História While you were sleeping - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Glee
Personagens Artie Abrams, Blaine Anderson, Brittany S. Pierce, Brody Weston, Emma Pillsbury, Finn Hudson, Jesse St. James, Kitty Wilde, Marley Rose, Mercedes Jones, Mike Chang, Noah "Puck" Puckerman, Rachel Berry, Santana Lopez, Sugar Motta, Tina Cohen-Chang
Tags Bemdramamsm, Finchel
Visualizações 63
Palavras 1.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey estava com essa idéia fazia um tempo, na verdade desde aquela fanfic que eu escrevia no ano passado. É, eu meio que refiz e melhorei quem lia vai perceber várias semelhanças.

Terá muitos quotes no meio da história neles sempre vão ter "[...]" No começo e no fim para vocês não se confundirem.

Capítulo 1 - Rotina


Downfall, todos só falavam nela. Era uma banda composta por 4 caras -Finn Hudson, Sam Evans, Noah Puckerman e Mike Chang -. Tocavam um rock alternativo por vezes usando gruge - sons pesados e distorcidos, mas ainda sem ser metal -. Talvez por boa parte da música ser sobre romance, ou só pelo fato dos garotos serem jovens recém-saidos da faculdade acabaram conquistando uma legião de fãs. A maioria meninas, que insistiam em dizer que eram uma boyband.

O que causava ciúmes a parte nas namoradas dos integrantes, ainda era tudo muito novo. Felizmente conseguiam controlar já que saberiam que teriam que conviver com as fãs, mesmo as malucas. O sucesso tem seu preço.

°•°•°•°•°•°•°•

06:00

Triiimm, era o som do despertador do celular de Rachel. Ela abre seus olhos com dificuldade, pega seu celular na cômoda e desliga.

- Tem mesmo sempre que acordar tão cedo? - Finn, seu esposo pergunta ainda de olhos fechados.

- Sim meu amor - Ela se senta na borda da cama e começa a se esticar - a noite de estreia está cada vez mais perto, os ensaios estão a mil.- ela o fita se levantando da cama- Voce vem me ver não é?

Ele abre os olhos, e dá um leve sorriso de leve.

- Serei o primeiro da fila.

Ela dá a volta, beija a bochecha do marido sonolento e sai só quarto para seguir sua rotina.

Já banhada e vestida, ela prepara seu café da manhã balanceado. Coloca comida para Téo, Yorkshire de estimação dos dois e abre a porta do quintal para o mesmo fazer suas necessidades.

A história de como decidiram comprar Téo chega a ser engraçada, quando a fama não tinha chegado para ele. Os dois costumavam fazer caminhadas até um parque no centro da cidade, se sentavam um banco e alguns poucos metros tinha um pet shop.

[...]

- Nossa, as aulas da professora Holly estão me matando. - Ela fala movimentos de círculos com os pés, põe sem pés no chão logo sentindo a ardência dos calos.

- Rachel. - Chamou Finn que estava fixado na vitrine do pet shop.

- O que? - Perguntou ela sentindo seus pés arderem.

- Aquele cachorro com cara de Chebacca não para de olhar para a gente. - Contou ele em tom de divertimento.

Ela ri se esquecendo por ora da dor nos pés. O cachorrinho percebendo o tom divertido dos rostos do casal, abana o rabo e decide fazer gracinhas para atrai-los. Ele se deita dando uma cambalhota de lado, depois se senta e late.

- Vamos ver ele mais de perto, me ajuda aqui - Finn ajuda Rachel a se levantar e a andar até a vitrine do pet shop.

Certamente também tinha outros cachorros na vitrine, eram 4 no total. Todos filhotes: um labrador, um pincher, um Beagle e nosso Yorkshire mencionado.

O yorkshire põe a pata no vidro e Finn se agacha e pôs sua mão pelo lado de fora do vidro perto da patinha do cachorro.

- Finn ele é um amor! - Rachel estava se derretendo de fofura.

- É uma pena que não possamos levar ele para a faculdade. - Ele falou se levantando.

- Bom nós nos formamos em 2 meses, podemos pedir para encomenda-lo. Para buscarmos ele para morar comigo e com Kurt.

- É uma boa idéia, mas só tem uma falha nesse plano.

- E qual seria Hudson?- Ela cruza os braços.

- Ele vai morar comigo - Ela ri em deboche, não preciso nem falar que o cachorro acabou ficando com os dois. E também terminaram morando juntos, mas isso é história para outro capítulo.

Rachel dirige até o local do teatro, cumprimenta a equipe e seus colegas de cena. Incluso seu ex, isso mesmo. Jesse St.James, mas ao contrário do que pensam ele não nutria nenhum sentimento por Rachel. Eram bons amigos/colegas de cena. Uma adaptação de Funny Girl uma garota genial, a peça voltaria depois de anos. Só que agora sem a lendária Barbra Streisand, mas sim com Rachel Berry.

