1. Spirit Fanfics >
  2. Entre a Luz e a Escuridão >
  3. A festa

História Entre a Luz e a Escuridão - Capítulo 31


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal desculpem a demora!
Espero que gostem. Tem lemon no capítulo!

Capítulo 31 - A festa


A noite estava linda e estrelada, nos alojamentos os cavaleiros estavam super felizes e animados, pois saíriam para comemorar num barzinho próximo da universidade, excerto alguns como Camus, Shura, Mu, Shaka, Hyoga e Shun. No dormitório de Afrodite e Ikki, finalmente as coisas tinham se acalmado, desde que Ikki entrou no banheiro ainda revoltado pela demora do pisciano. Assim que deixou o banheiro o moreno se deparou com uma cena incomum no seu dia a dia, Afrodite estava parado em frente a duas mudas de roupas jogadas em cima da cama, estava numa dúvida tremenda de qual usaria. 

- Ikki, qual dessas mudas eu devo escolher? - Perguntou o pisciano sem tirar os olhos das roupas 

O leonino olhou aquilo e sorriu de canto. Eu sei lá, escolhe qualquer uma! - Ikki já foi colocando sua calça jeans e uma camisa polo azul escuro. 

-Fênix como você é insensível, não sabe que tenho que estar lindo para o meu amor! - O pisciano olha para o moreno. - Devia se vestir melhor, se bem que o que usa deve estar bom para os padrões Shaka de qualidade! - Rir debochando do moreno. 

- Se não quiser ir para o inferno de novo, contenha suas palavras e para de frescura! Põe qualquer uma! - Diz o moreno olhando Afrodite seriamente por alguns segundos, mas logo em seguida pegou sua carteira e o celular saíndo do alojamento rapidamente, pois não queria se estressar. 

O pisciano não tinha medo daquele moleque e fica furioso por não ter conseguido responder antes dele sair - Ele pensa que me coloca medo, imagina! - Afrodite ainda olhava as roupas. 

Depois de alguns minutos ali parado, recebe uma mensagem de Mask dizendo que já estava saíndo, assim o pisciano fecha os olhos e finalmente com os dedos escolhe uma, a pegando rapidamente e se trocando. Se olha no espelho, mandando um beijo para seu reflexo. - Você é lindo de qualquer jeito, até mesmo com essa roupa tão básica, como uma bermudinha jeans e uma camiseta branca . O pisciano deixa o alojamento indo encontrar com seu namorado. 

Enquanto isso no alojamento de Hyoga e Camus as coisa pareciam cada vez mais frias e os dois se mantinham cada vez mais distantes.Hyoga estava muito magoado por ter sido acusado de forma tão dura e leviana por Camus, as palavras proferidas pelo mestre de Hyoga o magoaram profundamente e mais do que nunca o russo se sentia cada vez mais sozinho e se isolava cada ainda mais. Por outro lado, Camus estava muito decepcionado com seu pupilo, se criticava por ter sido um péssimo mestre e falhado nos ensinamentos sobre caráter. Para Camus, Hyoga agiu de forma leviana e infantil quando congelou a casa de Milo, por causa de um ciúme infundado. Com isso o clima estava cada vez mais pesado, as dores de cabeça do loiro não diminuíam e sofria calado, pois era orgulhoso demais para pedir ajuda, ainda mais para alguém que só sabia lhe acusar injustamente. 

Hyoga não gostava de sair, mas sabendo que seu mestre não saíria de casa, decide ir, passando pelo aquariano que estava sentado no sofá lendo um livro e ao sair bate à porta com força para mostrar toda sua indignação. Camus olha aquilo, mantendo sua face fechada e indiferente, sua decepção era maior do que qualquer sentimento fraterno que tinha pelo pupilo. Enquanto isso, no dormitório de Shaka e Jabu as coisas iam andando, Shaka deixou Jabu na sala e foi até o quarto pegar uma muda de roupa para ir tomar seu banho, antes que Jabu entrasse e deixasse o banheiro empesteado de chulé. 

O Virginiano entra no banheiro, trancando à porta indo tomar seu banho, enquanto Jabu continuava deitado tampando o nariz, pois o cheiro estava insuportável, foi quando decidiu tomar um banho e colocar uma roupa legal, se perfumar e sair para pegar algumas gatinhas ou gatinhos. Se levantou, colocou seu sapato do lado de fora do alojamento, pois, só o lavaria na manhã seguinte. Caminhou até à porta do banheiro, ouviu o som da água que caía do chuveiro e toca na maçaneta, mas percebe que estava trancada. Deixou um sorrisinho de canto escapar imaginando que o loiro delícia estivesse lá dentro, nuzinho, tendo a água banhando seu corpinho lindo. Foi então que teve uma brilhante idéia, se abaixou e olhou pelo buraco da fechadura, que dava exatamente para o box, que estava ainda com à porta aberta. - Vai loirinho, aparece, vai! - Disse Jabu olhando ansioso. 

