1. Spirit Fanfics >
  2. Entre anjos e demônios >
  3. 2T O apocalipse; Cap15: Eu te amo.

História Entre anjos e demônios - Capítulo 41


Escrita por:


Notas do Autor


Cap ESTRALANDO CHUPETINHA
💞💞💞💞💞💞💞💞💞💞💞
Sorry pelos erros ortográficos eu sou falho e tenho preguiça de corrigir.

Capítulo 41 - 2T O apocalipse; Cap15: Eu te amo.


Fanfic / Fanfiction Entre anjos e demônios - Capítulo 41 - 2T O apocalipse; Cap15: Eu te amo.

Entre anjos e demônios

Entre o bem e o mal

Para uns é o início do inferno

Para outros é o final

“Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal.”

                                   Friedrich Nietzsche

Jungkook pov. On

Estava frio. Estava escuro. Não me lembro. Não consigo me lembrar. Não sei do que me esqueci. Me sinto congelando. Me sinto triste. Me sinto sozinho. Eu não entendo. Quem? Quem eu sou? Não me lembro. Onde estou? Estou morto?

Me encolho mais, cada vez mais tentando fugir do frio, um frio interno, um frio carregado de sensações ruins, senti algo se agarrar mais a mim, era gelado e triste, me sufocando, deixando meu corpo mais pesado e cansado. Depressão. Eu me sentia oprimido, abandonado e eu nem se quer sei o porquê. Queria me lembrar, sinto que estou esquecendo de algo importante, talvez alguém importante, alguém que eu amava... alguém que ainda devo amar, por que não me lembro? Talvez não tenha ninguém, nem algo importante, talvez eu apenas esteja tentando arrumar um motivo para a vida valer a pena. Vida. Estou vivo? Estou sonhando? Talvez seja um coma, mas não me importo, tenho certeza que estarei sozinho, aqui ou em qualquer lugar.

“Jungkook!”

Essa voz! Essa voz... pertence a quem quero me lembrar...

“Jungkook!”

Esse é o meu nome? Mais uma vez... chame por mim só mais uma vez.

“Jungkook, por favor!”

-Jimin! -Gritei.

Jimin pov. On

-Como assim bebês para salvar?? -Perguntou Khannã.

-Oras pois, Jungkook, Yoongi e Yuri. -Respondeu o bruxo.

-Quem é Yuri? -Perguntou Namjoon.

-A bebê do Jimin. -Respondeu Jin.

-É verdade! Eu não tinha reparado ainda que sua barrigona enorme sumiu. -Diz Hoseok. -Alias, o que aconteceu com ela?

-Foi roubada por Eva. -Diz Hector. -Vocês se lembram de quando me viram ser atacado e joguei a bússola pra vocês? -Namjoon e Hoseok assentiram. -Naquele dia ela me levou para algum lugar por trás do véu e me fez fazer o parto do Jimin, foi nesse dia que ela roubou a criança e vimos Jimmy morto no calabouço.

-Jimmy está morto? -Perguntaram em uníssono Hoseok e Namjoon espantados.

-Infelizmente sim. -Diz Jin entristecido. Eu desvio o olhar, meus olhos já lacrimejavam de angustia, saudade e culpa. 

-Sinto muito Jiminie. -Diz meu irmão me abraçando de lado.

-Meus pêsames filho. -Diz Namjoon também me abraçando de lado depositando um beijo em minha cabeça.

-Minha conexão com Jungkook está ficando mais fraca, isso significa que o tempo está acabando. -Diz Khannã.

Eu não sei pro que, mas eu estava me sentindo incomodado com a presença de Khannã, eu sei que ela é apenas uma garota de no máximo uns 15 anos, mas ao saber da tal conexão dela com Jungkook, não sei, acho que me senti ameaçado.

-Certo, devemos continuar mas  e então, vocês trouxeram? -Perguntou o bruxo.

-Trouxemos o que? -Perguntou Hoseok.

-A flor! -Diz Hector impaciente.

-Como você... -Namjoon disse confuso.

-Anda, me dá a flor e minha bússola de volta. -O bruxo parecia realmente impaciente. Acho que ele está sempre um passo a nossa frente

Namjoon entregou a flor, era amarela e brilhava, era realmente estranho ver algo vivo depois de tudo, o caçador, pai de Yoongi, entregou a bússola.

-Nós vimos a Mãe Natureza. -Diz Hoseok olhando para mim. -Ela morreu. Eu sinto muito Jimin.

Eu fiquei em choque, depois fiquei muito triste. Quando eu ia parar de perder as pessoas que amo? Acho que no fundo eu já sabia que algo ruim tinha acontecido à ela ao olhar o estado da natureza mas ainda não tinha caído a ficha.

