1. Spirit Fanfics >
  2. Entre Anjos & Demônios - A protegida dos anjos ( NaruHina ) >
  3. Primeira Parte XXVII - Diálogo

História Entre Anjos & Demônios - A protegida dos anjos ( NaruHina ) - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Como prometido voltei, anjosss. Gente, olha eu amei escrever o capitulo e assim o título caiu super bem. Era disso que o nosso casal precisava: diálogo.
Vou responder a todos em breve! Muito obrigado por tudo e por nao desistir da fic.
Boa leitura!!

Capítulo 27 - Primeira Parte XXVII - Diálogo


O diálogo que leva ao amor dá a cada um a vontade de se arriscar, não surge da sedução e do charme, mas da coragem de se apresentar por nossas falhas, feridas e perdas.

***

A caverna estava escura como uma noite sem luar, ouvia-se gritos estridentes de dor. Dentro se encontrava duas criaturas cujo o objetivo de uma era simplesmente ignorar e odiar a pessoa que estava deitada a sua frente gritando de dor. Seu corpo estava todo manchado de preto. O golpe que recebera se assemelhava mais com um veneno.

-- Naruto! - Chamou com a voz alta e continuou: - você precisa voltar para a sua forma anjo ou senão vai morrer. A marca vai consumir o seu corpo e você morrerá -- explicou-lhe Hinata analisando a situação.

Após, ambos dos poderes se chocarem e uma explosão aguda findar e devastar grande parte do local onde estavam. A protegida movida por alguma força que ela desconhecia, se deu a intromissão de pegar o corpo do caçador e se teleportar para o primeiro lugar que veio a mente que consequentemente era a caverna a qual conheceu o híbrido pela a primeira vez. Assim que chegou ao local, tratou de fazer uma marcação que bloqueasse que qualquer ser não os rastrea-se; precisava evitar combate.

-- Ca-cale a... boca... anjinho! -- Pronunciu-se o lado obscuro, com a voz arrastada devido a dor.

-- É para o seu bem…

-- Nao… banque… a piedosa… eu sei que o seu maior desejo é matar-me. Entao, vai em frente e acabe com isso e entregue minha cabeça de bandeja ao seu deus. -- Interrompeu-a de forma grosseira.

-- Você está enganado. Eu…

Foi interrompida novamente por grito alto de dor vindo do caçador. A mancha já cobria o seu abdômen faltava pouco para que o seu corpo se sucumbisse e se tornasse uma pedra.

"Isso não pode esta acontecendo" pensou Hinata

-- Certo. Ja que não consegue voltar sozinho a sua forma normal. Vou tentar reverter a marca -- Disse colocando os dois dedos de sua mão destra no meio da testa dele. -- 45° trigrama: Purificação divina. -- Falou tocando em sua testa.

Quando algum anjo é corrompido pelo ódio ou ate mesmo enfeitiçado era possível extrair essa parte negra de si fazendo-o voltar ao normal.

Uma luz branca tomou conta dos dedos da protegida e o híbrido gritou como nunca havia gritado na sua vida. A dor era insuportável. Maior de que quando foi mutilado no encontro que teve Yugito.

"Esse é o preço que se paga por ter sangue demoníaco em seu dna?" Naruto se perguntou mentalmente antes que tudo ficasse preto em sua mente.

Desmaiou por tamanha dor, podia ver o mesmo babar, mas também, a Hyuuga contemplou que a marca havia regredido ou enfraquecido. Ela tinha conseguido retardar o poder que os soldados celestiais havia conjurado. Porém, ficou fraca também. O cansaço veio a tona e segurou-se para nao ficar inconsciente.

Flash back on

" Crianças, anjinhos fofos da sensei. Antes de iniciar a aula repitam comigo as 3 regras absolutas de Tsukuyomi."

" De novo isso? Não falamos isso na aula de ontem?" Perguntou, uma criança do fundo.