Shaka que sempre teve sua intuição muito boa e uma mania muito comum, antes de se despir pendurou sua toalha na maçaneta, tampando assim a visão que o unicórnio teria e queria. - Ah, não loirinho! - Disse Jabu ao ver que sua visão estava tampada. 

Nesse momento o unicórnio, sente uma pegada na sua nuca, lhe empurrando contra à porta, deixando seu olho roxo por causa da batida. - Aiiii! - Disse Jabu ao sentir o impacto. 

- Isso é para você aprender a não ficar olhando o namorado dos outros pela fechadura! - Disse Ikki com um olhar nada amigável. 

O moreno tinha chegado ao alojamento minutos antes como chamou e ninguém atendeu, resolveu entrar, já que à porta estava aberta e se deparou com a cena, sem pensar muito, queria que todos vissem o quanto ele era safado e, pressionou sua cabeça na fechadura deixando-o com o olho roxo. Jabu se desesperou com a situação e saiu correndo do alojamento pedindo ajuda, pois um louco havia tentado o matar. 

Enquanto isso no alojamento de Milo e Shun, ambos estavam em seus quartos. A convivência era pacífica, porém num intervalo de duas horas o virginiano já tinha recolhido três copos espalhados pelo alojamento e isso o deixava muito irritado. Onde Milo estava deixava uma coisa jogada no chão e para um virginiano metódico como Shun isso era inadmissível. Shun pensou em chamar Milo para uma conversa franca, pois o virginiano não era empregado dele para sair catando as coisas que ele deixava espalhado. 

Milo estava em seu quarto, em frente a janela, olhando para o céu que estava estrelado e lindo. O pensamento de Milo estava diretamente ligado a Camus e a Hyoga, pois além de serem pupilo e mestre, agora eram companheiros de alojamento e de curso. Os dois viveriam grudados o tempo todo e Camus não teria mais tempo para ele, o que colocaria em risco o namoro dos dois. A cabeça de Milo estava cheia, porém decidiu se arrumar e ir para a festa, assim deixaria de pensar nessas coisas, afinal Camus o ama e isso é o que importa. 

O escorpiniano entra no banheiro, toma um banho demorado, se enrola na toalha indo até seu quarto para se arrumar. Escolhe uma calça jeans rasgada, uma blusa vermelha social, penteia seus cabelos, saí do quarto deixando a toalha molhada em cima da cama, passa por Shun que estava na sala lendo um livro, se despede e deixa o alojamento, indo em direção ao de Camus. Não daria espaço para que Hyoga desse em cima de seu namorado e faria qualquer coisa para mantê-lo longe do russo. 

No alojamento de Saga e Shiryu as coisas estavam tranquilas, embora o geminiano se mantivesse cada vez mais calado, estava sofrendo por amor e pela ausência do amado Aiolos. O geminiano torcia para que algum dia o sagitariano se lembrasse do que viveram e do que sentiram. Saga estava deitado na sua cama lendo um livro, quando Shiryu bateu na porta. - Não vai na comemoração? - O libriano disse encostado na porta. 

- Não, tenho que terminar esse livro até amanhã! - O geminiano diz sem tirar os olhos do livro. 

- Aiolos vai! - Disse Shiryu já saíndo e indo para seu quarto se arrumar. 

Saga fechou o livro e os olhos logo em seguida e assim ficou por alguns segundos, abrindo um sorriso logo em seguida. - É claro que vou, não vou deixar meu amado sozinho nessa festa, não mesmo. 

Saga escolhe suas roupas rapidamente ficando em pé no corredor esperando Shiryu sair do banheiro.Assim que à porta se abre o geminiano caminha rapidamente, entrando logo em seguida, não queria perder mais tempo, afinal estava cansado de se lamentar e lutaria pelo amor dos dois. Shiryu ao ver a pressa do amigo abre um sorriso, pois sabia que conseguiria tirá-lo daquele quarto. Após o banho Saga vai para seu quarto , coloca uma calça jeans, uma blusa social preta e seus cabelos presos num lindo rabo de cavalo. Ao sair do quarto se encontra com Shiryu na sala e ambos saem do alojamento rumo ao barzinho. 