-Bom... temos que ir agora. -Diz o bruxo tentando aliviar a tensão.

Começamos a seguir Hector por aquele ambiente assustador, eu estava atordoado, perdido, triste, desnorteado , confuso. Meu coração batia fraco, eu queria desistir, queria voltar para casa, me enterrar de baixo das minhas cobertas e chorar, chorar até morrer. Quem eu quero enganar? Eu não sou capaz de fazer isso, eu não posso ajudar Jungkook, não pude salvar Jimmy, minha mãe chamou por mim e eu não fui ajuda-la e agora ela está morta, então por que com Yuri seria diferente? Eu não sou capaz de salvar ninguém. Parei de andar, os outros perceberam e olharam pra mim.

-O que foi Jimin? Está se sentindo bem? -Seokjin perguntou e eu disparei a chorar, rapidamente ele correu para me abraçar, seguido de Hoseok e Namjoon. -Não chore meu bem. Vai ficar tudo bem.

-Eu não posso Jin... não posso continuar -Comecei a soluçar. -Eu não vou conseguir salvar Yuri, eu não posso ajudar Jungkook, não ajudei minha mãe, não salvei Jimmy. Eu sou incapaz de fazer isso.

-Não diga isso Jimin! -Diz Hoseok. -Foi você quem salvou a humanidade, foi você quem acabou com a guerra entre anjos e demônios. Você salvou todos nós, graças a você pessoas hoje estão vivendo suas vidas felizes.

-Sim, todos menos os que amo. -Falei com os olhos ainda transbordando.

-Não importa se deu errado. -Diz Namjoon. -O que importa é que você deu seu melhor por eles e você tem que dar seu melhor agora por sua filha.

Namjoon estava certo, eu precisava ao menos tentar, me esforçar para tê-la de volta. Respirei fundo e então continuei a caminhar, eu irie salva-la mesmo se for a última coisa que farei na minha vida. Hector nos guiou por toda a trajetória, o chão era rochoso e traiçoeiro, as vezes se partia do nada, quase caímos algumas vezes e Hoseok chegou a cair mas voou de volta, foi ai que vi que suas asas haviam voltado, fiquei confuso e perguntei como e ele respondeu que não fazia ideia, que elas simplesmente haviam voado até ele, não sabia de onde elas vieram mas estava feliz por tê-las de volta, fiquei feliz por meu irmão. A lua mudava de posição mas nunca ia embora, Hector disse que lá era constantemente noite, ouvimos barulhos que pareciam de coruja mas o caçador nos disse para não nos enganarmos pois segundo ele, existiam criaturas que assemelhavam-se as normais da Terra mas que viravam feras horrendas e sinistras.

Passávamos agora por uma espécie de gruta, nossos passos ecoavam, as gotas de o que julguei ser água, caiam deixando o ambiente com aura mais húmida e fria, eu não conseguia enxergar quase nada, por isso segurei firme no braço de Namjoon para me guiar e não por que eu estava me borrando de medo do escuro. Quando chegamos ao fim da gruta pude ver uma vasta floresta seca e logo atrás dela um castelo daqueles de filme de terror. Engoli em seco segurando mais firme ainda o braço do alfa, adentramos a floresta de galhos altos e secos, elas pareciam estar nos observando, espreitando e aguardando o memento certo para nos engolir. Eu jurei ter ouvido o estralo de um galho se mexendo, tentei ignorar segurando mais firme em Namjoon.

-Jimin se você continuar assim vai acabar se fundindo a mim. -Diz o alfa. -Você também Jin.

Só depois que ele disse que reparei que Jin também estava segurando o braço dele do outro lado da mesma forma que eu. Não me abalei pela fala de Namjoon e nem Jin pelo visto, então continuamos a segurar forte seu braço, ele que lute.

-Cuidado! -Hector gritou mas já era tarde de mais.

As árvores se mexeram fazendo com que nos separássemos, bati as costas em uma árvore e tentei desviar da outra o que resultou em eu cair e sair rolando um pequeno morro abaixo, vi as árvores criarem braços prendendo cada um em um canto, nos pegaram de surpresa, desprevenidos, eu era o único que estava solto.

-Vá Jimin, te alcançamos depois. -Diz o bruxo.

-Você está louco em mandar meu filho sozinho para lá? -Esbraveja o ômega.