" Shion, você sabe bem que durante todo o primeiro ano vocês devem repetir as 3 regras absolutas para que nunca cometam. Então vamos lá:

1 - Nunca, sobre hipótese alguma devo me relacionar ou ter quaisquer tipo relação com algum ser das trevas ou demoníaco.

2 - Devo ser leal e fiel ao meu senhor e criador Tsukuyomi sobre todas as coisas.

3 - Nunca blasfemar contra Tsukuyomi. Ele sabe de todas as coisas e nunca devo questiona-lo.

Repetiram todos uníssono. "

Flash back off

Se despertou de seu sonho. Nao entendeu muito por qual motivo sonhou de quando ainda era criança. Era mesmo necessário relembrar dessas três regras, que agora conhecendo o segredo de seu deus, as regras não passava de fúteis. Balançou a cabeça e quando abriu os olhos observou o Naruto que ainda permanecia com os olhos fechados. Olhou para trás e fitou o alaranjado do céu anunciando que a noite ja estava próxima.

-- Vamos voltar para o palácio -- pensou alto colocando a mão sobre o peitoral do caçador.

E quando iria voltar para o palácio a mão do loiro segurou-a e a voz rouca dele rompeu o silêncio do ambiente:

-- Não, por favor. Ainda não. Vamos ficar mais um pouco. -- Terminou de falar abrindo os olhos e as reluzentes pupilas azuis estavam ali.

Ela se deu conta que ele havia voltado ao normal parcialmente, pois, seu cabelo ainda estava preto. Era bem provável que havia ficado sequelas do golpe dos solados celestiais.

-- É necessário. Eles podem fazer algum antídoto para que fique bem.

-- Nao é preciso ja estou bem! Mas algumas horas e ja estou novinho em folha -- disse, sentando fazendo um pouco de esforço.

-- Mas, ja que está melhor, ai mesmo que precisamos voltar…

-- Não fuja de mim. Essa é a primeira vez que conversamos desde que foi embora para Elsion e quando retornou novamente. E para ser sincero sinto que tem coisas entre nós que precisam ser esclarecidas. -- argumentou.

-- Não há nada para ser esclarecido…

-- Tem sim! Não se lembra de como éramos antes de recuperar a memória?

-- Aquela nao era eu.

-- Era sim. Era você sem ter que submeter as ordens de Tskuyomi.

A protegida ficou pensativa. Ele não mentiu, aquela era a sua versão de quando não se lembrava de nada. E poderia concordar que tiveram momentos felizes enquanto nao se lembrava de nada.

Naruto a encarava e notou quando ela começou a olhar para o chão procurando alguma resposta.

-- Eu queria voltar aquele tempo novamente. Você era tao inocente e não conhecia quase nada. Agora, voce ainda não perdeu o seu brilho, mas parece mais madura que antes. -- Disse nostálgico, se sentando mais confortável.

-- O que você disse é verdade… não sou mais a mesma. Na noite que voltei para elision você me disse que eu vivia em uma bolha ilusória de Tsukuyomi e isso era verdade. Um dia depois, eu fui confessar meus pecados, é uma tradição dos anjos, e recebemos uma punição mediante a esses pecados. Eu tive que cumprir a minha no pior local de Elision e nesse local pude conhecer a verdadeira face de Tsukuyomi e foi horrível. -- Pronunciou um pouco triste. Não revelaria por qual motivo resolveu deixar o reino.

-- Sinto muito. Quando meus pais morreram eu odiei todas criaturas celestiais e exclusivamente Tsukuyomi. Mas, se deseja saber, em você eu vi algo que eu não vi nos outros anjos os quais me encontrei. Vi compaixão e ternura... a única que eu podia ver claramente a alma... e foi por isso que quis te proteger, alem, óbvio saber o motivo pelo qual resolveu sair do seu reino.

-- Nao foi uma decisão minha eu simplesmente fui jogada na terra.

-- Sim, Susano explicou-me depois.