Enquanto isso tudo acontecia, no alojamento de Shaka e Jabu, Ikki estava sentado no quarto do loiro com um bico enorme, esperando seu amado. Assim que Shaka abre à porta leva um susto. - Ikki? O que faz aqui? - Disse o virginiano entrando com uma toalha enrolada na cintura. 

- Shaka! - Ikki se levanta se aproximando do namorado e puxando a toalha. - Que tentação hei!? - O moreno sorrir olhando o namorado de cima à baixo. 

Shaka sorrir sem pudor algum, afinal eles já tinham intimidade suficiente para isso. - Você é tão safado, Ikki! - Shaka sorrir, indo procurar uma roupa para vestir. 

Ikki vendo a cena, se aproxima por trás, encaixando e abraçando o loiro por trás tocando no seu membro fazendo carinho na glande. - Humm, sei que gosta desse meu jeito safado! 

Shaka morde os lábios para não gemer. - Gosto, muito! - O virginiano disse sofrêgo, sentindo seu corpo arrepiar com aquele toque. 

Está gostando amor? - Segura firme o membro do amado e da uma movimentada para frente e para trás.

Shaka segura o gemido, fecha seus olhos sentindo aquela sensação boa. - Ikki! 

O moreno sorrir, soltando o membro e se afastando. - Se continuar assim tão manhoso não vamos a festa! - Disse o moreno o olhando. 

Shaka suspira ao vê-lo se afastar e se aproxima dele, passando a mão no seu peitoral e sussurrando em seu ouvido. - Que tal fazermos nossa própria festa? - Disse Shaka desabotoando um dos botões da blusa do moreno. 

Ikki se arrepia. - Não me provoque amor! - O moreno beija o pescoço do loiro. 

Shaka sorrir. - Temos que inaugurar minha cama, quero dormir sentindo seu cheirinho! - O loiro sussurra no seu ouvido manhosamente. 

- Mas e a festa? Vão sentir nossa falta!? - Ikki disse sorrindo e caminhando com ele abraçado até a cama. 

- E o que isso importa? Só você me importa e nada mais! - Shaka diz todo manhoso, sendo jogado na cama e olhando o namorado com tesão. 

- Shaka!!!! - Ikki disse já sentindo um fogo consumir seu corpo, estava doido para ouvir seu amor gemer e chamar seu nome. 

Shaka o olha, levanta sua perna levemente até que seu pé tocasse o membro do moreno por cima da calça, fazendo uma leve massagem com a ponta dos dedos. - Está gostoso amor? 

Ikki ao sentir a massagem fecha seus olhos, mordendo os lábios. - Sim, muito! Você está tão safado hoje! 

Shaka o olha com um olhar muito malicioso. - Faz um streptease pra mim? - Disse o virginiano sorrindo. 

O leonino sorrir mais safado ainda. - Agora mesmo. - O moreno se vai até à porta a fechando e parando em frente dela. - Faço sim. Agora? 

Shaka o olha com mais tesão ainda. - Vc e tão safado, amor! Eu adoro isso em você! - Shaka sempre atento aos movimentos do outro. 

Ikki sorrir jogando seus cabelos para trás. - Vou deixar você todo marcadinho, loiro gostoso! 

- Espero que minha cama seja bem resistente! - Shaka dá uma batidinha na cama. 

Ikki sorrir o olhando safado. - Preparado para o show? - Ikki abre a camisa num só puxão e desliza sua mão pelo seu abdômen. - Gosta do que vê? 

Shaka morde os lábios o olhando. - Delícia! 

Ikki engatinha até o loiro e beija o mamilo desnudo e molhado do loiro, puxando levemente com os lábios. Deslizando suas mãos pelo corpo do loiro ainda molhado. 

Shaka sussurra no ouvido do namorado. - Quero meu Streptease! - Shaka volta a se deitar e Ikki dá um chupão no pescoço do loiro e volta a se levantar, mas em cima da cama. 

Ikki começa a dançar sensualmente, passando as mãos pelo seu corpo, tirando a camisa a jogando para o loiro, que sorrir e cheira sentindo o perfume dele. 

Shaka sorrir com a visão, não resistindo o loiro engatinha até ele, se levantando um pouco, passando a língua pela barriga, subindo pelos seus gominhos do abdômen sarado dele, indo até os mamilos do moreno, dando uma mordida e puxando de leve entre seus dentes. E abrindo a calça sensualmente deixando ela cair e mostrando aquela cueca apertadinha azul marinho, mas não escondia o quão excitado estava. O virginiano sorrir safado. - Agora é com você! - Shaka se afasta o olhando. 

