1. Spirit Fanfics >
  2. Então é por isso que você faz tanto barulho - Minato x sn >
  3. Era só uma noite de jogos normal.

História Então é por isso que você faz tanto barulho - Minato x sn - Capítulo 1


Escrita por: Misanpatinha

Notas do Autor


espero que gostem.

eu ia lançar no fim do mês, mas sou um pouco ansiosa.

o do Pain vai demorar um pouco para sair.

desculpem os erros.

Capítulo 1 - Era só uma noite de jogos normal.


Fanfic / Fanfiction Então é por isso que você faz tanto barulho - Minato x sn - Capítulo 1 - Era só uma noite de jogos normal.

Pov. s/n.

 

Minato Namikaze era meu vizinho de apartamento há três anos, somos muito amigos e costumamos ficar horas sentados conversando e as vezes fazemos noites de jogos onde escolhemos um jogo e ficamos até tarde jogando, o único problema que ele costuma trazer mulheres para o apartamento dele, claro não tenho nada contra e não vou reclamar com ele, mas podia fazer menos barulho talvez não se baterem tanto nas paredes isso incomoda um pouco.

- oii tudo bem com você? – saio dos pensamentos quando Minato me cumprimenta entrando no elevador.

- oii tudo bem sim e você? – digo com um sorriso gentil que ele retribui mostrando que estava bem.

- claro que estou a você vai fazer alguma coisa hoje à noite?

- não, por quê?

- é que eu queria fazer uma noite de jogos hoje e eu não queria jogar uno sozinho de novo, se quiser pode subir lá em casa – disse com um sorriso que mataria qualquer um do coração.

- claro seria muito legal, vou ter uma noite de paz sem ninguém se batendo ou gemendo – falo irônica dando uma risada abafada enquanto me olha meio corado.

- que isso nem faço tanto barulho, e se quiser posso te deixar sem dormir hoje de novo – disse com um sorriso ladinho me fazendo arregalar os olhos de surpresa e dar um sorriso meio sem graça.

-q...que – merda porque gaguejei é obvio que ele está brincando.

- nada só estava brincado.

- claro.

A porta abriu no estacionamento do prédio sai logo depois ele, fomos juntos até parte do estacionamento juntos, ou melhor, até meu carro onde ele se despediu e foi para o carro dele.

- até depois, te espero as 09h00min beleza – saiu correndo estava apressado.

*quebra de tempo*

É quase 09h00min horas, cheguei na porta do apartamento do Minato e bato, depois de um tempo ele abre a porta.

- entra só não repara na bagunça – “ai minha preção acho que vou desmaiar” porque ele sorrindo fica mais bonito ainda, ele me da espaço e eu entro, o lugar estava bem organizado reparei em todas as paredes para só ai falar.

- sem rachaduras isso é impressionante – falo começando a rir e deixando ele meio sem graça.

- vem vamos sentar aqui na cozinha já esta tudo pronto – em cima da mesa tinha um jogo de pôquer alguns petiscos e um vinho, sim eu disse jogos de tabuleiro e por mais que não pareça ele gosta desse jogo e tenho que admitir ele é muito bom.

- serio sabe que não sou muito boa nesse jogo – disse meio desanimada lembrando das ultimas três vezes que Minato ganhou, sem nem fazer muito esforço.

- prometo deixar você jogar sem estragar a graça dessa vez – disse sentando e servindo o vinho em duas taças.

- sei que vai, se não me engano foi isso que disse das ultimas três vezes – disse semicerrando os olhos para ele que por sua vez soltou uma gargalha.

- serio não to zuando dessa vez, só para passar o tempo – disse acenando para cadeira que estava em sua frente, vou em direção da cadeira e sento.

- só dessa vez – digo derrotada.

Nós começamos jogar, posso dizer que estava jogando muito bem até porque ganhei algumas, o tempo foi passando a vinho diminuindo e por consequência fomos nos soltando mais e mais, dávamos risada de piadas ruins e estávamos no meio da partida quando os petiscos acabaram.

Olhei o relógio e percebi que eram quase duas da manha.

- meu deus são quase duas da manha, tenho que ir para casa.

- calma você morra no andar de baixo, me ajude a guardar as coisas e limpar que dai te acompanho até em casa já que é muito “perigoso” – disse sarcástico.

- posso ser sequestrada – digo levantando e pegando a bacia dos petiscos.

- por quem.

- sie lá, você é um exemplo – digo dando risada.

- gostei da ideia kkk – olhei para ele e comecei a rir junto.

- olha o senhor sequestrador, se me sequestrasse ia faze o que em?! – digo alimentando a zuera.

-não pensei nessa parte kkk – começamos a dar muita risada e soltei a bacia antes de quebrar.

- ai meu deus um sequestrador que não sabe o que fazer com a vítima alguém me ajude kkk.

- eii eu disse que não tinha pensado não que não sabia!

