História Entre a escuridão - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Star Wars
Personagens Anakin Skywalker (Darth Vader), Capitã Phasma, Finn, Han Solo, Kylo Ren, Leia Organa, Luke Skywalker, Padmé Amidala, Personagens Originais, Poe Dameron, Rey
Tags Reylo
Visualizações 211
Palavras 2.273
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Um pouquinho atrasada, contudo viva! Não desisti não, só queria algo bom suficiente para apresentar a vocês... Não sei se consegui, mas espero que esteja do agrado da maioria.

Vamos ter bastante romance como o prometido.

Boa leitura!!

Capítulo 14 - A resposta no olhar


Fanfic / Fanfiction Entre a escuridão - Capítulo 14 - A resposta no olhar

Após a luta frenética travada contra os cavaleiros de Ren, Kylo permanecia inconsciente. Já havia se passado cerca de quase duas horas, no entanto a reação do ex-líder das forças sombrias permanecia a mesma, algo que preocupava Rey, que por outro lado até aquele momento se mantinha em vigilância sob as condições do recém recuperado guerreiro da luz.

 

Apenas quando a alienígena laranja pousou as mãos em seus ombros adentrando o espaço, a aprendiz de jedi conseguiu sair da imersão que se mantinha.

- Rey. – Chamou gentilmente a aliada rebelde. – Sei que é um momento delicado levando em consideração os ferimentos do rapaz, ainda assim, não posso deixar de alertar sobre a presente situação.

Com essas palavras simples, Maz então conseguiu a total atenção da moça que ficou a fitando com um ar anestesiado, claro que aquilo estava sendo bem complicado para ela absorver levando em consideração sua situação.

- Sabemos que outros grupos da Primeira Ordem e outros Rens vão ser em breve enviados para cá pela informação que recebemos. Eu me comuniquei com Poe a pouco, ele afirmou que uma evacuação será um tanto previsível de nossa parte o que vai tornar a evacuação um pouco perigosa para um grupo tão limitado como o nosso. O comandante Dameron, por isso sugere que por hora você se separe do grupo com este rapaz...– A senhora de uma aparência rugosa colocou indicando o homem que permanecia inconsciente. – Será levada na Falcon pelo meu Wookiee grandão para um local seguro.– Referiu-se a Chewie carinhosamente.

- Acha que vamos conseguir reverter essa situação em algum momento? – Mostrava-se preocupada e aflita em pensar que o cerco estava completamente fechado contra a resistência. – Sinceramente sinto-me mais perdida agora do que quando entrei nisso. – A garota de Jakuu colou tristonha.

- Não está tão perdida minha criança, apenas sente uma sensação passageira, eu garanto. – esclareceu a mais velha. – Eu sei disso, porque me lembro de você correndo com medo por causa do poder do sabre de luz logo que a encontrei e disse para ir até Luke. Lembro que não queria esse fardo dos jedis, por isso em minha opinião por mais difícil que tudo esteja sendo esse momento, você já sabe qual o seu lugar nisso tudo e o que precisa fazer. – A segurou a laranjinha, que observou a moça que suspirava.

- Cada vez tenho mais medo das respostas que encontro à medida que avançamos nessa guerra, sinto falta de Luke... – Confessou sentindo que por pouco não desatava em um choro incontrolável.

Estava com os nervos a flor da pele, a descoberta sobre a criança, a perda de leia para Primeira Ordem, o cerco contra os rebeldes... A situação de Kylo Ren. Definitiva tudo era demais para alguém que já tinha seus próprios dilemas e superava-os a muito custo.

- Se esta assim porque teme a perda... Devo pedir que não tema isso minha cara jedi, pois a perda faz parte da vida e nem sempre ela é negativa. Siga o exemplo de Luke... – Orientou ela a moça.

Com aquelas palavras Rey tocou na mão de Kylo e notou que sua pele estava muito fria.

- Ben está muito gelado. – Falou fraca tentando afastar tamanha preocupação pelo fato dele parecer cada vez pior.

Sentia-se envergonhada porque sua afirmação fazia parecer que não havia escutado nada que a mulher alienígena disse-lhe, porém ela sabia que aquela não fora sua intenção e a acalmou.

- O rapaz está pagando pelas suas ações... Precisa passar por isso, mas você saberá como ajudá-lo se for necessário minha querida criança.

Não entendeu aquele enigma vindo da misteriosa mulher, ainda assim preferiu somente escutá-lo e nada proferir em resposta.

(...)

Como orientado por Poe, Rey foi acolhida mais uma vez pela Millennium Falcon que estava nas mãos o Wookiee que era o ex-parceiro de Han Solo.

A bordo do cargueiro corelliano, a moça se viu cercada agora pelo piloto peludo que grunia, Rose, Finn, e Kylo que permanecia desacordado.

- Rey... – Chamou a asiática robusta. – Tome um pouco disso. – Pediu a técnica colocando um copo de bebida quente nas mãos pequeninas da garota. – Como está se sentindo? O bebê está bem?

