é que eu não sei, eu sou apenas um adolescente confuso. Um adolescente confuso que está nesse instante chorando em seu quarto enquanto ouve os pais discutindo.

Queria não ouvir apenas para não aguentar isso.

Eles estão gritando um com o outro, discutindo por minha causa. Isso dói, Minnie, dói muito. Só não dói tanto quanto doeu o momento que te vi saindo do meu quarto, porque parecia que estava saindo da minha vida.

Não posso te perder, não sei viver sem você.

Por isso eu resolvi ir embora. Fique tranquilo, eu tenho onde ficar, e será temporário, só até meus pais se cansarem de me procurar. Eu não vou voltar para aquela casa, eles não me amam, então não me merecem.

Estarei com o meu celular, não vou me distanciar de você por completo, não consigo fazer isso. Só não posso te dizer para onde eu vou. Sei que iria atrás de mim, e sei que me convenceria em cinco segundos apenas por me olhar com esses olhinhos fofinhos que você tem.

Minha mãe usou palavras dolorosas para descrever o que eu sinto por você. Como posso viver ao lado dela depois disso? Eu não quero bancar o adolescente rebelde, mas é difícil quando o seu único suporte desaba dessa forma. Eu sempre tive só três pessoas: você e eles. E eles se voltaram contra mim.

Eu não consigo aguentar isso, porque machuca muito. Eles se voltaram contra mim pelo simples fato de eu te amar. Aqueles que sempre me apoiaram me julgaram por algo que não deveriam julgar.

Me julgaram por eu ser feliz.

Então é por isso que eu te peço desculpas, Minnie, porque eu não queria que você também se magoasse com essa bagunça toda que eu acabei criando.

Eu te amo, não esquece disso.

Por favor, não esquece de mim...

Com amor, Kookie!”

Não, ele não pode ir embora.

“Você não pode me deixar, Kookie... seu lugar é comigo...”


Notas Finais


:(
Gostaram? Me contem ♥
Beijinhos ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...