- sei – por algum motivo desconhecido começamos a correr em volta da mesa brincando de pega-pega (meu deus o que a bebida faz, gente do céu), nessa correria toda nem reparamos que tínhamos derrubado bebida e é obvio que bebida no chão mais dois bêbados correndo não ia dar outra.

Quando eu escorreguei o Minato foi tentar me segurar e acabou indo junto comigo em queda livre para o chão, se doeu o tombo minha nossa senhora do bom tombo como doeu, mas pela cena começamos a dar risada que nem dois condenados.

Quando nos recuperamos e terminamos de limpar tudo ele me acompanhou até meu apartamento, quando chegamos abri a porta.

- quer entrar? – pergunto mesmo sabendo que ele iria voltar.

- sabe quando me perguntou o que eu faria se te sequestrasse?

- sim, por quê? – perguntei meio sem entender, tinha feito essa pergunta a menos de trinta minutos como ia me esquecer.

-eu já decidi o que faria – disse com um sorriso ladinho meio malicioso eu diria.

- o que? – estava realmente interessada e saber que tenho um possível sequestrador como vizinho me deixou mais interessada kkk.

-isso – disse me puxando para um beijo me surpreendendo, ele pediu passagem de língua e sem muito pensar consenti, ele foi me empurrando para dentro do meu apartamento e logo depois fechou a porta me jogando na parede.

- a é assim que você quebra as paredes da sua casa então kkk – disse separando o beijo por conta de uma pequena dor que a batida gerou.

- não, costuma ser de outro jeito – sua voz sou rouca no meu ouvido, e ele tinha uma cara de completa malicia, “até onde isso vai será” “serio vai fazer isso mesmo, brincar com fogo” “que foi consciência ta com medo?” “que claro que não, se vai brincar com fogo, faça isso direito então” “mas claro, pode deixar comigo, que desse fogo eu quero muito me queimar” “ai meu deu, to vendo tudo já”.

- e como seria – disse me aproximando do ouvido do Minato deixando uma mordida no lóbulo da sua orelha e um pequeno selar no seu pescoço, ouço um arfar vindo dele e uma risada nasal de malicia.

- vai mesmo querer saber, acho que não vai aguenta – anão ele vai brincar com meu orgulho.

- ta mais para você que não vai aguentar aqui, do que eu – disse descendo minha mão arranhando sua barriga por cima da roupa, ele solta um pequeno rosnado – opa temos um gatinho aqui?!

- ta mais para lobo baby – ele começou outro beijo só que mais agressivo e quente, brigávamos para ver quem ia dominar, mas acabei cedendo, as mãos de Minato exploravam meu corpo por cima da roupa, deixando apertões que irão ficar marcados no outro dia.

Seus beijos eram rápidos e quentes, eram minha perdição até mais que seu sorriso, ele só ficava melhor a cada segundo, seus beijos desceram por minha clavícula e suas mãos foram para barra de minha blusa tirando a mesma e jogando em qualquer quanto da sala.

Atacando meus seios ainda por cima do sutiã que não demorou muito para ser rasgado.

- eii – arfei em protesto, mas o mesmo ignorou voltando à atenção aos meus seios, minhas mãos enroscaram no cabelo de Minato o qual eu dava leves puxões para descontar o prazer que sentia.

Ele mordia, beliscava, chupava e brincava com ambos meus seios isso estava me levando a beira da loucura, uma de sua mão desceram até minha intimidade a qual estava encharcada.

- olha só temos alguém realmente excitada aqui, ta muito bom pelo visto néh?! – disse começando a me estimular por cima do tecido da minha calcinha, não demorou muito para que já estivesse sem roupas.

- só eu que fico sem roupa – digo entre gemidos e arfares, levando uma de minhas mãos ao membro do Minato começando a estimular o mesmo, não demorou para que Minato soltasse gemidos.

- e pelo visto não sou só eu Minato – digo com um sorriso divertido, ele parou de dar atenção aos meus seios e desceu os beijos por minha barriga, chegando em minha intimidade onde deixou um selar em meu clitóris antes de começar a brincar com mesmo usando sua língua.

-MINATO hhmmm – solto um gemido mais alto ao sentir ele introduzir um dedo em mim, ta bom tenho que admitir que isso era muito bom, ele fazia movimentos rápidos com a língua e seus dedos eram bons, agora entendo os gritos de prazer das doidas kkk. (por que tu não é néh kkk).

Puxava os cabeços de Minato para descontar o prazer que sentia (ele vai ficar sem cabelo assim), minhas costas arcam e eu solto um gemido mais alto quando sinto meu ponto G ser acertado, ele percebeu e soltou um sorriso de ladinho começando a acertar apenas aquele ponto, me levando a loucura, não demorou muito para que eu chegasse em meu ápice me derramando na boca do Minato, que não desperdiçou nem uma gota.

