História Entre Algemas - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Swanqueen
Visualizações 5
Palavras 3.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Festa, LGBT, Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Deveria Ter Feito Isso?


"Um final bem melancólico digamos assim, se estamos dispostos a esquecer algo que marca nosso consciente como uma nova experiência, sendo diretamente ou indiretamente, esse algo não sai tão fácil assim, ainda mais sendo uma experiência nova e incrível."

"Sinceramente, pense na sua primeira complicada experiência vivida apenas uma vez, você se lembra com clareza ou são vagas lembranças? Independente de qual tenha sido sua experiência, foi difícil por um tempo, esquecer, aí tá, a grande sílaba que se pode colocar em várias colocações. Esquecer, Regina precisa disso, esquecimento, acredito que seja melhor, apenas esqueça Regina e finja que nada aconteceu."

Eu pareço aquelas adolescentes que vêem a pessoa que gosta na escola! Mas, diferente de mim, as pessoas realmente gostavam, ou achava que gostavam, mas eu não gosto, ou penso que não gosto, não! Eu não posso gostar. Definitivamente.


Freddie Mercury com toda certeza não iria faltar, além de estar tocando I Want To Break Free da Banda Queen que faz parte de seu álbum favorito, Lou havia colocado "Queen" acima da mesa de centro onde o truco estava coroado, realmente, a decoração estava maravilhosa, não só porque eu ajudei, mas sim porque Louis era detalhista em muitas coisas e não faria diferente em seu aniversário.


Haviam, por diversos lugares do apartamento, bancos que mais pareciam dados iluminados, o bolo parecia uma carta de baralho -O rei de copas, do outro lado tinha uma espécie de bartender que fazia alguns drinks para os convidados, enfim, a maioria dos outros enfeites não moldavam-se apenas em 'cassino' e sim nas cores, vermelho, preto, e branco, onde até mesmo a iluminação fazia uma variação entre elas. Em uma parte mais ampla estavam os jogos em si, que, se bem me lembro, além do truco tinham, poker, roulette, craps, farkle, tinha até sinuca e uma espécie de tequila poker que, segundo Lou, Zelena iria adorar se apenas participassem mulheres das apostas, ainda não sei bem o porquê, mas vou descobrir.


Depois que o apartamento começou a ficar mais movimentado, Zelena se dispersou de mim sem me dar o luxo de dizer aonde iria, e, para completar, eu não a encontrava em lugar algum. Conhecendo bem a irmã que tenho, eu apostaria fácil que ela estaria de conversa com alguém que a interessou, Zelena sempre foi assim, até mesmo na escola, sendo professora ou não. Sim, professora, a orientação sexual de Zelena nunca foi um tabu para ninguém que a conhecesse.


Em hipótese alguma a sexualidade de alguém deve ser um tabu, até porque é algo que vem da própria pessoa, além do mais, ninguém deve contestar ou questionar sobre a vida de ninguém, ainda mais sendo sobre um assunto complicado como esse, onde nem mesmo a pessoa é capaz de lidar. Já não basta o preconceito familiar em que as pessoas vivem, sobre uma estrutura homofóbica e, diariamente, passam por piadinhas e chacotas. Por diversas vezes Zelena se queixava na adolescência de comentários maldosos que recebia de seus ''colegas'', mas, diferente do que pensei, meus pais aceitaram de forma respeitosa. Por mais que eu pensasse sobre a reação da minha mãe, por ser extremamente religiosa, a mesma simplesmente disse que o que mais importava em um ser humano era o que pulsa no peito e as ideias na cabeça, e era isso que Cora Mills queria nos passar. '' Respeite o outro como você gostaria de ser respeitado, independente de suas escolhas."


Vermelho realmente combina com aquele corpo, eu tinha o dever de admitir, Ruby Luccas estava magnífica encima daquele saltos maravilhosos e.


─ Linda né?!


─ Cacete! Zelena, por deus! Precisa me assustar? ─ Digo com a mão no peito.


─ Não foi a intenção sis, me perdoa. ─ Responde Zelena, terminando de rir da minha cara. ─ Mas enfim, você viu este monumento moreno que está prestes a entrar nesse apartamento.?


