1. Spirit Fanfics >
  2. Então dance pra mim (camren) >
  3. O desejo que sentimos

História Então dance pra mim (camren) - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - O desejo que sentimos


Bom, já que Camila tinha tomado a liberdade de se sentar na sua mesa , Lauren também tomaria outras liberdades para dar uma checada melhor nela. Afinal, não era todo dia que se tinha uma beldade gostosa bem sentadinha na sua frente.

Com um sorriso cafajeste no seu rosto bem feito,Lauren se reclinou para trás na cadeira mantendo os olhos aos da latina que a encarava com cara de poucos amigos.

—Ta sentada bem em cima dele, senhorita.

—Como é que é?

—Seu pagamento amor.—Lauren sorriu sem mostrar os dentes.—Você está sentada em cima do cheque que eu pretendo te dar.

—Ah. Agora que eu entendi. Me desculpe ...—cinica se inclinou na mesa elevando um lado do bumbum para Lauren que fixou o olhar sobre o mesmo.—Eu nunca tinha sentado num cheque antes.

Lauren soltou uma risada baixa ao balançar a cabeça. Estendeu uma das mãos, pegou o tal cheque e se levandou para se sentar na cadeira  na qual lhe permitiu ter uma visão privilegiada e deliciosa das pernas bem torneadas da latina.

Com o mesmo sorriso "passivo" estendeu o papel para ela que o pegou com uma das mãos e analisou o número um tanto indecente que havia no mesmo.

Depois de um breve silêncio, ela o fitou com a sobrancelha arqueada.

—tem dois números a mais aqui.

—Sim . Tem mesmo.

Suspirando, revirou os olhos cruzando as pernas novamente, lentamente. Os olhos da Jauregui viram sua calcinha. Lauren abafou uma risada.

—Posso saber o por quê?

—Porque eu quis te dar um agrado a mais, por causa do bônus de sábado. Sua dança com Shawn...eu gostei bastante.

Camila riu sem acreditar.—A sério? Não me diga...!

—É sim , porque eu não gostaria? Você mesma pode comprovar aí no pagamento, sem contar que o evento foi um sucesso e a sua aceitação com relação a sua entrada no grupo foi muito boa. O que mais pode pedir senhorita Cabello?

—A minha casa livre de dividas , livre de você.—disse ela sem pensar de modo frio causando a Lauren uma risada mais áudivel e tremendamente detestável, apesar dela ficar ainda mais gostosa rindo daquele jeito.

—Estamos providenciando isso, você já deu o primeiro passo com esse cheque nas suas mãos.

—Isso é pouco e você sabe —sorriu tão frígida quanto a Lauren que aproveitava da sua posição para cruzar as pernas novamente. Não era boba e já havia notado os olhos verdes da Jauregui espreitando o que havia debaixo da sua saia . —Mas é claro que você não perderia a chance de ser a minha pagante , e  fez com que eu viesse aqui só pra rir da minha cara , já que o meu primeiro pagamento partiu de você e volta pras suas mãos não é mesmo?

—Que pena não é senhorita Cabello...que você tenha uma visão tão superficial de mim.

—Ai que dó.

—Eu não fiz de propósito como você está insinuando aí. A minha única pretensão era te pagar esse cheque em mãos para que você não viesse me acusar de alguma coisa depois , como...não ter te pagado o que combinamos já que lhe dei um  pouco mais como presente.

Camila então se levantou e colocou as duas mãos na cadeira onde  Lauren estava, aproximando o rosto ao dela.

—Eu jamais , iria te acusar de alguma coisa sem ter provas, Lauren Jauregui, eu não sou como você que fica fazendo ameaças , jogatinas...que ataca as pessoas sem fundamento.

—Quando eu te ataquei? —perguntou cínica, como sempre.

—Aqui . Agora. Com essa ceninha baixa usando o pretexto de que eu seria a errada da história caso a anjinho aí não tivesse me entregando está merda nas minhas mãos ...! —apontou o cheque quase o amassando.

Naquela altura, a Jauregui já havia  chegado no seu limite . Num movimento rápido ela se levantou e praticamente jogando seu corpo contra o da latina que se surpreendeu com o movimento, Lauren a encurralou contra a mesa, colocando uma das pernas no meio das delas e a fez olhar para seu rosto, segurando bem o seu rosto, segurando bem o seu queixo.

—Sua desgraçada, o que pensa que esta...

—Cala a boca! Shiii... quietinha, bem quietinha. —sussurou as palavras.

—Vai se ferrar, quem você pensa que...

—Quem eu penso que sou ? —riu —Eu não penso , eu sou . Eu sou a dona da sua casa , dona das suas dívidas, você as vezes parece que esqueceu disso. Mas eu adoro quando isso acontece, porque eu  sempre vou poder te lembrar.

Ao invés de se sentir amendroada com aquelas palavras cheias de veneno, Camila de demonstrou mais "puta da vida" com aquela merda. Ela colocou as duas mãos sobre o peito de Lauren a empurrando, pegou o telefone apontando para a  mesma.