O silêncio tomou conta do ambiente o assunto havia acabado e nenhum deles tinha outro em mente.

-- Quero pedir uma trégua. Nao quero que fique um clima chato e perturbador entre a gente. O que me diz? -- Perguntou, quebrando o silêncio.

Ela pensou bastante se aceitaria ou nao, mas acabou aceitando. Eles se veriam todos os dias então era melhor pensar numa forma de melhorar o convívio entre eles. O caçador aproveitando a oportunidade de que ela estava dando, em ter um diálogo com ele, resolveu declarar-se não dormiria mais com essa confissão presa na garganta.

-- Quero confessar que desde do dia que te encontrei caída no bosque até o dia que dançamos juntos, eu percebi que estou completamente apaixonado por você, larmen. Eu nao consigo mais renegar a essa paixão e eu tenho certeza que você sente o mesmo por mim.

-- Eu estou com o Genma agora. -- Disse desviando o olhar.

"Ele realmente tocou nesse assunto" pensou surpresa.

-- Mas você nao o ama! Vocês dois parecem forçados! -- Aumentou um pouco a voz.

-- É verdade eu ainda não o amo. Mas eu amava o Toneri e você o matou.

Foi a vez do Naruto ficar surpreso. Nem se lembrava mais desse arcanjo.

-- Ele era um almofadinha…

-- Ainda tem coragem de ironizar! -- Falou, com as voz alterada, interrompendo-o.

-- Perdão. -- Pediu e continuou:-- Naquele dia eu nao sabia nada sobre vocês. E como eu te disse sempre fui motivado a matar arcanjos e anjos. Lutamos e venceu o mais forte. Garanto a você que se ele tivesse a oportunidade de me matar ele teria feito.

-- Sua explicação não fez eu mudar de idéia. Você ainda continua sendo um tabu para mim. Com todas as coisas que me ensinaram eu nao consigo negar o fato de que a gente junto é profano.

-- Você ainda pensa como eles. Quer saber de uma coisa? Eu nao gosto da sua raça e se eu pudesse me abdicar dessa parte minha eu retirava. -- Disse se levantando com dificuldade. -- Vamos embora… eu me dei conta que não vamos ficar junto.

A protegida também ficou de pé.

-- E como você pode pensar nisso? O exemplo dos seus pais não foi bom o bastante? Você acha que quero viver escondida? Nunca poder ter filho porque senao podem serem mortos a qualquer momento. Que tipo de vida feliz nós teríamos?

-- Eu os protegeria Hinata! Que se dane essa regra tola. Nunca deveria ter existido. E se Tsukuyomi ousar toca num fio de cabelo seu eu mato-o com as minhas próprias mãos. Isso é uma promessa. Bem antes de conhecer eu ja pretendia mata-lo. Então, esqueça essa regra. Se você sente o mesmo por quê não se permite?

Outro fato comum entre Hinata e Naruto era que ambos tinha uma vontade enorme de destruir o deus falso Tsukuyomi.

-- Eu não sei o que dizer. -- Disse a ele, virando de costas.

-- Então pense e eu espero que não demore muito. O tempo passar Hinata e eu nao vou te esperar para sempre.

-- Como tem coragem de dizer isso mesmo estando com a Sara? -- Perguntou, virando de frente para ele novamente. Tinha um certo tom elevado na pergunta.

-- Eu e a Sara não sei o que somos. Eu nao a amo mais, e ela não aceita. E para te esquecer decidir retornar com ela. Mas estou disposto a romper novamente se você me aceitar... eu também estou forçando uma coisa que nao existe.

-- Acho melhor voltarmos… -- cortou o assunto. Sentia-se que estava ficando embaraçoso.

-- Se eu te pedir para ficarmos desaparecido por mais 2 dias. Você aceitaria? -- Pediu, perguntando um tanto manhoso.

Ele nao queria voltar tão cedo para o palácio. Era a primeira vez que os dois ficavam a sós e ele queria um pouco mais de tempo.

