História While you were sleeping - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Glee
Personagens Artie Abrams, Blaine Anderson, Brittany S. Pierce, Brody Weston, Emma Pillsbury, Finn Hudson, Jesse St. James, Kitty Wilde, Marley Rose, Mercedes Jones, Mike Chang, Noah "Puck" Puckerman, Rachel Berry, Santana Lopez, Sugar Motta, Tina Cohen-Chang
Tags Bemdramamsm, Finchel
Visualizações 30
Palavras 1.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Discussão


O barulho da fechadura evacuou pela sala, Téo desceu do sofá e latiu para o pai animado por sua presença.

- Fala mini-chewbacca! - Chegando em direção a sala se depara com uma Rachel sentada com a cabeça baixa. - My lady?

- Sem essa de my lady Hudson - Ela se levanta o encara de olhos cerrados de raiva - como teve coragem de fazer isso comigo?

- Rachel do que fala?

Ela aponta para a caixa, Finn pega e lê a carta.

"Adorei aquela noite intesa e quente daquele show que tivemos.

a memória do que fizemos sempre ficará em minha mente imagino na sua também.

Penso em você todos os dias, me liga se quiser repeti a dose.

Ass: Viola"

- Rachel isso não é meu!

- Como não é? Ela não pode ter conseguido nosso endereço magicamente!

E eles discutiram, discutiram e discutiram a ponto de fazer Téo ficar com medo e se encolher debaixo da mesa. Com certeza tinha um engano naquela carta, mas insegurança de Rachel a impedia de acreditar no noivo. A banda fazia show em diversos lugares, entre o público tinha garotas mais novas e mais "bonitas" segundo ela.

Em questão de beleza Rachel não sentia empoderada, mesmo com os maiores elogios de Finn. Um dos fatores se deve à um trauma de infância. Uma brincadeira de mal gosto...

[...]

Por volta da 6 série, quando nosso corpo começa a mudar e nossas convicções começam a se formar. Rachel costumava ficar nos clubes de arte, leitura, canto etc. Poucos tinham seus mesmos interesses por esse motivo não costumava trocar muitas palavras com os colegas de classe.

- Sabe Rachel você é linda como nós, devia participar do concurso de beleza que vai ter amanhã. Vai ser no recreio mesmo.

- Eu? Eu não sou bonita. - Ela encara o chão.

- Se fosse feia não estaria andando com a gente, escolhemos você para andar com a gente porque é bonita e parece ter bom gosto para música.

- Bom já que é assim, tudo bem eu participo.- deu-se por vencida.

No dia seguinte, na competição. Suas colegas colocaram papéis a mais para votação fazendo Rachel ganhar.

Penny a patricinha que se declaração rainha, pegou o microfone.

- Queria parabenizar Rachel Berry por ter ganhado - Rachel sorri - por ter ganhado o concurso de garota mais ridícula do colégio.

O sorriso de Rachel se desfaz.

- Com baixa estatura, um cabelo cor de côco e um nariz digno de tucano apresento-lhes Rachel Berry!

Todos ali deram risadas deixando a menina sem reação.

[...]

- Será que os 3 anos que passamos juntos não fizeram diferença para você?! - Finn argumentou procurando fazer Rachel enxergar tamanha acusação que fazia.

- Não sei, fizeram para você? - ela retruca.

- Você sabe que fez.

- ENTÃO POR QUE ME TROCOU O

PELA PRIMEIRA VADIA QUE APARECEU EM SUA FRENTE?!

Finn se cansa e sobe as escadas para o quarto do casal.

- Volta aqui Finn! Me responde!- Ela o seguia.

- Eu já disse centenas de vezes e digo de novo: eu não conheço essa mulher e nunca estive com ela. Você deveria acreditar em mim - Ele suspira - converso com você quando estiver mais calma.- Ele arruma uma pequena muda de roupas e coloca na mala.

- Vai embora? Ótimo! Não volte nunca mais, traidores não merecem perdão.

Desceu as escadas com Rachel o seguindo, ele para em frente a porta a encarando.

- É a sua última palavra?

- Quero que você morra seu traidor!

Ele se vira e sai pela porta, conversar com Rachel naquele estado era inútil. Aliás seus sentimentos haviam sido magoados, ele precisa de um tempo. Dando assim também um tempo para Rachel, ficando afastados. Sem ligações, sem mensagens, sem encontros. 

Uma semana se passou finalmente chegando no dia de estreia do musical Funny Girl, uma garota genial. Rachel se sentia esgotada achando que Finn teria ia embora para sempre, começou a repassar se tinha o acusado injustamente.

Pensou em ligar para Kurt, mas como ele era irmão de Finn. Optou por ligar para sua melhor amiga Marley Rose, sabia que ela entenderia.

- Hey Rach!

Rachel respirou fundo afim de controlar os soluços para formular alguma palavra.

- Rachel? - Pergunta Marley já num tom preocupado.

- Marley me ajuda, me diz o que fazer por favor.

- Respira e se acalma, chego aí em 10 minutos.

- Tudo bem.

Rachel desliga o telefone, e abraça as pernas e apoia a cabeça nos joelhos. Ela sempre sonhou com hoje, devia está se aquecendo ou fazendo um dos seus rituais malucos de beleza. Mas não, ela tinha vontade de fazer de nada, tanto que já estava cogitando em dispensar o papel de última hora.

A campainha toca, a morena levanta e abre a porta. Rachel abraça a amiga meio angustiada.

- Vai ficar tudo bem calma. - Depois de entrar, Rachel tranca a porta e as duas se sentam no sofá - Agora me conta devagar, o que exatamente aconteceu.

[...]

- Rachel isso é insano! Quem foi a vaca que enviou isso? - Marley exclama indignada.

- Não sei, uma tal de Viola. Na carta não tinha endereço e nem sei se tinha número, eu queimei na noite em que ele foi.

- Vocês não se falaram desde então não é?

- E se ele deixou de me amar? E se aquela carta foi de não sei uma fã maluca?!

Fazia sentido.

- Vocês vão se resolver, vocês sempre se resolvem. Agora você precisa deixar isso de lado e encarar Funny Brice.

- Estava pensando em deixar o papel...

- Não pode fazer isso, Rachel você brincava de ser Barbra Streisand desde que éramos crianças! Quer saber? já chega vou ligar para o Kurt. - ela pega seu celular indo na lista de contatos.

- Não Marley não faz isso!!

- Alô Kurt. - Ela se levanta com o celular pressionado contra a orelha, conversa com o castanho e fala que é uma emergência.

Marley prepara algo para Rachel comer e a convence a tomar um bom banho para esvaziar os pensamentos. Para parar de pensar nos problemas e partir para as soluções.

- Como está com a Kitty? - Perguntou Rachel tentando tirar a atenção de Marley dela.

- Estamos bem, sabe nunca imaginei que pudesse encontrar alguém depois da Madison mas... aconteceu!

Elas sorriem, e Rachel se lembra vagamente como conheceu Finn na faculdade.



Notas Finais


PS: tive que colocar o quote no próximo capítulo se não iria ficar muito grande.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...