1. Spirit Fanfics >
  2. .entre as estrelas ; renmin >
  3. .dois

História .entre as estrelas ; renmin - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - .dois


Jeno o encurralou um dia depois da aula. Talvez Jaemin estivesse fugindo dele, com medo de que Jeno fosse trazer alguma notícia que destruísse a harmonia que existia dentro do seu dormitório. Talvez não.

Mas Jaemin não falou nada sobre isso e nem Jeno comentou sobre como a maioria das suas mensagens só recebiam como resposta uma palavra seca. Jaemin apenas sorriu quando Jeno se aproximou.

— E aí, Jen. Você quer ir comer algo?

— Vou ter que passar isso aí — Jeno respondeu com um sorriso leve e fácil. — Eu vou me encontrar com Hyuck daqui a pouco. Eu só queria te avisar que eu perguntei a algumas pessoas e uns amigos do Hyuck também estavam vendo sobre isso, mas parece que ninguém sabe sobre ele… Renjeon, não é?

— Renjun.

Renjun. É. Ninguém o viu antes. Ele ainda está com você? Está tudo bem por lá?

— Sim — Jaemin respondeu rápido. — Ele anda falando mais e… eu acho que você pode estar certo. Ele tem um certo sotaque, então não acho que ele seja daqui.

Jeno suspirou fundo, correndo uma de suas mãos pelo cabelo.

— Jaem… Eu sei que você disse que ele é ok e não é perigoso, mas e se alguém estiver procurando por ele? E se ele estiver correndo perigo e precisa da ajuda de pessoas que realmente possam ajudá-lo? Eu sei que você está tentando o seu melhor, mas você é só um estudante normal. Ele pode precisar do apoio da polícia ou algo que você não consiga fornecer.

Um momento de silêncio se passou e Jaemin pressionou os lábios um contra o outro. Jeno estava certo. Talvez Renjun precisasse de algo muito maior do que o que Jaemin conseguisse fazer.

— Eu vou… tentar falar com ele — Jaemin suspirou. — E aí eu falo com você depois. Eu só espero que isso não o afaste… Ele realmente estava falando e se abrindo mais nesses últimos dias, Jen. Eu não quero que ele se feche de novo.

Jeno o olhou com uma expressão de pena.

— Não se apegue muito a ele, Jaem. Você quase não o conhece e isso só vai te machucar no final.

— Eu sei, eu sei.

Era difícil de falar isso porque Jaemin sentia que ele conhecia Renjun bem mais do que Jeno devia estar pensando. Ele sabia como Renjun parecia quando ele mal tinha acordado, olhos quase fechados e nariz franzindo, entrando na cozinha com um pijama grande demais que fazia as suas mãos quase serem cobertas pelas mangas longas, enquanto empurrava de leve Jaemin para o lado para tentar alcançar o armário.

Ele sabia reconhecer quando Renjun estava perdido em pensamentos, olhando para fora da janela, e não queria ser incomodado; mas ele também sabia quando Renjun estava tentando parecer desinteressado mas estava esperando pela iniciativa de Jaemin.

Ele sabia isso e muito mais, mas não era sobre isso que Jeno estava falando e Jaemin entendia — o sobrenome de Renjun era desconhecido, ele apareceu do nada e ainda não tinha ido embora, sem ter compartilhado nada sobre a sua vida a não ser o seu primeiro nome.

(Se é que é o seu nome de verdade, uma parte da mente de Jaemin questionava. Ele não queria pensar naquela possibilidade.)

Jeno estava tentando ajudá-lo enquanto lhe dava espaço e Jaemin compreendia. Ele estava feliz que Jeno se preocupava com ele e não forçava as suas opiniões mesmo que insatisfeito com as decisões de Jaemin. Se as suas posições tivessem sido trocadas, Jaemin não sabia se ele conseguiria se segurar para não se meter na situação.

— Eu vou falar com ele — Jaemin prometeu.

 

*

 

O dormitório estava vazio quando Jaemin chegou, mas nada daquilo era novidade.