-- Por que você quer ficar aqui mais dois dias?

-- Estou cansado da rotina que estamos vivendo. A maldição das bruxas está acabando com a terra. Treinos árduos e cansativos. Sem diversão. Quero fugir um pouco disso.

-- Um dia. Posso ficar aqui com você por mais um dia.

-- Por que não dois? -- Perguntou

-- Oras.. o que íamos comer? E dormir aqui é nada confortável.

-- Hahaha - deixou escapar um risada. Somente ela poderia despertar isso nele. Recompôs e pronunciou: - Bom, sabemos que tem uma cachoeira aqui perto e enquanto a dormir acho que esta acostumada. Se bem me lembro você passou quase uma semana so dormindo aqui. Nunca vi uma pessoa dormir tanto igual a você...

A protegida não viu motivos para nao aceitar. Por mais que já conhecesse o lado bondoso dele, ela queria mais que nunca, mesmo nao admitindo essa parte, passar um tempo com ele. Como ele mesmo mencionou fugir um pouco da rotina não cairia mal. Quando a conversa chegou ao fim, ele ficaram se encarando. A noite tinha chegado, porém, para a infelicidade dos seres, a lua nao veio contigo, era uma noite sem luar. Por sorte havia galhos dentro da caverna, talvez alguma outa criatura já tinha passado a noite ali antes. Naruto fez as honras em acender e aquecer o local e ilumina-lo. Mas, uma coisa que incomodava ambos era o silêncio. Eles estavam bem comunicativos quando vieram so que agora eles apenas fitava o fogo queimar a lenha.

-- Sabe do que eu lembrei, larmen? -- perguntou ele e ela o olhou como quem não sabia. -- Do nosso ensaio no reino do meu avô, de quando caímos e ali nos beijamos pela a primeira vez….

Ela se deu ao luxo de relembrar. Lembrou-se de como foi mágico e único.

-- Acho que você é o único que ainda me chama de larmem... e sobre a sua lembrança há algum motivo em especial? -- Perguntou um tanto enrubescida.

-- Não consigo te chamar pelo seu nome, mas se quiser que eu paro eu posso me esforçar. E quanto a lembrança ela simplesmente veio a minha mente quando fui acender a fogueira.

-- Não me importo que me chame assim, acho um pouco estranho para ser sincera.

-- Mas é fofo e original. Ainda, se me dê a sua permissão, quando tudo isso acabar posso te levar no melhor restaurante para você experimentar essa maravilhosa comida a qual te apelidei.

-- Bom, como nunca comi não vejo mal nisso ne? -- Perguntou e ele assentiu.

Continuaram conversando e perceberam o quanto tinha muitas coisas em comum. Até que a fome venceu os dois, como lutaram hoje cedo, eles precisavam comer algo. Ambos foram até a cachoeira e o híbrido demonstrou ser um excelente caçador, mesmo sabendo quê os 5 peixes que pegou nao saciaria a sua fome. Outro bom motivo era que a essa hora da noite Sakura não estava mais utilizando o feitiço para localiza-los. Fritaram os peixes e o híbrido comeu 4 estava faminto e sim ele ja havia tramado que de madrugada ele levantaria e caçaria um outro animal.

O sono veio e eles adormeceram ao lado da fogueira para assim conseguissem dormirem aquecidos.

No dia seguinte, o anjo acordou primeiro que o caçador, devido a luz forte do sol grande parte da caverna estava iluminada. Ela se deu ao luxo de fita-lo enquanto dormia. E la estava ela perdida no pedaço de mal caminho, reparou também que o seu cabelo não havia voltado para o loiro, permanecia escuro como o dela mesmo.

" Onde fui me meter? " perguntou a si mesma.

Essa dúvida a assombrava desde do dia que recuperou sua memoria. Seria correto se entregar a paixão que sentia pelo o caçador mais procurado e temido de elision? Eles seriam felizes?

