História Enquanto a tempestade não passar. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Curtas, Hentai, Originais
Visualizações 32
Palavras 1.199
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Chuva e calor.


Fanfic / Fanfiction Enquanto a tempestade não passar. - Capítulo 1 - Chuva e calor.

  

  Com uma respiração ofegante, o rapaz fitou os lábios róseos da garota com um olhar manhoso e colocou um dedo sobre a pequena língua. Aproximou seu queixo para lhe beijar ferozmente outra vez, já estava ficando fora de si, completamente domado pelo desejo de tê-la. 

- Ar... Ahh... - A morena tentava conter os gemidos, mas sentir os fortes apertos em seus seios a faziam arfar involuntariamente. 

E como ele gostava de ouvir aquilo, escutá-la chamar pelo seu nome, implorar por mais, de sentir suas delicadas mãos puxarem o seu cabelo a cada mordida que dava. Ela estava perdida em sua mente, imaginava inúmeras coisas que poderiam vir a diante. Ela o queria dentro de si mais do que tudo, seu acelerado coração e sua respiração eram um dos muitos modos de pedir para ser submetida ao intenso prazer. 

Os vidros do carro se encontravam embaçados. O frio que a chuva trazia consigo do lado de fora não era capaz de acabar com aquele calor de dentro. Os pingos caíam no teto do veículo e causavam um barulho constante, como se tivessem jogando pequenas pedrinhas, mas tudo no que eles conseguiam prestar atenção era no momento. Só escutavam seus lábios se encostarem, somente deixavam a respiração quente e o calor emanar no local. 

Colocando-se na frente da garota, a posicionou no banco para que pudesse ficar mais confortável, em seguida tratou-se de se livrar daquelas incômodas peças de roupa. Desabotoou a blusa da garota com curiosidade, logo encarou aquela provocativa peça íntima rendada e a jogou para qualquer lugar, revelando os seios que tanto almejou chupar.

Olhou para o rosto dela mais uma vez, seu cabelo bagunçado, seus lábios entre-abertos, seus olhos expressando puro desejo, seu pescoço recém marcado, ele não aguentou mais esperar. Abocanhou um dos seios com a boca e apalpou o outro com a mão simulando movimentos circulares com os dedos sobre o mamilo rijo. 

A moça fechou os olhos ao sentir seus dentes marcarem a região próxima dos mamilos, pôs a costa da mão na boca na tentativa de esconder os gemidos. Era uma sensação maravilhosa, mesmo que um pouco dolorosa, era prazeroso sentir aquilo. 

Ele sabia mesmo o que fazer, como provocá-la. Ela é uma garota tímida, aquilo era algo novo, mas seus pensamentos iam bem além de sua inocência. O rapaz por sua vez, tinha muita confiança sobre o que fazia, sabia muito bem do que ela gostava, mesmo arriscando alguns movimentos. 

- Não precisa conter os gemidos... - Disse retirando suas mãos trêmulas. - Eu quero te escutar, não se contenha... - Disse fazendo uma trilha de beijos que iam da clavícula até a barriga. 

Ainda com os seus olhos fechados, ela sentiu a ousada mão rodear a sua cintura e apertar sua bunda com voracidade. As duas grandes mãos simulavam um abre e fecha, tocavam o quadril com força, sem dó nos tapas. Ele então puxou o seu cabelo e levantou seu pescoço para que pudesse morder, era tão branco que com uma simples pressão ela poderia estar encrencada, mas agora ela estava mais do que isso, já que agora havia uma grande e nítida marca em sua pele, melhor dizendo, em vários lugares. Ele foi ousado mais uma vez, desceu a mão até a sua intimidade e rodeou os dedos levemente através do fino pano. 

- Olha só... Está toda molhadinha... - Sorriu malicioso. 

- E-Esse comentário foi d-desnecessário! - A garota sentiu suas bochechas arderem, seu coração estava mais acelerado do que o normal. 