- doce – disse com um sorriso malicioso no rosto, “assim ele me mata”, puxo para um beijo que fez com que eu sentisse meu próprio gosto.

Pov. Minato.

- minha vez – disse s/n, encerrando o beijo e me prensando na parede que tinha atrás de mim, admito isso me surpreendeu e me fez sorrir irônico e desafiador.

- vou tirar esse sorriso logo, logo da sua cara – disse em um sussurro sexy no meu ouvido, deixando uma mordida no lóbulo do meu ouvido.

 

Suas mãos eram rápidas e seus movimentos ágeis, ela retirou minha blusa e calça me deixando apenas de Box roxa, sua mão direita apertava/explorava/arranhava meu corpo me marcando bem, enquanto sua mão esquerda começou a massagear meu membro por cima da box me fazendo soltar gemidos roucos. (olha o senso de localização voltou não e mesmo meus amigos).

Ela distribuiu beijos por meu pescoço e abdômen, deixando algumas mordidas e chupões no caminho, quando chego à minha Box deixo um selar e me olhou sorrindo divertidamente.

Quando ela retirou minha Box, meu membro saltou para fora surpreendendo ela me fazendo rir da cara dela, claro não durou muito, pois ela se levantou e voltou com um beijo relativamente calmo, enquanto sua mão fazia movimentos médios de vai e vem, revezando às vezes indo mais de vagar me fazendo jogar a cabeça de prazer para trás e fechar os olhos.

- eu não te torturei assim – falo sôfrego.

- é eu sei, mas eu não rir da sua cara – ta ela tinha um ponto ai, quando fui protestar abri meus olhos e soltei um gemido mais alto ao sentir s/n abocanhar meu membro e começar com movimentos médios e assim como antes revezando com movimentos lentos.

Eu não aguentava mais, fiz um rabo de cavalo meio desajeitado e comecei a ditar os movimentos, fazendo com que s/n engasgasse às vezes, ela não desviava o olhar do meu assim como eu não conseguia desviar do dela, estávamos hipnotizados um pelo outro.

Aquele olhar estava me matando já, mas ai ela começou a usar sua língua me fazendo enxergar estrelas, não demorou muito para que eu gozasse e assim como eu, ela engoliu tudo.

Quando ela se levantou a puxei para meu colo fazendo com que ela entrelaçasse suas pernas na minha cintura prensando ela na parede novamente, nossas intimidades roçavam enquanto ela rebolava para me provocando, quando tive certeza que podia deslizei para dentro dela, ambos soltamos gemidos que foram abafados pelo beijo que ela começou, era bem agressivo comparado com os outros.

Quando ela começa a dar leves rebolados começo a me movimentar, comecei indo mais lento e fui aumentando gradativamente, nossos gemidos eram altos e o som dos nossos corpos se chocando ecoava pelo apartamento.

Pov. s/n.

Minato estava indo rápido e fundo, agora entendo a barulhão que faziam, eu arranhava as costas do mesmo em uma tentativa frustrada de descontar um pouco do meu prazer, enquanto ele mordia meu pescoço, nossos gemidos eram altos e o som dos nossos corpos se chocando na parede também.

- entendeu o porquê do barulho agora – disse ele ofegante para me provocar, quando fui responder, fui interrompida por um gemido mais alto indicando que ele tinha achado meu ponto doce – achei – disse ele focando naquele lugar em especifico, ele me segurou mais forte e diminuiu os movimentos me fazendo soltar um gemido em reprovação.

Ele foi em direção ao sofá se sentando no mesmo, antes que ele falasse algo comecei a me movimentar, ele pôs uma mão em minha cintura e outra foi em meu peito massageando o mesmo, ele foi aumentando os movimentos que eu fazia com ajuda da mão que estava na minha cintura.

Ele se concentrava em acertar apenas meu ponto mais sensível, me fazendo enterrar minha cabeça em seu pescoço enquanto arranhava suas costas, ele ergue um pouco seu quadril e começou a se mover junto comigo, fazendo assim o ritmo ser mais rápido.

Nossas respirações estavam descompassadas, gemíamos descontroladamente.

- eu vou – antes que Minato terminasse, eu disse com certa dificuldade.

- vamos juntos – então ele levou a mão que estava no meu peito até meu clitóris fazendo movimentos médios, fazendo assim ambos entrarmos em estado de estase.

-s/nnn

-Minatooo

Gememos em unisso quando alcançamos nossos ápices, cai cansada no peito dele, ele deitou a cabeça para trás e me apertou forte contra seu corpo enquanto tentávamos recuperar o folego, nos olhamos e sorrimos.

- bem que você disse que não ia me deixar dormir – digo enquanto o sol apontava no horizonte iluminando a sala que estava bagunçada e cheirando a sexo.

 

 

 


Notas Finais


desculpem os erros.

não sei se ficou bom, mas postei do mesmo jeito.

ficou um pouco mais comprida que as outras, mas espero que tenham gostado.

até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...