Em constante pensamentos sobre se deveria ou não ceder ao calor do seu coração, a morena nao viu o tempo passar e inerte aos devaneios nao percebeu quando ele acordou um pouco sonolento.

-- Bom dia, princesa -- Desejou, se sentando após ve-la sentada encarando a entrada da caverna.

-- Ah! -- Foi tirada do transe, após ouvir a voz dele -- Bom dia!.

-- Acordou cedo. Nao conseguiu dormir? -- Perguntou, interessado.

-- Conseguir sim. Dormir até bem.

-- Isso é bom. Podemos ficar mais 1 semana aqui então? -- Brincou ele.

E recebeu um olhar de surpresa vindo da parte dela.

-- Nao pode está falando sério.

-- Nao estou. -- riu -- Não precisa se assustar. O que acha de darmos uma volta. Eu conheço bem a área e tem um lugar que tenho quase certeza que irá gostar. -- Propôs e ela aceitou.

O local que ele a levou era uma área verdejante e rica em flores tinha todos os tipos. Porém, a que predominava a área eram as flores de margarida. O caçador arrancou uma e entregou para a sua acompanhante.

-- Uma flor para outra flor -- disse a entregando.

Ela aceitou de bom grado com um sorriso sincero nos lábios.

-- Me fez recordar da vez que ganhei um buquê cheio dessa flor -- disse cheirando-a e se deliciando com o aroma.

-- Você se refere do buquê e do cartão que deixei em seu quarto? -- Perguntou, curioso.

Nunca soube se ela havia gostado ou não.

Após ouvir a pergunta do híbrido uma nuvem de confusão instalou-se na mente dela.

-- Quando você fez isso? -- Devolveu a pergunta.

-- Oras, um dia depois da luta contra as bruxas. Encontrei você triste no terraço do palácio, então, fui até o jardim, fiz um buquê de margaridas, te escrevi um bilhete e deixei tudo em cima da sua cama. -- Respondeu-a.

-- Então foi você? -- Perguntou, retoricamente, fitando a flor em sua mão e recordando do dia.

-- Sim.

-- O que estava escrito no bilhete? - Perguntou para ter certeza.

"Genma realmente havia mentido?" Perguntou-se mentalmente.

-- Você é mais forte do que pensa e será mais feliz do que imagina. -- Respondeu e ela ficou surpresa novamente - Lembrei porque fiquei um tempinho matutando o que eu escreveria. -- emendou, explicando.

-- Genma, disse que havia sido ele. Depois que encontrei o buquê e o cartão, ele adentrou no quarto com outro buquê. Eu perguntei a ele se tinha sido ele que deixou as margaridas e respondeu-me que sim.

Naruto acabou enfurecendo-se e nunca odiou tanto não ter escrito o seu nome no bilhete.

-- Aquele mensageiro filho da p*! Ainda mato ele um dia -- enfureceu-se -- Viu larmen, ele mentiu para conquista-la, ele não te merece. -- aproximou-se dela ficando centímetros longe -- Era para eu ter ganhado os créditos.

-- Eu nao tinha como saber. -- argumentou olhando fundo em seus olhos.

-- Ainda tem dúvidas sobre o quanto eu te amo?

-- Não... -- Respondeu. Sua respiração já tinha ficado um pouco acelerada.

-- Então, por quê não rompemos os nossos atuais relacionamentos e vivemos a nossa historia de amor? -- Perguntou acariciando a bochecha esquerda do seu rosto.

Ela não sabia o que responder. E para ser sincera a si mesma, olhando fundo nas pupilas do seu caçador, ela queria muito aceitar e confrontar o seu destino.

-- Eu… eu aceito. Nao consigo mais ficar longe de você e é você que me aquece Naruto. -- Respondeu a ele.

O híbrido não se aguentou e um beijo avassalador selou o encontro deles. Bem ali, no meio da área florida e extensa.

