1. Spirit Fanfics >
  2. .entediado >
  3. Chuya (não) faz a papelada

História .entediado - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


espero que gostem!

Capítulo 1 - Chuya (não) faz a papelada


Fanfic / Fanfiction .entediado - Capítulo 1 - Chuya (não) faz a papelada

_ Será que você não consegue ficar quieto, inferno? Está me distraído.

_ Que culpa eu tenho se você não consegue tirar os olhos de mim?

Revirando as orbes cinzas, Nakahara Chuya decidiu que essa seria a única resposta que daria a Osamu para uma pergunta tão estúpida. Ele já estava bastante irritado por ter de fazer papelada enquanto Dazai brincava com uma bola de tênis, esparramado no sofá de dois lugares que Chuya tinha em seu escritório - mesmo com as pernas vazando pelo encosto de braço, Osamu era a imagem do conforto. Em todos esses anos trabalhando com o suicida, ele não o viu fazendo papelada uma vez se quer - na verdade, ele nem mesmo sabia se Dazai tinha de fazer isso. 

Provavelmente não, considerando que, em plena quarta-feira, enquanto Nakahara lia e relia relatórios, ele decidiu passar seu tempo na sala do ruivo, jogando a bolinha de tênis para cima e a pegando de volta repetidas vezes. Isso estava fazendo Chuya tremer de raiva, se distraindo com o movimento do pequeno objeto visível por sua visão periférica. 

_ Desgraça. _ele xingou, após soltar um suspiro.

_ Você tem um vocabulário bem chulo para alguém do seu tamanho.

_ Para o inferno com sua opinião, pouco me importo com o que um desocupado como você pensa. 

_ Deve ser porque estou num cargo acima do seu. _ Dazai disse, e então sentou-se abruptamente _Chuya-chan, eu sou quase seu chefe! _ constatou, com os olhos brilhando, segurando a bolinha com as duas mãos próxima a seu coração, um sorriso largo no rosto.

_Não, não é. 

_ Sou, sim! Sou seu superior!

_ Cale a boca de uma vez, está me atrapalhando.

_ Isso lá é jeito de falar com seu superior?

Soltando um som que se assemelhava a um rosnado, Chuya se levantou da cadeira e apoiou as duas mãos sobre sua mesa:

_ Você gosta de me importunar, né?

_ É a parte mais fácil do meu trabalho.

_ Que trabalho? Aperta gatilhos e vagabundear?

_ Esse mesmo.  _ Osamu disse, sentando-se no sofá, com as pernas abertas. O brilho deixou seus olhos e agora ele olhava para o ruivo como se esse fosse sua presa. _Não se esqueça do tratamento especial que te dou à noite. Isso também faz parte do meu trabalho.

Chuya puxou o ar com dificuldade, tentando garantir que não iria gaguejar:

_ Aposto que é sua parte favorita.

_ E não é a sua?

_ Não mesmo. Prefiro minha papelada. 

_ É mesmo? Porque você parecia bem entediado lendo isso aí. A cara que você faz comigo é bem diferente.

Sentindo as bochechas queimando, Nakahara agiu por impulso e lhe mostrou o dedo do meio, para então dizer:

_ Vai se foder.

Dazai sorriu, era exatamente aquele reação que ele queria causar em Chuya e ele conseguira. Dando duas batidinhas nas coxas, ele atraiu o olhar de Nakahara para o meio de suas pernas, deixando-o ainda muito corado, e então disse:

_ Não. Como seu superior, eu vou te foder. Achei que depois de todo esse tempo, já teria aprendido isso. Agora, vem cá.

 E Nakahara Chuya caminhou até Dazai Osamu como se realmente fosse obrigado a obedecê-lo. No fim das contas, aquela era sua parte favorita, de fato. Quando chegou perto de Dazai, este apenas apontou para o chão com dedo e o Chuya ficou de joelhos entre as pernas dele.

