História Entre Anjos e Demonios! (Interativa) - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 39
Palavras 2.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Consegui postar essa bagaça! NINGUÉM ME PARA HAUAHUAHAUAM

Enjoy!

Capítulo 15 - Décimo Segundo Capítulo: Nostalgia part.1 e Pedido.


Fanfic / Fanfiction Entre Anjos e Demonios! (Interativa) - Capítulo 15 - Décimo Segundo Capítulo: Nostalgia part.1 e Pedido.

"Querida Kelly

 

Sinto em ter traido sua confiança enquanto eu estava no céu. Do fundo do meu coração e de minha vida perdida. Perdão

 

Ass:Lethrias"

 

Islândia, 13:54 {Visão Meena}

 

Graças a Yahweh consegui uma casa. Obrigada Lira. Por aqui tudo é guerra, o clima é frio, mas as vezes o sol nasce, apenas musicas de terra fria são ouvidas, ritmos lentos e tristes:

 

-Meena! -Um garoto me atropela no meio da rua.

 

-VOCÊ TÁ LOUCO?? -Grito e levanto.

 

-Não lembra mais de mim? Sou eu Carie! -O garoto fala.

 

-Não creio! Carie você mesmo?

 

-Claro que sou eu Meena! -Ele fala e sorri -O que esta fazendo na Islândia?

 

-Estou morando aqui. Lira conseguiu uma casa linda para mim, perdendo ficar por aqui.

 

-Lira? Eu que não creio. Bem ela é a rainha dos documentos falsos e dinheiro também -Carie sorri

 

-Eu ainda tenho minhas duvidas sobre você ser homem. -Falo e cruzo os braços.

 

-Por que todo mundo diz isso? -Ele fala cansado. -Pergunta para Parky como eu sou macho. -Ele ri

 

-Vou perguntar. E o que voce faz na Islândia? -Pergunto.

 

-Vim buscar uma "encomenda" da Parky. -Ele fala sarcástico -Como vão as coisas?

 

-Indo aos poucos. Tenho que voltar. Não quer tomar algo antes de partir?

 

-Aceito um chá. -Ele fala.

 

Entramos na casa. Carie vem sorrindo olhando as flores do jardim:

 

-Ainda fazendo jardins para passar o tempo?

 

-Sim. Paixão que vai longe -Falo e pego uma rosa vermelha. -Chá gelado?

 

-Quente, por gentileza. -Diz e o mesmo senta-se na cadeira -Saiu a muito tempo do céu?

 

-Pouco tempo... Umas semanas... -Falo e coloco a água esquentar.

 

-Casa elegante como sempre Meena. -Ele fala e observa.

 

-Obrigada como sempre. -Falo

 

A água fervia. Olhava pela janela o jardim com cores quentes. Islândia é conhecida como a terra fria. E realmente aqui é frio, mas onde estou é agradável:

 

-Camomila ou Cana Cidreira?

 

-Se possível Cana Cidreira. -Ele fala e observa a sala arrumada -Dedicada a pinturas ainda?

 

-Sim. Um passatempo não faz mal. -Falo e sorrio fraco -Se mudou para onde?

 

-Canadá... Parky esta por lá também. -Ele fala e abaixa a cabeça.

 

-Lira não esta lá também? -Pergunto coando o chá

 

-Estava... Ela saiu a uns dias, diz ela que com um amigo, mas ele parecia malicioso. -Carie fala com preocupação no rosto.

 

-Ela sabe se virar... E mais pervertida que qualquer demonio.

 

-Nisso ela ganha. -Carie sorri. -E os seus crushs?

 

-Segredo para o mundo. -Falo e coloco o chá na mesa.

 

-Sem graça... -Carie bebe um gole de chá- Doce como eu gosto.

 

-E a sua Crush?