Olhei pra trás de mim, pude ver o enorme e sombrio castelo bem perto, comecei a caminhar em direção a ele mesmo morrendo de medo, ignorando os chamados de Jin e Hoseok me mandando voltar. Caminhei alguns metros até chegar perto o suficiente para entrar por onde seria uma espécie de esgoto, atravessei as barras de ferro com muita facilidade, caminhei por aquela água verde musgo fazendo uma careta, o cheiro era horrível, tinha diversos túneis, tão fundos e escuros que não dava para ver o final, eu não sabia por qual seguir. Resolvi seguir o túnel da esquerda confiando em meus instintos, era sinistro, eu olhava e parecia não ter fim, acho que perdi a noção do tempo, não fazia ideia de quanto tempo havia se passado, só sei que caminhei até minhas pernas doerem e nenhuma luz era vista, pensei em voltar mas quando olhei para trás percebi que o caminho havia mudado, agora era uma estação de metrô? E quando olhei para frente tinha mudado também.

-Estranho... -Bati em minha testa. -Por que eu disse isso? É a típica frase de um personagem em um filme de terror minutos antes de morrer. Isso aqui é praticamente outro mundo, claro que coisas estranhas acontecem.

O caminho agora era uma espécie de corredor cheio de portas marrons, as paredes tinham cores claras, as luzes no teto piscavam e alguns insetos voavam ao redor da lâmpada, comecei a caminhar lentamente, me borrando de medo. A cada passo que eu dava manchas negras iam surgindo nas paredes, tentei ignorar e ter coragem para continuar, no fim do corredor tinha uma escada, não dava pra ver o segundo andar já que tinha uma curva nessa escada que dava de frente a uma parede, subi  as escadarias me apoiando na parede escutei o barulho de madeira se partindo, olhei para trás e percebi que o corredor que eu havia passado estava agora podre, cheio de lodo e água, as manchas negras haviam dominado as paredes. Eu estava com muito medo mas precisava continuar, precisava encontrar Yuri, escutei o barulho de uma cadeira de balanço, fui andando no corredor do segundo andar que parecia mais sinistro e assustador do que o primeiro, segui o som até um quarto, tinha um berço negro lá, feito de ossos e crânios de pessoas ou sei lá, segui até o berço na esperança de ver meu bebê mas ele estava vazio, foi então que o barulho da cadeira de balanço se repetiu, estava mais auto, olhei em direção a origem do som e pude ver, Eva estava de costas, sentada nele, balançando algo no colo, pelos barulhinhos de bebê supus ser Yuri.

-Sabe o que é interessante Jimin? -Perguntou a mulher e eu gelei. -Ela não abre os olhos, dês de que nasceu não abriu os olhos ainda, você quer pegar?

Ela se levantou ficando de frente para mim, sua cara estava sinistra, rachada e cheia de manchas negras, seus olhos estavam completamente pretos. Me aproximei dela cautelosamente e quando cheguei perto o suficiente ela me entregou minha filha, ela era linda, tinha as bochechas rosadas e gordinhas como as minhas, nariz pequeno como o meu, mas seus cabelos eram como o de Jungkook, negros mais negros do que a noite, suas mãos eram tão pequenas o bonitinhas, eu estava encantado.

-Ela é bonita não é? Vamos fale com ela... -Me incentivou Eva. Eu não sei o que ela estava tramando só sei que não parecia bom, mas eu estava tão distraído com a pequena em meus braços.

-Oi meu amor... é o omma, você pode me ouvir Yuri? Abra os olhos pro omma, por favor?

E esse foi o momento mais mágico da minha vida, ela abriu os olhos revelando orbes vermelhas como sangue, ela tinha uma expressão séria e parecia me observar atentamente apertando meu dedo com sua mão pequenininha.

-Interessante... -Diz Eva. E então foi tudo muito rápido, ela tomou Yuri de meus braços e uma magia verde agarrou o meu corpo, era um homem que eu nunca havia visto em toda minha vida, espera, talvez tenha visto, seria... o porteiro do antigo prédio de Jungkook? -Eu sabia que não devia ter te matado naquele dia, você será muito útil pra mim.

-Me solta! -Esbravejei. Eu fui muito burro, ela só queria que eu fizesse Yuri abrir os olhos.

Fui arrastado até uma espécie de calabouço ou sei lá, bati na porta gritando para me deixarem sair, em vão já que só me ignoraram e me deixaram sozinho ali, ouvi uma espécie de rosnado e estremeci, me virei lentamente  esperando encontrar uma fera mas o que encontrei foi bem pio, Jungkook em forma de demônio. Seus chifres estavam enormes e faziam uma curva para fora, em sua testa haviam dois chifres menores, suas asas negras estavam meio abertas, suas garras enormes e presas afiadas estavam a mostra, ameaçadoras, mas a parte mais triste eram seus olhos que estavam totalmente negros e sem vida.

-Que ironia do destino, irei morrer nas mãos do amor da minha vida.

-Não ainda Jimin! – A dona da voz entrou arrombando a porta, era Khannã em forma de seu tigre azul, era realmente linda.

Quando Jungkook ia me atacar ela pulou em cima dele e o prendeu com uma magia azul, ele relutou e tentou se soltar como uma fera mas estava totalmente dominado.