Ikki sabia provocar, desce da cama, liga o som e começa a dançar sensualmente de costas rebolando sua bundinha redondinha, o olhando por cima dos ombros vendo a cara de luxúria que o loiro estava fazendo. O moreno da um tapinha na sua bunda, descendo a cueca devagar. - Pede loiro, pede! 

Shaka que não estava aguentando mais olhar aquela visão linda do seu namorado, os movimentos sincronizados do corpo do moreno o deixava doido. - Me mostra a ave Fenix, mostra! - Shaka não aguentando começa a se tocar. - Isso amor, tira tudo pra mim tira! - Mordendo os lábios. 

Ikki sorrir pelo jeito safado que o namorado disse, se vira de frente para ele, descendo a sunga devagar rebolando e a tirando, a apoiando num dos pés, rodando e jogando para Shaka, que segura, cheira e o olha. - Como você é gostoso amor! 

Ikki toca no seu membro. - Vem amor? - O moreno chamou gostoso. 

Shaka o olha safado, engatinha até ele novamente, ficando na altura de sua cintura, deixa o membro dele excitado esfregar no seu rosto antes de toca-lo, o olha e aproxima sua boca dando uma leve chupadinha que chega até fazer um barulhinho gostoso. 

Ikki fecha os olhos com o toque, sentindo seu corpo todo estremesser, deixando sua cabeça pender para trás. - Ahh, que boca amor, que boca! - Aperta os fios do loiro estocando levemente na sua boca quente e apertadinha. Olha para ver o loiro o chupando e morde os lábios. 

Shaka desce a pele, passando a língua da base até a glande feito um picolé, o olhando safado, passando a língua na fenda e colocando tudo de uma vez, sugando gostoso enquanto arranhava de leve as coxas fartas do moreno. 

Ikki arfa, sentindo seu pau latejar, só de olhar para ele daquele jeito safado, toca a franja do loiro e lhe olha desejoso. - Isso amor, chupa seu homem chupa! - Ikki diz rouco sentindo as chupadas gostosas e precisas que recebia e não resisto o moreno geme alto o nom do loiro, segura firme a nuca do namorado e estoca gostoso naquela boquinha quente. 

Shaka sente aquelas estocadas e faz ainda mais cara de safado e chupa com mais vontade, com mais sagacidade e precisão, tira um pouco da boca, passando a língua na glande novamente, tocando dos dentes levemente para não machucar e volta a colocar na boca pressionando o membro entre a língua e as paredes internas da boca. 

Ikki gemia de prazer, estocava cada vez mais na boca do loiro. - Ahh, eu não vou aguentar se continuar assim! - Disse roucamente . 

Antes que gozasse, Ikki tira seu membro da boca do loiro passando nos lábios do namorado, deixando bem babadinho e volta a colocar na boca dele e segura sua cabeça estocando gostoso. Shaka geme com o membro na boca, pressionando sempre que podia entre a língua e a garganta. 

- Ahhh, Shaka! Você me enlouquece! - Ikki continuava estocando e gemendo gostoso. Tira o membro de dentro da boca dele, o olha e o joga na cama. - Quero você! - Ikki se põe por cima do outro, tomando sua boca com volúpia e roçando seus membros igualmente rijidos. Os gemidos tomaram conta do ambiente, ambos se sentiam no limite, o desejo, o amor, o sexo, ânsia pelo corpo do outro era quem dava as ordens naquele momento de luxúria e prazer. Ikki desceu os beijos pelo pescoço marcando a a pele alva e branca do loiro, que por sua vez puxava os fios da nuca do moreno de olhos fechados sentindo os beijos e pensando besteiras com o choque dos membros excitados. 

Ikki desceu os beijos pelo peitoral, barriga dando chupadas pelos mamilos e contornando os gominhos sarados do abdômen do loiro com a língua. - Você é minha tentação amor! - Sussurrava o moreno entre um carinho e outro. 

- Você que é a minha! - Shaka se contorce apertando os lençóis com força. 

Ikki continua o seu caminho, descendo mais e percebendo os pelinhos loiros num caminho até a pélvis do loiro e morde o lábio, passando o dedo por eles suavemente. - Olha o que eu encontrei, o caminho da minha felicidade? - Ikki olha e toca o membro do outro o apertando. 

Shaka geme alto o nome do namorado, apertando os lençóis com mais força. - É o caminho eterno da sua felicidade! - Diz rouco e ofegante. 

Ikki se inclina aproximando seus lábios, dando uma lambida da base até a glande, se deliciando com as reações do loiro. - Chupa igual a um picolé chupa! Quero lhe mostrar como me derreto na sua boca! - Disse o loiro olhando para seu namorado. 