 

-Parky! Estou pensando em pedir ela em namoro... Mas não consigo fazer isso direito

 

-Pensei que estivessem juntos -Falo confusa

 

-Não... -Ele fala maduro -Nunca tive coragem... Ela é mais de amizade.

 

-Crie coragem... Fale com uma garota que tenha experiência com isso. Me tire da lista. -Falo sorrindo ironica

 

-Vou tentar falar com Dulce... Ela deve me ajudar. -Ele termina o chá -Vou indo. Obrigado por me acolher novamente.

 

-De nada Carie. Se precisar estou por aqui.

 

Ele sorri meigo e saí. Vou ate meu quarto, pego um lápis e uma folha branca. Olho pela janela e vejo Carie pegar uma rosa branca e uma vermelha. Ele sorri e saí. Começo a desenhar o jardim fazendo rabiscos simples...

 

A perfeição das flores e paisagens são tudo. Com os rabiscos feitos passei o lápis 6b por cima e fiz um estilo mangá preto e branco. Dando um toque de avermelhado nas flores maiores.

 

As cores dançavam e eu sorri calma.

 

  Gatineau-Canadá, 15:45 {Visão Parky}

 

 

 

Carie me chamou para sair. Em um café no centro de Gatineau. E ele está atrasado como sempre:

 

-Perdão Parky- Ele chega e se senta a minha frente. -O bonde atrasou.

 

-Tudo bem. -Falo e sorrio fraco

 

-Flores de um jardim para a dama mais bela. -Ele fala e me entrega duas flores.

 

-Roubou aonde? -Perguntei e senti o perfume delas

 

-Jardim sagrado e bem cuidado. -Ele fala e sorri malicioso.

 

-Roubou do jardim da Meena... -Falo e coloco as flores na mesa.

 

-Exatamente. Two coffees please. -Carie fala para o garçom

 

-Apto em inglês. -Falo ironica

 

-Tenho que ser meu amor. -Carie sorri. -Thanks Guy.

 

-Venho aqui para que afinal? -Pergunto inquieta.

 

-Bebe seu café que depois eu falo meu bem. -Ele pisca e sorri meigo.

 

-Ok.

 

  Bebemos os cafés,pagamos a conta e saimos:

 

-Então por que veio aqui? -Pergunto enquanto andavamos ate a praça.

 

-Se diverta e depois eu falo -Carie sorri e agarra minha cintura.

 

Reviro os olhos e seguimos ate o parque central. Nos divertimos bastante. Eram quase 18h:00min.:

 

-Carie. Por que veio a Gatineau? -Pergunto terminando o sorvete de chocolate.

 

-Ah... Não posso vim te ver?

 

-Você não é de fazer isso. -Falo e o encaro

 

-Ora pequena. Vim te ver e te pedir algo- Ele fala baixo e encara o chão

 

-Diga então.

 

-Parky... Malakin Mulher... Esperei isso por 3 milénios e agora sei que estou certo e por isso te peço... Namore comigo? -Ele fala carinhoso e segura minhas mãos geladas.

 

... Cogelo sem saber o que dizer

 

  *Quebra de tempo. Duas horas antes*

 

-Carie, Carie. -Dulce fala.

 

-Que foi louca? -Falo inquieto -Não sei como chegar em uma garota e falar "Namore comigo?".

 

-Conversando. -Dulce responde e larga os pratos brancas na mesa.

 

-Obrigado pelo enorme conselho- Sorrio ironico.

 

-Conversa. Leve-a para um passeio, vá direto ao ponto. -Dulce fala.

 

-Como você pode saber tanto? -Pergunto sorrindo

 

-Apenas sei -Ela ri -Agora vai e conquiste a garota que você quer!

 

Obedeci e voei céu a cima.

 

Momento atual

 

-Então Parky? Qual sua resposta? -Carie pergunta com duas rosas na mão, roubadas do jardim ao lado

 

Minhas mãos tremiam do frio que faz em Gatineau. O coração batia mais forte, como se pedisse para sair de dentro de mim. Não podia dizer que não, estaria renegando meu próprio amor por ele. Mas se eu dissesse sim, talvez tudo mudaria.