─ Estava olhando exatamente para o mesmo lugar até você me assustar, mas eu vi sim. ─ Respondo, vendo a reação de Zelena mudar e sua boca abrir levemente.


─ Acho que... ─ Fez uma pausa. ─ vai gostar de olhar de novo.


─ E o que te faz pensar isso.? ─ Pergunto.


─ Olha logo Regina.! ─ Reponde.


Assim que virei para ver o que Zelena tanto encarava, paralisei, preto era, com toda certeza, sua cor, realmente a sua indelicadeza em não deixar de caprichar em cada detalhe visível naquele visual era... Deus, ela exalava elegância até mesmo em uma comemoração onde eu tinha total certeza que não se comparava a qualquer outro lugar que ela fosse convidada, espera! Os amigos que Louis tinha dito serem amantes de direito, ERAM ELAS ?


DEUS!


Voltei a encarar Zelena e, pela minha reação, ela pensou, espero eu, exatamente a mesma coisa.


─ Ok, Zelena, aja naturalmente.


─ Regina eu estou normal, não tenho o porque de ficar nervosa, agora você, parece estar a ponto de surtar.


─ Não seja exagerada! Vamos cumprimentá-las e dizer que fiquem à vontade.


"Com o pensamento de apenas ser educada, Zelena e Regina foram para a entrada afim de recepcionar as amantes de direito. A cada passo que Regina dava, ela sentia seu coração dar palpitadas como se fossem uma escola de samba treinando para desfilar:)"


Foi então, ao me aproximar, que seus olhos repousaram sobre mim e me fizeram lembrar de uma citação que se encaixaria muito bem agora.


Se bem me lembro ─ "Quando olhei em seus olhos, vi os olhos mais verdes, claros e lindos que já tinha avistado no mundo, mas não apenas por eles serem tão lindos como tu, mas porque eles transmitem a pureza de sua alma." ─ Marcelo Wolinger.


─ Regina, mostre a decoração para a Angela, é ela minha amiga da faculdade.─ Comenta Lou me fazendo quebrar o contato com Swan ─ Deixo ela em tuas mãos, pois você me ajudou em cada detalhe aqui, principalmente nas escolhas dos jogos, pode fazer isso?.


─ Claro, por onde deseja começar? Pelos jogos então?.─ pergunto. ─ A propósito, Regina, Regina Mills.─ Digo estendendo minha mão.


─ HÁ! Eu lhe conheço, e muito bem, é um prazer conhecê-la pessoalmente, majestade. Você é bem mais bonita do que imaginei, e eu sou Angela Luccas ─ Responde correspondendo o aperto de mão e me abrindo um sorriso.


─ Espera, como sabe que me chamam assim? ─ Pergunto.


─ Na verdade eu não sabia, lembrei de um certo dia em que Louis estava trocando mensagens e, do nada, ele berrou um majestade bem alto, eu, curiosa que sou, perguntei de quem ele se referia, uma das coisas que me arrependo até hoje, porque ele desatou a falar sobre você e não parou mais. Disse o quanto era maravilhosa, bonita, inteligente e mandona, e extremamente 'foda' no trabalho.─ Diz gesticulando com a mão.


─ OK! Por essa eu não esperava, você anda falando de mim na faculdade, Louis?─ Pergunto.


─ Em minha legítima defesa, eu só falei coisas agradáveis a seu respeito, majestade.─ Responde ─ E,claro que eu falo sobre você, vivem me perguntando! e você é uma advogada conhecida, caso não saiba.


─ Ok! Eu entendi, agora vou fazer um passeio pelo apartamento, se me dão licença, venha senhorita Luccas. ─ Digo.


Sem que eu percebesse, mostrei o apartamento e a decoração toda para, se bem me lembro os nomes, Ruby e Angela Luccas, e claro, à senhorita, ou devo dizer, excelentíssima Swan.


─ Se me permite perguntar, senhorita Mills, quando pretendem começar a jogar.?


─ Apenas Regina, por favor,na verdade quando os aniversariantes quiserem, porque, agora vocês conhecem cada pedaço daqui.─ encaro a loira ─ A propósito, está acompanhada do cacheado,não está senhorita Swan?.


