1. Spirit Fanfics >
  2. Então você partiu >
  3. ;e nunca mais voltou (capítulo único)

História Então você partiu - Capítulo 1


Escrita por: waynctt

Notas do Autor


ola meus queridos cá estou eu com mais uma fanfic, dessa vez meio angst desculpa!!!! espero que gostem de coração e não se esqueçam de ouvir ela partiu enquanto leêm. beijinhos e boa leitura!!

Capítulo 1 - ;e nunca mais voltou (capítulo único)


Fanfic / Fanfiction Então você partiu - Capítulo 1 - ;e nunca mais voltou (capítulo único)

faz quatro anos hinata, quatro anos desde que você se foi.

 

foi num domingo à tarde, o sol se pondo no arpoador e você ali, sentado admirando o mar como se fosse a coisa mais bonita que você já tinha visto na vida. e daí você me olhou, e eu te olhei, e a gente ficou se encarando até você se levantar e com seu português embolado e me dizer “oi! tudo bem?" , com aquele teu sorriso que me irradiava mais do que o sol de meio-dia no verão. 

 

eu respondi que sim, e a gente continuou se encarando até você sair correndo pra uma barraquinha de milho que passou pela gente. eu te segui com a vista e te vi pegar dois, tu me deu um e me mandou comer. sorri rindo pela coincidência. milho é minha comida preferida, e depois que você soube disso você me comprou um todo domingo a tarde, na mesma barraquinha, no mesmo ponto, no mesmo horário.

 

era encantador te conhecer e perceber o quão adorável você é. as caretas que você fazia quando você tomou meu café pela primeira vez — que você julgou ser tão amargo quanto o álcool japonês.—, aquela vez que você fez sushi pra mim pois de acordo com você , eu precisava saber o que era sushi de verdade. ou quando eu conheci pedro pela primeira vez e ele me tratou tão bem que eu quase pedi pra fazer parte da família de vocês — por que você me disse que ele também era sua família.

 

foi no dia que nos olhamos e percebemos que você era o amor da minha vida, e que eu era o amor da sua, que tudo se encaixou. você começava a preparar suas comidas favoritas às sextas, e pelo menos uma vez no mês, pedro e nossos amigos mais próximos faziam um churrasco aqui em casa. eu te apresentei o guaraçaí e se tornou sua bebida favorita, você até aprendeu a fazer pra tomar de café da manhã comigo — além dos teus pão de queijos divinos que eu tive o prazer de comer todas as manhãs.

 

e foi numa sexta de janeiro que você sumiu. eu catei suas coisas pela casa e não tinha mais nada ali. não tinha mais seu chinelo do flamengo perto do sofá, não tinha mais meu bolo de laranja na mesa da cozinha. no banheiro não tinha sua escova do homem aranha nem seu shampoo da salon line. só ficou sua xícara, uma que compramos no dia que você veio morar comigo. aquela que tinha um coração com uma foto nossa no meio, aquela que você disse ser a mais bonita que você já teve na sua vida. mas não tinha você, hinata.

 

mas eu te esperei. te esperei nos dias em que eu voltava do mercado e gritava seu nome na porta do apartamento pra você vir me ajudar porque as compras estavam muito pesadas — mas você não aparecia.—, te esperei quando me enrolei nas cobertas das noites frias de junho e tu não veio me esquentar nem me puxar pra mais perto de ti quando meu pé ficava tão gelado que até parecia que eu tinha morrido. e às vezes eu sinto que te espero até hoje.

 

e mais do que isso, senti sua falta. senti falta de você lavando meu cabelo quando eu não tinha mais forças pra me levantar por conta do trabalho, senti falta de você ouvindo turma do pagode — que agora eu me recuso a ouvir —, quando nós tínhamos aquelas brigas idiotas. senti falta de beijar tua testa antes de todo jogo teu, por que você sempre me disse que isso te dava sorte. senti tanto sua falta que tive que pedir pra pedro dormir por uma semana comigo por que o cheiro dele me lembrava você, mesmo que não fosse você aqui comigo.

 

lembrar de você me faz chorar, e é agora chorando que eu encaro aquela xícara, a única coisa que você me deixou. sorri de leve, pelo menos eu tinha isso — e uma camisa sua que você esqueceu com o heitor daquela vez que vocês foram acampar em ilha grande..

 

enchi ela de café e coloquei suas duas colheres cheias de açúcar, encarei piolho na janela — um gatinho ruivo que nice me deu há um ano — e respirei fundo. queria que você tivesse me deixado uma dica ou uma pista, uma carta ou tivesse ao menos de despedido de mim, de nós. suspirei. deus, como você faz falta.

 

minha campainha tocou, e tocou várias vezes, me dando enjôo do barulho tão estridente, mas todas as vezes que eu abria a porta não era você, e provavelmente nunca mais seria.

 

 

ela partiu tocava na caixinha bluetooth pela quinquagésima vez e eu não conseguia trocar de música. por que você partiu hinata, e nunca mais voltou.

 


Notas Finais


espero que vocês tenham gostado, tive esse plot hoje de manhã e precisei escrever. amo vocês e por favor não desistam de mim eu prometo ser mais ativa esse ano, pelo menos uma vez por mês deve sair fic!!! fiquem bem, se cuidem e bebam bastante água. <3333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...