 

Uma onda de sentimentos sobe pelo meu corpo. Um calor toma conta de mim, um abraço de Carie me fez acordar da dúvida, com os braços dele em volta de mim ficava claro minha resposta:

 

-Não... -Falo quase chorando.

 

-Quê?

 

-Não achei que esse dia chegaria para mim! Óbvio que sim Carie!!- Falo e sorrio entre lágrimas e o abraço forte.

 

-Obrigado por sorrir. -Ele fala.

 

     New York, 23:00 {Visão Bernard}

 

Não consigo encarar Lua da mesma maneira. Por mais que tenha sido um beijo apenas... Aquilo mudou nossa relação:

 

-Bernard! -Lua grita do quarto.

 

Subo as escadas tropeçando em tudo:

 

-O que foi? -Arrombo a porta do quarto.

 

-Me cortei! -Ela fala

 

Realmente ela tinha se cortado feio.

 

-Vou cuidar disso. -Falo e sorrio com um olhar calmo.

 

Ela cora e coloca as mãos perto da boca. Peguei a caixa de primeiro socorros e comecei a enfaixar o machucado. Isso me trás lembranças dos treinos

 

 

 

FEEDBACK

 

Era um treino qualquer. Caleb e Lethrias estavam se encarando desde o meio-dia:

 

-Esses dois não se dão bem. -Lira fala virada de cabeça para baixo voando.

 

-NÃO VOU RECEBER ORDENS SUAS -Lethrias falava bravo

 

-Bem, sou o capitão desse time. Me respeito- Caleb fala

 

Os dois encostam as testas e ficam se encarando

 

-Se vocês não pararem. Vou aí e empurro vocês os dois agora! -Lira fala e me encara maliciosa.

 

-Vamos começar logo o treino, já perdemos meia hora com isso! -Falo entediado.

 

-Hunf... -Caleb põe postura -Vamos continuar com o jogo de bruxo e caçador. Como ontem, Lira e Bernard! No 3 vocês corram e se escondam! -Ele fala confiante.

 

-Se não estiverem prontos para matar... -Lethrias fala.

 

-Iremos morrer sem honra. Você fala isso o tempo todo Leth! -Lira fala impaciente

 

-1... 2... 3!

 

Lira correu na direção oposta sumindo com a foice e as asas. Voando céu adentro. Me abaixo atrás de uma moita grande e fico em posição de defesa... Com a mão na espada perto da cintura, mordo os lábios, óbvio que já jogamos esse jogo várias e várias vezes como proteção e ataque em jogo. Mas dessa vez para vencer e necessário uma luta. Ouço passos em minha direção. Me empino para trás e trinco os dentes em forma de ataque, oculto a aura e minha presença. Os passos pararam. Respiro. Direita, esquerda, em baixo, atrás....

 

-Falta uma direção -Falo baixo -PARA CIMA! -Grito abafado.

 

Ouço um barulho na frente do moita. Caleb? Lethrias? Lira caindo?. Levanto a cabeça e olho. Caleb, caido no chão, estaria fingido? Ou realmente machucado?

 

Tento olhar mais de perto. Sucesso. Sim,ele não fingia estava machucado:

 

-Caleb! -Apareço com a espada fora da bainha.

 

-Sem brincadeira Bernard! -Ele fala no chão -O corte foi fundo e não consegui achar Lira para cuidar.

 

Me ajoelho e deixo a espada o mais perto possível de mim (BICHO PREVENIDO). Observo o machucado/desastre e CHAMA A LIRA QUE ISSO EU NÃO RESOLVO HOJE NÃO! Caleb sangrava, apoiei ele em uma árvore e pedi para ele subir a calça:

 

-Se assumido?  -Ele zoa

 

-Óbvio. Olha a cara de viado! -Falo ironico.

