1. Spirit Fanfics >
  2. Enquanto você dormia >
  3. Capítulo ll

História Enquanto você dormia - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Capítulo ll


20 de agosto


Era por volta de dez horas da noite quando a campainha soou na casa dos Jeon's, desta vez Jungkook não ficou surpreso e ao abrir a porta viu uma mulher de cabelos longos e escuros, o rosto de traços tão belos que sequer aparentava já estar na casa dos quarenta anos.


— Tia Soo, achei que chegaria mais cedo.


— O embarque atrasou. – Ela explicou assim que entrou na casa, Jungkook não tardou a fechar a porta.


— Entendi, está com fome? Ainda não guardei o jantar.


— Não precisa, estou bem, obrigada.


— Certo. Quer ajuda com a mala?


— Por favor. – ela abriu um pequeno sorriso.


O moreno a conduziu ate o único quarto vazio da casa, o quarto de Junghyun, que estava exatamente igual ao que ele havia deixado na ultima vez que esteve ali.


— Se puder... – Ele parou a fala e suspirou, os pensamentos de que provavelmente estava exagerando rondavam sua cabeça desde que seus amigos vieram lhe ver.


 Jungkook.


 Sim?


— Não se preocupe, não vou tirar nada do lugar.


— Obrigado. – Ele sorrio, um sorriso afetado mas mesmo assim era um sorriso.


Após sair do quarto o moreno foi até a cozinha para guardar o que restou da janta e enquanto o fazia seus pensamentos vagaram até as lembranças do irmão; sempre que alguma visita ficava para passar a noite os irmãos dividiam um quarto e isso sempre significa jogos e filmes até tarde da madrugada, no entanto daquela vez seria diferente e o coração de Jungkook doeu por isso.


Na manhã seguinte quando o Jeon mais novo acordou a primeira coisa que percebeu foi o cheiro maravilhoso vindo da cozinha, ele levantou, lavou o rosto e não tardou em ir até lá.


— Bom dia. – ela cumprimentou, sorrindo, enquanto tirava mais uma panqueca da frigideira.


— Bom dia. – o mais novo se aproxima da mesa onde havia o café da manhã preparado pela tia. – o cheiro está bom. – ele se serviu e comeu o primeiro pedaço. – Hm... o sabor é melhor ainda.


— Obrigada, pelo menos alguém aprecia a comida que eu faço.


Ambos sorriram mas logo o silêncio se fez e quando este passou a ser incômodo o Jeon se pronunciou.


— Quanto tempo a senhora vai ficar?


— Apressado pra que eu vá embora?


— Eu diria curioso.


— Alguns dias, quatro talvez. – respondeu a pergunta inicial para depois tomar um a quantidade considerável de café.


— O tio não vai sentir sua falta?


— Eu chamei seu pai pra comer com a gente, será que ele vem?


Jungkook brincou com o resto da panqueca em seu prato antes de suspirar e responder.


— Ele não vem e você está mudando de assunto.


— “Você”?


— A senhora.


— Melhor. Seu tio e eu estamos nos divorciando.


O moreno levou algum tempo pra compreender o que ela havia dito e quando finalmente entendeu tudo que pode dizer foi:


— Sinto muito.


— Não sinta.


— Ela já sabe?


— Sim.


— E como ela está?


— Sua prima está bem... muito bem na verdade.


— Isso é bom.


— E seu pai?


O Jeon encheu a boca com o que restava das panquecas em seu prato.


— Quem está fugindo do assunto agora? – ela acusou, mas ele apenas deu de ombros.

 

A manhã passou calma, Jungkook ajudou SooJin a arrumar a casa enquanto conversavam sobre coisas além do divórcio dela e da ausência paterna dele, o almoço foi em silêncio e era confortável dessa vez, pela tarde ele foi para o café já que suas férias do trabalho tinham, para sua felicidade e também saúde mental, finalmente acabado.


No entanto ao chegar em casa ele não encontra o silêncio pesado de sempre, muito menos um ambiente acolhedor, mas sim uma série de barulhos vindos do quarto do pai, parecia uma discussão, então se aproximou do quarto para poder entender melhor o que era dito.


— ... Outro filho e fica trancado nesse quarto como se só você estivesse sofrendo. – era a voz de sua tia.


— O que você sabe sobre sofrimento para ter algum direito de dizer o que eu posso ou não fazer em meu luto, Ji SooJin?! Você nunca... – Um estalo alto pode ser ouvido e Jungkook se assustou com a possibilidade de ter sido um tapa.


— Não me venha com essa história de que não sei o que é sofrimento quando sabe pelo que passei.


— Soo...


— Calado. – ela gritou. – Sei que vai dizer algo como “não foi minha intenção magoá-la” ou qualquer porra do tipo, mas eu estou pouco me fodendo pras suas desculpas, Haein, você sabe o que passei com Euntak e com meu próprio marido, então não venha dizer que não sei o que é sofrimento e dor, mas isso não é sobre mim, é sobre você se esconder dentro dessa maldita bolha de isolamento que criou e esquecer que ainda tem um filho que precisa de você. Junghyun se foi e isso é horrível, a dor de perder um filho é devastadora para um pai, ainda mais pra um que o criou sozinho mas ficar nesse quarto se lamentando não vai trazer ele de volta, muito pelo contrário, ficar aqui só vai te afastado do filho que você ainda tem e que precisa de você porque ele também está sofrendo. – Ouve silêncio por um instante e então um suspiro, logo a porta estava sendo aberta, entretanto Jungkook não teve uma reação diferente de atônito. – Jungkook? – pega de surpresa SooJin rapidamente limpou as lagrimas. – A quanto tempo está ai?


— ... – o moreno abriu e fechou a boca sem saber o que responder.


— Porquê não vai tomar um banho e trocar de roupa? Eu vou indo preparar o jantar.

 

Jungkook olhou para dentro do quarto e pode ver, pela primeira vez em semanas, o rosto de seu pai e havia uma marca vermelha cobrindo toda a bochecha, depois voltou a olhar para a tia, questionou-se internamente se deveria mesmo deixar esse assunto de lado e ir fazer como ela havia dito ou se insistia em obter resposta para a discussão dos mais velhos, no fim optou pela primeira opção e saiu em silêncio.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...