─ Perdão? Quem é cacheado?.


─ Desculpa, me refiro ao Harry, seu segurança certo?.─ Respondo.


─ A sim! Ele veio sim, deve está conversando com o porteiro lá embaixo.


Sem que perdesse mais tempo, sai a procura de Harry, primeiro porque ele estava no mesmo ambiente que eu, segundo pensei em algo que poderia ajudar a melhorar a noite do meu querido estagiário.


─ Louis! Venha comigo agora;


[...] ''um momentinho Larry''.


"Harry apreciava tudo aquilo que observava no local, gravando todos os detalhes como sempre fazia; sem querer. Era um hábito que havia desenvolvido ao decorrer dos anos que exercerá sua profissão e isso não o incomodava, mas incomodava os outros então, por vias das dúvidas, tendia a esconder ou evitar observar demais certos lugares que ele sabia que iria vir a trazer problemas."


─ Não diga que a decoração está ruim..


"Ao longe, o homem alto de olhos verdes ouviu uma voz sobressair de trás de si, soando mais fina que o normal, o que o fez virar quase que imediatamente para ver quem estava a falar com ele. Olhos azuis foram as primeiras coisas que ele pode encontrar. Traços finos e cabelos em um topete jogado para o lado completavam o look de Louis; muito bonito."



─ Oh, não, não.. Eu gostei. ─ Styles disse, tentando sorrir ao final da frase. ─ Está tudo impecável, não se preocupe.


─ Não sei, sua cara me mostra o contrário.. ─ Com essa frase, Harry olhou para o menor de maneira confusa, e Louis tratou de se explicar melhor: ─ Está olhando para cada parte da decoração como se fosse um crítico em festas.


"O guarda-costas nada disse, por seus lábios uma risada estranhamente gostosa saiu, sua cabeça negou várias e várias vezes antes dele parar, podendo ver o sorriso divertido de Louis."


─ Hábito, não consigo controlar. ─ Harry confessou, revirando os olhos como se aquilo fosse entediante para ele.


─ Hm.. torna-se um crítico em decorações quando quer? ─ Louis perguntou, sorrindo e sendo acompanhado por Harry. ─ Pode me dizer, por gentileza, senhor crítico, o que tem de errado com _minha_ decoração?


─ Oh, claro, claro. ─ Harry fingiu analisar o local enquanto tentava segurar o sorriso, obtendo sucesso no feito. ─ Acho que.. está faltando cor.


─ Cor? ─ Louis levantou uma sobrancelha.


─ Sim, precisa de cor. Gosto de cor. Cores são legais.. Aliás, sua festa? ─ Harry perguntou, só depois parando para pensar em como aquilo fazia sentindo.


─ Sim. Destino nos encontrarmos aqui, não? Logo quando você furou comigo, curly. ─ Louis disse e Harry apenas suspirou.


"Ele não fazia ideia de que o mundo iria ser tão pequeno ao ponto de encontrar Louis em uma festa que ele nem sabia do que se tratava quando, poucas horas atrás, havia cancelado um evento com Regina para poder acompanhar a dona Emma."


─ Na verdade, eu não sabia que a festa era sua, não recebi o convite. ─ Só nesse momento perceberam que eu ainda os observava com um sorriso no rosto.


─ Harry, eu convidei sim!... é que não tive tempo de dizer exatamente onde era. ─ Me justifico ─ Mas, conversem BASTANTE,... e não me metam no meio, bye.


Sem dar tempo que para que um diálogo começasse, claro, com a minha presença, saio a procura da minha antiga companhia.


" O decorrer da festa foi como qualquer outra tradicional, mas, enquanto Regina ouvia de Zelena o quanto uma morena dos olhos castanhos, alta e com o corpo lindo em um tal vestido, Emma escutava de Ruby o quanto uma ruiva que trajava um terno branco estava chamando sua atenção. Emma como uma ótima amiga, começou a procurar através das pessoas de quem a amiga tanto falava ─ para que pudesse comentar ─ obteve sucesso apenas quando seus olhos encontraram uma bela morena de vermelho, em seus pensamentos mais linda não poderia estar, julgaria até como a A Mais Bela de Todas.''