—Vai , liga pra quem você quiser! Pra bosta dos seus advogados e toma a minha casa se é isso que você  quer tanto!! Pare de me ameaçar com essa merda e faça de uma vez!

Lauren que de certa forma, se surpreendeu um pouco com a atitude, sorriu de lado , limpando o canto da boca com uma das mãos.

—Sabe Cabello...eu amo quando você age assim, tomada de raiva de ódio , sem saber o que tá falando.

—Eu sei exatamente do que eu tô falando!—bateu o telefone sobre a mesa.

—Não. Não sabe .

Tendo seus passos lentos , voltou a se aproximar de Camila um pouco mais suave e mais envolvente dessa vez, a tocando no rosto com cuidado para que ela não voltasse a repelila . Já Camila, fechou os olhos tentando desviar o rosto mas foi impedida pela mão direita da Jauregui que voltou a segura-la pelo queixo.

—Olhe pra mim . —Lauren ordenou seca. Camila não a obedeceu.

—Vamos. Não seja covarde.

—Eu não sou covarde Lauren —decidiu encara-la. —Você pode me chamar de tudo , menos de covarde.

—Eu sei disso . Isso é uma das poucas coisas que eu admito em você.

—Ja lhe disse, me poupe dos seus elogios , eles não são nada pra mim...!

—Não são não ?—com a mesma mão que a tocava no rosto, inclinou sua cabeça e afastou seus cabelos para sussurrar em seu ouvido. —E se eu te falar ...assim , que eu adorei ver o teu corpo dançando , rebolando pra mim sábado , o que você vai me dizer ...?

Inevitávelmente as duas mãos de Camila a seguraram na cintura e isso fez as duas se aproximarem  ainda mais . Camila , ao sentir o arfar quente vindo da boca da Jauregui contra o seu ouvido, gemeu baixo, lutando para não fechar os olhos mas era quase que...

—Eu diria ...que você está mentindo porque você é uma desgraçada cretina ...!

—Ah eu sou ...sou mesmo uma cretina, eu não presto Camila, mas sei reconhecer  quando uma mulher é assim como você...que me desperta atenção...

Camila riu baixo a apertando ainda mais ao seu corpo.

—Atenção , ou tesão...?

—O que você acha ...?

—O que eu acho ...?

—Sim, pode escolher, o que for o mais ... inconveniente pra você, é exatamente o que eu vou sentir...

Ambas já se encontravam enroladas uma a outra, trocando carícias. Ao mesmo tempo em que Lauren provocando ao passar a boca quente ao ouvido de Camila, ela a segurava pela cintura subindo lentamente as duas mãos sobre suas costas por debaixo do terno femenino que Lauren usava . Lauren soltou um  gemido rouco quando sentiu dedos massageando sua pele, a fazendo mover a perna que estava no meio da latina, para cima e pressiona-la ainda mais contra a mesa.

—Porra ...! —Camila soltou ao sentir seu meio sendo preenchido.

Camila a arranhou com vontade nas costas de Lauren, jogando a cabeça para trás . Um convite para os lábios de Lauren lhe darem  um beijo ali, porém Lauren sorriu e a segurando com uma das mãos na nuca , apenas roçou a ponta dos lábios soltando lentamente o ar quente contra a pele da latina.

—Você é um achado Camila ...que eu estou querendo desvendar...saber muito mais...!

—Cala boca Lauren ! Você fala demais ...! Eu não quero saber de nada ...do que venha ...da sua  boca .

Dando -lhe um beijo na pele do pescoço a Jauregui sorriu trazendo o rosto da latina novamente para  o seu. Naquele instante, as duas trocaram um olhar profundo, não somente um olhar , mas muita coisa , sentimentos escondidos, contidos dentro dos seus corpos que começavam a criar força.

Irritante... repulsiva. Camila se sentiu mais frustrada aínda afastando de vez o corpo da Jauregui do seu , assim tomando uma distância razoável. Ela então pegou uma caneta qualquer que estava sobre  a mesa, assinou o recibo acoplado ao cheque e o jogou sobre os outros papéis.

—Pronto ! Não tenho mais nada pra fazer aqui!

Já estava prestes a caminhar para a porta quando sentiu seu braço sendo segurado por Lauren. Virou o rosto pra ela novamente e quase perdeu o ar quando se deparou com os olhos verdes a encarando dessa vez , muito mais intensos , muito mais... profundos.

—Você pode tentar fugir Camila, mas sabe que não vai conseguir por muito tempo.

—Não estou ... entendendo o que quer dizer.—mentiu.

Dando uma última olhada no seu rosto, mais especificamente, nos seus lábios carnudos e úmidos , Lauren sorriu de lado, a soltando devagar.

—Aos poucos, logo logo você vai perceber e quando isso acontecer , vai vir me procurar de novo,vou estar te esperando. Ou melhor...te observando a todo momento, Cabello.

Rindo com desprezo ela argueou uma sobrancelha. —Fique a vontade Jauregui... Pode me assistir , eu não tenho medo de você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...