_ Tão bem treinado como um cão. E ainda diz que essa não é sua parte favorita?

_ Tsc. Posso voltar para minha papelada…

_ Não, _disse devagar, desabotoando o cinto _não pode. Como seu superior, ordeno que chupe meu pau.

Nakahara não sabia se era o olhar selvagem que Dazai tinha ou a forma como lhe ordenou, mas o ruivo acatou a ordem - com prazer. Ele queria aquilo, mas Osamu já tinha o ego muito inflado e não precisava de uma confirmação. 

A boca do acastanhado se abriu quando sentiu a cavidade úmida de seu subordinado envolver seu membro, mas ele não soltou um som. Não o faria, ele se evitaria mostrar a Chuya como um simples boquete poderia afetá-lo apenas para poder implicar com ele depois. Esse objetivo, no entanto, foi se tornando mais e mais difícil à medida que Nakahara o estimulava com habilidade. Merda, ele era bom. Muito bom. Tanto que Dazai, pouco antes de gozar na boca de Chuya, com uma mão segurando firmemente nos cabelos ruivos e guiando o ritmo dos movimentos alheios, deixou um gemido escapar. Aquilo fez Nakahara sorrir e acelerar os movimentos, o que levou o outro ao orgasmo. 

_ Essa foi rápida. _Chuya disse depois de engolir.

_ Você tem talento. Deve praticar bastante.

_ Talvez. _ ele deu de ombros, ficando de pé.

_ Quem te deu permissão para levantar?

Nakahara soltou uma risada anasalada e passou uma mão pelo cabelo, jogando-os para trás.   

_ Sério, eu preciso terminar a papelada.

_ De quatro. 

_ Dazai.

_ De. Quatro. _ repetiu, ficando de pé, olhando para outro de cima. 

_ Se o chefe descobrir…

_ No momento, seu chefe sou eu. Depois eu lido com Mori.

Os joelhos de Chuya tremiam e ele sentia sua calça apertada, quase o machucando. Ele queria ajoelhar e por isso o fez, dando as costas para Dazai e apoiando os joelhos e as mãos no tapete macio que cobria o chão.

Ele sentiu Osamu antes de vê-lo. Sentiu as pernas do outro se posicionando perto da suas, o membro que começava a endurecer novamente contra suas nádegas e as mãos trabalhando em seu cinto para então abaixar suas calças junto de sua peça íntima. 

_ Você está com presa, né? Então acho que não precisa de nenhum tipo de preparo.

_ Daza… Ah!

Nakahara pretendia protestar, mas antes que pudesse fazê-lo, sentiu o acastanhado invadindo-o. Chuya gemeu de forma sôfrega e empinou a bunda, sentindo o outro investir contra si. 

O ritmo o fazia sofrer. Osamu não ia devagar, mas podia ir mais rápido. Chuya queria que ele fosse, Dazai sabia que ele queria e Chuya sabia que Dazai sabia. Mas Osamu queria que ele pedisse e, bem, Nakahara já estava com a bunda empinada mesmo.

_M-mais rápido. Mais rápido, por favor.

O ruivo ouviu o outro rir antes de sentir os movimentos acelerarem e de se tornar uma bagunça. Chuya apoiou a cabeça no chão e gemeu, sentindo que não duraria muito muito tempo.

No fim, o ruivo gozou primeiro e Dazai veio alguma investidas depois. Cansado, Nakahara deixou seu corpo cair de lado e fechou os olhos. Ele tentava regular sua respiração quando sentiu-se ser pego no colo. Dazai o carregava como se fosse uma princesa, colocando-o deitado no sofá.

_ Como seu superior, seu bem-estar é do meu interesse. Tire o resto do dia para descansar, vou falar com Mori. Amanhã você volta pro seu trabalho entediante.

 


Notas Finais


pretendo postar outro capítulo, mas não deve ter muito mais que isso.
writing prompt 2.16: yaoi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...