Quando cessaram o beijo ambos decidiram retornar ao palácio, queriam avisar a todos, mas também precisaria terminar o relacionamento repentino que eles estavam.

-- Vejo que você não perde tempo mesmo, Naruto. -- Uma voz feminina surprendeu-os, forçando eles a ficarem de frente para ela e o Naruto foi o único capaz de reconhecer a moça a sua frente.

-- Tayuya? -- Perguntou retórico -- Como tem coragem de aparecer aqui depois de ter nos enganados?

-- Quem é ela? -- Perguntou, Hinata.

-- Uma das bruxas que lançou a maldição na terra.

-- Que forma mais informal de me apresentar Naru. Pensei que fossemos mais íntimos. -- Percebeu a cara de confusão da protegida. -- Respondendo a sua pergunta anjo. Sou sim, uma das bruxas que amaldiçoou o reino dos humanos e que também lançou um feitiço no caçador na fez que ficamos juntos. Aliás, deixando a formalidade de lado, que "noite" não é Naruto? -- Perguntou enfatizando a noite, dando a entender que teve mais coisas além de beijos.

-- Naruto… -- Hinata divagou.

Ela realmente conhecia ele?

-- Hina nao dê ouvidos a ela, isso foi antes de você chegar. Você tinha ido embora com ódio de mim e eu pensei que nunca mais ia te ver. Tente entender. Eu nao tenho nada a ver com ela, foi apenas calor do momento e ela aproveitou para me enfeitiçar. -- Explicou-se.

-- Deixarei que se entendem. Vim apenas da boas vindas, ja que minha irmã previu o lugar que vocês estavam. Logo mais nos encontraremos naru… -- Desapareceu, deixando Naruto e Hinata um pouco desconcertados.

-- Você precisa acreditar em mim, larmen. Quero que você saiba que não penso em outra pessoa além de você. Só você me interessa.

A protegida não conseguiu desfaçar o ciúmes que estava sentindo. Por ser belo, intrigante, galanteador e extremamente atraente com certeza ele cativava qualquer ser que o visse. Mas, por quê ele tinha que ficar com todas as mulheres que atravessavam o seu caminho?

-- Eu… Eu entendo, não tínhamos nada. E nao tenho direito de te culpar por isso. Mas, espero… não, eu quero ser a última e o seu último amor. -- Pronunciou-se, encarando-o e recebeu dele o sorriso mais lindo que já viu.

-- E você é. Quero construir o meu futuro com você Hinata! Só com você. E quando acabarmos com Tsukuyomi e desfazer essa lei que impede que a gente seja feliz, vamos ter uma família enorme. E vamos poder ver os nossos filhos crescendo. -- Declarou-se a ela.

E um beijo casto finalizou o diálogo e resolveram voltar para o palácio antes do previsto. Mas, o destino, ou talvez, uma certa ruiva obrigariam eles se afastarem.

-- Já estávamos indo atrás de vocês assim que conseguimos localiza-los. Por onde andaram? -- Perguntou, Sakura, assim que viram eles entrarem.

-- Então, quando acabou a luta eu fiquei muito ferido. A Hinata me levou para um lugar seguro e cuidou dos meus ferimentos. -- O caçador resolveu responder.

-- E por quê não trouxe ele para o palácio? -- Sara que também estava ali perguntou um tanto alterada.

Ela ja estava desde quando descobriu que os dois estavam juntos.

-- Eu- Eu não pensei na hora. Eu simplesmente fui para o primeiro lugar que veio a minha mente. -- Respondeu a protegida.

-- E não foi nada demais passamos uma noite fora. E estamos bem. Não precisam se preocupar.

-- Na atual situação que nos encontramos uma noite longe pode dizer várias coisas. Ainda mais, sabendo que a Hinata está sendo procurada por qualquer tipo de criatura. -- Interviu Susano'o que havia acabado de chegar, ouvindo somente o final da conversa. -- Vamos a minha sala quero conversar com vocês dois em particular.

