1. Spirit Fanfics >
  2. Entre carinhos e calores >
  3. Único

História Entre carinhos e calores - Capítulo 1


Escrita por: hyunjstars

Notas do Autor


oi caras, eu to vivokkkkkk ai

dia dos namorados e eu vim postar um mimo para a @blinblon, que deu os gatilhos 😀😀 talvez esteja ruim? quem sabe, mas juro que fiz de coração!

perdão caso tenha um erro aqui ou ali, eu to postando correndo pq se não acabaria sem fic hoje

enfim, solteiros e casados, não tenho muito o que falar, então aproveitem o moreninho dengoso aí

Capítulo 1 - Único


Eram exatas nove da noite e a garota chegava em casa, exausta pela aula de design, que foi mais cansativa que o normal, provavelmente culpa da dengue que havia pegado. Por ser extremamente focada e insistente em algo que quer, foi de qualquer jeito estudar, já que “estava quase curada” e não seria umas dores aqui ou ali que iria atrapalhar; a realidade era que foi à base do ódio estudar. Então, abriu de forma preguiçosa a porta de seu apartamento, na qual dividia com seu adorável namorado, que estranhamente não estava na sala assistindo um desenho bobinho, como fazia de costume. Fez uma expressão meio irritada, mas logo desistiu de se irritar com a ausência do seu namorado e passou a se irritar com a dor de cabeça que sentia. 



– Dengue idiota. – murmurou irritada, deixando a bolsa no sofá e indo procurar algum remédio antes que quebrasse algo. 



 Pegou o pequeno comprimido e um copo de água, cheio até sua metade, virando rapidamente o comprimido e a água junto. Terminou o copo de água, caminhando de forma preguiçosa até o quarto e encontrando Haechan lá, assistindo algo no celular, o que não identificou pelo volume estar baixo. O menino usava uma blusa de manga curta e branca, junto com uma bermuda com listras azuis e brancas. Usava também meias, cobrindo os pés meio inquietos, que tocavam um ao outro ao ver a moça chegar de seu curso. O rostinho curioso e inquieto do Lee encarava a namorada, com um sorrisinho no rosto. Vê-la chegar era a sua parte favorita do dia, apesar de muitas vezes a mais nova estar um pouco irritada. Esperou a garota sentar na ponta da cama para tirar os sapatos, então deixou o celular de lado e engatinhou feito um gatinho até ela, deitando a cabeça em seu colo, sorrindo até ambos olhares se encontrarem. 



– Estressada como sempre? – Haechan solta, em um tom brincalhão. 


– Lógico, com uma cabeça inútil que só fica doendo também, quem não se estressaria? – ela responde, revirando os olhos e se ajeitando na cama após tirar os sapatos, continuando com a cabeça do namorado em seu colo. 



 Levou uma das mãos até o cabelo macio e cheiroso do mais velho, ele com certeza havia lavado o cabelo mais cedo, e foi apenas para ela. Haechan fechou os olhos por alguns segundos, aproveitando o momento. Às vezes, ao passar um bom tempo longe de sua namorada, o deixa agitado e isso pode passar do limite algumas vezes. Ao abrir novamente seus olhos, o Lee acidentalmente, ou nem tão acidentalmente assim, encarou os seios da namorada, pela posição que estava deitado, era basicamente inevitável olhar, já que estavam não muito acima de sua cabeça. Desviou o olhar, completamente envergonhado e inquieto, não querendo demonstrar o quão pervertido foi. Ele sabia que sua namorada conhecia todos os seus sinais e joguinhos, mal adiantava esconder quando ficava envergonhado e inquieto. Pensou ter enganado a garota, desviando o olhar e aconchegando mais a cabeça ali, o que ele não esperava era que ela havia sim notado e sabia disfarçar mil vezes mais que seu namorado. 



– Mas então, já que sua noite foi cansativa assim, eu posso ler uma história pra' você, o que acha? – o moreno sugeriu, se sentando novamente na cama – Eu até vi um vídeo com uma história em inglês pra' contar assim que você chegasse. – contou empolgado, puxando a namorada para se deitar nos travesseiros. 


– Vou apenas tomar um banho e me trocar, assiste o vídeo de novo, não vamos querer você errando, né? – ela pisca, pegando seu pijama e indo até o banheiro. 



 Estrategicamente deixou a porta do banheiro com uma partezinha aberta, o suficiente para Haechan conseguir encarar sua imagem. Justo em um dia que o rapaz estava agitado? Sua intuição era boa até demais. O Lee resolveu ver de novo o vídeo contando a história, para conferir a pronúncia e se embolar na presença de sua namorada. Em um momento, sentiu o cheirinho suave do sabonete e não pôde deixar de encarar a porta, vendo por alguns segundos o corpo molhado da namorada, com espumas em alguns cantos. Sua mão deslizava delicadamente por seu corpo, provavelmente na intenção de relaxar. 