Na maior parte das vezes preferia não pensar no peso que estaria exercendo, isso a deixava nervosa. Buscava exercitar uma boa preparação vocal cerca de 5 vezes por semana para deixar todos boquiabertos na noite de estreia.

°•°•°•°•°°•°•°•°•°•°•°•°•°°•°•°•°•°

Finn acordou por volta das 09:30, raios de sol entrados pela janela o fizeram se virar e dormir os clássicos 5 minutinhos. Mas se passaram muito mais do que isso, quando percebeu a hora levantou-se depressa e vou para o banheiro tomar banho.

Já arrumado ele faz seu café da manhã com Téo espiando em baixo, recebendo algumas lascas de sua refeição.

- Alô Puck tô indo, já na metade do caminho! - Saiu de casa pressionando o telefone contra o ouvido.

Will vai te matar

Will era o agente da banda, um simpático cara por volta dos 35 anos. Sempre disposto a dar um puxão de orelha nos rapazes quando necessário.

Chego aí em 5 minutos.

Desligou o telefone e colocou no bolso, ligou o carro e dirigiu até estúdio. Chegando lá cumprimentou todos com um high five.

- Teve bons sonhos bela adormecida? - zoou Puck cumprimentando o amigo.

- Primeiro quero mais pontualidade, segundo você tem que escutar a música que o Sam esteve trabalhando. É sensacional!

- Não está boa ainda não terminei.

- Mostra aí cara, podemos ajudar somos um time.

Sam dado por vencido pega seu violão e começa a dedilhar algumas notas no violão.

I can't change the winds that take you from North to south

Não posso mudar os ventos que te levam de norte a sul

I can not change the reasons why I love you

Não posso mudar os motivos por qual amo voce

- Por enquanto é só isso, ainda nem terminei a primeira estrofe.

Nos sentamos e começamos a dar sugestões para trabalhar naquela composição, podemos dizer que a letra ficou razoável mas a melodia ainda não combinava. Era uma balada romântica, tomaram cuidado para não ficar meloso e nem brega de mais.

Finn sentiu seu celular vibrar no bolso, desbloqueiou e viu uma mensagem de Rachel.

"Tô cozinhando advinha o que é? 🙊" 

"Algo não comestível?" 

"Haha 😑, só porque estava preparando espaguete para a gente comer que nem a dama e o vagabundo"

"Sem problemas my lady, estarei aí em 2 horas"

"s"

"z"

Finn ri após completar o coração mas logo para vendo todos o fitarem.

- Do que estávamos falando? - Ele pergunta.

- Ironicamente do musical da sua esposa - Puck fala em tom divertido.

- Nossa ela está a mil com isso, está para nascer uma pessoa mais determinada que Rachel Berry.

Em casa Rachel desliga o fogo, colocando duas porções de espaguete em dois pratos. Em seguida joga molho por cima.

- Não olha para mim Téo, espaguete vai te fazer mal - Rachel negou o olhar pidão do menor.

Escuta a campainha tocar, e caminha até a porta e a abre. Era um cara do correio que carregava uma caixa em seus braços.

- Entrega para Finn Hudson - informou ele.

- Oh sim, ele é meu esposo - O cara colocou a caixa no chão e dei uma prancheta apontando o local para assinar. Ela o faz. - Obrigada - ela devolve a prancheta pegando a caixa e entrando em caixa. Fecha a porta e põe a caixa na mesinha de centro.

Volta para a cozinha para limpar a sujeira que tinha feito, feito isso vai para a sala. Liga a tv e senta no sofá, não demora muito para Téo subir em seu colo querendo carinho.

- O que você acha que tem nessa caixa?

Téo abana o rabo, ela tira o cachorro do colo e levanta. Para em frente a caixa e põe as mãos da cintura segurando a vontade de abrir.

- Sabe não faz mal só uma espiadinha - Ela pega uma tesoura e rasga as fitas que cobriam o pacote. - Aliás se for coisa importante seu pai vai saber

Ela abre e procura algo na espuma, ao achar o objeto, ela olha confusa. Solta e pega com a tesoura sentindo grandes pontadas de nojo.

- O que, o que.

Era uma calcinha, por que diabos alguém e enviaria uma calcinha para Finn? Uma calcinha vermelha e fio dental!

Do lado da caixa ela achou uma carta, abriu com raiva buscando alguma explicação. Sentiu seu coração parar na primeira linha, repassou toda a sua história com Finn na cabeça desde a faculdade até o momento atual.

Uma lágrima desceu do seu olho esquerdo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...