O casal seguiu-o ate a sua sala.

-- Peço que não façam mais isso. Sumir sem da sinal de vida. Não estamos em tempos de passear por ai. E quero enfatizar com você Hinata você sabe que Tsukuyomi está atrás especificamente de você.

-- Eu sei disso. Mas nao vou me casar com ele.

-- O quê? Como assim casar? -- Perguntou Naruto estupefato.

-- Ele quer tomar a Hinata como esposa. -- Respondeu, o deus lendário.

-- Mais um motivo para eu exterminar ele do universo. -- esbravejou Naruto.

-- Calma, Naruto! Eu não vou me casar com ele, nunca, não depois de conhecer ele de verdade. -- Disse Hinata.

-- Por quê ainda está na sua forma " demonio " Naruto? -- Perguntou, Susano-o analisando-o e mudando de assunto.

-- Eu não estou. Sobre o meu cabelo, geralmente ele volta a cor natural assim que retorno ao normal. Mas, ele nao quer voltar, acho que a minha última luta me chocou muito. -- Respondeu-o, um pouco nostálgico tentava não aprofundar muito em sua memória porque poderia ser que seu lado ruim despertasse novamente.

-- Ele não conseguia voltar ao normal por se só. Entao, eu fiz uma purificação com ele. Nós, anjos Hyuugas, podemos utilizar um poder milenar que é passado de geração a geração. Com isso, ele voltou ao normal parcialmente.

-- Entendo. -- Falou susano'o pensativo.

Ficaram mais algum tempo conversando, o saberano tambem comentou que pediria para a anciã do Palácio examinar o Naruto e que perguntaria a Sakura se ela conseguiria fazer algum antídoto. Em seguida, foram liberados para que pudesse descansar. Os dois combinaram de terminar o relacionamento atual que estavam e que no pôr do sol se encontrariam para oficializar o namoro.

A protegida após se despedir do loiro foi banhar, sentia a necessidade de tirar toda a sujeira do corpo. E, logo após, procurou o mensageiro para lhe da a notícia de que não podia mais continuar juntos. Encontrou-o no salão de jogos do Palácio, era um ambiente específico para as criaturas que utilizasse magia. Chamou-o para o canto e ele a acompanhou e deu um selinho nela que acabou se incomodando.

-- Quando soube que você chegou queria ir logo te ver, mas acabei ficando preso aqui nos treinos. Mas, me conta onde esteve? Você está bem?

-- Sim, estou. Mas vim aqui te falar outra coisa. -- Respondeu a ele.

-- O que? Pode me contar tudo meu anjo.

-- Percebi que não vamos da certo. Então, acho melhor romper do que persistir numa coisa que nao vai ser bom para nós. -- resolveu, contar sem dar alguma desculpa.

O mensageiro absorveu cada palavra dita pelo anjo e tentou entender o motivo pelo qual ela queria terminar com ele. Eles nao tinham nem um mês juntos.

-- Mas, só tem uma semana que estamos juntos. Não tem como saber se vamos dá certo ou não. -- Justificou-se, e poderia dizer que era uma justificativa plausível.

-- Eu sei, mas… eu não sinto o mesmo por você Genma. Eu não sou apaixonada por você. Eu sinto muito desde o início eu deveria ser franca com você. -- Disse a ele.

-- Você pode se apaixonar por mim. Precisamos de mais tempo.

-- Não é assim que o amor funciona. Então, vamos romper agora para nao ser exaustivo no futuro. -- Disse a ele, saindo do local, o deixando sozinho.

Alguns curiosos observaram de camarote o rompimento do casal, inclusive os integrantes que utilizava magia do grupo principal da Ordem dos assassinos.

Alívio. Essa seria a palavra perfeita para descrever o que Hinata estava sentindo. Ela se livrou de uma peso, ela nao o amava, estava com ele para seguir em frente e esquecer o caçador, o que era quase impossível. E agora que se convenceu que é com ele que quer viver a vida dela, nao queria que nada o impedisse. Era o que ela pensava no momento que caminhava para o seu quarto para contar as amigas que fugiram com ela do reino elision.