Ikki nem pensa duas vezes, põe tudo na boca todo e arranhando a barriga do loiro de leve e lhe olhando safado, apertando a cintura do loiro e vai fundo o olhando fixamente. Sem perder tempo o moreno roça seus dedos na entrada do loiro que arfa soltando um gemido mais longo. Shaka estava louco, não saberia quanto tempo aguentaria, gemia, se contorcia, até que uma chupada bem dada o loiro não aguenta e se derrama na boca no domereno que se deliciava com o sabor doce do namorado. 

Mas os instintos do moreno eram fortes, ele sabia o quanto o loiro queria aquilo, sem muitas delongas, se encaixa por entre as pernas do loiro, se deitando sobre seu corpo e tomando seus lábios de forma voraz, roçando sua glande na entradinha do loiro e o penetrando. Ao sentir o o loiro arfa gemendo durante o beijo, mas não queria que parasse. Foi então que abraçou a cintura do moreno fazendo com que entrasse mais rápido, arranho um gemido forte de Shaka, o que deixou Ikki um pouco preocupado, mas logo tomou novamente os lábios do loiro com pressa e urgência a fim de que a dor passasse. Depois de perceber que o loiro já havia se acostumado, Ikki começa a estocar gostoso e com uma dad mãos começa a estimular novamente o membro do loiro. Shaka estava indo a loucura, o ritmo das estocadas eram os mesmos da estimulação no membro, fazendo com que Shaka gemesse e se contraidse aperto o membro de Ikki dentro de si, o fazendo também gemer. Shaka apertava os lençóis com força e gemia cada vez mais alto, quando se contrai, liberando seu gozo nas mãos do moreno que ao ver, estocava mais rápido ainda, até que acaba gozando farto no interior do loiro, caindo sobre ele cansado e ofegante. 

Ikki sai de dentro do loiro, se deitando ao seu lado e o puxando para seus braços, lhe fazendo carinho, ambos estavam exaustos. O moreno beija a testa do loiro feliz e dia. - Que festa hei em amor, muito melhor que a que iríamos! 

Shaka sorrir. - Não lhe disse que valeria mais a pena se ficassemos? 

Enquanto os dois se recuperavam, o bar começava a encher, Saga já estava lá quando Aiolos e Dohko chegaram. Se aproximam do geminiano que olha para o sagitariano com amor e saudade, mas iria com calma. Quando Milo e Camus chegaram Hyoga já estava bebendo com Aiolia, Kanon e Mask, apenas ouve um olhar entre o mestre e o pupilo, nada mais do que isso. Milo sempre fazendo questão de mostrar para todos que Camus era dele somente dele. Alguns estavam dançando, quando uma música toca, Aiolos que estava conversando com Dohko e Saga, sente seu peito apertar como se algo fosse lhe tirar o ar, não sabia porquê, mas se levantou e convidou Saga para dançar. O geminiano arregalou os olhos, pois se lembrava exatamente daquela música, pensando que ele tivesse lê lembrado, acabou aceitando. Na pista Saga acaba tocando na cintura do sagitariano que o olha assutado, mas não sai e com tinha dançando, vendo algo que não entendia muito bem nos olhos de Saga. 

A dança continuou e Saga sentiu-se mais próximo dele e o convidou para um jantar no sábado a noite na casa de gêmeos, Aiolos sente seu coração bater forte, mas pensou em dizer não, porém como era educado resolveu aceitar. A noite terminou com um brinde de todos, Camus levou Milo até seu alojamento, lhe dando um beijão de cinema, dizendo que o amava, se despediram e Camus foi para seu alojamento. Mask levou Afrodite para seu alojamento e vendo que Ikki não estava, aproveitaram para namorar um pouco mais. Jabu chaga ao alimento e entra, ao passar pela porta do quarto do loiro, resolve dar uma espiadinha, afinal o loiro não foi à festa. Abriu a porta bem devagar, vendo peças de roupas espalhadas pelo chão e olha para a cama, vendo os dois agarradinhos e tira uma foto, pois era proibido casais dormirem no mesmo quarto. - Isso pode ser que me ajude num futuro bem próximo!! - Jabu fecha à porta, indo para seu quarto. Camus chega em seu alojamento e Hyoga tinha acabado de chegar e estava na cozinha bebendo água, o loiro ao perceber, sai, indo para seu quarto e Camus suspira pesadamente, indo para seu quarto. - Amanhã será um dia cheio!  

E assim termina a primeira noite dos cavaleiros na universidade.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...