Renjun andava saindo mais desde que ele começou a falar e Jaemin o levou ao redor da vizinhança, apresentando o local. Jaemin não sabia para onde Renjun ia, mas ele também não ia forçá-lo a ficar dentro só porque ele se preocupava.

Ele imaginava que Renjun devia estar andando ao redor do campus — tinha o visto uma vez, rapidamente, na biblioteca, mas quando Jaemin voltou para checar se realmente era ele, a figura já tinha sumido. Jaemin não perguntou depois e nem Renjun falou nada, mas naquela noite Renjun ficou aconchegado no sofá com um livro que Jaemin não possuía antes.

Jaemin foi até a cozinha para começar a cozinhar algo para eles. A chegada de Renjun em sua vida, ao menos, fez com que ele começasse a cozinhar mais, diminuindo a quantidade de comida que pedia de fora.

Havia várias mudanças em sua vida em tão pouco tempo. Agora ele cozinhava para dois sem pensar duas vezes, já colocando um prato a mais na mesa; as suas coisas do banheiro acabavam mais rápido e ele precisava fazer compras mais constantemente. Mas as outras mudanças… não. Não era bom ele ir naquela direção. Não o faria bem. Jeno estava certo, sempre estava certo. Ele não devia se apegar tanto a Renjun.

Mas era difícil.

A porta se abriu quase que de forma silenciosa, mas Jaemin escutou o barulho das chaves e não pode segurar o sorriso que se formou em seu rosto. Ele conseguia ver a cena claramente em sua cabeça: Renjun segurando seu chaveiro com força, as estrelinhas que ele tinha escolhido (invés do golfinho fofo) machucando a palma de sua mão enquanto ele se livrava dos seus sapatos (sapatos de Jaemin, na realidade).

Um segundo depois e ele estava do lado de Jaemin, olhos arregalados enquanto tentava enxergar por cima do seu ombro e ver o que ele cozinhava.

— Oi — Renjun disse gentilmente antes de olhar para Jaemin, olhar leve e suave como a sua voz, afeição dominando por completo todos os seus gestos.

— Oi, Renjunnie.

O jantar naquela noite foi silencioso, mas não era algo que incomodava. Algumas vezes eles conversavam bastante, até a comida ficar fria, ainda intocada; mas outras vezes eles mal falavam, mas o olhar de Renjun era sempre gentil e Jaemin sentia o seu coração aquecer só com aquilo.

Como alguém poderia olhar para Renjun e pensar que ele era perigoso? Imaginar que ele estava planejando alguma coisa ruim? Não parecia ser algo que o garoto do outro lado da mesa poderia sequer fazer.

Jaemin não o questionou naquela noite, não se atreveu a quebrar o clima confortável entre eles.

Em vez disso, ele se sentou no sofá ao lado de Renjun. Colocou o cobertor surrado ao redor deles dois e deixou Renjun escolher o que assistir. Era outro documentário — Renjun parecia gostar bastante deles — mas Jaemin mal prestou atenção no que estava acontecendo na tela, mais preocupado com o calor emanando do corpo de Renjun ao lado do seu, os seus ombros se tocando.

Ele virou a cabeça para o lado e olhou para o perfil de Renjun; as luzes coloridas da televisão brilhavam em seu rosto, criando sombras dos seus cílios no topo de suas bochechas, refletindo a curva do seu sorriso. Jaemin não pensou que estava encarando, mas Renjun virou um pouquinho a sua cabeça de lado e trocou um olhar com ele.

Aquilo fez Jaemin virar a sua cabeça para a frente imediatamente. Mesmo assim, ele não pode deixar de ver o canto da boca de Renjun se curvando, ou de sentir os seus movimentos ao se remexer no sofá, suas coxas encostando com mais força uma contra a outra.

Algo crescia dentro do peito de Jaemin, sem limite e voando, e ele não conseguiu deixar de pensar nas palavras de Jeno. Era perigoso demais.


Notas Finais


oi, gente 💖

twt: pinkhrj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...