História Enquanto eu respirar - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Amor, Aventura, Cia, Comedia, Destino, Drama, Missão, Mistério, Perfect, Policial, Revelaçoes, Romance, Superação
Visualizações 13
Palavras 1.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 33 - Eva e Rendall


Fanfic / Fanfiction Enquanto eu respirar - Capítulo 33 - Eva e Rendall

Durante eu voou  para Washington, eu permaneci em silêncio.

 Havia tantas coisas em minha cabeça. Eu mal consegui pregar os olhos. É como se todas as minhas lembranças e as minhas atitudes tivesse virado  pesadelo. Eu não estava arrependida, mas algo havia mexido seriamente comigo. Algo que me fez ficar apreensiva.

  Maria dormiu durante todo o voo. Ela parece está cansada e não suspeitou de nada.

 Eu não sei o que havia acontecido comigo, mas tenho certeza que algo mudou... Só não sei se foi para melhor ou pior.

 Desembarcamos do avião, eu estava exausto, mas ainda sim os meus pensamentos me levaram para o Rendall. 

Estive no piloto automático durante todo o caminho.A última coisa que me lembro é Maria me convidando para ficar em seu apartamento.Só sei que ao chegar me tranquei no quarto,  desabei na cama macia e com lençóis limpos.Então cai em um sono profundo.


Depois de ignorar pela terceira vez o toque do celular que comprei, Maria começou a bater na porta tentando me fazer levantar.

Essa não é uma manhã qualquer, é manhã que eu teria que me levantar e reassumir a minha" vida"

Fiquei olhando a maçaneta gira. Eu não podia fazer nada a respeito a não ser observada da cama.

Maria entrou segurando um celular.

-Que bom que você acordou-Ela disse. Sorriu e foi até a janela abrir as cortinas.

Pisquei por causa da luz que entrou no quarto.

Por quantas horas dormi?

 -como eu poderia estar dormindo já que você decidiu gritar?!- resmungo 

 Levo a mão em forma de concha na frente dos olhos para evitar a luz  

-Você está tanto tempo enfiada nesse quarto que comecei a pensar o pior.

 Sentei-me na cama e sentir uma pressão na nuca por ter ficado tempo demais deitado 

-o você quer  ? 

Conheço muito bem a Maria e sei que ela não veio em vão me acordar.

-Assim que colocamos os pés em Washington, Rendall me ligou...

 Ela se aproxima e se senta na ponta da cama.

- bom, ele está preocupado com você

 Eu apenas encarei Maria 

-Ele quer te ver...Eu acho que você deveria vê-lo.

 levantei-me.

Sinto um aperto no peito que me faz ficar com vontade de chorar.

Esqueça essa ideia de ir até o Rendall!

É  tarde demais... eu já estou angustiada. Não tenho muito o que fazer. Eu não vou conseguir me esconder por muito tempo e logo ele descobriria toda a verdade.

Por mais que eu jegue, eu tentei evitar isso a todo custo, pois não tenho ideia do que vai acontecer entre mim e o Rendall.

 Fecho a boca e apenas decido me vestir para ir até Rendall.Tomo um logo banho gelado para despertar.

Visto um jeans, camisa de botões e tênis.Não perco muito tempo me arrumando ou me enfeitando.Eu só quero resolver isso de uma vez. 

Pela primeira vez a minha aparência não importa.É tão irrelevante perto dessa situação e desse caos que a minha cabeça virou.

Quando chego em seu prédio, o porteiro libera a minha entrada e avisa que Rendall está a caminho. É para que eu suba e aguarde.

Nada mudou.Seu apartamento continua com poucos móveis e tão  espaçoso que faz eco.

Eu procuro pela noiva do Rendall, mas nem sinal dela.Não há vestígios que ela esteve no apartamento.

Abro a porta dupla e saio na enorme sacada com uma linda vista de Washington.As luzes deixam ainda mais belo.Eu fico me maravilhando com cada detalhe.Percebo que havia perdido um pouco dessa essência de apreciar coisas simples.Fico tanto tempo perdida pelas luzes que não noto o tempo passar.

O efeito acaba quando escuto o barulho da porta de entrada do apartamento do Rendall. Giro meu corpo em direção da porta  tão depressa que quase fico tonta.

 -Demorei muito?-A voz do Rendall é cheia de ternura e calma.

 Sinto meu coração dar uma agitada. Eu nunca pensei que gostasse tanto de ouvir a voz do Rendall.

Talvez eu tenha me dado conta de algumas coisas 

-20 minutos-aperto os lábios.

O vejo com um sorriso no canto dos lábios.Seus olhos se prende aos meus e por um momento tenho a certeza que ele se senti da mesma forma.Eu mexo com ele. 

 Seu cabelo ruivo está um pouco bagunçado.A barba rala.Sua expressão mesmo com um sorriso é rígida.Os olhos parecem ainda mais claros. 

Rendall  estar com uma camiseta branca que marcando seus músculos grandes e rígidos e calça jeans simples.Seu estilo parece bem confortável  e casual.

 -puxa, você contou mesmo. 