Louis Tomlinson me surpreendia de diversas formas, sua forma eclética de apreciar as músicas era deliciosa, o samba brasileiro é algo que fascino, não sei dizer mas, minha parte latina sempre grita assim que escuto um pandeiro ou cavaquinho. Assim que escuto as primeiras notas de um samba conhecido, procuro os olhos de Zelena, amávamos qualquer nota que envolvesse dança - E hoje não seria diferente.


─ Ok sis! É a hora, já passamos tempo demais sem dançar então.... faça o favor senhorita. ─ Sua tentativa de engrossar a voz me faz rir, ainda mais quando levanta e me estende a mão.


─ Zel... vamos com calma, mal conhecemos os convidados.─ Totalmente mentira não era, a maioria vieram para ver o Louis.


─ Regina; trate de levantar nesses saltos maravilhosos e mostre a cada convidado seu samba no pé, porque, você quando quer, samba! e muito bem.


Nisso eu daria total razão a Zelena, não só por achar que danço bem, Mas, porque juntas dançavamos divinamente, fazíamos um casal e tanto. As aulas que no colégio eram obrigatórias faziam parte das escolhas dos alunos, enquanto praticava Lap Dance, Zelena dançava Street Dance, e quando possível juntas dançavamos Samba, Zumba e Axé, cada passo que fazíamos nas danças fizeram com que amassemos nossas aulas, e como praticavamos bastante acabamos nos destacando nas turmas.


─ Seremos as únicas dançando?─ Tinham umas pessoas meio acanhadas dançando discretamente.


─ Claro que não; se começarmos com toda certeza essas pessoas com vergonha iram dançar também, vamos Regina!!!


─ Se acalma dançarina da Beyoncé, vamos... vamos sim ─ Samba é bem simples de se dançar para uma mulher, primeiro porque é conduzido pelo homem o tempo todo, segundo porque em momentos na música a mulher samba ao centro e o homem ao redor, sem contar com as paradinhas e improvisos do casal.


" As irmãs Mills começaram com os seus tão conhecidos e decorados passinhos, com o intuito de serem discretas ─ Na verdade era apenas intenção de Regina,pois Zelena esperaria a primeira oportunidade para arrastar a irmã para o centro."


"Regina dançava com o pensamento de que não chamava muito atenção, até porque eram apenas alguns passos, mas; o que pensava era completamente diferente do que realmente acontecia, seu gingado e facilidade de acompanhar os movimentos da irmã, chamaram a atenção de quem elas menos imaginavam, claro que não eram as únicas que sabiam dançar, mas a interação entre elas era de se admirar. Apenas olhando Swan fez uma nota mental de que chamaria uma morena para dançar assim que tomasse coragem."


{....}

" Jogo é um termo que significa gracejo, brincadeira, divertimento e geralmente com a suas consequências acaba gerando um vencedor e um perdedor certo? Dependendo das pessoas presentes dispostas a jogar, quando se perde existe uma consequência ou estou errada?."

''já tarde, quando tinham acabado os dedos dos pés de tanto dançar, Zelena e Regina tomavam um drink enquanto conversavam assuntos aleatórios, Zelena tomava pequenos shots de tequila enquanto Regina apreciava uma margarita leve.''

''Apenas porque estava querendo colocar diversão em sua noite, Swan propôs a Ruby que jogassem uma partida dos jogos, mas sem querer lidar com pessoas que não sabiam jogar pois não tinha paciência para explicar para que servia cada carta.''

─ Mills, poderia me ajudar? ─ Realmente perdi as contas de quantas vezes já me perdi naqueles olhos.

─ Em que precisa da minha ajuda? ─ A formalidade já se fazia presente por mais que eu não quisesse.

─ Já que ficou responsável por convidar as pessoas presentes aqui, creio que conheça os costumes certo?

─ Ah... depende; a maioria são amigos de Louis, não sei se poderia dizer com total certeza o que quer saber.

─ Eu apenas quero saber se conhece duas pessoas boas em jogos; Ruby quer jogar uma partida de cada jogo que tem aqui,e, segundo ela, quer jogar com pessoas que saibam e que não a façam perder tempo.

