História Entrada para o Inferno-( Imagine TWICE) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags Angst, Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Orange, Sana, Sobrenatural, Terror, Twice, Twt, Tzuyu, Yuri
Visualizações 46
Palavras 1.061
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), LGBT, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Falha5: Chou Tzuyu


Fanfic / Fanfiction Entrada para o Inferno-( Imagine TWICE) - Capítulo 6 - Falha5: Chou Tzuyu

Chou Tzuyu, a típica colecionadora de objetos, alguém digamos, peculiar demais. Uma pessoa muito apegada a bens matérias, principalmente com dinheiro. Para mim, Tzuyu era uma grande inspiração de pessoa, mas ao conhecer melhor, achei abominável essa forma passada de pensar.



                             24/06/18



E de novo eu me encontro sentada assinando diversos papéis e atendendo desesperadamente várias ligações. Essa semana foi exaustiva, minha cabeça está quase à explodir, as vezes eu penso que não foi uma boa ideia vim trabalhar aqui, mas eu persistir muito para estar neste local, então não irei desistir tão fácil.


— Myoui! A senhorita Yoo mandou eu trazer esses papéis para você assinar


— Não acredito — Bufei — Ela está achando que eu sou um máquina de assinar papéis?


— Isso você terá que perguntar diretamente para ela — Disse séria.


Chou Tzuyu, era a secretária da minha chefe. A mulher sempre foi uma pessoa mistériosa e pontual, sempre cumpria seus deveres e fazia eles com muita sutileza. Deve ser por isso que Yoo quis para a Chou ser sua secretária.


— Não querendo atrapalhar pessoas lindas — Momo brotou em nossa frente — Mas está na hora do almoço — Mostrou a hora em seu relógio.


— Verdade — Concordou Chou — Mas acho que não irei almoçar.


— Por que? — Perguntou Momo — Eu nunca vejo você almoçando. Vamos Tzuyu, conheço um restaurante maravilhoso e é bem perto daqui.


— Não sei. Não quero gastar dinheiro em vão.


— Pois eu prometo que não irá gastar.


Sem muita opção a Chou concordou indo ao restaurante que Momo havia falado. Eu claramente também fui junto com as outras mulheres.


****


— Me diga Tzuyu — Momo se pronunciou — É bonito aqui, não é?


— Hum — Tzuyu olhou para todos os cantos do restaurante, até eloborar a sua reposta — Tem cara de ser caro.


— Sério que você vai se preocupar com o dinheiro?


— Óbvio! Já disse que não quero gastar em vão.


— Mas a comida tem cara de ser muito boa — Tzuyu me encarou sem expressão, aquela mulher era misteriosa demais, chegava a me dá calafrios.


— Boa tarde senhoritas. Já sabem o que vão pedi?


— Sim — Disse Momo — Eu quero uma macarronada com bastante ketchup e maionese, depois você pode me servir um suco de laranja — A garçonete começou a anotar — Assim, poderia trazer também um puré de batata?


— Momo? Você vai comer tudo isso?


— Claro Mina — Sorriu para mim.


— E você?


— Ah, eu quero só uma macarronada com ketchup — Disse tímida logo vendo a mulher anotar.


— E você?


— Eu estava vendo o cardápio e notei que as comidas daqui são bem caras — Disse Tzuyu — Então, eu vou querer só um suco de maracujá.


— Apenas o suco?


— Sim.


— Ok.


A mulher saiu e logo Momo encarou Tzuyu com estranheza, eu já sabia que a Chou era uma pessoa muito difícil de gastar dinheiro porque Momo havia me contado assim como outras pessoas da empresa. Mas eu achava que era só exagero das mesmas, mas hoje vejo que é igual como elas me falaram.


— Só um suco Tzuyu?


— Sim Momo. Eu não sou morta de fome que nem você.


— Pelo menos eu não sou mão de vaca que nem você — Disse Momo.


— Esse dinheiro que você está gastando hoje com esse monte de comida, pode fazer falta depois. Sabia disso?


— Larga de pensar no amanhã, pensa no hoje.


— Não obrigada — Cruzou os braços e Momo revirou os olhos.


— Avarenta.


*****


— Não vejo a hora de chegar em casa e dormir — Dizia Momo arrumando sua mesa.


— Eu também.


Eu ainda estava um pouco furiosa com Momo, o que ela me mostrou me deixou bastante decepcionada com ela. Pensava que ela era uma pessoa diferente, mas ela não teve um mínimo de vergonha na cara de me mostrar aquelas fotos cruéis, e ainda sorria falando como foi o processo. Idiota!


— Alguém irá pegar algum ônibus?


— Você? Ônibus? — Momo perguntou com indignação. Até eu estava assim, Tzuyu ganhava muito mais que Momo e eu, e eu tinha quase certeza que ela tinha um carro.


— Seu carro quebrou? — Perguntei.


— Não — Respondeu — A gasolina está muito cara, então resolvi não gastar com isso e decidi todos os dias ir e vim de ônibus.


— Você é uma graça Tzuyu — Momo saiu da sala deixando apenas eu e Tzuyu sozinhas.


— Tzuyu, se você quiser posso te dá uma carona.


— Obrigada Mina.




— Você notou que eu e a Momo somos opostos?


— Sim.


Eram exatamente sete da noite e as ruas de Seoul ainda estava bastante movimentada e iluminada pelas inúmeras luzes que estavam nos postes. Em toda o caminho Tzuyu não havia dito uma palavra, só agora que ela resolveu tocar no assunto da rivalidade dela com Momo. Isso serviu para tirar o silêncio torturante que estava sendo.


— Ela é péssima em economizar, toda vez ela reclama que está sem dinheiro por causa que sempre gasta com comida e com outras coisas desnecessárias. Fico pensando no que ela faz quando não tem dinheiro para comprar comida.


— Uma coisa péssima — Disse baixo lembrando das coisas que Momo havia me mostrado.


— Disse algo Mina? — Perguntou Tzuyu.


— Não — Respondi rápido.


— Você tem cara de ser uma pessoa equilibrada quando se trata de dinheiro.


— Talvez eu seja — Parei o carro em frente a sua casa — Mas eu gasto muito dinheiro quando se trata de jogos.


Tzuyu antes de descer do carro, olhou para mim e sorriu, seu sorriso parecia uma pequena armadilha, parecia está satisfeita com o que eu tinha revelado.


— Bom saber disso Mina.


— Por que?


— Nunca se sabe quando podemos está em um jogo. Então, você já é alguém preparado.


— Talvez.


— Gosta de jogos que envolvem sangue? — Perguntou a mulher.


— Um pouco.


— Que bom. Assim será mais fácil para você.


— Não estou entendendo Tzuyu — Mostrei está confusa com aquela confusa.


  — Nunca se sabe quando podemos estar em um jogo — Repetiu — Ainda mais um jogo sangrento. Eu só lhe desejo sorte


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...