Sorrindo fraco, a moça baixou o olhar por um momento talvez contraditoriamente aquela fosse sua única alegria, saber que a filha estava a salvo, mas por outro lado o pai da criança permanecia naquele estando de inciência e isso a deixava inquieta.

- Está tudo bem comigo e com ela... – Referiu-se a Haley. – Só permaneço muito preocupada com Ben. – Não pode evitar dizer.

Finn que escutava toda aquela interação entre a asiática e a garota de Jakku, percebendo o tamanho carinho inserido na voz da amiga pensou em dizer algo grosseiro. Não aprovava aquela aproximação que em seu entendimento era muito repentina e errônea entre Rey e Kylo, por isso para não magoar a moça teve de usar todo o seu bom senso para não interromper a conversa disparando algo que se arrependesse mais tarde.

O moreno então passou as mãos pelos ombros de Rose esperando que Rey dissesse algo mais relevante para que ele parasse de pensar em dizer o quanto ela estava sendo enganada, em de cogitar qualquer coisa boa referente a Kylo...

- Eu sei o que quer dizer. – Rey leu Finn com facilidade ainda que ele estivesse apenas pensando nas probabilidades e Rose em sequência já emitiu uma cotovelada no rapaz que se contorceu com o choque da moça em suas costelas.

- Aí! Por que fez isso?! – O sujeito exclamou sem entender a bruta ação da garota baixinha que apesar da estatura era muito forte.

- Porque você não sabe nem se quer disfarçar seus pensamentos e isso é irritante. – Rose mostrou-se mais estressada do a própria Rey ao revirar os olhos e cruzar os braços mediante a figura mais alta próximo a mesa de jogos da Falcon.

- Mas nem abri a boca. – Contestou o ex-trooper massageando a região afetada pelo golpe certeiro.

- Está tudo bem Rose. – Declarou Rey querendo desfazer aquele clima hostil. – Eu entendo o Finn, ele somente está preocupado comigo.

- Viu?! Ela entende! – Apontou o moreno defendendo-se indicando de modo involuntário que a ação de Tico havia sido muito exagerada para nada.

- Acreditem, está tudo bem... E Finn, por mais estranho que seja, posso afirmar que Ben esta mudando devagar. Pode ser inacreditável para alguns, porém é verdade. – Ela desviou minimamente o olhar para a figura inerte que não se encontrava muito longe deles.

- Ninguém esta aqui criticando ou duvidando de seu julgamento Rey. – Respondeu Rose dando outra cotovelada no homem que se encontrava acomodado ao seu lado e que assentiu a contra gosto aquela afirmação.

- Sim, somente estamos bastante preocupados de confiar em Kylo Ren. – Falou o rapaz como se fosse uma recordação a moça de cabelos negros que já havia lhe feito sentir estrelas pela segunda vez em menos de cinco minutos.

- Não precisam confiar em Ben, basta que confiem em mim. – Concluiu aquele assunto.

(...)

Longos meses se passaram, a resistência estava mais estruturada e pronta para a investida contra a Primeira Ordem, porém Rey estava cada vez mais afastada de suas funções devido ao fato de estar com um avantajado ventre onde residia uma criança.

Naquela altura foi mandada juntamente com Kylo e Chewbacca para Ahch-To, local considerado mais seguro para sua estádia. As coisas não haviam tornado-se melhor para os rebeldes no entanto, pois ainda havia muito o que ser feito.

Entre essa espera, as notícias sobre Leia permaneciam não sendo as mais animadoras, até onde se sabia ela sofria muitas torturas e a havia quem falasse que estava morta, porém Kylo e Rey não acreditavam nisso, porque por mais debilitada que a general estivesse ainda se mantinha viva e a “força” dizia isso a eles.

Durante os meses que se encontrava afastada, Rey também centrava-se em melhorar suas habilidades de jedi. Lia os textos que estavam na Falcon e treinava sob as orientações de Kylo que a ajudavam a aperfeiçoar diversas técnicas com a força dentro de um limite. Durante este tempo o ex-líder também conseguiu ajudá-la a criar seu novo sabre de luz construído com a base de um cristal corrompido de um dos cavaleiros de Ren abatidos na batalha de “Ajahbkt”. Assim Rey ganhou um sabre de luz branco... Que permanecia a ser um contra-senso quando visto junto ao sabre rubro de Kylo.

- Como se sente hoje?

Indagou o instrutor sentando-se com Rey em um dos picos montanhosos da ilha onde eles podiam treinar sem serem incomodados pelos habitantes locais que tinham um estranho olhar sob a jedi que ele não compreendia bem. Ao seu ver as jeitosas criaturas pareciam ficar desgostosas com a presença da mulher gestante desde sua chegada, mas o que o herdeiro Skywalker não sabia era que tudo se devia a situação embaraçosa provindas de sua primeira estadia naquele pequeno planeta sagrado.