Ele me olha sem graça e surpreso 

Dou de ombro.

 -tenho um leve problema com horários.

  Rendall  me olha apreensivo e continua parado.Estamos há quatro metros de distância.Sinto vontade de mover o meu corpo mais rápido para perto dele e abraçá-lo. É apenas isso que eu desejo no momento, mas eu não sei se devo.

 Não sei se eu devo continuar por perto. Porque no fundo eu sei que vou machucá-lo e irei me machucar. Parece que o amor não é para todos.

 -como você está?-quebra o silêncio.  

Observo Rendall fechar a porta atrás do seu corpo e se aproximar  alguns metros

   -É  Eu estou legal.-Respondo ainda um pouco desconfortável. 

É um clima estranho, pois ambos não sabem como reagir. É  como se os pesos que carregamos estivessem influenciado indiretamente.

 Eu não consigo olhar  como antes para Rendall. Há tantas coisas engasgadas em minha garganta, é como se tudo isso estivesse me sufocando... Como se a qualquer momento eu fosse vomitar toda a verdade.

 Eu me sinto mal por estar mentindo para alguém que faz com que meu coração bata mais forte, mas ao mesmo tempo eu só quero abraçá-lo e estar em seus braços nem que seja pela última vez.

- Eu quase não a reconheci- ele abre um leve sorriso-você ficou mais bonita.

Aperta os lábios e nego com a cabeça.

 Se ele soubesse de toda a verdade ele realmente não me reconheceria.

Suspiro.

Uma parte de mim deseja que as coisas fossem diferentes, que eu nunca tivesse conhecido o Rendall e assim seria menos doloroso....As coisas seriam mais fáceis de enfrentar.

Agora olhando para Rendall percebo que eu jamais quis magoa-lo, mas eu estava tão cega por vingança que não percebi o que sentia por ele.Agora já é tarde demais para mudar as coisas.Vou ter que enfrentar as consequências quando chegar a hora.

-Você está chorando?-Rendall me olha confuso.

Limpo rapidamente as lágrimas.

-Temos muito o que conversar e...

Foda-se Eva. 

-Cala a boca Rendall-o interrompe.

Simplesmente meu corpo dispara em direção do Rendall e em questão de segundos me atiro em seus braços.Eu o abraço tão forte que se torna um ato de desespero.Quando me envolvo em seu corpo rígido o pego de surpresa. 

Fico arrepiada ao sentir a intensidade e perceber que é recíproco. É único e genuíno quando Rendall me aperta contra seu corpo. É como se fosse a última vez que tivéssemos a chance de nos abraçar.

O seu perfume me preencher e seu corpo aquece a minha pele fria.O meu corpo que precisava saciar loucamente a vontade do seu toque se aquieta em seus braços.

As lágrimas lavam meu rosto, pois mesmo que essa seja a última vez que eu toque no Rendall valeu a pena cada centímetro.

Eu só queria poder morar em seus braços.

O seu toque é especial e me faz querer viver para me tornar alguém melhor.

Eu só desejo que esse abraço dure uma eternidade.

-Eva...

Ergo a cabeça lentamente.

Os seus olhos azuis queimam nos meus. É de tirar o fôlego. Seu polegar direito acaricia os meus lábios semiabertos.   

Gosto da forma que Rendall me toca e gosto ainda mais de estar tão perto.

  A sua barba áspera  roça nos meus dedos. Mergulho as mãos em seu cabelo vermelho como o fogo e enrolo pequenas mechas em meus dedos. 

Rendall  me abraça com força e beija a minha bochecha. Ele mergulha o rosto no meu pescoço e deposita uma série de beijos.

Rendall aperta meu corpo contra o seu. Sinto a sua pele quente e cheirosa.  

Acaricio o seu rosto quando Rendall encontra meus olhos.

  -faz tanto tempo que não me sinto tão bem como agora-Rendall estuda meu rosto.  

Mesmo com expressões tão rígidas consigo ver sinceridade em seus olhos. 

 Rendall cobre meus lábios com um beijo lento e bem carinhoso.Deslizo os dedos pelo seu pescoço e pelo seu ombros largos e músculo.  

-Eva, eu não quero que tenha mais segredos entre a gente.-Me encara por enquanto que acaricia meus lábios.

Tarde demais...

-Me prometa que você me deixará ir-peço baixinho...

Rendall me olha confuso.

-Eva, o que você...

Empurro ele contra o sofá  e caio por cima do seu peitora. Rendall me prende em seu peito. Me aconchego. Tudo que consigo pensar é o quanto é bom ficar assim. 

-Se essa for a última vez que ficaremos juntos quero q saiba...

Ele me interrompe .

-Eu te amo Eva.

Isso pega de surpbraço Saio de cima do Rendall e apoio meu braço em seu peito e levo meus olhos até os seus.

-O que foi?-Rendall  perguntando sorrindo. 

Desvio o olhar, pois percebo que não o mereço.

-Não precisa falar que me ama-Ele pega no meu queixo e me faz olha-lo.

-Eu te amo, Rendall.











 


Notas Finais


O que acharam do reencontro da Eva com o Rendall?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...