 

Peguei um pedaço de gase no fundo do bolso e manipulei meus poderes:

 

-E Dá proxima vez. Vai pedir para Lira! -Falo (Quem viu Chaves vão entender)

 

-Claro. Ela nem ia achar que era drama e ficar escondida. -Ele ri. -Ela... Só ela

 

-Tá apaixonado? -Perguto com um sorriso bobo na cara.

 

-Sim. Casa comigo agora -Gargalhei com o jeito dele falar -Você é meu amigo. Melhor. E Lira, gostaria dela como mais que uma amiga meu caro. -Ele fala trincando os dentes.

 

-Terminei. Mals, não sei enfaixar machucados direito. -Falo vendo a desgraça.

 

-Dá pro gasto Bernard! -Caleb fala e abaixa a calça -Vamos. Temos uma luta a fazer

 

FEEDBACK OFF.

 

Termino de amarrar o corte e beijo o braço dela em forma de carinho:

 

-Vai passar -Falo

 

-Por que fez isso? -Lua pergunto corada.

 

-Os humanos fazem isso quando alguém se machuca... -Falo com minhas bochechas ardendo.

 

-Entendi -Ela sorri

 

-Então vamos para cozinha... -Sinto ele beijar minha testa e afagar meus cabelos bagunçados.

 

-Vamos. -Ela sorri como uma criança atrás de presentes.

 

Entramos na cozinha e ela se senta no balcão:

 

-Sua equipe tinha quais objetivos? -Ela pergunta.

 

-Pregar a paz é que não- Falo rindo -Objetivos em comum? Só estar de bem com nós mesmos. Porque de resto... Eram loucos sonhando acordados olhando as estrelas no sétimo céu!

 

-O sétimo céu? É onde Yahweh está? -Ela pergunta.

 

-Sim, outro objetivo era violar as regras sem que os arcanjos vissem...

 

-E vocês foram pegos? -Lua pergunta interresada.

 

-Óbvio que sim. Caleb e Lethrias começaram a brigar... -Ri -Foi hilário. Miguel mandou os dois para fora a gritos. Eu saí voando ate o quarto céu depois perdi o fôlego de tanto rir da cara dos dois.

 

-E a Lira?  -Ela pergurta.

 

-Ficou levando bronca por nós. -Falo e coloco a lasanha na mesa. -Bom apetite!

 

-Obrigada e igualmente- Ela fala sorrindo.

 

Mordi um pedaço da lasanha de queijo e presunto e frango, receita do Lethrias só que sem as urtigas mortais dele hehehe. :

 

-Está um delícia! -Lua fala e sorri.

 

-Que bom que gostou boneca! -Falo e aperto a bochecha dela.

 

 -Ei... -Ela fala baixo- Doeu um pouco.

 

 A encara sorrindo com os olhos. Ela fica vermelha com os olhos brilhantes. Os cabelos longos, lisos e negros davam um ar de inocência a ela:

 

-Bernard... Estou com sono... Já é quase madrugada vou dormir. -Ela coloca o prato vazio na pia e sobe para o quarto

 

Sorrio. E começo a lavar a louça deixando escorrer e guardar no outro dia (Preguiça mesmo!)... Subo e abro a porta do quarto dela devagar:

 

-Lua? -Não a encontro no quarto dela.

 

Entro no meu e a vejo dormir como um filhote de gato. Me deito ao seu lado devagar e a abraço beijando sua testa levemente:

 

-Boa noite Lua... Você vai brilhar pela janela hoje -Falo e olha para a lua cheia.

 

Fecho os olhos e aperto Lua contra meu peito que só carrega o coração. Afago os cabelos dela,ela sorri sonhando. Sorrio e


Notas Finais


Se a escrita está ruim desculpa. Fiz isso voando!

Comentem oq acharam!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...