O vento uivava reconfortante por cima das rochas, enquanto ambos observavam o ensolarado oceano sentindo o suor dos corpos sendo levemente lavados naquela brisa que devido ao calor não se tornava tão fria.

- Estou bem e você ainda sente dores na ferida de suas costas? – Observou a expressão dele que afirmou com a cabeça.

- Isso nunca vai ficar 100%... Dizem que uma ferida feita com apego nunca pode ser curada... Já ouviu falar nisso? – Indagou para a moça que negou repentinamente. – Mas isso não importa, afinal foi por um bom motivo que me deixei ser golpeado e teria feito de novo se fosse necessário. – Apalpou o ventre da moça com carinho.

Houve uma pausa pequena, então ele prosseguiu naquela conversa informal.

- Você sabia que fica mais bonita a cada dia que se passa? Não havia notado antes, mas acho que isso é reflexo da gravidez.

E Rey corou com aquele elogio que não parecia combinar muito com um homem de um histórico tão bruto, porém Rey sabia desde sempre que a luz oculta nele era muito intensa, e que Ben Solo em potencial ocultava uma grande sensibilidade que ninguém poderia ver antes dela chegar ou antes de Haley existir.

Então Rey aproximou-se de Kylo discretamente roubando repentinamente um beijo de seus lábios em sinal de afeto e gratidão. Não era algo incomum entre eles, mas também não era um evento raro aquele contato mais íntimo.

Sem sentia-se acanhado com a grata surpresa, Kylo foi respondendo aquela união imposta pela aprendiz pousando as mãos nas costas da moça mantendo-a pressionada contra si, enquanto seus lábios insistiam em continuar sobrepostos sobre os dela, demonstrando uma inexperiência apaixonada naqueles movimento iniciais.

Seguindo o ato, o homem fechou o espaço entre os lábios ao mesmo tempo em que Rey prosseguia amassando-se contra os vales robustos do rapaz. Então, o sujeito alto a pegou um tanto desprevenida, deslizando o seu músculo flexível e dançante ao longo da costura de seus lábios até que eles se abrissem com um suspiro que o permitiu adentrar no local que poucas vezes pode explorar.

Kylo lambeu a boca de Rey, acariciou-a nos recessos calorosamente de modo doces e sentiu a mente cambaleando com a explosão de seu sabor que o inundava por parte da morena.

O sujeito sedutor intervalou o ato, depois a olhou por um momento e acabou por iniciar outro beijo como se não pudesse estar longe dela, mas desta vez, o seu beijo foi mais quente e mais exigente. Kylo praticamente devorou os lábios da garota de olhos esverdeados, possuiu-a somente com aquele mover de lábios preciso.

A língua insistentemente empurrou-se entre a comissura da jedi, balançou dentro do espaço quente com erotismo e sensualidade notável, algo que fez a moça se entrelaçar mais forte a acaricia imposta por parte do parceiro.

Curvou uma mão em sua nuca e a puxou para mais perto, aprofundando o beijo de modo a deixá-la fervendo por inteiro. Cobiçando mais do sabor açucarado, bebendo dela com cada sugar mais violento de sua carne, que ficava vermelha de tamanha sede do homem viril.

Ele com pequenos gestos mostrava que a amava a superficial aspereza transmitida pela forma lasciva dela fazer os corpos  de ambos participarem do ato inconscientemente. Isso o motivava e instigava a magnetizá-la contra o seu corpo para que seguisse as vontades.

Rey chegou a abraçá-lo com suas pernas e enroscar-se com os tornozelos travados sobre o traseiro de Solo. Mas ao sentir um tamanho descontrole em si mesma rompeu o beijo de modo muito abrupto deixando-o por uns momentos sem entender o que se sucedeu.

- Melhor pararmos aqui. – Estava um pouco hesitante a princípios, porém depois de alguns segundos julgo que esta era a postura certa a se ter com ele.

- Tudo bem. – Respondeu como se não houvesse motivo de tamanha preocupação para ela se justificar, afinal ele entendia as inúmeras problemáticas daquela relação que os faziam ainda serem tão discretos.

Claro que ele queria tê-la, tomá-la em seus braços, fazê-la sua... Só que ainda não era o momento certo, ele sabia. Suspirou e beijou a testa da moça de modo curto já conformado em respeito a decisão da parceira até dizer:

- Vamos voltar daqui a pouco o sol vai começar a se pôr. – Segurou a mão dela sentindo o seu calor enradiar os dedos.

E com aquele final de manhã, o casal reafirmou mais uma vez que não precisava de muito para se entender. Já faziam isso há muito tempo mergulhando um na mente do outro, mas agora parecia mais intenso e mais preciso. Tinham a certeza que era como se bastasse olharem-se para encontrar o que buscavam, como se resposta no olhar fosse o suficiente para qualquer interrogação... Existe ou futura.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! O próximo capítulo vai ser o nascimento de uma certa mocinha linda ♥️♥️♥️😍

Espero que tenham gostado. Beijos!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...