- Adoro ver você com vergonha, é muito excitante. - Disse afastando a calcinha sem tirar os olhos da garota. Inseriu um dedo, a sentindo se contorcer e a sugá-lo, logo adicionou mais um, seus grunhidos o deixavam mais excitado. - Opa, já ia me esquecendo. - Esticou o braço e retirou um preservativo de um bolso dos acentos. - Pega, segure isso. - Colocou a embalagem na boca da garota enquanto retirava as coisas que mantinham a sua calça no lugar. 

Ela apenas corou ainda mais com a situação, pois tinha acabado de ver seu membro a centímetros de distância da sua intimidade. O rapaz se tratou de colocar logo o preservativo e voltou a encarar os olhos perdidos da garota. 

- Implore... - Sussurou em seu ouvido. - Implora que eu te fodo... - Disse roçando provocativanente a glande na entrada. 

- N-Não vou dizer uma coisa dessas! - Sua voz saiu mais alta do que o normal, ele ele continuou a provocá-la. 

- Tem certeza? - Começou a tocar o clitóris prazerosamente. - Vamos... É só pedir... - Mordeu levemente o seu lóbulo. 

- Ngh! Arr... Argh! - Os seus gemidos eram a prova do que ela realmente queria. Já domada pelo desejo, ela puxou o seu rosto para mais um beijo intenso, aproximou-se de suas orelhas e recuperou o fôlego para que então pudesse proferir suas palavras. - ... Eu... Eu imploro... Me foda, me foda... 

- ... Claro, com prazer. - Disse soltando o seu típico sorriso sádico, posicionou-se na entrada e sem pressa, entrou para que não a machucasse tanto. 

- Argh! - Ela rapidamente o envolveu em seus braços e o arranhou com as suas unhas pontiagudas, deixando linhas vermelhas por toda a costa. 

A dor era intensa, ele pôs os seus dedos em sua boca para que descontasse toda a dor e tentasse se acostumar. Com pouco tempo, seu corpo começou a relaxar, já estava se acostumando com aquela pressão dentro de si. Ela se sentiu cheia, algo havia preenchido o seu vazio, ela não poderia estar mais envergonhada em relação a isso. Por estar imaginando tantas coisas indecentes em sua cabeça, ela acabaria enlouquecendo com tamanho prazer. 

O moreno começou com os movimentos, nem mesmo ele foi capaz de conter os gemidos, estava se sentindo apertado, mas era algo bastante prazeroso. A sua velocidade foi aumentando, a medida que ia, ambos os gemidos também aumentavam. A garota poderia chegar ao orgasmo a qualquer momento, suas feições rubras e cansadas acabavam por hipnotizar os olhos profundos de seu parceiro. 

Apertou seus seios com força, depois seu quadril, ele a queria mais do que tudo, queria possuí-la, vê-la pedir por mais, seu corpo estava em pura adrenalina. O carro se movia de acordo com as suas investidas, o vidro estava mais embaçado ainda, não tinha como enxergar.  

Ele inverteu as posições rapidamente, sem perder o ritmo, ela estava por cima agora. Envolveu sua cintura em seus braços, a estocando com força, seu limite já estava chegando, mas antes que se derretesse dentro dela, a puxou para um beijo, suas línguas se encontraram mais uma vez, em meio de arfadas ela mordia seus lábios de maneira provocativa. 

Os dois chegaram ao ápice juntos, ambos estavam muito cansados. A chuva já estava parando, mas o frio ainda dominava o lado de fora. A tempestade finalmente amenizou, eles se encaravam um ao outro meio constrangidos, com um beijo mais calmo e mais demorado, ela o agradeçeu, por tê-la transformado em uma mulher, por ser capaz de lhe proporcionar o intenso e viciante prazer do sexo. E ele, com um sorriso, a abraçou e proferiu sua mais sinceras palavras: 

- Eu te amo...





Notas Finais


Eu espero que tenham gostado da curta <3 Desculpa gente é que eu fantasio muito com carros KKKKKKKK
Bem, eu estava bastante desanimada até começar a imaginar cenas desse tipo, aí eu pensei "Por que não?" ksksk
Vai perdoando aí por qualquer erro ortográfico.
Nos vemos por aí, um abraço <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...