-É agora Jimin! -Diz a garota.

-Agora o que? -Perguntei incerto e desesperado.

-Vamos entrar na mente dele e salva-lo, eu já ajudei Yoongi, por isso demoramos, levou um tempo para nos livrarmos das árvores mas Hector fez uma magia e conseguimos sair, entramos aqui, encontramos Yoongi, eu demorei para descobrir o que fazer mas no fim deu certo, eles estão agora mesmo tentando salvar Yuri e outros demônios ae, acho que é Mark e Jackson os nomes. Não temos tempo.

Khannã recitou algumas palavras, seus olhos ficaram azuis como o céu e foi ai que tudo ficou escuro. Me levantei meio confuso, quando eu havia me deitado? Tinha água no chão e o resto era apenas escuridão, caminhei sem direção pela água, até que ouvi um barulho de algo se mexendo na água, algo que não era eu, parecia algo se arrastando. Segui o som até sua origem, eram gosminhas negras, elas estavam se arrastando até um pequeno monte onde estava aglomerado um monte delas que se tornaram uma só.

“Jungkook está lá.”

-Khannã? -Perguntei assustado, a voz dela ecoava pelo espaço. -Onde estou?

“Na mente de Jungkook, você precisa tira-lo de lá antes que o outro acorde, eu o pus para dormir mas não vai durar por muito tempo.”

-Como eu o tiro de lá?

“Chame por ele, bem de perto, mas tome cuidado para a gosma não tocar em você, ou ficará preso como ele.”

-Jungkook! -Chamei por ele enquanto me aproximava. Não obtive resposta. -Vamos amor, acorde. -Continuo tudo como estava. -Eu preciso de você, por favor acorde. Não está funcionado! -Disse para Khannã.

“Continue tentando” ela disse com dificuldades “Jimin... eu me sinto fraca, ele está me sugando, não vou aguentar.” Ela parecia realmente estar sofrendo.

-Jungkook! -Chamei mais uma vez com um tom de desespero na voz.

Ouvi um rosnado demoníaco e quando olhei para trás vi o outro Jungkook, ele havia acordado, gritei por khannã desesperado mas ela não respondia, o demônio vinha em minha direção, eu estava assustado, apertei meus olhos com força.

-Jungkook, por favor! -Falei baixinho, era minha última tentativa.

-Jimin! -Ouvi Jungkook gritar, abri meus olhos na hora, a gosma havia virado vidro e se partido em milhares de pedacinhos, quando meu olhar se cruzou com o de Jungkook meu coração bateu acelerado e minha respiração falhou, eu queria olha-lo para sempre mas logo esse contato foi quebrado pois ele estava agora lutando contra o próprio demônio, a luta entre eles era assustadora, quando ia tentar ajuda-lo ouço a voz de khannã.

“Não vá Jimin! Ele precisa fazer isso sozinho.”

O demônio de Jungkook o pegava e jogava longe mas ele não desistia, ele pegou o bicho pelos chifres os arrancando fora, foi horrível, é como se ele estivesse se matando, depois ele pegou o demônio pelas asas e as arrancaram fora, essa parte foi meio nostálgica pra mim por isso fechei os olhos momentaneamente, quando abri Jungkook estava vindo em minha direção, o demônio havia virado um liquido preto, então tudo se tornou luz. Abri os olhos vendo Jungkook também abrir e Khannã nos olhar sorrindo.

-Conseguimos, vou deixar vocês sozinhos, não demorem, temos que achar os outros. -E então ela saiu dali nos deixando sozinhos.

-Jimin... -Jungkook chamou por mim, eu que até então estava evitando encarar seus olhos olhei diretamente para eles, ele sorria e me olhava com carinho. -Eu te amo.

Meu coração errou as batidas, corri até ele sem perder tempo pulando em seus braços e beijando aqueles lábios com tanta euforia, saudade e alegria, ele apertou forte minha cintura correndo a mão por meu corpo até meu bumbum. Gemi em sua boca.

-Jimin cadê sua barriguinha? Nós perdemos nosso bebê? Quem era aquela garota? A última coisa que me lembro é de ter passado mal na casa de Jin, ser levado por Namjoon e Hoseok até algum lugar e então tudo ficou escuro, depois acordei em outro lugar, coberto por sangue e terra.

-É uma longa história Kook. -Beijei seus lábios novamente. -E eu também te amo.

Ele sorriu deixando um carinho em meu rosto.


Notas Finais


Tantantaaaaaa
Jungkook está na área bitchs
😎😎😎😎😎🍷🍷🍷🍷🍷🍷
Eu: O q acharam?
Vcs:..... (barulhinho de grilo e eu no vaco novamente)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...