─ Regina sabe, pode ter certeza, Coloca ela para jogar ─ Zelena diz.

─ Zelena!

─ O que sis? Você sabe jogar.

─ Mas...

─ Agora sem mas senhorita Mills, sabe jogar ou não? Não jogo com pessoas indecisas.

─ Zelena será minha dupla.─ Jamais abriria mão de jogar com a minha irmã, além de tudo agora devo provar que não sou uma pessoa "indecisa".

Nada que fosse fora do normal, nossas jogadas eram cautelosas, até porque não tínhamos criado uma intimidade a ponto de berrar ou jogar a carta longe para o jogador que perdeu pegar. Não que eu tenha gostado de ter notado, Mas Zelena não deixava de desviar certos olhares para a bela morena das mechas vermelhas ao seu lado, com isso eu já tive a certeza de que...

─ Truco!

─ Seis!

─ Nove!

─ Opa! Tem certeza disso Ruby?

─ Emma, não viu o sinal que passei?

─ Não devo ter prestado atenção, desculpe.

Aquela jogada decidiria o jogo, jogamos por tanto tempo que nem percebi quando as pessoas pararam para assistir, quando comecei a beber? Só percebi enquanto Ruby pedia truco e Zelena aceitava, mas algo estava errado, Zelena havia me passado sinal de manilha, mas eu não me recordava de qual.

─ E então?

─ Eu gostaria de mudar um pouco, ganhar de vocês apenas com cartas não seria divertido.─ Abusada, com toda certeza Ruby estava me tirando do sério, culparia a bebida? Claro, mas com toda certeza ela tava abusando. A partida estava empatada ou seja três a três.

─ Tenho certeza que é blefe, mas diga como gostaria de ganhar senhorita....?

─ Ruby, Ruby Luccas, e como devo chama-la?

─ Zelena Mills.

─ Pois bem linda, proponho que se ganharmos, me deve uma dança, já se perdermos você me deve um beijo.

─ Devagar Ruby, acabou de conhecer a senhorita Mills.

─ Nada de formalidade fora do escritório por favor, pode me chamar de Zelena, além disso, não acha que essa proposta beneficia apenas você? E a minha dupla? ─ Só agora reparei que estava no meio, fiquei tão intertida vendo a conversa, que não reparei que também fazia parte.

─ Pois então eu proponho o mesmo a ela. ─ Por incrível que pareça essa fala veio de Emma Swan, além disso, reparei na piscada que Ruby deu a ela.

─ Então desce.

─ Mas, a sua parceira ainda está indecisa, não abriu a boca até agora para dizer alguma coisa.

" A não"

─ Estou de acordo com a Zelena, e também acho que Ruby está blefando.

─ Ousada senhorita Mills, vamo lá loba, é tudo ou nada agora.

Eu sempre deveria prestar mais atenção, primeiro porque ganhamos o truco, porém a aposta que Ruby fez era que se Zelena ganhasse elas se beijariam, mas se perdesse elas apenas iriam dançar, a grande questão é que o jogo era em dupla, ou seja, além de ter sido me proposto a mesma coisa, a medida em que as cartas foram postas na mesa, não tive tempo de pensar direito.

Foi quando eu a senti mais uma vez, doce, delicada mas com aquela pegada em minha nuca e cintura que me deixaram arrepiada, sua língua como da última vez que me lembro,sutil e leve ao passar em meus lábios, mordidas prazerosas assim como chupava minha língua para não perder o contato, pensei em até afasta-la, mas não poderia negar o desejo que tenho nela, com tão pouco tempo mas sendo invasiva e intensa.

Dessa vez, ao invés de sair correndo ela apenas me encarou e esperou minha reação, que foi lhe entregar um sorriso sincero, porque não pude conter minha euforia, eu havia gostado tanto que pude ver quando ela retribuiu em um pequeno sorriso e começou a acariciar minha nuca, e a única coisa que pude fazer para retribuir, e, que tinha certeza que me agradaria também, foi apertar sua cintura e juntar nossos lábios novamente.










Notas Finais


Sumi? Talvez kkk
Os vejo em breve!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...