Contudo, o que ela não imaginava, que por irresponsabilidade vinda do híbrido; eles não poderiam ficar juntos. Nao porque ela nao queria, mas porque, era impossível no momento.

O pôr do sol estava esplêndido nessa tarde e tudo se encaminhava por um encontro perfeito.

"O universo realmente quer a gente juntos?" Pensou a protegida. Observando e se deliciando com aquele fim de tarde esplendoroso.

O caçador vinha logo atrás um pouco triste. Quando foi avisar a sua atual namorada, se podia se referir a ela dessa maneira ele nao sabia apenas sabia que estava com ela, antes mesmo que ele falasse alguma coisa, a demônio anunciou a sua gravidez. Sorridente, alegre e felizarda, porém, para o caçador não era motivo algum comemorar da mesma forma que ela, ele amava crianças, mas não era com a Sara que queria iniciar a sua família. Tinha ido terminar com ela, mas não tinha como, ele nao podia deixá-la esperando um filho seu. Que tipo de imagem ele se mostraria para a sociedade? Se ele teve a irresponsabilidade em deitar com ela aquela noite deveria assumir a responsabilidade que tinha sobre aquela criança que estava para nascer. Era no que acreditava.

Aproximou-se da garota que ate então nao tinha notada a presença dele.

-- Naruto! - chamou feliz abraçando-o forte, mas ele retribuiu o abraço triste. -- Está tudo certo, eu rompi com Genma estou livre. -- Avisou-o.

-- Hina tenho algo para te contar -- Disse a ela triste e ela percebeu.

-- O que houve?

-- Eu fui um tolo.

-- Não entendi.

-- Descobrir que a Sara está grávida, esperando um filho meu. -- A explicou.

Ela processou as palavras, mas não sabia o que falar.

-- Não posso deixa-la. Não até a criança nascer. Eu preciso assumir essa responsabilidade.

-- Na-naruto…. -- Divagou - Pensei que viveríamos a nossa historia de amor. Mas acho que o universo não quer a gente junto.

-- Eu sinto muito, larmen.

A noite findou e a protegida resolveu ir para o seu quarto sem descer para o jantar, nao se sentia bem para se alimentar e muito menos encarar Sara. O híbrido também estava perdido na imensidão dos seus pensamentos.

Agora ele seria pai. Quando ele e a demônio estavam juntos tentaram várias vezes ter um filho, mas nunca conseguiram. E agora que ambos transaram uma única vez, eles conseguiram o que tanto sonhavam, quando eram um casal feliz.

Um outro casal da seita que estavam se formando resolveu da uma volta pelo palácio, eles ainda nao tinham oficializado, porém, pretendiam o quanto antes, andavam pelo jardim admirando se a noite sem luar.

-- Ino, não podemos mais nos esconder. Quero falar para todos que te amo. -- Confessou.

-- Eu também Gaara. Mas tenho medo de ficar mal falada.

-- Você não deveria. Você é mulher independente e toma as próprias decisões. Nao podemos privar a nossa felicidade por causa de terceiros.

-- Ah Gaara… - suspirou rendida, beijando-o.

-- Que belo amigo você é Gaara! So foi uma oportunidade para você aproveitar não é mesmo? -- Perguntou, surpreendendo os dois, que pararam de se beijar.

-- Sai? -- Falou o ruivo surpreendido.

O vampiro estava mais alterado do que nunca.

Continua...


Notas Finais


Entao...? Fez sentido? Gostaram? Sim gente, quando eles finalmente se entendem aparece a Sara mentindo e separando nosso casal. Aaaaaaaaa aguente mais um pouco minna logo tudo se ajeita. O proximo sera Gaaino vou aprofundar no triângulo amoroso.
Nao deixe de comentar. Amo os seus comentários! Ate o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...