“porra, imagina essas mãos deslizando assim em mim--” – pensou Haechan, balançando a cabeça para espantar tal pensamento. 



 Aproveitou para deixar sua franja cair pelo rosto, na intenção de esconder as bochechinhas rosadas e quentes. Umideceu os lábios, tentando focar novamente no vídeo, mas travando assim que parou de ouvir a água do chuveiro. Agora que ela retornaria, esse pensamento fazia o moreno minimamente tremer. Encarou a namorada voltar de pijama, não demorando para sentir o aroma do sabonete. Observou atentamente a garota deitar na cama e rolar até ficar sobre seu corpo. O Lee se sentiu eufórico com tal ato, não por pensar besteira, sim porque era ela, só isso já era um grande fato para enlouquecer. 



– Vou ficar deitada aqui, tô' com frio, se importa? – ela pergunta, fazendo um carinho com a ponta dos dedos na lateral do tronco do namorado – Seja bonzinho, Hyuck, eu tô' doente. 


– Doente? Você foi à faculdade doente e agora tá' usando isso de desculpa! – o mais velho responde, dando uma risadinha – Mas eu gosto de você aqui, posso contar a história? 



 A garota afirma com a cabeça, piscando de uma forma lenta por conta do sono. O moreno então começou a contar a história da Branca de Neve, um conto clássico de princesa. Vez ou outra se embolava com as frases e deixava algumas palavras fofas por conta do seu sotaque. Enquanto o mais velho contava, a garota começou a notar que seu coração acelerava, ouvindo perfeitamente por estar com a cabeça no peitoral do namorado, sentindo também seu corpo dar umas mexidinhas aqui e ali. Ele estava inquieto. Num movimento de “se aconchegar”, ela se moveu em cima do corpo do namorado, fazendo-o gaguejar e atrapalhando um pouco sua narração. Era difícil, para Hyuck, não surtar ali; se agitava ainda mais ao sentir a pele ainda meio gelada da namorada, sentir seus dedos fazendo um carinho delicado por seu tronco e, em especial, o peso de seu corpo. Sentir cada pedacinho do corpo dela sobre o seu era de enlouquecer, de uma forma boa, ele amava aquela sensação. Hyuck se desconcentrou diversas vezes com tal pensamento, o que fez o moreno repetir a mesma frase da história umas duas vezes. 

 Fez de tudo para normalmente seguir com a história, sentindo um grande alívio ao terminar de contar, assim não iria dar tantos sinais do quão nervoso estava. Sua preocupação cresceu um pouquinho mais ao ver que sua namorada não adormeceu com a história. 



– Então… – Hyuck tenta puxar assunto, limpando a garganta em seguida – Meu inglês melhorou, né? Viu como eu sei usar bem minha língua? – ele solta sem pensar, com um tom de implicância. 


– Ficaria quieto e pensaria duas vezes se soubesse mesmo usar, querido. – a garota respondeu, soltando uma risadinha baixa, sem encarar o namorado – Você não é o único que sabe usar bem as coisas. 



 Por um momento, o corpo do Lee travou e levemente tencionou, tornando a situação ainda mais divertida para sua namorada, que sentiu o corpo do mais velho esquentar com a fala e a respiração ficar pesada. Ela sabia que o namorado, apesar do rostinho angelical, gostava de ser tratado de forma um pouco rígida, não era algo que sempre fazia, porém quando acontecia, não deixava de notar os sorrisinhos que ele dava com isso. Não foi diferente dessa vez, depois de segundos travado, Hyuck soltou um risinho fraco. 



– O que quer dizer com isso? – ele diz com uma falsa inocência – Eu só acredito vendo. 



 Talvez ele estivesse tenso falando coisas assim sem mais nem menos, mas é óbvio que não deixaria passar uma oportunidade assim. Seu rosto novamente voltou a ficar vermelho quando a mais nova se ajeitou em seu colo, para poder encará-lo melhor. O Lee então balançou a cabeça para bagunçar seu cabelo, fazendo que a franja cobrisse um pouco das bochechas, que deduravam o quanto estava agitado, com uma euforia imensa dentro de si. A namorada subiu a mão pelo peitoral do mais velho, sentindo seu batimento e dando um sorriso de lado. Hyuck estava tão adorável ali, seria um desperdício se deixasse essa chance passar. 



– Então parece que terei que te mostrar, não é? – ela calmamente diz. 



 E, novamente, o moreno estremeceu ali embaixo, olhando de forma ansiosa para a garota e se remexendo meio inquieto ali. Era visível sua ansiedade, o que tornava tudo mais divertido e interessante. 




Donghyuck realmente era um garotinho desesperado. 



Notas Finais


sem música aqui, não sei que final mErda foi essekkkkkk mas entao

muack beijo segue @yunmii para mais e feliz dia dos namorados para todos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...